Página 1 dos resultados de 4171 itens digitais encontrados em 0.045 segundos

Perspectivas da investigação sobre determinantes sociais em câncer; Prospects of research on social determinants in cancer

WÜNSCH FILHO, Victor; ANTUNES, José Leopoldo Ferreira; BOING, Antonio Fernando; LORENZI, Ricardo Luiz
Fonte: IMS-UERJ Publicador: IMS-UERJ
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
46.16%
As diferenças socioeconômicas têm reflexos no perfil epidemiológico de câncer, no que diz respeito a incidência, mortalidade, sobrevida e qualidade de vida após o diagnóstico. Neste artigo examinam-se as disparidades da ocorrência de câncer na população brasileira e sintetizam-se evidências das investigações sobre determinantes sociais em câncer. Foram considerados os principais fatores que modulam a influência das condições socioeconômicas na ocorrência do câncer, como tabagismo, consumo de álcool, hábitos alimentares e obesidade, ocupação e acesso aos serviços de saúde. Modificações nas condições sociais dependem de mudanças estruturais na sociedade, a exemplo de melhorias do nível educacional; no entanto, investigações epidemiológicas bem conduzidas podem contribuir para o planejamento de intervenções visando a reduzir o impacto dos determinantes sociais em câncer. Esses estudos devem prover estratégias para promoção da qualidade das informações de incidência e mortalidade; realização periódica de inquéritos populacionais sobre prevalência de fatores de risco para câncer; desenvolver desenhos epidemiológicos mais eficientes para avaliar o efeito de fatores etiológicos em câncer e suas relações com o status social; análise de programas de rastreamento para tumores passíveis de detecção precoce; e avaliações do acesso da população ao diagnóstico e tratamento. Essas pesquisas devem contemplar populações em distintas regiões do mundo...

Envelhecimento no meio rural: condições de vida, saúde e apoio dos idosos mais velhos de Encruzilhada do Sul-RS; Aging in rural areas: life conditions, health, and support of older elderly in Encruzilhada do Sul - RS.

Morais, Eliane Pinheiro de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 21/09/2007 Português
Relevância na Pesquisa
46.09%
O envelhecimento populacional é um fenômeno de abrangência mundial, traduzido pela diminuição progressiva das taxas de fecundidade, mortalidade e aumento da expectativa de vida. Dentre a população envelhecida (60 anos ou mais), são os idosos mais velhos (80 anos ou mais), a parcela que mais cresce, e com eles também aumentam as demandas sociais, de saúde e de infra-estrutura, para comportar e assegurar a qualidade de vida dessa "elite". Os idosos que vivem em áreas rurais, 60% em todo o mundo, devem ter especial atenção, pois as doenças que apresentam podem ser diferentes, em função das condições do ambiente, da falta de serviços de ajuda e de saúde disponíveis, e das características socioeconômicas. Trata-se de um estudo transversal que teve por objetivo descrever e analisar as condições de vida e saúde dos idosos com 80 anos ou mais residentes no meio rural do município de Encruzilhada do Sul, Rio Grande do Sul (Brasil). A população constituiu-se de 137 idosos (87 mulheres e 50 homens), que estão distribuídos em 24 microáreas definidas no Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Os dados foram coletados utilizando-se um instrumento multidimensional, em entrevistas domiciliares, entre março e maio de 2006...

Determinantes sociais da saúde: os olhares dos profissionais da atenção básica do município de Marília-SP; Social determinants of health: primary care professionals eyes in the municipal district of Marilia

Vernasque, Juliana Ribeiro da Silva
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 11/02/2011 Português
Relevância na Pesquisa
46.16%
Os Determinantes Sociais da Saúde (DSS) constituem hoje importante objeto de estudo no campo da Saúde Coletiva, pois a compreensão dos mesmos possibilita ações de cuidado e de resposta às necessidades de saúde nos âmbitos de promoção, prevenção, tratamento e recuperação da saúde, além de auxiliar na diminuição das vulnerabilidades, das iniquidades em saúde e concorrer para a promoção da justiça social. O objetivo deste estudo foi identificar quais aspectos dos DSS são reconhecidos pelos profissionais de atenção básica do município de Marília no cotidiano do trabalho em saúde, bem como são apreendidos e manejados como necessidades na produção de cuidados em saúde. Esta pesquisa é de natureza qualitativa, utilizando como método entrevistas semi-estruturadas e observações participantes de tipo etnográfico. Foram entrevistadas cinco profissionais de saúde de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e cinco profissionais de uma unidade de ESF (Estratégia Saúde da Família). Foi realizado tratamento interpretativo-compreensivo do material de campo, baseado nas categorias do modelo de DSS de Dahlgren e Whitehead (1991), no conceito de Cuidado em saúde de Ayres (2009) e no quadro das necessidades de saúde de Schraiber e Mendes Gonçalves (2000) e Cecílio (2001). Para apresentação dos resultados foram agrupados quatro eixos temáticos: 1) Condições de vida e trabalho; 2) O estilo de vida dos indivíduos; 3) Redes sociais e comunitárias e 4) Condições socioeconômicas...

Vivendo como classe : as condições de habitação e alimentação do operariado porto-alegrense entre 1905 e 1932

Silva, Nauber Gavski da
Tipo: dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.16%
O problema que pretendi resolver nessa dissertação de mestrado é o seguinte: quais as condições de vida da classe operária em formação em Porto Alegre entre os anos 1905 e 1932, e como se dava a disputa pela definição daquelas condições entre os próprios operários, a burguesia e o Estado? Para mapear essas questões, desenvolvi uma aproximação com a produção acadêmica da historiografia brasileira, estudos antropológicos e a produção de alguns economistas dos anos 1950. Como resultado, historicizei a consolidação do conceito de “padrão de vida” no Brasil, incorporado acriticamente por alguns historiadores a partir do modo de proceder daqueles economistas. Ocorre é que aquele conceito foi aplicado sobre a realidade operária como forma de análise das condições econômicas da suposta “família operária”, que, na prática, não possui correspondência efetiva com os arranjos familiares praticados pelo operariado. Esses estudos econômicos serviam de base para o Estado avaliar o custo de vida da família operária, através dos itens discriminados nas entrevistas domiciliares. Fundamentalmente, tais estudos abandonavam a perspectiva de relações de classe, prejudicando a análise das condições de vida do operariado em suas diversas manifestações (como habitação...

Ética e trabalho: Concepção de uma antítese social

Inácio, José Reginaldo
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 324 f. : grafs., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
46.16%
Pós-graduação em Serviço Social - FCHS; Ethics and work are inseparable essence of mankind. They ontologically synthesize the integrity of man as an element that allows to observe it in their accomplishments or productions. In this thesis, we consider a Marxist theoretical basis. Texts of Marx and Engels themselves, other authors mainly Sánchez Vázquez and Lukács, besides Dussel, Barroco, Iasi, Heller, Carcova to situate ethics advocated here that, if confirmed, breaks the boundaries imposed by capitalism. Aiming to demonstrate if social and livelihoods conditions of workers, employed or unemployed influence the ethic conception and moral values of a society, the thesis was divided into six chapters, of which the introduction is the first. In the second, Conceptualization as a foundation in theory, we seek the fundamental aspects of the thesis, its conceptualization from the research object itself (ethics, work, conception, antithesis, and social). We highlight some thinkers like Aristotle and Kant, which are the bases of this concept and also highlight important elements of the other chapters, such as ethics and its relationship with the power and the law. In the third, Perspectives and methodological limitations of the research...

Condições sociais da construção do desenho infantil

Silvia Maria Cintra da Silva
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 20/12/1993 Português
Relevância na Pesquisa
56.12%
Este trabalho focaliza algumas das condições sociais da produção da atividade gráfica. Os dados foram coletados através de vídeo-gravações e de desenhos de crianças pré-escolares, em situações de produção gráfica em sala de aula. Baseada na abordagem histórico-cultural, a análise buscou verificar as relações entre a fala e desenho, assim como as ações das crianças com e sobre as possibilidades funcionais dos materiais empregados na atividade gráfica, e as mediações de pares e professoras. Os resultados mostram a importância de ver se o desenhe enquanto atividade socialmente constituída e mediada pela linguagem Abstact: This work focuses on some social conditions wich constitute the g activity of preschool children. This study was base on the historical-cultural approach, involvity the observation of children in classrom drawing activities, durig one school year. The date were collected through video-recordung children?s works produced in non-recording situations were also complementarily considered. In the analisis we looked at relationships between speech and drawing productions, and at the child interaction whit peers and teacher while drawing. According to the results, the impact of interactional events...

Variaveis clinicas e sociais em crianças com constipação cronica funcional e suas relações com a resposta clinica; Clinics and social variables in children with chronic constipation functional and its relations with clinical response

Marli Elisa Nascimento Fernandes
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/08/2008 Português
Relevância na Pesquisa
56.09%
Nas crianças com constipação, garantir a adesão às orientações terapêuticas representa um desafio para o pediatra. Em estudos internacionais sobre tratamento da constipação, a recuperação dos pacientes pediátricos ocorre em tempo menor que o visto em pacientes acompanhados num serviço terciário no Brasil. Foi realizado estudo observacional, com desenho transversal e descritivo, sendo elegíveis todos os pacientes com diagnóstico de constipação intestinal crônica grave, em acompanhamento no ambulatório de Gastroenterologia Pediátrica do Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), no período fevereiro de 2004 a fevereiro de 2007. Os responsáveis cuidadores de 75 pacientes foram entrevistados e a resposta ao tratamento, identificada pelos dados anotados pelos médicos nos prontuários, foi estudada com base em presença de associação a variáveis clínicas e sociais. A resposta ao tratamento foi categorizada em abandono, favorável e desfavorável. Em 49% dos pacientes, a resposta ao tratamento foi definida como favorável, 14,7% abandonou o serviço e 36% foram categorizados em resposta desfavorável. Não houve associação significativa da variável resposta ao tratamento da constipação em relação à escolaridade do cuidador...

Condições de vida, trabalho e saúde dos trabalhadores de comércio em relação à sazonalidade turística

Claro, María Marcela Fernández de
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: dissertação (mestrado) Formato: viii, 236 f.| il., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
46.2%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Psicologia.; As condições de trabalho no comércio de uma cidade turística possuem peculiaridades afetadas pela sazonalidade do turismo que podem influir na saúde e no comportamento dos trabalhadores. Doença e saúde não são processos ou fenômenos distintos e estanques, assim como comportamentos não são, em si, normais ou patológicos. As condições de saúde de um organismo, assim como seus comportamentos, dependem da estruturação e do relacionamento de diferentes variáveis do meio em que tais condições de saúde e comportamento ocorrem. Sendo assim, é importante caracterizar as condições de vida, trabalho e saúde desses trabalhadores em relação à sazonalidade turística. Participaram 24 sujeitos do sexo feminino, trabalhadores de comércio varejista de confecções. 12 trabalhavam com regime permanente e 12 trabalhavam com regime temporário. Foram realizadas entrevistas com a totalidade dos sujeitos em dois momentos diferentes, na alta e na baixa temporadas turísticas, para coletar dados sobre as condições de vida, trabalho e saúde. Foi possível notar que a maioria é jovem...

Mortalidade por homicídios em jovens de 10 a 24 anos de idade e condições sociais em municípios dos estados do Paraná e de Santa Catarina – Brasil, 2001-2010

Mansano, Nereu Henrique
Tipo: dissertação / dissertation
Português
Relevância na Pesquisa
46.16%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, 2013.; A violência tem, entre seus principais impactos no Brasil, a crescente mortalidade por homicídios e, em especial, nos adolescentes e jovens do sexo masculino. O mesmo ocorre no Paraná e, com menor intensidade, em Santa Catarina. Este estudo teve como objetivo analisar a mortalidade por homicídios em adolescentes e jovens do sexo masculino de 10 a 24 anos e condições sociais em municípios dos estados do Paraná e Santa Catarina no período de 2001 a 2010. Foi realizado estudo ecológico misto, de múltiplos grupos e de séries temporais, com etapas analítica e descritiva. A etapa descritiva abordou a magnitude e distribuição do risco de morte muito precoce por homicídios em adolescentes e jovens do sexo masculino, de 10 a 24 anos de idade, em municípios elegíveis dos estados do Paraná e de Santa Catarina de 2001 a 2010. A etapa analítica abordou os fatores associados (geográficos, demográficos, socioeconômicos e de desigualdade social) às taxas de mortalidade por homicídios na população de estudo no triênio 2009 – 2010. Realizou-se, nesta etapa, análise para o conjunto de municípios elegíveis de ambos os estados e análises parciais em separado para cada estado. Evidenciou-se que o risco de morrer por homicídios entre os adolescentes e jovens de 10 a 24 anos é muito maior e vem apresentando maior tendência de crescimento no período de 2001 a 2010 nos municípios do Paraná que nos de Santa Catarina. A maior parte dos municípios não apresentou óbitos por homicídios no grupo de 10 a 14 anos...

Transição para a idade adulta: Das condições sociais às implicações psicológicas

Andrade, Cláudia; Escola Superior de Educação de Coimbra; Investigadora de Pós-Doutoramento, Centro de Psicologia Diferencial, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedversion Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 Português
Relevância na Pesquisa
46.05%
Nas últimas décadas assistiu-se a um conjunto de alterações sociais que exercem influência sobre os modos como a transição para a idade adulta é efectuada. Se por um lado se perspectiva um período de transição cada vez mais extenso, por outro lado este envolve um conjunto de características próprias, adquirindo o estatuto de etapa desenvolvimental – a adultez emergente. O presente artigo explora o modo como as condições sociais se repercutem na transição para a idade adulta, no contexto internacional e, em particular, para o contexto Português. Pretende também reflectir sobre o conceito de adultez emergente do ponto de vista dos desafios e das oportunidades que esta encerra para os jovens.

Desigualdade social nas taxas de cesariana em primíparas no Rio Grande do Sul

Freitas,Paulo Fontoura; Drachler,Maria de Lourdes; Leite,José Carlos de Carvalho; Grassi,Paulo Recena
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2005 Português
Relevância na Pesquisa
46.09%
OBJETIVO: Investigar o efeito das desigualdades sociais nas taxas de cesariana em primíparas, com gravidez única e parto hospitalar. MÉTODOS: Estudo realizado no Estado do Rio Grande do Sul em 1996, 1998 e 2000. Foram utilizados dados do Sistema de Informação de Nascidos Vivos no cálculo das taxas anuais e das razões de chance de cesariana (RC) brutas e ajustadas para condições sociais (escolaridade e idade maternas, etnia/cor da pele e macro-regional de saúde), duração da gestação e número de consultas pré-natal. RESULTADOS: A taxa de cesarianas foi de 45%, e acima de 37% para todas as macro-regionais. As taxas aumentaram entre: mulheres de etnia indígena e negra, mulheres com mais de 30 anos, residentes nas macro-regiões Metropolitana, Vales e Serra, e com mais de seis consultas no pré-natal. Razões brutas e ajustadas indicaram taxas negativamente associadas para todas as categorias de etnia/cor, quando comparadas à cor branca da pele do recém-nascido, em especial para etnia indígena (RCaj=0,43; IC 95%: 0,31-0,59), positivamente associadas à escolaridade (RCaj=3,52; IC 95%: 3,11-3,99) e idade maternas mais elevadas (RCaj=6,87; IC 95%: 5,90-8,00), e maior número de consultas pré-natal (RCaj=2,16; IC 95%: 1...

Mapa das juventudes de Santo André, SP: instrumento de leitura das desigualdades sociais

Yonekura,Tatiana; Soares,Cássia Baldini; Minuci,Elaine Garcia; Campos,Célia Maria Sivalli; Trapé,Carla Andrea
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2010 Português
Relevância na Pesquisa
46.28%
OBJETIVO: Analisar as desigualdades sociais de jovens moradores em área urbana pelo mapeamento de dados sociodemográficos e econômicos. MÉTODOS: Utilizando-se dados do Censo Demográfico 2000, 57 variáveis sociodemográficas e econômicas de jovens de 15 a 24 anos do município de Santo André, SP, foram distribuídas por 43 regiões de dados estatísticos que correspondem a um recorte do território em distritos menores. Os dados foram coletados no Departamento de Indicadores Sociais e Econômicos da Prefeitura Municipal de Santo André, referentes ao ano 2000. Por meio de análise fatorial, 13 variáveis foram agrupadas em dois fatores - condições de trabalho e condições de vida, que discriminaram estatisticamente regiões semelhantes entre si. Foi realizada análise por agrupamento das regiões, resultando em quatro grupos sociais. RESULTADOS: O espaço que concentrava os jovens com mais acesso à riqueza foi classificado como central e aqueles com menos acesso, como periférico. Duas gradações intermediárias puderam ser identificadas, uma mais próxima ao extremo do acesso ("quase central") e outra mais próxima à privação ("quase periférica"). As variáveis discriminantes estavam relacionadas ao trabalho, à migração...

A formação e especialização de profissionais de saúde e a necessidade política de enfrentar as desigualdades sociais e regionais

Ceccim,Ricardo Burg; Pinto,Luiz Felipe
Fonte: Associação Brasileira de Educação Médica Publicador: Associação Brasileira de Educação Médica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 Português
Relevância na Pesquisa
46.16%
A formação e o exercício profissional não podem seguir linhas paralelas no desenvolvimento de sistemas de saúde, eles precisam de relações orgânicas. A formação gera serviços, condições de provimento e/ou fixação de profissionais, possibilidades de equipe, desenvolvimento e avaliação de tecnologias do cuidado e da assistência, capacidade de compreensão crítica e sensibilidades. A rede de sistemas e serviços de saúde gera campos de práticas, cenários de intervenção, demandas locais, retaguarda científica e tecnológica, inclusão social e oportunidades de entendimento da vida. A partir desse encontro, pode-se falar em compromisso com o enfrentamento das desigualdades regionais e sociais, isto é, podem se estabelecer condições de enfrentamento dos danos da pobreza e das iniqüidades sociais, produzindo conhecimento com mérito científico e relevância social e formação de profissionais de acordo com as necessidades em saúde.

Assimetria e descompasso: as condições sociais na metrópole de São Paulo na década de 1990

Marques,Eduardo; Gonçalves,Renata; Saraiva,Camila
Fonte: Centro Brasileiro de Análise e Planejamento Publicador: Centro Brasileiro de Análise e Planejamento
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2005 Português
Relevância na Pesquisa
56.16%
Este trabalho discute a dinâmica da situação social na metrópole paulistana na década de 1990 para o conjunto da região e para os seus diversos espaços. Apesar de essa década ter apresentado um saldo econômico negativo, indicadores de diversas dimensões sociais sugerem a melhoria dos patamares médios das condições materiais na maior parte da cidade. Entretanto, tal dinâmica foi acompanhada pela manutenção das desigualdades espaciais preexistentes e por uma aparente elevação das desigualdades de renda. O objetivo do presente trabalho é apresentar e discutir tais dinâmicas à luz dos debates mais amplos da literatura sobre a conjuntura social na metrópole.

Déficit estatural nas crianças brasileiras: relação com condições sócio-ambientais e estado nutricional materno

Engstrom,Elyne M.; Anjos,Luiz A.
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1999 Português
Relevância na Pesquisa
46.14%
O presente estudo investigou a relação entre o déficit estatural (DE) de crianças e o estado nutricional (EN) de suas mães e suas condições sócio-ambientais, numa amostra probabilística da população brasileira em 1989. Os dados de 12.644 pares mãe-filho foram analisados. Foram consideradas DE as crianças com valor Z de estatura para idade inferior a -2 em relação à curva de crescimento americana (NCHS). O EN das mães foi aferido por meio do índice de massa corporal. As associações entre o EN de mães e filhos e entre estes EN com as variáveis sociais foram avaliadas por regressão logística. Encontraram-se 14,4% das crianças com DE, apresentando associação inversa com escolaridade materna, renda domiciliar per capita e condições de moradia. Crianças cujas mães não sabiam ler e escrever tiveram maior chance de ter DE (OR = 17,2) do que crianças cujas mães cursaram nove ou mais séries. Em relação às crianças de melhor renda e condições de moradia, a odds ratio (OR) foi de 11 para as do primeiro quartil de renda e 7,6 para as de domicílios em más condições. Houve maior risco de DE nas crianças com baixo peso materno (OR = 2,5) em relação às com mães com sobrepeso. Os dados indicam associação entre o baixo peso materno e DE nas crianças brasileiras.

Mortalidade infantil e condições de vida: a reprodução das desigualdades sociais em saúde na década de 90

Costa,Maria da Conceição Nascimento; Azi,Paula de Almeida; Paim,Jairnilson Silva; Silva,Lígia Maria Vieira da
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2001 Português
Relevância na Pesquisa
46.28%
O estudo descreve a evolução da mortalidade infantil em Salvador, de 1991 a 1997, e analisa as desigualdades nestas mortes considerando-se sua distribuição espacial e um índice de condições de vida. Houve um declínio da mortalidade, passando as mortes neonatais e as causas perinatais a ter maior importância. Em 1992, o coeficiente de mortalidade infantil (CMI) aumentou 75%, e só em 1997 voltou aos patamares de 1991, fenômeno que os autores atribuíram à deterioração das condições de vida. A análise da distribuição espacial aponta para a manutenção das desigualdades sociais, sendo a educação a variável de maior correlação. A mortalidade infantil proporcional (MIP) e o CMI mostraram um crescimento linear a partir do estrato de elevada (5,3%) para o de muito baixa (13,3%), e do estrato de intermediária para o de muito baixa condições de vida (de 20,4? para 29,3?), respectivamente. Conclui-se que, apesar da redução dos níveis da mortalidade infantil, são mantidas as desigualdades sociais em saúde, e que os processos sociais que comprometem as condições de vida continuam desempenhando um relevante papel na sua determinação.

Análise espacial da ocorrência de dengue e condições de vida na cidade de Nova Iguaçu, Estado do Rio de Janeiro, Brasil

Machado,Juliana Pires; Oliveira,Rosely Magalhães de; Souza-Santos,Reinaldo
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2009 Português
Relevância na Pesquisa
46.16%
A reemergência da dengue, sua disseminação e manutenção vêm desafiando o sistema de saúde brasileiro. Fatores relacionados às condições de vida da população têm sido abordados na compreensão de diferentes desfechos em saúde. Este trabalho analisa a ocorrência da dengue e sua relação com as condições de vida no Município de Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, Brasil, de 1996 a 2004. Os dados sobre ocorrência de dengue foram obtidos no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN). Para caracterização das condições de vida, foi construído um indicador composto com variáveis sócio-econômicas e de infra-estrutura urbana coletadas no Censo Demográfico de 2000. Operações entre camadas foram utilizadas para identificar associações espaciais entre o indicador composto e a incidência de dengue por bairros. Apesar de não se evidenciar uma relação linear entre condições de vida ruins e ocorrência da doença, os padrões espaciais observados indicaram maior suscetibilidade de áreas com desigualdades nas condições de vida e localizadas próximas às vias de acesso. Os achados sugerem ainda que, além de outros fatores relacionados à ocorrência da doença, as desigualdades observadas podem interferir na tendência temporal da dengue. Assim...

Perspectivas da investigação sobre determinantes sociais em câncer

Wünsch Filho,Victor; Antunes,José Leopoldo Ferreira; Boing,Antonio Fernando; Lorenzi,Ricardo Luiz
Fonte: IMS-UERJ Publicador: IMS-UERJ
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 Português
Relevância na Pesquisa
46.16%
As diferenças socioeconômicas têm reflexos no perfil epidemiológico de câncer, no que diz respeito a incidência, mortalidade, sobrevida e qualidade de vida após o diagnóstico. Neste artigo examinam-se as disparidades da ocorrência de câncer na população brasileira e sintetizam-se evidências das investigações sobre determinantes sociais em câncer. Foram considerados os principais fatores que modulam a influência das condições socioeconômicas na ocorrência do câncer, como tabagismo, consumo de álcool, hábitos alimentares e obesidade, ocupação e acesso aos serviços de saúde. Modificações nas condições sociais dependem de mudanças estruturais na sociedade, a exemplo de melhorias do nível educacional; no entanto, investigações epidemiológicas bem conduzidas podem contribuir para o planejamento de intervenções visando a reduzir o impacto dos determinantes sociais em câncer. Esses estudos devem prover estratégias para promoção da qualidade das informações de incidência e mortalidade; realização periódica de inquéritos populacionais sobre prevalência de fatores de risco para câncer; desenvolver desenhos epidemiológicos mais eficientes para avaliar o efeito de fatores etiológicos em câncer e suas relações com o status social; análise de programas de rastreamento para tumores passíveis de detecção precoce; e avaliações do acesso da população ao diagnóstico e tratamento. Essas pesquisas devem contemplar populações em distintas regiões do mundo...

Homicídios e desigualdades sociais na cidade de São Paulo: uma visão epidemiológica

Drumond Júnior,Marcos
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/1999 Português
Relevância na Pesquisa
46.14%
Este artigo tem como objetivo descrever e discutir a epidemiología dos homicídios na cidade de São Paulo, com ênfase nas suas desigualdades sociais, a partir dos dados e da experiência do Programa de Aprimoramento das Informações de Mortalidade do Município de São Paulo (PRO-AIM). Os resultados mostram que os homicídios têm apresentado importância, dimensão e tendência crescente na cidade de São Paulo, apontando uma grande desigualdade social em todas estas características analisadas, segundo diferentes informações contidas nas declarações de óbito. A distribuição espacial mostra que os índices são maiores em regiões da periferia e do centro velho da cidade. Os diferenciais foram também analisados no interior de um distrito de boas condições sociais. Discute-se algumas propostas de prevenção e controle dos homicídios com ênfase num projeto abrangente que contemple toda a complexidade de seus múltiplos determinantes e as dinâmicas específicas produtoras da violência em diferentes situações. Conclui-se que um projeto baseado na solidariedade social, na eqüidade e na democracia só poderá emergir da organização dos grupos sociais atingidos, aliados a militantes em defesa da vida, vindos das mais diversas áreas de atuação e que a epidemiologia tem um importante papel neste processo podendo contribuir para a monitorização da violência...

Desigualdades sociais e homicídios na cidade de São Paulo, 1998

Barata,Rita Barradas; Ribeiro,Manoel Carlos Sampaio de Almeida; Sordi,Meri De
Fonte: Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2008 Português
Relevância na Pesquisa
46.16%
Este estudo teve como objetivo identificar os padrões de ocorrência dos homicídios quanto a características dos agressores, das vítimas e das circunstâncias que motivaram a agressão, segundo estratos de condições de vida. As condições de vida foram avaliadas pela escolaridade, renda e condições de habitação. Os distritos administrativos da cidade foram agrupados através de análise de cluster formando cinco estratos. Amostras casuais simples de 100 óbitos por homicídios foram obtidas para cada estrato. Atestado de óbito, boletim de ocorrência e inquérito policial foram utilizados como fontes de dados. No estrato A foram mais comuns os homicídios associados a assaltos, enquanto nos estratos B, C e D predominaram os homicídios relacionados ao tráfico de drogas e a outras atividades ilegais. No estrato E, a maioria dos casos estudados estava relacionada com brigas e desavenças entre indivíduos. Vítimas e os agressores foram predominantemente indivíduos do sexo masculino, jovens, brancos ou pardos, com baixa escolaridade, nascidos em São Paulo ou em Estados do Nordeste, com ocupação no setor terciário ou desempregados. Há maior freqüência relativa de homicídios de mulheres no estrato A. Neste estrato...