Página 1 dos resultados de 144 itens digitais encontrados em 0.242 segundos

Promoção da saúde e a reorientação dos serviços de saúde no município de Fortaleza: a hipertensão arterial como analisador; Health promotion and reorientation of health services in the city of Fortaleza: hypertension as an analyzer

Almeida, Ana Mattos Brito de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 19/11/2010 Português
Relevância na Pesquisa
95.89%
Introdução: A Hipertensão Arterial - HA, doença crônica cujas taxas de morbidade atingem no Brasil aproximadamente 17 milhões de pessoas, é um dos principais fatores de risco para doenças do aparelho circulatório. Sua determinação multifatorial exige a adoção de estratégias de controle complexas, que deem conta dos fatores e condições de risco, o que remete a ações sobre estilo de vida e seus determinantes psicossociais, econômicos e ambientais. Nesse sentido, as práticas da Promoção da Saúde, fundadas em um conceito ampliado de saúde, colocam em pauta, juntamente com as ações de prevenção, a discussão sobre a qualidade de vida, relacionando-a às condições de vida e saúde da população. Objetivo: Identificar e analisar as práticas da Promoção de Saúde e sua utilização para reorientação dos serviços de saúde no município de Fortaleza com foco no controle da Hipertensão Arterial. Metodologia: Estudo de caso, contendo em seu desenho três fases: identificação através de análise documental de políticas, planos e ações no nível nacional, estadual e do município de Fortaleza, além de entrevistas em profundidade com gestores ligados ao controle da HA; aplicação de questionários semiestruturados com coordenadores dos Centros de Saúde do município sobre as estratégias de Promoção da Saúde utilizadas no controle da HA; entrevistas em profundidade com enfermeiros...

A integração das ações no campo da saúde mental entre a estratégia de saúde da família e o núcleo de apoio à saúde da família: desafios para uma prática interdisciplinar; Integration of actions in the field of Mental Health between the Family Health Strategy and the Support Center for Family Health: challenges for an interdisciplinary practice

Oliveira, Fernanda Rodrigues Leite de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 06/05/2013 Português
Relevância na Pesquisa
95.75%
Com o intuito de superar os modelos tradicionais de atenção à saúde, caracterizados pela fragmentação e pelo elevado grau de especialização das intervenções, a Estratégia de Saúde da Família (ESF) foi criada como dispositivo prioritário para a reorganização do sistema de saúde. Para tanto, é composta por equipe multiprofissional que deve atuar no desenvolvimento de ações de promoção da saúde, prevenção de adoecimento, tratamento e reabilitação com foco no indivíduo, na família e na comunidade. Com o objetivo de ampliar e apoiar o trabalho da ESF, o Ministério da Saúde criou os Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF). Tais núcleos são compostos por equipes multiprofissionais que devem operar de acordo com a lógica do Apoio Matricial, trabalhando de maneira conjunta com a ESF. Para isso, os profissionais do NASF desenvolvem algumas ações estratégicas, como discussões de casos, realização de atendimentos compartilhados e ações de educação permanente. A partir da experiência profissional junto ao NASF foi possível verificar alguns impasses e dificuldades relacionados ao desenvolvimento das ações em Saúde Mental e também à integração das equipes de ESF e NASF. Que concepções de Saúde Mental e de cuidado guiam as ações? Como se dá a integração dos diferentes saberes e do trabalho entre os profissionais na construção de projetos terapêuticos? Frente a essas questões...

Estudo das ações de diagnostico das formas pulmonares de tuberculose pulmonar, na rede do Sistema Unico de Saude Campinas-SP, 2001

Maria Cecilia Rocha
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/08/2003 Português
Relevância na Pesquisa
85.72%
Este trabalho foi realizado na rede SUS-Campinas-SP, em 2001 e investigou 410 casos diagnosticados de tuberculose. Numa primeira análise, foram descritas as seguintes variáveis: casos incidentes e retratamentos, sexo, teste antiHIV, idade, escolaridade, descoberta do diagnóstico, exames realizados (baciloscopia e cultura de escarro, raio X de tórax), hospitalização. O perfil epidemiológico evidenciou pacientes do sexo masculino, caso novo, teste antiHIV negativo ou não-realizado, adulto entre 25 a 44 anos, sintomático respiratório com exames compatíveis e a não-indicação para hospitalização. A partir deste grupo formou-se um subgrupo para descrever a demora diagnóstica. Para tanto, os critérios de inclusão foram residir em Campinas, ser maior de 15 anos, incidente na coorte de 2001, forma clínica pulmonar, teste antiHIV negativo, baciloscopia ou cultura de escarro positiva. Estudar a demora no diagnóstico da tuberculose teve como finalidade detectar elementos que permitarão criar subsídios para reflexão e implementação de políticas públicas voltadas ao controle da doença. O tempo decorrido desde a percepção de alguma sintomatologia, pela população de estudo,até a sua chegada ao serviço público de saúde para uma primeira assistência...

Educação permanente em saúde

Barth, Priscila Orlandi
Tipo: dissertação (mestrado) Formato: 218 p.| il., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
75.86%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; A formação e qualificação dos profissionais de saúde foram discutidas fortemente nas décadas de 80 e 90 pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), a qual apresenta em seus textos bases uma nova forma em se pensar e desenvolver a Educação Permanente em Saúde (EPS). Esse debate institui a remodelação de uma educação tradicional direcionada a categorias especificas e desvinculada da realidade local, para uma educação interdisciplinar, realizada no ambiente de trabalho desses profissionais e a partir das necessidades enfrentadas por eles. No Brasil essas discussões se intensificaram principalmente após a regulamentação do Sistema Único de Saúde (SUS) em 1990 pelas Leis Orgânicas de Saúde (LOS) 8.080/90 e sua complementar 8.142/90, as quais destacam a formação do profissional de saúde direcionada pelos princípios e diretrizes desse. Com o SUS o modelo de atenção à saúde passa a ser reestruturado, o qual antes era definido pelo modelo médico hegemônico centrado na cura da doença e hospitalocêntrico, nesse momento se intensifica a promoção da saúde e a atenção primária como porta de entrada do usuário...

A contratualização nos cuidados de saúde primários em Portugal

Oliveira, Maria do Rosário Monteiro da Costa
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: masterthesis
Português
Relevância na Pesquisa
85.84%
Os primeiros passos da contratualização na saúde em Portugal tiveram lugar num contexto caracterizado por outras iniciativas de reforma - como, por exemplo, os projectos de reorganização dos cuidados de saúde primários e dos sistemas locais de saúde - que não se revelou particularmente estável. A contratualização num “quase-mercado” público pressupõe do lado da “Agência” o conhecimento das necessidades a atender e o de um preço “justo” para negociar, enquanto do lado dos prestadores requer o conhecimento das suas funções de “produção”. Tanto num pólo como no outro as primeiras experiências regionais em Portugal na década de noventa parecem indicar que ainda haveria um longo caminho a percorrer de amadurecimento institucional e de criação das capacidades técnicas necessárias. No entanto, foi possível observar progressos importantes quer na elaboração e negociação de orçamentos-programa, quer na presença de “representantes” do cidadão no processo negocial. A experiência de contratualização com os centros de saúde por parte da Agência de Contratualização dos Serviços de Saúde da Região de Lisboa e Vale do Tejo, tanto no seu enquadramento estratégico como nos processos de contratualização adoptados...

A saúde mental dos enfermeiros nos cuidados de saúde primários: uma abordagem no ACES da Cova da Beira

Florentim, Ricardo Jorge Santos; Cabral, Lídia Rosário, orient.; Duarte, João Carvalho, co-orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
115.79%
Introdução e Objectivos: A Saúde Mental é uma das componentes da Saúde, onde o Enfermeiro é um profissional de referência dos indivíduos, das famílias e da comunidade. Contudo, para cuidar é preciso cuidar-se. Deste modo, os objectivos desta investigação são: avaliar a Saúde Mental dos Enfermeiros nos Cuidados de Saúde Primários (nomeadamente no ACES da Cova da Beira), analisar a relação entre os factores sócio-demográficos e a Saúde Mental e determinar se os factores profissionais influenciam a mesma. Metodologia: Esta investigação quantitativa assenta numa base descritiva e correlacional, mediante utilização de um questionário (para descrição dos factores sócio-demográficos e profissionais) e do Inventário de Saúde Mental (para avaliação da Saúde Mental) aplicados aos Enfermeiros do ACES da Cova da Beira, durante a 2ª quinzena de Setembro de 2011. Resultados: A maioria dos Enfermeiros do ACES da Cova da Beira é do sexo feminino, com idade superior a 40 anos, casados, licenciados, com a categoria profissional de Enfermeiro e exerce funções no Centro de Saúde da Covilhã. Porém, não existe relação estatística entre a Saúde Mental dos Enfermeiros e as variáveis sócio-demográficas e profissionais estudadas. Conclusões: As Enfermeiras e os profissionais do Centro de Saúde de Belmonte têm melhores níveis de Saúde Mental. Paralelamente...

A espiritualidade no desempenho dos centros de saúde e das unidades de saúde familiar

Albuquerque, Isabel Garcia da Fonseca e Faro de
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
115.97%
Mestrado em Gestão dos Serviços de Saúde / Classificações do JEL Classification System: M10 (Business Administration: General), M29 (Business Economics: Other), I1 (Health), I19 (Other).; Sabe-se que a espiritualidade no trabalho pode influenciar o desempenho percebido pelos profissionais. Este princípio foi aplicado a um estudo na área dos cuidados de saúde primários, tendo sido comparados centros de saúde clássicos com unidades de saúde familiar. Os objectivos deste trabalho contemplam (1) verificar se existem diferenças na espiritualidade entre os profissionais das USF e dos CS (2) verificar se existem diferenças no desempenho percebido entre os profissionais das USF e dos CS e (3) verificar que dimensões da espiritualidade são preditivas do total do desempenho percebido. A amostra engloba 267 profissionais de saúde (médicos, enfermeiros e administrativos). Para medir o desempenho percebido foi usado um conjunto de seis indicadores (just-in-time, GQT, capacitação, desenvolvimento de competências, trabalho em equipa e satisfação percebida) que permitiram obter um olhar mais profundo do posicionamento da percepção actual dos profissionais destas unidades e comparar as diferenças de opiniões entre os dois modelos de organização...

Depressão : detecção, diagnóstico e tratamento. Estudo de prevalência e despite das perturbações depressivas e tratamento 

Gusmão, Ricardo Duarte Miranda de
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2005 Português
Relevância na Pesquisa
95.85%
RESUMO:A depressão clínica é uma patologia do humor, dimensional e de natureza crónica, evoluindo por episódios heterogéneos remitentes e recorrentes, de gravidade variável, correspondendo a categorias nosológicas porventura artificiais mas clinicamente úteis, de elevada prevalência e responsável por morbilidade importante e custos sociais crescentes, calculando-se que em 2020 os episódios de depressão major constituirão, em todo o mundo, a segunda causa de anos de vida com saúde perdidos. Como desejável, na maioria dos países os cuidados de saúde primários são a porta de entrada para o acesso à recepção de cuidados de saúde. Cerca de 50% de todas as pessoas sofrendo de depressão acedem aos cuidados de saúde primários mas apenas uma pequena proporção é correctamente diagnosticada e tratada pelos médicos prestadores de cuidados primários apesar dos tratamentos disponíveis serem muito efectivos e de fácil aplicabilidade. A existência de dificuldades e barreiras a vários níveis – doença, doentes, médicos, organizações de saúde, cultura e sociedade – contribuem para esta generalizada ineficiência de que resulta uma manutenção do peso da depressão que não tem sido possível reduzir através das estratégias tradicionais de organização de serviços. A equipa comunitária de saúde mental e a psiquiatria de ligação são duas estratégias de intervenção com desenvolvimento conceptual e organizacional respectivamente na Psiquiatria Social e na Psicossomática. A primeira tem demonstrado sucesso na abordagem clínica das doenças mentais graves na comunidade e a segunda na abordagem das patologias não psicóticas no hospital geral. Todavia...

Organização e impacto da fisioterapia nos cuidados de saúde primários do Algarve

Batista, Paula Alexandra Teixeira Mendes
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
85.8%
Dissertação de mest., Gestão de Unidades de Saúde, Faculdade de Economia, Univ. do Algarve, 2012; Introdução: Defende-se que os modelos de atuação sustentados numa estruturada oferta de Cuidados de Saúde Primários (CSP) são os mais custo-efetivos (Biscaia et al., 2008). A fisioterapia em CSP é uma realidade consistente na Europa, embora seja recente e pouco consolidada em Portugal. Objetivos: Recolher, analisar e discutir dados, relativamente à realidade dos fisioterapeutas e à organização da intervenção da fisioterapia nos CSP do Algarve. Metodologia: Inquiriu-se, através de dois questionários, a população de fisioterapeutas em funções nos centros de saúde do Algarve, e uma amostra não aleatória de utentes de fisioterapia, dos respetivos serviços. Foram realizadas análises descritivas e multivariadas (OVERALS) dos dados, através de SPSS (versão 15.0). Resultados: Responderam 22 fisioterapeutas (95,65 % da população) e uma amostra de 113 utentes. A maioria dos fisioterapeutas apresenta elevados níveis de satisfação e expetativas positivas, face à profissão e ao trabalho atual. Os utentes estão, essencialmente, satisfeitos com a fisioterapia e esperam resolver parcialmente o seu problema. O Algarve fornece um conjunto variado de serviços de fisioterapia...

Vulnerabilidade ao HIV em favela do Rio de Janeiro: impacto de uma intervenção territorial

Edmundo,Kátia; Souza,Cecília de Mello e; Carvalho,Maria Luiza de; Paiva,Vera
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 Português
Relevância na Pesquisa
85.82%
OBJETIVO: Analisar o impacto da implementação de um programa participativo de promoção da saúde sexual em uma comunidade empobrecida, e descrever como o uso dos espaços públicos e privados para práticas sexuais constitui-se um fator que exacerba a vulnerabilidade ao HIV/Aids. MÉTODOS: Estudo etnográfico conduzido em 2002, em favela localizada no município do Rio de Janeiro. Os 6.000 moradores viviam em condições de vida deficitárias em que se verificou a ausência de políticas públicas, postos de saúde, lazer, oportunidades de emprego e segurança, o que consolida o poder de grupos criminosos. Foram abordadas as condições referentes à saúde sexual e à implantação do programa participativo de promoção da saúde sexual pelo Núcleo Comunitário de Prevenção, criado por uma organização não-governamental. Após dois meses de observação participante, foram realizadas 35 entrevistas semi-estruturadas em profundidade com moradores com idade entre 17 e 65 anos. Foram analisadas 11 histórias de vida de líderes comunitários e agentes comunitários de prevenção e sete grupos focais formados a partir dos grupos pré-existentes na comunidade. O material foi categorizado e analisado qualitativamente. RESULTADOS: A precariedade das moradias favorecia maior exposição às práticas sexuais...

Critérios de admissão e continuidade de cuidados em centros de atenção psicossocial, Rio de Janeiro, RJ

Cavalcanti,Maria Tavares; Dahl,Catarina Magalhães; Carvalho,Maria Cecilia Araujo de; Valencia,Elie
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2009 Português
Relevância na Pesquisa
95.76%
OBJETIVO: Analisar os critérios de admissão, encaminhamento e continuidade de cuidado a pacientes utilizados pelas equipes dos centros de atenção psicossocial. MÉTODOS: Pesquisa qualitativa com avaliação participativa realizada em três centros de atenção psicossocial do município do Rio de Janeiro (RJ) em 2006. Foram sorteados 15 casos admitidos e 15 casos encaminhados dentre os pacientes admitidos para tratamento nos seis meses anteriores ao início da pesquisa. Os critérios apontados pela equipe para a admissão do paciente para tratamento ou encaminhamento foram analisados a partir de um roteiro estruturado. A análise da continuidade de cuidados baseou-se em pesquisa em prontuário, informações da equipe e dos próprios pacientes e/ou familiares seis meses após a absorção ou encaminhamento do paciente. RESULTADOS: Os pacientes admitidos apresentavam diagnóstico de psicose (esquizofrenia), história de internações prévias, funcionamento social pobre e rede de apoio pequena e os pacientes encaminhados apresentavam transtornos ansiosos e depressivos, boa adesão a tratamento ambulatorial, bom funcionamento social e presença de rede social. Quanto à continuidade de cuidados, oito pacientes em 27 tiveram destino desconhecido. Quanto aos encaminhamentos...

Percepção de médicos e enfermeiros da Estratégia de Saúde da Família sobre terapias complementares

Thiago,Sônia de Castro S; Tesser,Charles Dalcanale
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2011 Português
Relevância na Pesquisa
105.75%
OBJETIVO: Analisar a percepção de profissionais da Estratégia de Saúde da Família sobre práticas integrativas e complementares. MÉTODOS: Estudo com 177 médicos e enfermeiros a partir de um questionário auto-aplicado em 2008. As variáveis desfecho foram "interesse pelas práticas integrativas e complementares" e "concordância com a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares". Sexo, idade, graduação, pós-graduação, tempo de formado e de trabalho, possuir filhos, oferta de práticas integrativas e complementares no local de trabalho e uso de homeopatia ou acupuntura compuseram as variáveis independentes. Os dados foram analisados pelo teste do qui-quadrado e teste exato de Fisher. RESULTADOS: Dezessete centros de saúde ofereciam práticas integrativas e complementares; 12,4% dos profissionais possuíam especialização em homeopatia ou acupuntura; 43,5% dos médicos eram especialistas em medicina de família e comunidade/saúde da família. Dos participantes, 88,7% desconheciam as diretrizes nacionais para a área, embora 81,4% concordassem com sua inclusão no Sistema Único de Saúde. A maioria (59,9%) mostrou interesse em capacitações e todos concordaram que essas práticas deveriam ser abordadas na graduação. A concordância com a inclusão dessas práticas mostrou-se associada significativamente com o fato de ser enfermeiro (p = 0...

Percepção de médicos e enfermeiros da Estratégia de Saúde da Família sobre terapias complementares

Thiago,Sônia de Castro S; Tesser,Charles Dalcanale
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2011 Português
Relevância na Pesquisa
105.75%
OBJETIVO: Analisar a percepção de profissionais da Estratégia de Saúde da Família sobre práticas integrativas e complementares. MÉTODOS: Estudo com 177 médicos e enfermeiros a partir de um questionário auto-aplicado em 2008. As variáveis desfecho foram "interesse pelas práticas integrativas e complementares" e "concordância com a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares". Sexo, idade, graduação, pós-graduação, tempo de formado e de trabalho, possuir filhos, oferta de práticas integrativas e complementares no local de trabalho e uso de homeopatia ou acupuntura compuseram as variáveis independentes. Os dados foram analisados pelo teste do qui-quadrado e teste exato de Fisher. RESULTADOS: Dezessete centros de saúde ofereciam práticas integrativas e complementares; 12,4% dos profissionais possuíam especialização em homeopatia ou acupuntura; 43,5% dos médicos eram especialistas em medicina de família e comunidade/saúde da família. Dos participantes, 88,7% desconheciam as diretrizes nacionais para a área, embora 81,4% concordassem com sua inclusão no Sistema Único de Saúde. A maioria (59,9%) mostrou interesse em capacitações e todos concordaram que essas práticas deveriam ser abordadas na graduação. A concordância com a inclusão dessas práticas mostrou-se associada significativamente com o fato de ser enfermeiro (p = 0...

A Violência urbana e suas consequências em um centro de atenção psicossocial na zona norte do município do Rio de Janeiro

Souza,Flávia Mitkiewicz de; Valencia,Eliecer; Dahl,Catarina; Cavalcanti,Maria Tavares
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 Português
Relevância na Pesquisa
85.71%
OBJETIVO: Descrever a interferência da violência urbana e do tráfico de drogas sobre um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) localizado na zona norte do Rio de Janeiro. METODOLOGIA: Pesquisa qualitativa com abordagem teórico-metodológica baseada nos princípios da observação participante e no trabalho de campo. Grande parte dos CAPS da zona norte está inserida em regiões de maior risco social, onde há intensificação da violência. A presença dessa problemática social se reflete na rotina do serviço, que precisa criar estratégias protetivas, realizar visitas domiciliares, atender à demanda de usuários de drogas com precária situação de vida e ainda enfrentar continuamente novos desafios. RESULTADOS: A elevada frequência da percepção de problemas sociais, como as altas taxas de violência e criminalidade, a questão do tráfico de drogas, o aumento da desigualdade social e a consequente sobreposição de exclusões a que estão submetidas essa parcela da população, requer novos estudos que permitam compreender as consequências do impacto da violência na saúde mental dos usuários de serviços em tratamento na comunidade.

A relação entre saúde e escola: percepções dos profissionais que trabalham com adolescentes na atenção primária à saúde no Distrito Federal

Penso,Maria Aparecida; Brasil,Katia Cristina Tarouquella Rodrigues; Arrais,Alessandra da Rocha; Lordello,Silvia Renata
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 Português
Relevância na Pesquisa
85.75%
A comunidade científica tem reconhecido a necessidade e a importância de investimentos de pesquisas na área da saúde dos adolescentes. Este artigo se propõe a discutir a relação entre saúde e escola na percepção dos profissionais que trabalham com adolescentes na atenção primária à saúde no Distrito Federal (DF). Foram entrevistados 13 profissionais de saúde que atendem adolescentes, e atuam no Programa de Atenção Integral à Saúde de Adolescentes (PRAIA), em dois centros de saúde onde funcionava o Programa, localizados nas duas regiões de menor IDH do DF. Essas foram transcritas e submetidas à análise construtiva-interpretativa, que permitiu a construção de duas zonas de sentido, assim denominadas: 1) a saúde precisa ir à escola, mas estamos paralisados; 2) o desconforto dos profissionais com a forma como as demandas são formuladas pela escola. Essas revelaram que existe uma grande dificuldade de integração entre os profissionais das áreas de educação e saúde. Os principais obstáculos apontados concentram-se no excesso de burocracia, na falta de tempo, escassez e sobrecarga dos profissionais e o despreparo para construir ações integradas, tanto da saúde quanto da educação. Apesar da existência de políticas públicas que preconizam a ação conjunta de diferentes esferas do governo...

Desafios para gestão do trabalho a partir de experiências exitosas de expansão da Estratégia de Saúde da Família

Mendonça,Maria Helena Magalhães de; Martins,Maria Inês Carsalade; Giovanella,Ligia; Escorel,Sarah
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2010 Português
Relevância na Pesquisa
95.68%
Este artigo discute a gestão do trabalho na Estratégia de Saúde da Família em quatro grandes centros urbanos. A pesquisa contempla as perspectivas de diferentes atores que compõem e integram a rede de relações de trabalho no Sistema Único de Saúde por meio de questionários com trabalhadores das categorias profissionais da equipe de saúde da família e entrevistas com gestores e representantes das entidades profissionais. Tratase de estudo de avaliação qualiquantitativo. A política de inserção e remuneração evidencia a substituição dos quadros terceirizados e a contratação por concurso público, que possibilita vínculos trabalhistas mais estáveis. Outras estratégias são o estabelecimento de abono para atuação em áreas de maior vulnerabilidade social e a equiparação do salário dos médicos especialistas em medicina de família e comunidade com demais especialistas atuantes nos serviços secundários. A vontade política do gestor municipal para qualificar a força de trabalho da saúde da família, mantendo a oferta de recursos humanos adequados às necessidades do sistema de saúde, é fator fundamental para a consolidação da Estratégia de Saúde da Família, em face do baixo grau de especialização dos profissionais para atuar em atenção primária em saúde.

Práticas assistenciais das Equipes de Saúde da Família em quatro grandes centros urbanos

Santos,Adriano Maia dos; Giovanella,Ligia; Mendonça,Maria Helena Magalhães de; Andrade,Carla Lourenço Tavares de; Martins,Maria Inês Carsalade; Cunha,Marcela Silva da
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2012 Português
Relevância na Pesquisa
95.7%
O artigo analisa as práticas assistenciais dos médicos e enfermeiros de Equipes de Saúde da Família (EqSF) em quatro capitais a partir de inquéritos. Identifica aspectos relacionados às ações prioritárias, atividades rotineiras e a associação entre o perfil profissional e a realização de atividades selecionadas, buscando evidenciar o quanto se aproximam de práticas integrais. O recorte referese a resultados com dados coletados por questionários autoaplicados. O teste usado na análise dos cruzamentos foi o qui-quadrado de Pearson (?²) para variáveis categóricas. As variáveis A e B são associadas ou não, ao nível de significância de 5%. As análises indicam tendência a um balanço entre atendimento à demanda programada e espontânea, corroborando práticas centradas nas pessoas. Ações a agravos infecciosos de curso longo não são prioridades para todas as EqSF, comprometendo as ações de vigilância à saúde e as práticas integrais. A atenção domiciliar, ainda, não é uma prática semanal para todos os profissionais. Insuficiente envolvimento com atividades na comunidade restringe a produção do cuidado às práticas convencionais e comprometem a lógica de mudança de modelo. Contradições identificadas entre formação e práticas sugerem necessidade de rever as políticas de educação permanente.

Acesso e integralidade: a compreensão dos usuários de uma rede de saúde mental

Oliveira,Raimunda Félix de; Andrade,Luiz Odorico Monteiro de; Goya,Neusa
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2012 Português
Relevância na Pesquisa
85.7%
Objetivo do presente trabalho foi analisar as compreensões dos usuários dos Centros de Atenção Psicossocial sobre a atenção em saúde mental, com foco na integralidade e no acesso. Estudo de abordagem qualitativa com referencial teórico-metodológico da Avaliação de Quarta Geração e aplicação da técnica do Círculo Hermenêutico Dialético. Foram entrevistados 12 usuários de dez serviços de saúde mental de Fortaleza, de março a maio de 2011. Os temas do estudo foram agrupados a partir das narrativas, tendo como referencial de análise a hermenêutica de Paul Ricoeur. As categorias temáticas trabalhadas foram: compreensões sobre atenção em saúde mental; tempos quebrados: conflitos entre as ofertas e as necessidades subjetivas de receber; aproximações e distanciamentos: entre a tutela e autonomia; ausência e pertença: CAPS aberto e não comunitário e entre o estigma e a humanização do cuidado. Os principais achados: os CAPS são vistos como espaço de convivência capaz de estabelecer redes afetivas e sociais; estigmas, preconceitos e tutela estão presentes nos serviços, nas famílias e na comunidade; as práticas manicomiais persistem nos serviços substitutivos; a humanização do cuidado amplia o acesso e o vínculo com os serviços; a trajetória dos usuários no SUS ocorre devido às suas necessidades sociais e de saúde.

A representação social de familiares nos centros de atenção psicossocial

Azevedo,Dulcian Medeiros de; Miranda,Francisco Arnoldo Nunes de
Fonte: Universidade Federal do Rio de Janeiro Publicador: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 Português
Relevância na Pesquisa
85.73%
Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) estão previstos como as portas de entrada e regulação em saúde mental, e foram criados na intenção de substituir as internações nos manicômios pelo atendimento aberto na comunidade. Objetivou-se apreender as representações sociais dos familiares de usuários dos CAPS do Município de Natal-RN, a respeito de sua participação nas atividades desses serviços. Pesquisa descritiva, com abordagem qualitativa, desenvolvida com 28 familiares por meio de entrevista semiestruturada, entre agosto e setembro de 2007. Os dados obtidos receberam o suporte informacional do software ALCESTE. Os familiares estruturam sua representação social em face de uma necessidade e esperança por mudanças no tratamento de saúde de seus familiares, cristalizadas pela tomada de posicionamento e comportamento, amparados na presença do espaço ambiental dos CAPS. A participação familiar ainda não reúne, nos cenários investigados, condições para promover a inserção do familiar, pois a presença física constatada ainda não é o bastante.

Programa "VAMOS" (Vida Ativa Melhorando a Saúde): da concepção aos primeiros resultados

Benedetti,Tânia Rosane Bertoldo; Schwingel,Andiara; Gomez,Luiz Salomão Ribas; Chodzko-Zajko,Wojtek
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 Português
Relevância na Pesquisa
85.81%
Apesar do aumento nos incentivos públicos voltados à promoção de um estilo de vida ativo entre os brasileiros, o perfil de inatividade física da população é preocupante. Neste sentido, desenvolvemos uma nova estratégia de intervenção na comunidade por meio do programa "VAMOS: Vida Ativa Melhorando a Saúde". Neste artigo, serão discutidos informações referentes à concepção, à criação do nome, ao logotipo, à tradução, às adaptações culturais, às estratégias de avaliação do programa e aos primeiros resultados obtidos no estudo piloto conduzido entre idosos em Centros de Saúde (CS) de Florianópolis. Participaram do estudo 100 idosos cadastrados em seis CS. Os idosos foram direcionados aleatoriamente a participarem de um dos três grupos do estudo: "VAMOS" (n=33), atividade fisica "tradicional" (n=35), e grupo controle (n=32). "VAMOS" é um programa educacional de mudança de comportamento que consiste em 12 encontros. Baseado no programa norte-americano "Active Living Every Day", o "VAMOS" foi traduzido e adaptado culturalmente à realidade brasileira. Vários ajustes foram realizados à versão original americana do programa, especialmente, nos conteúdos de leitura, preenchimento do material, tamanho e dificuldade de compreeenssão de algumas sessões. O estudo piloto apontou uma aceitação muito boa ao programa "VAMOS"...