Página 1 dos resultados de 2907 itens digitais encontrados em 0.063 segundos

Percepção de saúde em alunos do ensino superior: atitudes e comportamentos promotoras de saúde

Antão, Celeste; Veiga-Branco, Augusta
Fonte: International Journal of Developmental and Educational Psycology INFAD Revista de Psicología Publicador: International Journal of Developmental and Educational Psycology INFAD Revista de Psicología
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
55.89%
A presente pesquisa parte dos conceitos de enabling e empowerment ao nível do cidadão em geral e dos estudantes do ensino superior em particular conhecer a Percepção subjectiva de conhecimentos e comportamentos em Saúde Afectivo Sexual. Metodologia: Design Transversal, Exploratório, Descritivo e Correlacional. Foi criado um questionário de Conhecimentos e Comportamentos de Saúde - aplicado a 382 Estudantes do IPB, baseado em Ribeiro, (2004) e Sousa et al. (2006). Resultados: A amostra apresentou 4 visões do conceito de saúde: “não estar doente” 42% ; “não tomar medicamentos” 86% ; “não ter nenhuma doença” 70%, e ainda 5% assumem que é “não ter sintomas de doença”. Relativamente à sua saúde Afectivo-Sexual, a maioria (31%), “… acha que não corre grandes riscos”; 5% nunca “Evita mudar de parceiro sexual”; (25%) por norma, “…gosta de fazer sexo e quando pode faço!”; 8% nunca “Evita ter relações sexuais com pessoas que conhece mal”, e 5% nunca “…evita ter relações sexuais protegidas” e quase totalidade dos estudantes (67%) assume que a sua vida sexual decorre essencialmente em contextos afectivos. Conclusões : O nível de conhecimento relativamente à saúde Afectivo-Sexual...

Jogo patológico e suas conseqüências para a saúde pública; Pathological gambling and its consequences for public health

OLIVEIRA, Maria Paula Magalhães Tavares de; SILVEIRA, Dartiu Xavier da; SILVA, Maria Teresa Araujo
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
65.8%
O artigo teve por objetivo caracterizar o jogo patológico, apresentando as principais conseqüências desse transtorno. Foi realizado levantamento bibliográfico sobre o tema, na literatura nacional e internacional. Foram selecionadas as publicações cujos principais achados enfatizavam prevalência, custos sociais e econômicos associados, legalização de jogos de azar e conseqüente impacto na saúde pública. Alto índice de suicídio, comorbidade com outros transtornos psiquiátricos, problemas familiares e no trabalho, e prática de atos ilícitos foram conseqüências relatadas. A prevalência desse transtorno é maior em países que legalizaram jogos de azar e no Brasil, há evidências do crescimento do número de jogadores patológicos. O desenvolvimento de pesquisas nacionais é imprescindível para a definição de políticas públicas adequadas à realidade brasileira.; The article aimed to characterize pathological gambling, showing the main consequences of this disorder. Bibliographic survey on this theme was conducted, covering both national and international literature. Publications whose main findings emphasized related prevalence, social and economic costs, gambling legalization and resulting impact on public health...

Relação entre comportamento na infância e a vulnerabilidade social na cidade de Belo Horizonte - MG; Relationship among behavior in the childhood and the social vulnerability in the city of Belo Horizonte MG

Araujo, Lucirley Guimarães de Sousa de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/04/2010 Português
Relevância na Pesquisa
55.87%
O campo de estudo dos primeiros anos da vida escolar da criança ainda é carente de novas investigações. Resultados de pesquisas têm demonstrado que o desenvolvimento de competências e a exposição a situações de adversidade apresentados nessa etapa do desenvolvimento predizem a qualidade do funcionamento social, do sucesso acadêmico e da saúde mental do indivíduo. Nesse contexto, este trabalho buscou verificar a relação entre o nível de vulnerabilidade social e comportamento na infância. Participaram do estudo pais e professores de 248 crianças com idades entre 6 e 11 anos, alunas do primeiro e segundo ciclo do Ensino Fundamental de escolas públicas municipais de Belo Horizonte. Essas escolas situavam-se, respectivamente, em dois bairros com as classes de vulnerabilidade investigadas (I e IV), a partir do Índice de Vulnerabilidade Social da cidade. Os instrumentos utilizados foram o Inventário dos Comportamentos de Crianças e Adolescentes (CBCL/6-18), respondido pelos pais, e o Inventário dos Comportamentos de Crianças e Adolescentes Relatório para os Professores (TRF/6-18). A análise dos dados incluiu comparações entre médias de escores T (Teste T de Student ou Mann Whitney U) para as duas amostras de vulnerabilidade nas escalas de competências (CBCL)...

Comportamento sedentário e desfechos na saúde de idosos: uma revisão sistemática; Sedentary behavior and health outcomes among older Adults: a systematic review

Rezende, Leandro Fórnias Machado de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/06/2014 Português
Relevância na Pesquisa
56.03%
Introdução: Idosos passam a maior parte do dia em comportamento sedentário. Apesar dessa alta exposição, o impacto do comportamento sedentário na saúde dessa população ainda não foi aprofundado. Objetivo: Revisar sistematicamente as evidências de associação entre o comportamento sedentário e desfechos relacionados à saúde de idosos acima de 60 anos de idade. Métodos: Foram revisadas as bases de dados Medline, Embase, Lillacs, Web of Science, SportsDiscus, PsychInfo, Cinahl e Sedentary Behavior Research Database por estudos observacionais publicados até o mês de maio de 2013, bem como os membros do Sedentary Behaviour Research Network, para identificar artigos potencialmente elegíveis. Após a inclusão, a qualidade metodológica da evidência de cada estudo foi avaliada, utilizando-se o GRADE. Resultados: Foram identificados 23 artigos elegíveis, dos quais apenas 2 (8%) apresentaram alta qualidade de evidência. O tempo gasto em comportamento sedentário foi relacionado a um aumento no risco de mortalidade por todas as causas. Estudos com qualidade moderada de evidências indicaram relação entre o comportamento sedentário e síndrome metabólica, circunferência da cintura e excesso de peso/obesidade. Os resultados de outros desfechos como saúde mental e câncer de rim ainda são insuficientes para conclusões definitivas. Conclusão: Esta revisão sistemática defende a relação entre o comportamento sedentário e aumento da mortalidade em idosos. Futuros estudos com alta qualidade metodológica serão necessários para a verificação de demais desfechos em saúde e para a criação de diretrizes e recomendações sobre comportamento sedentário de idosos; Background: In the last decade...

Padrão de comportamento relacionado aos fatores de riscos cardiovasculares em profissionais da área da saúde

Bopp, Denise Serpa
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: dissertação (mestrado) Formato: xi, 100 f.| tabs., grafs.
Português
Relevância na Pesquisa
56%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção.; Esta pesquisa foi realizada no Hospital Universitário Evangélico de Curitiba em profissionais da saúde, respaldada principalmente nos estudos de Friedman e Rosenman, cujos trabalhos apresentam uma contribuição significativa da área nas últimas décadas. Tem por objetivo caracterizar o padrão de comportamento tipo A relacionando com fatores de risco cardiovascular. Adotou-se como metodologia a abordagem ergonômica centrada no comportamento de profissionais relacionadas às atividade de trabalho. Os dados foram coletados através de um questionário contendo 20 questões bipolares, ou seja características contrastantes. A resposta se dá na forma de um número de um a sete que representa uma gradação e a classificação se dá pela soma das respostas, tabuladas por um escore (escala de pontos) entre 20 e 140 pontos. Por meio dos resultados obtidos pode-se verificar que de uma amostragem de 81 profissionais da área da saúde, 51 médicos apresentaram escore médio de 99 pontos classificando-os de Tipo A3; de 13 fisioterapeutas apresentaram um escore médio de 96 pontos, que possibilita classificar de Tipo A3; das 11 enfermeiras obteve-se um escore de 90 pontos também sendo classificadas Tipo A3; e igualmente o grupo de nutricionistas obteve-se um escore de 92 pontos classificando-as como Tipo A3. Conclui-se que existe pouco reconhecimento pelos profissionais entre a relação dos fatores de risco cardiovasculares e seu comportamento em determinadas condições de trabalho...

Comportamentos de saúde infanto-juvenis: perspetivas e realidades

Albuquerque, Carlos; Pereira, Anabela; Oliveira, António; Nave, Filipe; Leal, Isabel; Duarte, João; Bonito, Jorge; Rodrigues, Manuel; Ferreira, Manuela; Costa, Maria da Graça; Nunes, Maria Madalena; Nelas, Paula; Franco, Vítor; Rodrigues, Vítor
Fonte: Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Viseu Publicador: Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Viseu
Tipo: book
Português
Relevância na Pesquisa
55.87%
A Saúde Pública Nova, em plena era do conhecimento, não ignora a importância dos problemas equacionados. Como se sabe, o objetivo central é prolongar a vida dos cidadãos, numa ótica de envelhecimento ativo, que abrange todo o ciclo de vida. Isto é, do nascimento ao final da vida. É neste contexto que os comportamentos de crianças em idade escolar são especialmente importantes. A transmissão de mais informação aos cidadãos, na perspetiva de conduzir a maior aquisição de conhecimentos, tem em vista a adoção consciente de comportamentos saudáveis. É este o princípio que constitui a base daquele objetivo. Pedagogos, psicólogos, especialistas em ciências sociais, enfermeiros e médicos reconhecem a imensa complexidade da análise dos comportamentos em adolescentes. Temas tão oportunos como a educação sexual ou os padrões alimentares e, ainda, o perfil comportamental associado ao risco de acidentes ou, também, a obesidade ou o tabagismo, contam, com esta edição, com o apoio de textos reunidos ao estilo de coletânea de utilidade indiscutível. São, hoje, bem conhecidas as relações causa-efeito entre certos fatores de risco e a incidência de doenças, tantas vezes evitáveis pelo próprio comportamento. Este binómio entre...

Estilos de vida e vigilância de saúde sexual e reprodutiva da mulher portuguesa

Ferreira, Sofia Marques Grilo; Ferreira, Manuela Maria Conceição, orient.; Duarte, João Carvalho, co-orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu. Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu. Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
65.88%
Enquadramento: Verifica-se que a atitude das mulheres em relação á realização do rastreio é determinante para a incidência do cancro do colo do útero e do cancro da mama, sendo este um evidente problema de saúde pública. Objectivos: Objectivamos com este estudo, identificar os factores associados à adesão das mulheres à vigilância de saúde sexual e reprodutiva; analisar em que medida os conhecimentos das mulheres acerca do autoexame e do cancro do colo do útero e o estilo de vida estão relacionados com a adesão à vigilância de saúde sexual e reprodutiva. Método: Trata-se de um estudo de natureza quantitativa, não experimental, descritivo, correlacional e transversal, com uma amostra constituída por 522 mulheres com idades compreendidas entre os 18 e os 67 anos que frequentam os cuidados de saúde primários nos ACES DÃO LAFÕES I, II, III. Resultados: Em relação às variáveis sociodemográficas e profissionais verificamos que os grupos etários, o estado civil, o agregado familiar, as habilitações literárias, a profissão e o número de filhos foram preditores da adesão à vigilância de saúde sexual e reprodutiva. A realização do autoexame da mama e os conhecimentos acerca do cancro do colo do útero (CCU) mostraram ser preditores da adesão à vigilância de saúde sexual e reprodutiva. Nas crenças de saúde acerca do autoexame da mama e do cancro da mama (AEM e CM) na escala global...

Estado nutricional da criança : influência do comportamento alimentar e da cultura organizacional da família

Cardoso, Ana Filipa Matos; Costa, Maria Graça Ferreira Aparício, orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu. Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu. Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
56%
Enquadramento: As famílias têm grande influência na saúde das crianças, constituem o seu primeiro ambiente de aprendizagem e possuem o potencial necessário para desenvolver estilos de vida saudáveis, nomeadamente no que respeita ao comportamento alimentar aprendido. As suas características sociodemográficas e o tipo de cultura e organização da família podem influenciar o desenvolvimento de excesso de peso, pelo que foi neste âmbito que surgiu a problemática em estudo. Objetivo: Analisar a influência das variáveis sociodemográficas da criança e parentais, do comportamento alimentar da criança e da cultura organizacional da família, no estado nutricional da criança. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo, correlacional e transversal, de análise quantitativa realizado numa amostra de 1424 crianças de várias regiões de Portugal Continental, média idade (M=4,58; Dp=0,995) anos e respetivos pais. Para recolha de informação utilizou-se: a EDIEP, uma adaptação de Aparício Costa, (2012) do QFA de Rito, (2007), o Questionário do Comportamento Alimentar da Criança (ChildEatingBehaviourQuestionnaire [CEBQ]) de Wardle (2001), validado para a população portuguesa por Viana & Sinde (2008) e o Inventário da Cultura Organizacional da Família (Nave 2007). Foi efetuada avaliação antropométrica das crianças e a classificação do seu estado nutricional teve por base o referencial NCHS (CDC...

A influência da família na saúde e nos comportamentos de risco nos adolescentes portugueses

Camacho, Inês Nobre Martins
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
55.87%
Doutoramento em Ciências da Educação, Especialidade Educação para a Saúde; A relação dos adolescentes com a família tem sido reconhecida com um dos factores cruciais no desenvolvimento dos jovens. O presente trabalho teve como objectivo estudar a influência da família na saúde e nos comportamentos de risco nos adolescentes Portugueses. Para tal, realizaram-se seis estudos, tendo como suporte, a base de dados portuguesa do estudo internacional Health Behavior in School- aged Children, obtida com adolescentes através do preenchimento do questionário “Comportamento e Saúde em Jovens em Idade Escolar”. Os estudos realizados utilizaram amostras cujas dimensões variam entre 3221 jovens (estudo 3), 4877 (estudos 1 e 2), 5050 (estudos 5 e 6) e 22961 (estudo 4), jovens de ambos os géneros com média de idades de 14 anos. O estudo um teve como objectivo analisar a influência da comunicação com os pais e pares no bem-estar e comportamentos de risco dos adolescentes. No estudo dois pretendeu-se analisar a influência da família e dos pares nos comportamentos de risco dos adolescentes. No estudo três, procurou-se perceber a influência que a dificuldade em comunicar com os pais e o não ter ou não ver os pais poderá ter nos comportamentos de risco...

Diferenças de género e desigualdades sociais na saúde e doença em Portugal

Vintém, João Manuel Cabecinha
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
55.9%
Mestrado em Família e Sociedade; O objectivo da pesquisa foi o de descrever, analisar e interpretar os dados do Inquérito Social Europeu (European Social Survey-2004), identificando e comparando as diferenças e desigualdades na saúde e doença entre i) homens e mulheres e ii) classes sociais, tanto nos homens como nas mulheres, com a finalidade de caracterizar em termos de género e socialmente a saúde e doença em Portugal (Continente), nomeadamente, na percepção de bem-estar perante a saúde, nas atitudes relativas a consumo de medicamentos e tratamentos, nos cuidados de saúde quanto ao comportamento perante a doença, à frequência de ida a consultas e à relação médico-paciente. Definimos as seguintes hipóteses: 1) na saúde e doença, há diferenças entre as mulheres e os homens, mas também nas mulheres entre si e nos homens entre si, 2) a idade é um factor que influencia a saúde e doença, 3) as desigualdades sociais perante a saúde são explicadas em grande parte pelo grau de instrução, rendimento e classe social, apesar de as políticas sociais, familiares e de saúde estarem orientadas estrategicamente no sentido da igualdade. Os resultados da pesquisa mostraram que, não obstante alguns terem evidenciado correlações de intensidade fraca...

O psicólogo, a saúde pública e o esforço preventivo

Mejias,Nilce Pinheiro
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/1984 Português
Relevância na Pesquisa
55.87%
Foi levada a efeito revisão de vários artigos concernentes aos problemas da influência do comportamento do indivíduo na manutenção de sua saúde e das relações entre aspectos do ambiente, comportamento e saúde. Considerando os pontos de contacto e de divergência entre psicologia clínica e saúde pública, sugere-se que a psicologia da comunidade é a área da psicologia cujos objetivos mais se aproximam aos da Organização Mundial de Saúde - uma sugestão ditada por suas preocupações comuns com as relações entre os sistemas de organização social e o funcionamento individual e com o desenvolvimento de sistemas sociais condizentes com as necessidades humanas. Tendo em vista a escassez de dados empíricos, conclui-se que, para uma maior contribuição da psicologia à saúde pública, faz-se necessário o desenvolvimento mais acelerado de pesquisas que melhor esclareçam as relações entre o funcionamento individual e os ambientes organizacionais e comunitários.

Uso de contracepção por adolescentes de escolas públicas na Bahia

Almeida,Maria da Conceição Chagas de; Aquino,Estela Maria Leão de; Gaffikin,Lynne; Magnani,Robert J
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2003 Português
Relevância na Pesquisa
55.94%
OBJETIVO: O interesse sobre o comportamento contraceptivo de adolescentes vem crescendo, especialmente pela relevância social conferida à gravidez nessa faixa etária. Assim, realizou-se estudo para investigar fatores associados ao uso de métodos anticoncepcionais entre adolescentes escolares. MÉTODOS: Estudo transversal que utilizou um questionário auto-aplicado em 4.774 alunos de ambos os sexos, entre 11 e 19 anos. Calcularam-se as prevalências de uso de contraceptivos na primeira e na última relação sexual e em ambas as situações (uso consistente). A regressão logística foi utilizada para a análise simultânea dos fatores e cálculo de medidas ajustadas. RESULTADOS: Entre 1.664 estudantes com iniciação sexual, os fatores associados positivamente ao uso consistente de contraceptivos pelos rapazes incluíram a iniciação sexual mais tardia, com parceria estável, contar com a família como fonte potencial de contraceptivos e acesso a serviços de saúde; entre as moças, ter iniciado a vida sexual há pouco tempo e ter o pai como fonte de informação sobre sexualidade, contracepção e prevenção DST/Aids. A gravidez foi relatada por 6,4% dos rapazes e 18,1% das moças, sendo sua ausência associada ao uso consistente de contraceptivos por elas (OR=3...

Jogo patológico e suas conseqüências para a saúde pública

Oliveira,Maria Paula Magalhães Tavares de; Silveira,Dartiu Xavier da; Silva,Maria Teresa Araujo
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 Português
Relevância na Pesquisa
65.8%
O artigo teve por objetivo caracterizar o jogo patológico, apresentando as principais conseqüências desse transtorno. Foi realizado levantamento bibliográfico sobre o tema, na literatura nacional e internacional. Foram selecionadas as publicações cujos principais achados enfatizavam prevalência, custos sociais e econômicos associados, legalização de jogos de azar e conseqüente impacto na saúde pública. Alto índice de suicídio, comorbidade com outros transtornos psiquiátricos, problemas familiares e no trabalho, e prática de atos ilícitos foram conseqüências relatadas. A prevalência desse transtorno é maior em países que legalizaram jogos de azar e no Brasil, há evidências do crescimento do número de jogadores patológicos. O desenvolvimento de pesquisas nacionais é imprescindível para a definição de políticas públicas adequadas à realidade brasileira.

Jogo patológico e suas conseqüências para a saúde pública

Oliveira,Maria Paula Magalhães Tavares de; Silveira,Dartiu Xavier da; Silva,Maria Teresa Araujo
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 Português
Relevância na Pesquisa
65.8%
O artigo teve por objetivo caracterizar o jogo patológico, apresentando as principais conseqüências desse transtorno. Foi realizado levantamento bibliográfico sobre o tema, na literatura nacional e internacional. Foram selecionadas as publicações cujos principais achados enfatizavam prevalência, custos sociais e econômicos associados, legalização de jogos de azar e conseqüente impacto na saúde pública. Alto índice de suicídio, comorbidade com outros transtornos psiquiátricos, problemas familiares e no trabalho, e prática de atos ilícitos foram conseqüências relatadas. A prevalência desse transtorno é maior em países que legalizaram jogos de azar e no Brasil, há evidências do crescimento do número de jogadores patológicos. O desenvolvimento de pesquisas nacionais é imprescindível para a definição de políticas públicas adequadas à realidade brasileira.

Fatores associados com o comportamento sexual e reprodutivo entre adolescentes das regiões Sudeste e Nordeste do Brasil

Leite,Iúri da Costa; Rodrigues,Roberto do Nascimento; Fonseca,Maria do Carmo
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2004 Português
Relevância na Pesquisa
55.88%
Neste artigo são analisados os fatores associados com o comportamento sexual e reprodutivo das adolescentes das regiões Nordeste e Sudeste do Brasil. A análise é implementada focando três dimensões deste processo: a iniciação sexual, o uso de métodos anticoncepcionais na primeira relação sexual e fecundidade. Modelos hierárquicos são implementados, pois adolescentes selecionadas de uma mesma comunidade devem ter comportamento sexual e reprodutivo mais semelhantes do que adolescentes selecionadas de áreas diferentes. O nível educacional da adolescente revelou-se o fator de risco mais importante nas três análises implementadas. Adolescentes com cinco ou mais anos de escolaridade são menos prováveis de ter a primeira relação sexual na adolescência; mais propensas a usar métodos anticoncepcionais nesta relação e apresentam menores riscos de ter filhos, quando comparadas com adolescentes com menos de cinco anos de escolaridade.

Necessidades de saúde comuns aos idosos: efetividade na oferta e utilização em atenção básica à saúde

Piccini,Roberto Xavier; Facchini,Luiz Augusto; Tomasi,Elaine; Thumé,Elaine; Silveira,Denise Silva; Siqueira,Fernando Vinholes; Rodrigues,Maria Aparecida
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2006 Português
Relevância na Pesquisa
55.89%
A efetividade na oferta de serviços básicos e sua utilização por idosos abordada no Estudo de Linha de Base do Proesf conduzido pela UFPel incluiu 41 municípios dos Estados de Alagoas, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. O delineamento transversal caracterizou a estrutura e o processo de trabalho de 234 UBS, 4.749 trabalhadores e 4.003 idosos. Os indicadores sociais revelaram pior comportamento na região Nordeste e nas comunidades do Programa Saúde da Família (PSF). A necessidade de cuidados domiciliares regulares, a prevalência de Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) e de Diabetes Mellitus (DM) foram elevadas. Metade dos serviços oferecia barreiras arquitetônicas. O uso de protocolos para o cuidado domiciliar foi pouco freqüente e a capacitação para o cuidado de HAS e DM alcançou a metade dos trabalhadores. Metade dos portadores de HAS e DM usaram a Unidade Básica de Saúde (UBS) da área; praticamente todos usavam medicação, a metade obtinha a medicação na UBS e menos da metade participava das atividades de grupo na UBS. Perda de efetividade foi observada na oferta e na utilização de serviços. O desempenho do PSF foi melhor quando comparado ao modelo tradicional.

Informação estratégica para as ações de intervenção social na saúde

Moraes,Alice Ferry de
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 Português
Relevância na Pesquisa
65.89%
Na saúde pública, são comuns as ações de intervenção social para promover a saúde e prevenir doenças. Essas ações oferecem informação sobre saúde às comunidades, de maneira clara e acessível para gerar mudança de comportamento e para proporcionar a transferência da informação. Pesquisas bibliográficas, realizadas na área da Saúde e na Ciência da Informação, mostraram que o uso da informação de forma estratégica tem base no poder, no saber e na ética. Este trabalho quer demonstrar a importância de um tipo de informação usada nessas ações. É a informação como elemento de mudança na estrutura cognitiva do indivíduo da comunidade onde essas ações se desenrolam e, para tanto, foram criadas estratégias informacionais, a partir de conceitos extraídos da Comunicação, Lingüística, Cognição, Sociologia, Antropologia e Educação. Essas estratégias atuam no momento da transferência da informação; empregam a forma discursiva adequada; facilitam a percepção da informação pelo indivíduo; contextualizam a informação; atuam na imposição ou legitimação da informação; atuam na formação do indivíduo pela informação. A informação, empregada de forma estratégica, servirá como um elo entre os profissionais da saúde e as comunidades onde eles pretendem atuar.

Impacto da violência na saúde de famílias em Fortaleza, Ceará

Vieira,Luiza Jane Eyre de Souza; Arcoverde,Márcia Liduína Vasconcelos; Araújo,Maria Alix Leite; Ferreira,Renata Carneiro; Fialho,Ana Virgínia de Melo; Pordeus,Augediva Maria Jucá
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 Português
Relevância na Pesquisa
55.88%
O estudo descreve o impacto da violência na qualidade de vida de famílias atendidas na Associação de Parentes e Amigos Vítimas da Violência (APAVV), em Fortaleza, Ceará. Estudo de caso realizado com cinco mães que participavam de uma ONG no combate à violência. A entrevista semi-estruturada, participação nas reuniões da instituição e pesquisa documental foram as técnicas de coleta de dados, sendo esses últimos submetidos à análise temática e discutidos à luz da literatura e das cartas de promoção da saúde. Os impactos causados pela violência comprometem a saúde física e emocional das famílias, originam mudanças de comportamento entre os membros, contribuem para o aumento do tabagismo, do etilismo, do isolamento social e exacerbam sentimentos de revolta, vingança e pessimismo. O trabalho da ONG tem sido importante para apoiar as famílias na superação dos conflitos e na restauração da saúde, resgatando a auto-estima, a esperança na justiça e na mobilidade social. A saúde dessas famílias fica comprometida nos aspectos biológicos, emocionais e sociais, favorecendo o adoecimento. Essas têm recorrido ao suporte de ONGs para transformarem a "condição de vítima" - refém da violência - em "cidadania responsável" na luta contra esse fenômeno.

Início da vida sexual entre adolescentes (10 a 14 anos) e comportamentos em saúde

Gonçalves,Helen; Machado,Eduardo Coelho; Soares,Ana Luiza Gonçalves; Camargo-Figuera,Fabio Alberto; Seering,Lenise Menezes; Mesenburg,Marília Arndt; Guttier,Marília Cruz; Barcelos,Raquel Siqueira; Buffarini,Romina; Assunção,Maria Cecília Formoso; H
Fonte: Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2015 Português
Relevância na Pesquisa
55.89%
OBJETIVO: Avaliar a prevalência de início da vida sexual até os 14 anos de idade e fatores sociodemográficos e comportamentais relacionados à sua ocorrência. MÉTODOS: Em 2008, 4.325 adolescentes dos 5.249 pertencentes ao estudo de coorte de nascimentos de Pelotas, Rio Grande do Sul (1993) foram entrevistados. O início da vida sexual foi definido como primeira relação sexual ocorrida até os 14 anos. As informações foram obtidas através de questionários durante o acompanhamento de 2008, com entrevistas realizadas nos domicílios. As varáveis analisadas foram: cor da pele, índice de bens, escolaridade materna e do adolescente, uso experimental de cigarro e de álcool, episódio de embriaguez, uso de alguma droga ilícita pelo adolescente ou pelos amigos e envolvimento em brigas no último ano. Além dessas, foram analisados o uso de preservativos e contraceptivos, número de parceiros(as) e idade de iniciação sexual. RESULTADOS: A prevalência de iniciação sexual foi de 18,6%, sendo maior no sexo masculino, nos adolescentes com menor escolaridade, de baixo nível econômico e naqueles cujas mães tinham baixa escolaridade e tiveram filhos na adolescência. A prática sexual esteve relacionada às variáveis comportamentais analisadas. Na última relação sexual...

A tecnologia na saúde: uma análise crítica

Yomali Ospina López, Diana; Menezes Campello de Souza, Fernando (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: other
Português
Relevância na Pesquisa
65.88%
O trabalho tem como objetivo analisar a dinâmica das implicações recíprocas entre tecnologia e saúde com ênfases no Brasil. Para tanto, procurou-se abordar a saúde no Brasil conhecendo um pouco da história do sistema de saúde do país e dos principais agentes desse sistema: os médicos, a indústria farmacêutica, a indústria de equipamentos médico-hospitalares, as empresas de seguro de saúde, o governo, os hospitais e os usuários. Posteriormente, tratou-se o tema do avanço da tecnologia, pois se observa que à medida que a tecnologia na saúde avança seus preços aumentam contrariamente ao que ocorre em outras áreas. Neste contexto é descrito, no decorrer desta dissertação, o sistema de saúde dentro das características do sistema de produção, sendo inserido dentro da programação linear e apresentando um modelo de alocação no sistema de saúde para descrever o comportamento na escolha de uma tecnologia. Neste trabalho também foi feita à montagem de uma base de dados com informações extraídas do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS) do Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES) dos estabelecimentos cadastrados nos estados do Ceará, Goiás...