Página 1 dos resultados de 205 itens digitais encontrados em 0.015 segundos

Representações da família sobre o educador de infância na creche

Pinto, Susana América Ferreira
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2010 Português
Relevância na Pesquisa
36.33%
Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Psicologia, especialização em Psicologia da Educação e Intervenção Comunitária.; O presente trabalho estuda as representações sociais da família sobre o Educador de Infância na creche. Dadas as mudanças abruptas da sociedade, com a alteração da estrutura e organização das famílias, interessa compreender qual o entendimento que estas têm, actualmente, sobre os objectivos e o papel do Educador de Infância na creche. A resposta social de creche tem merecido, desde há alguns anos, especial atenção por parte dos legisladores, pelo facto de ser frequentada por crianças de mais tenra idade – dos zero aos três anos – que merecem qualidade no seu ensino e tratamento (Davison e Maguin, 1983). O Despacho Normativo do Ministério do Emprego e Segurança Social, de 1989, veio esclarecer os objectivos da creche, orientando todos os envolvidos para a compreensão do seu papel. Com base no documento que clarifica o Perfil Desempenho do Educador de Infância e do Professor dos Ensinos Básico e Secundário (2001), conseguimos perceber o papel deste profissional na creche e na vida da criança mais pequena (Martinez...

Os agentes de autocuidado e a utilização de orientações disponíveis no cenário do processo cuidativo da criança portadora de fissura lábio-palatal; The agent of selfcare and the utilization of the directions available in the scenery of the process of attending the lip and palate clefted child

Mondini, Cleide Carolina da Silva Demoro
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/04/2001 Português
Relevância na Pesquisa
36.21%
O presente estudo teve como objetivo identificar como a mãe e/ou pessoa significativa (aqui designada como Agente de Autocuidado ? AAC) para a criança, fazem uso das orientações recebidas por ocasião da alta hospitalar, por meio da identificação dos requisitos universais da criança e das habilidades referidas pelo AAC em realizar os cuidados. Baseado na Teoria do Déficit de autocuidado de Dorothea Orem. Visa ainda, contribuir e oferecer subsídios para a melhoria da qualidade da assistência prestada, dentro do programa de orientação desenvolvido pela equipe interdisciplinar. É um estudo exploratório, descritivo com abordagem qualitativa segundo BARDIN (1977). Foram realizadas 30 entrevistas com os AAC da criança portadora de fissura lábio-palatal, em dois momentos distintos; a primeira realizada após a cirurgia antes da alta hospitalar e a segunda no período de 8 a 10 dias após a alta hospitalar realizada por meio de telefonema do AAC para a pesquisadora ou da pesquisadora para o AAC, Após a análise das entrevistas emergiram subcategorias relacionadas aos aspectos emocionais e a habilidade do agente de autocuidado para realizar os cuidados com a criança portadora de fissura lábio-palatal, evidenciando que a grande maioria dos agentes de autocuidado conseguem realizar satisfatóriamente os cuidados e uma pequena parcela vivenciou dificuldades para realizar os mesmos. Frente a estes dados devemos prestar maior atenção às particularidades individuais de cada agente de autocuidado...

O primeiro contato de crianças pequenas com a língua inglesa em uma escola internacional no Brasil: um estudo de caso; The first contact of young children with the English language in an international school in Brazil: a case study

Marchiori, Juliana Pelluzzi
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 07/12/2010 Português
Relevância na Pesquisa
46.4%
Este trabalho investigou o processo de emergência de inglês em crianças de dezoito meses a três anos de idade em ambiente escolar de imersão através de uma pesquisa etnográfica. Em escola internacional, esse grupo de sete crianças (cinco brasileiros e dois sino-brasileiros), observado entre fevereiro e junho de 2008, deu os primeiros passos para a internalização da língua adicional através da interação dialógica entre seus professores e coetâneos, principalmente no momento da roda. Neste contexto, buscamos entender melhor os conceitos vygotskianos de atividades inter- e intramentais e a importância da convivência social para a internalização de conhecimento. Consideramos a relevância do gesto como primeira forma de expressão extraverbal da criança. Para analisarmos melhor a interação dialógica entre os integrantes da sala de aula, procuramos beneficiar-nos da área de estudos linguísticos, especificamente o conceito discursivo de tutela reflexiva e linguística proposto por Bitar (2002) e como a interação em pares, aplicada à realidade da criança pequena, pode proporcionar a apropriação e a internalização da linguagem. Pesquisamos sobre a importância da brincadeira livre para os desenvolvimentos linguístico e cognitivo da criança...

A criança nos museus de ciências: análise da exposição Mundo da Criança do Museu de Ciência e Tecnologia da PUCRS; The child in science museums: analysis of the exhibition World´s Children Museum of Science and Technology PUCRS

Iszlaji, Cynthia
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 11/05/2012 Português
Relevância na Pesquisa
36.26%
O estudo em questão teve como objetivo principal analisar se e como os museus de ciências levam em consideração a criança pequena em suas ações, em especial a exposição. Para tal, a pesquisa visou à compreensão da concepção de criança e infância a partir das mudanças ao longo do tempo, através dos principais teóricos da área. Nesta pesquisa a concepção de criança e infância está fundamentada nas discussões de Vygotsky, cuja teoria caminha numa perspectiva histórico-cultural. A criança que emerge dos estudos dessa teoria é uma criança a ser compreendida como sujeito histórico, social e cultural, uma vez que ela influencia e é influenciada pelos determinantes que constituem a formação social no qual se encontra inserida. A escolha do contexto da pesquisa baseou-se nos resultados do questionário enviado para os museus de ciências brasileiros com objetivo de mapear as instituições que desenvolvem exposições e/ou ações educativas voltadas para o público infantil. Para este projeto, foi selecionada a exposição Mundo da Criança no Museu de Ciência e Tecnologia da PUCRS, por apresentar uma área destinada para crianças pequenas de 3 a 6 anos. Por se configurar como uma pesquisa qualitativa a coleta de dados se deu por meio de entrevistas ao conceptor da exposição investigada...

Gestão democrática na educação infantil: o compartilhamento da educação da criança pequena ; Democratic management in children education: sharing the little child education

Monção, Maria Aparecida Guedes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 11/10/2013 Português
Relevância na Pesquisa
66.42%
O trabalho teve como objetivo estudar em que medida pode efetivar-se, nas instituições de educação infantil, uma gestão democrática que possibilite o compartilhamento da educação e do cuidado da criança pequena entre educadores e famílias. Além disso, buscou-se analisar a interação entre família e Centro de Educação Infantil (CEI), com vistas a identificar a especificidade da administração educacional nesse segmento. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, realizada por meio de um estudo de caso de cunho etnográfico. A pesquisa empírica ocorreu em um CEI da rede municipal de São Paulo, instituição pública que atende crianças de 0 a 4 anos. Os procedimentos técnicos para a efetivação do estudo empírico conjugaram a observação participante, a entrevista semiestruturada e a análise documental. Foram entrevistadas professoras, equipe de gestão, equipe de apoio, famílias e supervisora de ensino. A coleta e a organização dos dados pautaram-se em três eixos analíticos: 1) a relação entre professoras e crianças; 2) a relação entre professoras e equipe de gestão; e 3) a relação entre educadores e famílias. Constatou-se, no âmbito do CEI pesquisado, um contexto educacional complexo, envolto em práticas autoritárias e pouco atentas às crianças e a suas necessidades. As tensões nas relações entre professoras e crianças...

Aspectos psicologicos do adoecer da criança na creche

Lamarca, Isabel Cristina Silva Arruda
Tipo: dissertation
Português
Relevância na Pesquisa
36.12%
O desenvolvimento sócio-politico-econômico e social de nosso século, vem contribuindo enormemente à inserção da força de trabalho feminina, principalmente nas últimas três décadas. A necessidade econômica aliada ao desejo, cada vez mais manifesto, de desenvolver potenciais profissionais, vem modificando certos hábitos e costumes que, tradicionalmente, estavam enraizados em nossa cultura. O desejo de "ir a luta" tem transformado o papel da mulher dentro do contexto familiar. Cada vez mais, nos deparamos com mulheres que conseguem, mesmo que de forma incipiente, dividir seu "papel-rótulo", de dona de casa, com seu marido ou companheiro. E aí, surge a questão: com quem ficarão os filhos? As creches vem se revelando como uma boa alternativa, na medida que, em sua própria definição, ela é um local destinado a favorecer o desenvolvimento da criança pequena. A criança deve ser atendida em suas necessidadse básicas, propiciando a sua socialização, estabelecendo relações afetivas e ampliando experiências. Paralelamente, resta analisar que toda decisão implica em um processo muitas vezes doloroso. A decisão de deixar o bebê na creche, se reflete, diretamente, nos sentimentos maternos, que se tornam ambíguos. A necessidade dá as mãos a culpa...

Educação infantil : a educação e o cuidado enquanto espaços de subjetivação; Childish Education: the education and the care while subjectivation’s spaces

Flach, Flávia
Tipo: dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
36.27%
Nos últimos anos, o Brasil tem passado por transformações no que se refere ao desenvolvimento de programas de atendimento à criança pequena. Faz parte da realidade atual de nossa sociedade a entrada de crianças cada vez menores em Creches ou Escolas de Educação Infantil. Muitos são os esforços para tornar essas instituições cada vez mais estruturadas e reconhecidas como espaços fundamentais para o desenvolvimento infantil. Sabemos que os primeiros anos de vida da criança são importantes para o desenvolvimento psíquico e por esse motivo faz-se necessário pensar sobre a relação que se estabelece entre os professores e monitores e os bebês de Berçário I. Este trabalho parte da idéia de que esses profissionais ocupam um lugar na história psíquica dessas crianças. A pesquisa resgata o percurso histórico de como surgiram as primeiras Creches, como era organizado o atendimento à criança pequena, o que representam para essas instituições as modificações ocorridas nos últimos anos e o que se entende, nesse contexto, por educação e cuidado. A partir disso, esta pesquisa traz o olhar da psicanálise a respeito da constituição subjetiva repensando os termos educação e cuidado e refletindo sobre as possibilidades constitutivas das crianças no espaço das Escolas de Educação Infantil. Para tanto...

A escolha do cuidado alternativo para o bebê e a criança pequena; The choice of an alternative care for the infant

Rapoport, Andrea; Piccinini, Cesar Augusto
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
56.4%
A escolha de um cuidado alternativo para o bebê ou criança pequena geralmente não é tarefa fácil para os pais e envolve a análise de vários fatores. Isto fica mais difícil ainda quando esta escolha precisa ser feita nos primeiros meses de vida do bebê. O presente artigo tem por objetivo discutir os fatores que influenciam na escolha de um cuidado alternativo (i.e., parente, babá, creche) para o bebê e criança pequena e as vantagens e desvantagens apontadas pelos pais para as diferentes formas de cuidado. Dentre os fatores envolvidos no processo de decisão dos pais estão: a situação financeira e social da família; o apoio social recebido nos cuidados da criança; as práticas e crenças parentais sobre o cuidado das crianças; a escolaridade dos pais; a idade da criança; e o grupo étnico. Os estudos apontam que um cuidado alternativo adequado não só tranqüiliza os pais, como contribui para o desenvolvimento do bebê e para que seja mantida a qualidade da interação pais-bebê.; The choice of an alternative care for the infant is not an easy task for parents and it involves the analysis of several factors. It is even harder when this choice has to be made in the first months of the baby’s life. This article aims to discuss the factors which have influence in choosing an alternative care (i.e....

Os sentidos atribuídos à escrita por uma criança pequena com Síndrome de Down: um estudo a partir de atuação pedagógica na educação infantil

Lopes, Ingrid Anelise
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis Formato: 129 f. : il. color.
Português
Relevância na Pesquisa
46.48%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Educação - FFC; Ao observamos, em escolas de Educação Infantil, crianças pequenas com síndrome de Down sem vivenciar a linguagem escrita, buscamos e não localizamos pesquisas que respondam a dúvidas sobre os sentidos que a criança pequena com síndrome de Down pode atribuir a essa linguagem, no contexto da Educação Infantil. Por compreendermos, a partir dos estudos emanados da Teoria Histórico-Cultural, que a criança pequena precisa vivenciar a escrita como uma necessidade, para percorrer o seu processo histórico de aquisição dessa linguagem, desenvolvemos uma pesquisa com o objetivo de descrever e compreender os sentidos atribuídos à escrita por uma criança pequena com síndrome de Down, bem como caracterizar a atuação pedagógica empregada em propostas de vivências dessa linguagem. Para tanto, em Atendimento Pedagógico de Suporte, a pesquisadora buscou promover tais vivências a uma criança pequena com síndrome de Down. Esses atendimentos foram filmados, e posteriormente, transcritos, por meio dos quais foram focalizados os sentidos relacionados à significação da escrita na atuação pedagógica. Os resultados da pesquisa apontam que a criança participante da pesquisa foi capaz de atribuir sentidos à escrita a partir dos modos como a vivenciou...

Os sentimentos maternos diante da hospitalização da criança pequena: em busca de um colo

Pazian, Rafaela Tardivo
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis Formato: 158 f. il.
Português
Relevância na Pesquisa
46.12%
Pós-graduação em Psicologia - FCLAS; A hospitalização de uma criança significa um momento de sofrimento, permeado por sentimentos de medo, angústia e ansiedade. Essa experiência é acompanhada de perto pela sua família, especialmente a mãe, vista, geralmente como alguém capaz de contribuir para a recuperação da saúde da criança. Contudo, também ela é atravessada pelo sentido de sofrimento diante do adoecimento e hospitalização do filho. Em razão disso, o presente trabalho se propõe pensar os sentimentos despertados sobre a mãe acompanhante do seu filho hospitalizado, suas estratégias de enfrentamento e o significado atribuído a sua função, nesse contexto. Esta pesquisa realizou-se na Santa Casa de Misericórdia do município de Assis-SP, no período de abril a agosto de 2006. Para a coleta dos dados, utilizamos a entrevista semi-dirigida a dez mães acompanhantes de suas crianças de até dois anos de idade e a observação na enfermaria infantil, tendo os referenciais psicanalíticos como guias para a sua efetivação. Assim, as análises estiveram guiadas pelos conceitos psicanalíticos de associação livre, transferência, contratransferência e interpretação, permitindo-nos compreender os conteúdos manifesto e latente das linguagens verbais e não-verbais de cada mãe...

A concepção de criança para o enfoque histórico-cultural

Souza, Maria Cecília Braz Ribeiro de
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 154 f.
Português
Relevância na Pesquisa
36.24%
Pós-graduação em Educação - FFC; Esta pesquisa teórico/bibliográfica busca identificar a concepção de criança no Enfoque Histórico-Cultural. Para dimensionar o significado dessa concepção, buscou-se inicialmente identificar as políticas e os programas educacionais voltados para a criança no Brasil desde o final do século XIX, com a educação dirigida para as crianças das classes economicamente menos favorecidas. Essa educação esteve apoiada em concepções marcadas pela assistência e o protecionismo. A imposição, o autoritarismo e uma educação da subordinação também marcaram as primeiras iniciativas de instituições dedicadas à criança no Brasil, neste período. Durante o século XX até o presente, políticas educacionais continuaram a preconizar uma concepção assistencialista. Na primeira parte desta tese, buscamos identificar, de um modo geral, essas práticas e políticas educativas orientadas para a criança pequena no Brasil com o objetivo de identificar a concepção de criança que as subsidia. Num segundo momento, buscamos os princípios que revelam a concepção de criança presente no Enfoque Histórico-Cultural uma vez que este compreende o ser humano como um ser histórico e cultural que apreende sua humanidade por meio de sua atividade no mundo...

Politicas de atendimentos a criança pequena em MS 1983/1990

Anamaria Santana da Silva
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em /10/1997 Português
Relevância na Pesquisa
46.21%
O presente trabalho analisa as políticas de atendimento à criança de o a 6 anos de idade nas áreas de educação e assistência implementadas pelo governo do estado de Mato Grosso do Sul. A questão central é relacionar o processo de redemocratização pelo qual passava a sociedade brasileira nos anos 80, com o processo de elaboração e implementação de políticas sociais e avaliar em que medida as duas questões estão relacionadas. Com as eleições de 1982, em MS assume o executivo estadual, um governador eleito pelo PMDS, partido de oposição ao governo central, cuja plataforma de governo prometia uma política social que contribuísse para uma melhor distribuição de renda e garantiria o processo de participação da sociedade civil na elaboração e gestão dos projetos sociais. Para entender esse processo, analiso a conjuntura política estadual, a composição das secretarias estaduais responsáveis pela política de educação e assistência e os projetos voltados ao atendimento da criança pequena desenvolvidos no período - o PROAPE, o PROEPRE, as Creches Casulo, as Creches Domiciliares e as Creches Comunitárias

O Direito da criança à educação infantil

Souza, Vanessa Teixeira de
Fonte: Florianópolis Publicador: Florianópolis
Tipo: tcc (graduação) Formato: 71 f.| tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
36.21%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio Econômico, Curso de Serviço Social.; Este Trabalho de Conclusão de Curso aborda como tema central "O direito da criança pequena à educação infantil". Trata-se de um estudo sobre a as políticas de educação específicas às crianças de zero a seis anos. Tem por objetivo constituir-se como um instrumento de apropriação acerca da política pública de educação, especificamente da educação infantil. O desejo de aprofundar esta temática foi fomentado a partir da prática de estágio curricular em uma instituição Não Governamental, no município de São José, que possuía programa de Centro de Educação Infantil, no qual se constatou a importância e a possibilidade de intervenção do Serviço Social nesta área. Deste modo, buscou-se uma aproximação com a política de educação para a criança pequena, a fim melhor avaliar os espaços e desafios profissionais do Assistente Social que se proponha atuar nesta área, contribuindo desta forma para o debate acerca da inserção do Assistente Social nas Políticas Públicas de Educação. O processo investigativo consistiu numa pesquisa bibliográfica exploratória na área da educação, articulada ao conhecimento acumulado durante a graduação de Serviço Social. O desenvolvimento deste estudo possibilitou a realização de um breve resgate histórico das políticas de educação voltada à infância...

Escala de avaliação da reação de retração no bebê: Um estudo de validade

Assumpção Jr.,Francisco Baptista; Kuczynski,Evelyn; Rego,Márcia Gabriel da Silva; Rocca,Cristiana Castanho de Almeida
Fonte: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO Publicador: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2002 Português
Relevância na Pesquisa
46.27%
Avaliar a retração da criança pequena, a partir de um instrumento padronizado, deve levar em conta o contexto psicopatológico e o momento de desenvolvimento da criança. Apresentamos a validação do questionário BADS, a partir de sua aplicação em 90 crianças, com idade entre 0 e 2 anos, obtendo concordância entre os dois avaliadores, representada por Kappa de 0,71 para p

A mulher, a criança e seus direitos

Campos,Maria Malta
Fonte: Fundação Carlos Chagas Publicador: Fundação Carlos Chagas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/1999 Português
Relevância na Pesquisa
46.12%
O artigo examina as concepções sobre os direitos da criança pequena à educação na legislação brasileira mais recente, à luz da evolução das definições mais gerais sobre os direitos humanos, da criança e da mulher, e das demandas trazidas pelas mobilizações de vários setores da sociedade. Discute também as contradições e obstáculos que surgem na aplicação das novas definições legais à realidade brasileira.

Benefícios da amamentação para a saúde da mulher e da criança: um ensaio sobre as evidências

Toma,Tereza Setsuko; Rea,Marina Ferreira
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 Português
Relevância na Pesquisa
46.16%
Este ensaio reúne uma seleção de estudos, particularmente revisões sistemáticas que têm contribuído para aumentar a compreensão sobre os benefícios do aleitamento materno para a criança e para a mulher e sua implementação. Realizou-se uma busca de artigos publicados a partir do ano 2000, sem, no entanto, deixar de lado estudos relevantes para o avanço do conhecimento publicados décadas atrás. Para a seleção dos estudos efetuou-se uma busca na Internet com base nas ferramentas disponíveis no PubMed e SciELO. Além dos aspectos para os quais há consenso, procurou-se incluir estudos sobre resultados controversos e outros que são instigantes, como os provenientes da neurobiologia. Verificam-se mudanças substanciais nas recomendações para políticas públicas em decorrência desses novos conhecimentos. Algumas investigações também têm sido realizadas com o objetivo de avaliar quais intervenções seriam mais efetivas para um aumento das práticas de amamentação. Procurou-se neste artigo dar destaque a: recomendações atuais sobre alimentação da criança pequena; importância da amamentação no início da vida; implicações do aleitamento materno para a saúde da criança; implicações do aleitamento materno para a saúde da mulher; e efetividade de algumas ações pró-amamentação.

Causas de insônia nos primeiros anos de vida e repercussão nas mães: atualização

Tenenbojm,Eduardina; Rossini,Sueli; Estivill,Eduard; Segarra,Francisco; Reimão,Rubens
Fonte: Sociedade de Pediatria de São Paulo Publicador: Sociedade de Pediatria de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 Português
Relevância na Pesquisa
36.21%
OBJETIVO: Revisar a literatura sobre insônia de crianças pequenas e seus aspectos relacionados às repercussões familiares, à abordagem pediátrica e ao seu tratamento. FONTES DE DADOS: Levantamento de publicações indexadas no Medline e Lilacs entre os anos de 1998 e 2008, rastreadas com a combinação dos descritores: "sleep", "insomnia", "child", "depression", "mother-child relationship", além de teses e capítulos de livros pertinentes ao assunto. SÍNTESE DOS DADOS: A insônia da criança pequena, definida como dificuldade repetida em iniciar e/ou manter o sono, é queixa frequente na clínica pediátrica e usualmente traz repercussões nos pais relativas à privação de sono. Aos dois a três meses de idade, há condições biológicas para consolidação das horas de sono à noite; estando a conduta parental associada às dificuldades neste processo. Estudos demonstram que há associação entre insônia do bebê e depressão nas mães, e a insônia pode ser manifestação de dificuldades no desenvolvimento psíquico da criança pequena, que acontece na relação com sua mãe. CONCLUSÕES: O ritmo de sono nos bebês pode e deve estabelecer-se precocemente; os hábitos para o sono devem basear-se nas medidas de higiene do sono. A depressão nas mães...

A escolha do cuidado alternativo para o bebê e a criança pequena

Rapoport,Andrea; Piccinini,Cesar A.
Fonte: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte Publicador: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 Português
Relevância na Pesquisa
46.38%
A escolha de um cuidado alternativo para o bebê ou criança pequena geralmente não é tarefa fácil para os pais e envolve a análise de vários fatores. Isto fica mais difícil ainda quando esta escolha precisa ser feita nos primeiros meses de vida do bebê. O presente artigo tem por objetivo discutir os fatores que influenciam na escolha de um cuidado alternativo (i.e., parente, babá, creche) para o bebê e criança pequena e as vantagens e desvantagens apontadas pelos pais para as diferentes formas de cuidado. Dentre os fatores envolvidos no processo de decisão dos pais estão: a situação financeira e social da família; o apoio social recebido nos cuidados da criança; as práticas e crenças parentais sobre o cuidado das crianças; a escolaridade dos pais; a idade da criança; e o grupo étnico. Os estudos apontam que um cuidado alternativo adequado não só tranqüiliza os pais, como contribui para o desenvolvimento do bebê e para que seja mantida a qualidade da interação pais-bebê.

Charles Darwin: um observador do desenvolvimento humano

Celeri,Eloisa Helena Rubello Valler; Jacintho,Antonio Carvalho de Ávila; Dalgalarrondo,Paulo
Fonte: Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental Publicador: Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 Português
Relevância na Pesquisa
46.13%
Os autores traduzem, pela primeira vez para o português, o artigo de Charles Darwin "A Biographical Sketch of an Infant", publicado no periódico Mind em julho de 1877. Utilizando anotações de observações do desenvolvimento de seus filhos, especialmente de seu filho mais velho William Erasmus (Doddy), Darwin descreve e estuda, a partir de seu enfoque naturalista, o filhote humano, narrando os primeiros indicativos comportamentais de emoções tais como raiva e medo, curiosidade e senso moral, o brincar e o prazer envolvido nesta atividade, a capacidade de imitação e os primeiros indícios daquilo que hoje conhecemos como "teoria da mente". Colocando-se questões sobre as capacidades do bebê, como eles aprendem e como se comunicam e levantando hipóteses sobre possíveis significados de certos comportamentos, questões ainda hoje fundamentais para o estudo do desenvolvimento humano, Darwin mostra-se também um pioneiro no estudo do bebê e da criança pequena, numa época na qual as capacidades dos bebês eram extremamente subestimadas e desconsideradas.

A criança em interação social no berçário da creche e suas interfaces com a organização do ambiente pedagógico.

Karla Gomes Ramos, Tacyana; Isabel Patricio de Carvalho Pedrosa, Maria (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: other
Português
Relevância na Pesquisa
46.27%
O presente trabalho apoia-se em um referencial sociointeracionista e dialoga com autores que norteiam a discussão sobre os recursos sociocomunicativos das crianças para significar experiências, compartilhar e transformar conhecimentos. O ambiente pedagógico do berçário na creche é aqui entendido como um contexto de construções sociais e um rico meio de a criança se desenvolver através de suas vivências, explorações, oportunidades de interações, no uso ativo de recursos que ela emprega para se comunicar, agir e significar (CAMPOS-DE-CARVALHO e colaboradoras, 2004; ROSSETTI-FERREIRA, AMORIM, SILVA, CARVALHO, 2004; WALLON, 1986; ZABALZA, 1987). Procura-se examinar a interação de criança criança e criança adultos profissionais nas práticas cotidianas do berçário e suas implicações na organização do ambiente pedagógico favorável às aquisições socioafetivas e cognitivas da criança. Participaram da pesquisa duas professoras, seis Auxiliares de Desenvolvimento Infantil (ADIs) e 31 crianças de dois Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) da cidade do Recife, de ambos os sexos, com idades entre oito meses e um ano e sete meses, pertencentes ao agrupamento etário denominado de berçário. As crianças foram observadas nas suas próprias salas de convivência...