Página 1 dos resultados de 572 itens digitais encontrados em 0.141 segundos

Opiniões e atitudes em relação à sexualidade: pesquisa de âmbito nacional, Brasil 2005; Opinions and attitudes regarding sexuality: Brazilian national research, 2005

PAIVA, Vera; ARANHA, Francisco; BASTOS, Francisco I; Grupo de Estudos em População, Sexualidade e Aids
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
105.92%
OBJETIVO: Descrever opiniões e atitudes sobre sexualidade da população urbana brasileira. MÉTODOS: Inquérito de base populacional realizado em 2005, em amostra representativa de 5.040 entrevistados. Realizou-se análise das atitudes diante da iniciação e educação sexual de adolescentes, considerando sexo, idade, escolaridade, renda, estado civil, religião, cor, região geográfica e opiniões sobre fidelidade, homossexualidade e masturbação. Os resultados foram contrastados com pesquisa similar realizada em 1998, sempre que possível. RESULTADOS: A maioria dos entrevistados escolheu como significado para o sexo a alternativa: "sexo é uma prova de amor". Como em 1998, a maioria manifestou-se pela iniciação sexual dos jovens depois do casamento (63,9% para iniciação feminina vs. 52,4% para a masculina), com diferenças entre praticantes das diversas religiões. A educação escolar de adolescentes sobre o uso do preservativo foi apoiada por 97% dos entrevistados, de todos os grupos sociais. Foi elevada a proporção de brasileiros que concordaram com o acesso ao preservativo nos serviços de saúde (95%) e na escola (83,6%). A fidelidade permaneceu um valor quase unânime e aumentou, em 2005, a proporção dos favoráveis à iniciação sexual depois do casamento...

Análise do conhecimento em saúde bucal dos professores de ensino fundamental das escolas públicas de Bauru-SP; Analysis of the oral health knowledge of teachers of public schools at Bauru-SP

Sant'Anna, Rute Moreira de Freitas
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/03/2007 Português
Relevância na Pesquisa
105.89%
Os professores da rede pública são referenciais de informações sobre saúde bucal para seus alunos, seja por trazer a responsabilidade dos ensinamentos em saúde, ou por estabelecer, pela convivência periódica, oportunidades de trabalhar questões dos cuidados na prevenção das doenças bucais através de suas atitudes e ensinamentos, na construção dos conceitos de saúde em geral aos escolares. Este trabalho teve como objetivo geral analisar o conhecimento dos professores de ensino fundamental da 1ª à 4ª série da rede pública no município de Bauru-SP sobre saúde bucal. Como objetivo específico, investigar qual a atitude desses profissionais, em relação à educação em saúde e promoção de saúde bucal na sala de aula. Foram realizadas entrevistas individuais por meio da aplicação de um questionário semi-estruturado contendo 20 questões abertas e fechadas, com 307 professores, de 24 escolas estaduais e municipais. Verificou-se, neste estudo, resultados em que se destacam: 92,5 % dos entrevistados relataram falar da importância da saúde bucal para os alunos, 36,0 % receberam treinamento de saúde bucal, 48,0 % citaram prevenção à cárie como função do flúor. Por outro lado, 10,7% desconheciam local de acesso ao flúor...

Lócus de controle, conhecimento, atitude e prática em relação à pílula anticoncepcional e ao preservativo masculino entre adolescentes de ensino médio = : Locus of control, knowledge, attitude and practice on the contraceptive pill and the male condom among teenagers in high school; Locus of control, knowledge, attitude and practice on the contraceptive pill and the male condom among teenagers in high school

Angela Ferreira Silva Miranda Alves
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 03/07/2012 Português
Relevância na Pesquisa
105.88%
A gravidez na adolescência é um problema de saúde pública, que traz complicações não somente aos adolescentes, mas à criança, à família e a toda a sociedade. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) a adolescência corresponde como sendo a segunda fase da vida e varia as idades entre 10 e 19 anos. Pesquisadores demógrafos desenvolveram um modelo especial conhecido como estudo CAP (Conhecimento, Atitude e Prática), que pretende medir o conhecimento, atitude e prática de uma população, permitindo fazer um diagnóstico e mostrar o que as pessoas sabem, sentem e como elas se comportam perante determinado tema. Determinadas características de personalidade contribuem para a adesão ou não da anticoncepção na adolescência, e isso é o que a escala de lócus de controle pretende avaliar, ou seja, quem ou o quê é responsável pelo controle de sua própria vida. Pode ser interna, no caso do indivíduo acreditar que mantém o controle sobre sua vida; ou externa, no caso do sujeito atribuir o controle da sua vida a outras pessoas, entidades ou até mesmo sorte ou destino. O presente estudo visa avaliar a relação entre o lócus de controle; conhecimento, atitude e prática na anticoncepção em um grupo de adolescentes do ensino médio de escolas públicas no interior de Minas Gerais...

Conhecimentos e atitudes dos profissionais de saúde face aos idosos

Pinto, Bruna Filipa Sousa; Martins, Rosa Maria Lopes, orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
106%
Curso de mestrado em enfermagem de reabilitação; Introdução: Na conjuntura atual, o envelhecimento da população é um fenómeno mundial, o que se traduz no aumento da procura dos serviços de saúde, constituindo esta circunstância, um desafio aos profissionais de saúde. Nesta perspetiva, torna-se fundamental saber quais os conhecimentos que estes possuem em relação aos idosos, bem como, as atitudes que adotam, de modo a perceber se os estereótipos que a sociedade possui em relação à velhice se refletem, ou não, na prestação dos cuidados de saúde. Objetivo: Avaliar os Conhecimentos e Atitudes dos profissionais de saúde face aos idosos e verificar em que medida as variáveis sociodemográficas e profissionais têm efeito significativo nos mesmos. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal, descritivo-correlacional, de natureza quantitativa e analítica, no qual participaram 80 profissionais de saúde do Centro Hospitalar Tondela – Viseu, EPE (CHTV; EPE), e 80 profissionais de saúde do ACES-Douro Sul, ARS Norte. O Instrumento de colheita de dados integra um questionário sociodemográfico e profissional, o Questionário de Avaliação de Conhecimentos em relação à Velhice e a Escala OP de Kogan – Atitudes face aos idosos. Para o tratamento estatístico foi utilizado o programa SPSS versão 20. Resultados: A população estudada é maioritariamente feminina...

Conhecimento, atitude e prática do uso de pílula e preservativo entre adolescentes universitários

Alves,Aline Salheb; Lopes,Maria Helena Baena de Moraes
Fonte: Associação Brasileira de Enfermagem Publicador: Associação Brasileira de Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 Português
Relevância na Pesquisa
105.91%
Foram avaliados o conhecimento, atitude e prática em relação à pílula e ao preservativo entre adolescentes, ingressantes de uma universidade pública paulista. Um questionário foi aplicado a 295 universitários. Observou-se que os adolescentes apresentaram atitudes positivas em relação à prática contraceptiva, já que 92,6% opinaram que devem utilizar métodos anticoncepcionais, e dentre os adolescentes com vida sexual ativa, aproximadamente 82% responderam que utilizavam algum método em todas as relações sexuais. Demonstraram ter maior conhecimento do que prática. Quando comparados o preservativo e a pílula, os adolescentes apresentam maior conhecimento e prática em relação ao preservativo. Conclui-se que embora os adolescentes tenham conhecimento e atitudes adequadas, precisam modificar algumas de suas práticas para uma anticoncepção eficaz.

Conhecimentos, atitudes e prática do exame de Papanicolaou entre mulheres argentinas

Gamarra,Carmen Justina; Paz,Elisabete Pimenta Araújo; Griep,Rosane Harter
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2005 Português
Relevância na Pesquisa
125.97%
OBJETIVO: Avaliar os conhecimentos, atitudes e prática acerca do exame de Papanicolaou e verificar sua associação com variáveis sociodemográficas entre mulheres. MÉTODOS: Por meio de inquérito domiciliar foram entrevistadas 200 mulheres da localidade de Puerto Leoni, Misiones, Argentina, selecionadas de forma aleatória simples. As respostas foram descritas quanto ao conhecimento, atitude e prática, e suas respectivas adequações para o exame de Papanicolaou, previamente definidas. A adequação foi comparada entre as categorias das variáveis de controle pelo teste chi2, com nível de significância de 5%. RESULTADOS: O conhecimento e prática do exame de Papanicolaou foram adequados em 49,5% e 30,5% das entrevistadas, respectivamente, embora a atitude frente ao exame tenha sido considerada adequada em 80,5% das entrevistadas. A falta de solicitação pelo médico ou por outros profissionais de saúde foi referida por 58,9% das mulheres como principal motivo para não realização do exame. CONCLUSÕES: Os resultados revelaram a necessidade, sobretudo entre os profissionais de saúde, de fornecerem mais informações sobre o exame, gerando conhecimento à população sobre as vantagens e benefícios do exame Papanicolaou.

Percepção de risco, atitudes e práticas no uso de agrotóxicos entre agricultores de Culturama, MS

Recena,Maria Celina Piazza; Caldas,Eloisa Dutra
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2008 Português
Relevância na Pesquisa
105.85%
OBJETIVO: Avaliar a percepção de risco, práticas e atitudes no uso de agrotóxicos por agricultores. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS: Estudo qualitativo realizado em Culturama, Mato Grosso do Sul, em fevereiro de 2005. Sete grupos focais (N=40), com cinco a sete integrantes cada, discutiram questões relacionadas a agrotóxicos, incluindo a apresentação da embalagem de um inseticida para subsidiar discussão sobre rótulos e bulas. As falas foram gravadas, transcritas e analisadas seguindo o método de análise do discurso. ANÁLISE DOS RESULTADOS: Os agricultores se mostraram cientes dos riscos de exposição direta e indireta ao utilizar agrotóxicos; muitos se mostraram preocupados com a contaminação potencial do meio ambiente. As informações que os agricultores tinham sobre agrotóxicos eram restritas principalmente à dosagem do produto, cuja principal fonte eram os revendedores. Os agricultores reclamaram do tamanho das letras e da linguagem técnica do rótulo e da bula, mas muitos souberam interpretar os pictogramas e o código de cor de toxicidade presentes neles. CONCLUSÕES: Os agricultores nem sempre transformam sua percepção de risco e suas experiências pessoais em atitudes e práticas mais seguras no uso de agrotóxicos...

Vínculo e autonomia na prática de saúde bucal no Programa Saúde da Família

Santos,Adriano Maia dos; Assis,Marluce Maria Araújo; Nascimento,Maria Angela Alves do; Jorge,Maria Salete Bessa
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 Português
Relevância na Pesquisa
115.9%
OBJETIVO: Compreender o estabelecimento do vínculo na construção de autonomia dos sujeitos que engendram as práticas de saúde bucal no Programa Saúde da Família. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS: Estudo qualitativo realizado em Alagoinhas, BA, 2004, utilizando-se uma abordagem crítico-reflexiva. Foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com trabalhadores e usuários e observação da prática no Programa Saúde da Família, num total de 17 entrevistados. A análise dos dados foi orientada pelo modelo de análise hermenêutico-dialética, confrontando as representações dos diferentes sujeitos e articulando-os com o referencial teórico orientador do estudo. ANÁLISE DOS RESULTADOS: Os usuários atendidos pela equipe de saúde bucal do Programa Saúde da Família apontaram seus problemas e o tratamento que desejavam realizar. Estabeleceu-se uma linha de tensão, que pode definir o serviço como acolhedor e vincular, e assim contribuir para o fortalecimento da autonomia dos demandantes. No entanto, usuários e profissionais negociavam acerca do tratamento. O estabelecimento do vínculo permitiu que a negociação caminhasse para um consenso de necessidades e responsabilidades, impedindo que o ato terapêutico esteja centrado no profissional...

Vínculo e autonomia na prática de saúde bucal no Programa Saúde da Família

Santos,Adriano Maia dos; Assis,Marluce Maria Araújo; Nascimento,Maria Angela Alves do; Jorge,Maria Salete Bessa
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 Português
Relevância na Pesquisa
115.9%
OBJETIVO: Compreender o estabelecimento do vínculo na construção de autonomia dos sujeitos que engendram as práticas de saúde bucal no Programa Saúde da Família. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS: Estudo qualitativo realizado em Alagoinhas, BA, 2004, utilizando-se uma abordagem crítico-reflexiva. Foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com trabalhadores e usuários e observação da prática no Programa Saúde da Família, num total de 17 entrevistados. A análise dos dados foi orientada pelo modelo de análise hermenêutico-dialética, confrontando as representações dos diferentes sujeitos e articulando-os com o referencial teórico orientador do estudo. ANÁLISE DOS RESULTADOS: Os usuários atendidos pela equipe de saúde bucal do Programa Saúde da Família apontaram seus problemas e o tratamento que desejavam realizar. Estabeleceu-se uma linha de tensão, que pode definir o serviço como acolhedor e vincular, e assim contribuir para o fortalecimento da autonomia dos demandantes. No entanto, usuários e profissionais negociavam acerca do tratamento. O estabelecimento do vínculo permitiu que a negociação caminhasse para um consenso de necessidades e responsabilidades, impedindo que o ato terapêutico esteja centrado no profissional...

Conhecimentos, atitudes e prática do exame de Papanicolaou por mulheres, Nordeste do Brasil

Fernandes,José Veríssimo; Rodrigues,Silvia Helena Lacerda; Costa,Yuri Guilherme Alexandre Silva da; Silva,Luiz Cláudio Moura da; Brito,Alípio Maciel Lima de; Azevedo,Judson Welber Veríssimo de; Nascimento,Ermeton Duarte do; Azevedo,Paulo Roberto Mede
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2009 Português
Relevância na Pesquisa
126.05%
OBJETIVO: Analisar conhecimentos, atitudes e práticas das mulheres em relação ao exame citológico de Papanicolaou e a associação entre esses comportamentos e características sociodemográficas MÉTODOS: Inquérito domiciliar com abordagem quantitativa. Foram entrevistadas 267 mulheres com idade de 15 a 69 anos, selecionadas de forma estratificada aleatória, residentes no município de São José do Mipibu, RN, em 2007. Utilizou-se questionário com perguntas pré-codificadas e abertas, cujas respostas foram descritas e analisadas quanto à adequação dos conhecimentos, atitudes e prática das mulheres em relação ao exame preventivo de Papanicolaou. Foram realizados testes de associação entre as características sociodemográficas e os comportamentos estudados, com nível de significância de 5%. RESULTADOS: Apesar de 46,1% das mulheres entrevistadas terem mostrado conhecimento adequado, proporções de adequação significativamente maiores foram observadas em relação às atitudes e prática quanto ao exame: 63,3% e 64,4%, respectivamente. O maior grau de escolaridade apresentou associação com adequação dos conhecimentos, atitudes e prática, enquanto as principais barreiras para a realização do exame relatadas foram descuido...

Percepções e ações de mulheres em relação à prevenção e promoção da saúde na atenção básica

Figueira,Taís Rocha; Ferreira,Efigênia Ferreira e; Schall,Virgínia Torres; Modena,Celina Maria
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 Português
Relevância na Pesquisa
115.8%
OBJETIVO: Analisar percepções e participação de usuárias de unidade básica de saúde em relação à prevenção e promoção de saúde. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS: Estudo qualitativo no qual foram entrevistadas 20 usuárias de uma unidade de saúde da família de Belo Horizonte, MG, em 2007. O roteiro da entrevista englobou questões sobre o processo saúde-doença e prevenção e promoção de saúde. Foi utilizada a técnica de análise de conteúdo na análise dos relatos. ANÁLISE DOS RESULTADOS: A percepção sobre prevenção apresentou influência da teoria de Leavell & Clark, expressa por ações que evitam o aparecimento, progressão ou agravamento de alguma doença. A promoção de saúde foi concebida como um nível de prevenção e associada à responsabilização individual e ao conceito positivo de saúde. As práticas de prevenção e promoção de saúde estiveram orientadas pelo conceito positivo de saúde, pela possibilidade de gerarem prazer/desprazer, pelas interferências que poderiam ocasionar no cotidiano, pela concepção de força de vontade e de valor conferido à vida. CONCLUSÕES: O discurso sobre prevenção e promoção de saúde é marcado por concepções tradicionais. Contudo, houve a incorporação do conceito positivo de saúde que...

Conhecimentos, atitudes e prática do exame de Papanicolaou por mulheres, Nordeste do Brasil

Fernandes,José Veríssimo; Rodrigues,Silvia Helena Lacerda; Costa,Yuri Guilherme Alexandre Silva da; Silva,Luiz Cláudio Moura da; Brito,Alípio Maciel Lima de; Azevedo,Judson Welber Veríssimo de; Nascimento,Ermeton Duarte do; Azevedo,Paulo Roberto Mede
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2009 Português
Relevância na Pesquisa
126.05%
OBJETIVO: Analisar conhecimentos, atitudes e práticas das mulheres em relação ao exame citológico de Papanicolaou e a associação entre esses comportamentos e características sociodemográficas MÉTODOS: Inquérito domiciliar com abordagem quantitativa. Foram entrevistadas 267 mulheres com idade de 15 a 69 anos, selecionadas de forma estratificada aleatória, residentes no município de São José do Mipibu, RN, em 2007. Utilizou-se questionário com perguntas pré-codificadas e abertas, cujas respostas foram descritas e analisadas quanto à adequação dos conhecimentos, atitudes e prática das mulheres em relação ao exame preventivo de Papanicolaou. Foram realizados testes de associação entre as características sociodemográficas e os comportamentos estudados, com nível de significância de 5%. RESULTADOS: Apesar de 46,1% das mulheres entrevistadas terem mostrado conhecimento adequado, proporções de adequação significativamente maiores foram observadas em relação às atitudes e prática quanto ao exame: 63,3% e 64,4%, respectivamente. O maior grau de escolaridade apresentou associação com adequação dos conhecimentos, atitudes e prática, enquanto as principais barreiras para a realização do exame relatadas foram descuido...

Percepções e ações de mulheres em relação à prevenção e promoção da saúde na atenção básica

Figueira,Taís Rocha; Ferreira,Efigênia Ferreira e; Schall,Virgínia Torres; Modena,Celina Maria
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 Português
Relevância na Pesquisa
115.8%
OBJETIVO: Analisar percepções e participação de usuárias de unidade básica de saúde em relação à prevenção e promoção de saúde. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS: Estudo qualitativo no qual foram entrevistadas 20 usuárias de uma unidade de saúde da família de Belo Horizonte, MG, em 2007. O roteiro da entrevista englobou questões sobre o processo saúde-doença e prevenção e promoção de saúde. Foi utilizada a técnica de análise de conteúdo na análise dos relatos. ANÁLISE DOS RESULTADOS: A percepção sobre prevenção apresentou influência da teoria de Leavell & Clark, expressa por ações que evitam o aparecimento, progressão ou agravamento de alguma doença. A promoção de saúde foi concebida como um nível de prevenção e associada à responsabilização individual e ao conceito positivo de saúde. As práticas de prevenção e promoção de saúde estiveram orientadas pelo conceito positivo de saúde, pela possibilidade de gerarem prazer/desprazer, pelas interferências que poderiam ocasionar no cotidiano, pela concepção de força de vontade e de valor conferido à vida. CONCLUSÕES: O discurso sobre prevenção e promoção de saúde é marcado por concepções tradicionais. Contudo, houve a incorporação do conceito positivo de saúde que...

Atitudes e conhecimentos de agentes comunitários de saúde e suas relações com idosos

Ferreira,Virgílio Moraes; Ruiz,Tania
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2012 Português
Relevância na Pesquisa
105.96%
OBJETIVO: Analisar as relações entre agentes comunitários de saúde e os cuidados prestados a idosos. MÉTODOS: Estudo transversal descritivo, com 213 agentes comunitários das 12 unidades básicas de saúde e das 29 unidades de saúde da família de Marília em 2010. Os dados foram coletados por meio de um questionário sociodemográfico, um instrumento de escala de atitudes em relação à velhice (Escala de Neri) e um questionário para avaliar conhecimentos gerontológicos (Questionário Palmore-Neri-Cachioni). Para a análise dos dados, foi utilizado o programa Statistical Package for the Social Sciences versão 16.0 para Windows. RESULTADOS: Predominaram no quadro dos agentes comunitários os adultos jovens, do sexo feminino, casados, escolaridade > 12 anos e inseridos na atividade há mais de seis anos. A maioria dos agentes relatou experiência com grupo de idosos e convivência intradomiciliar com pessoas dessa faixa etária, porém menos da metade referiu capacitação no tema envelhecimento. As avaliações positivas dos agentes quanto às atitudes perante a velhice ocorreram principalmente em aspectos como a sabedoria e generosidade dos idosos, porém foram marcantes as atitudes negativas para "lentidão e rigidez". O número de acertos sobre gerontologia foi baixo e esteve diretamente associado às capacitações recebidas pelos agentes. Foram observados estereótipos em relação ao idoso...

Educação em saúde: conhecimentos, representações sociais e experiências da doença

Gazzinelli,Maria Flávia; Gazzinelli,Andréa; Reis,Dener Carlos dos; Penna,Cláudia Maria de Mattos
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2005 Português
Relevância na Pesquisa
105.87%
Este artigo discute a teoria e prática da educação e saúde. Parte da idéia da hegemonia, na prática pedagógica em saúde, de estratégias ligadas à noção de que a apreensão de saber instituído sempre leva à aquisição de novos comportamentos e práticas. Diferentes axiomas têm norteado as práticas de educação e saúde em momentos distintos e/ou justapostos. O primeiro axioma volta-se para a idéia da superação da relação de determinação dos conhecimentos sobre as práticas; o segundo refere-se à relação de determinação das representações sobre as práticas; o terceiro vincula-se à análise das representações dentro do tradicional quadro de erros e acertos; o quarto trata da relação de reciprocidade entre as representações e as práticas; e o quinto se traduz na importância de se considerarem as práticas como passíveis de reelaboração pelas representações, apontando assim o lugar da experiência no entendimento dos processos de adoecimento dos sujeitos, bem como a forma como culturalmente constroem a doença. O artigo destaca a necessidade de se buscar uma articulação entre as representações sociais e a experiência da doença nas práticas educativas em saúde.

Conhecimentos, atitudes e práticas acerca da detecção do câncer de próstata

Paiva,Elenir Pereira de; Motta,Maria Catarina Salvador da; Griep,Rosane Harter
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 Português
Relevância na Pesquisa
105.86%
OBJETIVO: Analisar conhecimentos, atitudes e práticas em relação ao câncer de próstata de homens com idade entre 50 e 80 anos, adstritos à uma unidade do PSF no Município de Juiz de Fora - MG. MÉTODOS: Estudo seccional realizado por meio de inquérito domiciliar abrangendo amostra aleatória de 160 homens residentes em área adscrita desse programa. RESULTADOS: Da amostra, 69,4% eram casados, 88,8% tinham filhos, 86,3% informaram utilizar o PSF, 63,8% apresentaram conhecimento, 40,6% atitudes e 28,1% práticas adequadas. Os homens com conhecimento adequado tiveram prevalência 7,6 vezes (IC 95%=2,4-23,6) mais elevada de referir práticas adequadas. Aqueles com atitudes adequadas tiveram prevalência quase 2 vezes maior (RP=1,8; IC=1,1-3,0) de referir práticas adequadas. CONCLUSÃO: Este estudo corrobora a prevenção e a detecção precoce, como estratégias básicas para o controle do câncer de próstata, e têm como requisito essencial um conjunto de atividades educativas constantes, persistentes e dinâmicas para os homens.

Condicionantes sociodemográficos e sexuais do conhecimento, atitude e prática de presidiárias quanto ao uso de preservativos

Nicolau,Ana Izabel Oliveira; Pinheiro,Ana Karina Bezerra
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 Português
Relevância na Pesquisa
105.91%
Objetivou-se avaliar o conhecimento, a atitude e a prática de presidiárias quanto ao uso do preservativo masculino e feminino, como medida preventiva às DSTs/HIV e suas relações com aspectos sociodemográficos e sexuais. Pesquisa quantitativa, avaliativa, do tipo Inquérito Conhecimento, Atitude e Prática, envolvendo 155 presidiárias. A coleta de dados realizou-se de janeiro a março de 2010 na penitenciária feminina do Estado do Ceará. Das mulheres investigadas, 35 (22,6%) tinham conhecimento adequado sobre o preservativo masculino e 11 (7,1%) sobre o feminino. As atitudes foram menos favoráveis quanto ao uso no sexo oral. A prática adequada apresentou baixa ocorrência, em especial do preservativo feminino. A atitude associou-se com a idade e a idade da coitarca, enquanto que a prática adequada associou-se com história de prostituição. Conclui-se que as estratégias de promoção da saúde sexual em ambiente prisional devem englobar a complexidade dos aspectos envolvidos no uso dos preservativos.

Conhecimento, atitude e prática de acadêmicas de enfermagem sobre o exame de papanicolaou

Ribeiro,Kellyane Feitosa Carvalho; Moura,Maria Sauanna Sany de; Brandão,Rosianne Gomes Cipriano; Nicolau,Ana Izabel Oliveira; Aquino,Priscila de Souza; Pinheiro,Ana Karina Bezerra
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 Português
Relevância na Pesquisa
105.85%
O câncer cérvico-uterino se constitui um problema de saúde pública, fator este que poderia ser modificado com a adoção do exame Papanicolaou. Realizou-se esta pesquisa junto a acadêmicas de enfermagem de uma universidade pública de Picos, Piauí. Estudo avaliativo do tipo Inquérito Conhecimento, Atitude e Prática, cujo objetivo foi analisar o conhecimento, a atitude e a prática das acadêmicas de enfermagem sobre o exame de Papanicolaou. A coleta de dados ocorreu de agosto a outubro de 2010, perfazendo 143 acadêmicas de enfermagem. Quanto ao conhecimento sobre o exame, apenas 40 (28%) foram classificadas com um conhecimento adequado. Já em relação à atitude e à prática, o percentual foi 106 (74, 1%) e 75 (52, 4%) respectivamente. Conclui que mesmo se tratando de uma população do curso da área da saúde, o conhecimento acerca do exame necessita ser revisto, com mais atividades de promoção da saúde dentro do ambiente universitário.

A formação do enfermeiro e o fenômeno das drogas no estado do Rio de Janeiro - Brasil: atitudes e crenças

Lopes,Gertrudes Teixeira; Luis,Margarita Antonia Villar
Fonte: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto / Universidade de São Paulo Publicador: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto / Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2005 Português
Relevância na Pesquisa
105.83%
O presente estudo consistiu em identificar as atitudes e crenças em relação ao fenômeno das drogas, de alunos matriculados em cursos de graduação em Enfermagem de Universidade Pública do Rio de Janeiro (Brasil). A intenção foi caracterizar o preparo acadêmico e as atitudes e crenças consolidadas durante a formação profissional do enfermeiro. Trata-se de uma investigação descritiva, cuja amostra foi de 122 alunos do último período acadêmico de quatro cursos de Enfermagem. O instrumento de coleta de dados utilizado foi um questionário (escala) autoaplicável. Os dados foram coletados entre setembro de 2003 e fevereiro de 2004. O projeto percorreu todos os trâmites necessários a sua execução (avaliação do comitê de ética da Universidade Estadual do Rio de janeiro, autorização das instituições participantes e Termo de Consentimento Livre e Esclarecido assinado pelos alunos). Os resultados evidenciaram a existência de fragilidade nos conhecimentos teóricos específicos (álcool e drogas) obtidos pelos estudantes, bem como a manutenção de atitudes e crenças não tão positivas em relação ao usuário, o que poderá interferir na futura atenção de enfermagem.

Opiniões, conhecimento e atitudes de profissionais da saúde sobre o aborto induzido: uma revisão das pesquisas brasileiras publicadas entre 2001 e 2011

Cacique,Denis Barbosa; Passini Junior,Renato; Osis,Maria José Martins Duarte
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2013 Português
Relevância na Pesquisa
105.89%
O objetivo deste artigo é apresentar uma revisão das pesquisas brasileiras quantitativas e qualitativas sobre opiniões, conhecimentos e atitudes de profissionais da saúde sobre o aborto induzido publicadas entre 2001 e 2011. Admitiram-se publicações com amostras compostas por profissionais com quaisquer graus de formação. Os trabalhos foram categorizados segundo características metodológicas: abordagem dos dados, técnica e instrumento para coleta de dados, categorias profissionais incluídas, local da pesquisa, tamanho amostral e técnica de amostragem. Na etapa seguinte, categorizaram-se os temas centrais das pesquisas (por exemplo, aconselhamento genético e anticoncepção de emergência). Finalmente, categorizaram-se os resultados das pesquisas: conhecimento técnico e legal, perspectiva moral, opiniões sobre a lei, opiniões sobre o Sistema Único de Saúde, e atitudes hipotéticas e concretas. As publicações identificadas sugerem ampla aprovação dos casos de aborto atualmente permitidos por lei, mas larga rejeição da criminalização em casos de malformações fetais graves. A maioria das publicações relatou ter investigado profissionais de medicina (especialmente gineco-obstetras) ou de enfermagem, sendo poucos ou inexistentes dados sobre assistentes sociais e psicólogos. Não foram identificados quaisquer instrumentos apresentando dados mínimos de validade...