Página 1 dos resultados de 279 itens digitais encontrados em 0.014 segundos

Enunciado asseverativo e contingência em Aristóteles: A batalha naval amanhã em De Interpretatione 9; Asseverative ciscourse and contingency in Aristotle: The sea battle tomorrow in De Interpretatione 9

Ferreira, Paulo Fernando Tadeu
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 11/03/2009 Português
Relevância na Pesquisa
27.29%
Julgo que a recusa do determinismo causal em Metaphysica E3/K8 mediante a tese de que nem todo evento se deve a causas necessitantes de seus efeitos acarreta (mediante a concepção em Categoriae 5 segundo a qual a proposição é verdadeira ou falsa conforme em um tempo se dê ou não se dê a correspondência entre a proposição e um estado de coisas situado nesse mesmo tempo) a recusa do determinismo lógico em De Interpretatione 9 mediante a tese de que proposições a respeito de eventos futuros contingentes não são nem verdadeiras nem falsas ex ante facto e, por conseguinte, nem toda proposição é em qualquer tempo verdadeira ou falsa. Julgo, ademais, que o comprometimento com a tese de que nem todo evento se deve a causas necessitantes de seus efeitos decorre de o filósofo comprometerse com a noção de deliberação. Acompanha o presente trabalho a tradução comentada de De Interpretatione 9.; Aristotles refusal of causal determinism in Metaphysics E3/K8 by means of the thesis that not every event is necessitated entails (given the conception put forward in Categories 5 that a proposition is either true or false according to its either corresponding or not corresponding at a given time to a state of affairs at that same given time) his refusal of logical determinism in De Interpretatione 9 by means of the thesis that propositions about future contingent events are neither true nor false ex ante facto but become either true or false afterwards. Aristotles commitment to non-necessitated events stems...

A idéia do determinismo infantil entre estudantes de psicologia: proposta de uma escala de avaliação; The idea about infant determinism among psychology student : proposal of rating scale

Pereira, Cyntia de Almeida Leonel Ferreira Mendes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/04/2010 Português
Relevância na Pesquisa
37.67%
Este trabalho pretende avaliar, em caráter exploratório, em que medida os alunos dos primeiros e últimos anos de Psicologia de diferentes instituições de ensino tendem a aceitar ou, inversamente, rejeitar a idéia do determinismo infantil. Para tal avaliação, foi proposta uma escala do tipo Likert, denominada Escala de Determinismo Infantil - EDI, composta por quinze afirmativas, fundamentadas em diferentes concepções teóricas, frente as quais o aluno deve se posicionar, concordando ou discordando. Visando pautar as discussões e avaliações precedentes, realizou-se revisão bibliográfica, na qual são apresentados e discutidos autores e pesquisas que contribuem para a idéia do determinismo infantil e de autores e pesquisas que, contrariamente, criticam ou questionam esta mesma idéia. Além disso, acrescentou-se capítulo em que se discute se a concepção determinista em apreço corresponde a uma representação social. Buscou-se também discutir, em capítulo introdutório, o contexto sócio-histórico que marcou o estudo das primeiras experiências, favorecendo-se a crença na mencionada concepção. Após a revisão bibliográfica acima comentada, realizou-se a apresentação e discussão do método, caracterizandose os sujeitos...

Dos mitos acerca do determinismo climático/ambiental na história do pensamento geográfico e dos equívocos de sua crítica: reflexões metodológicas, teórico-epistemológicas, semântico-conceituais e filosóficas como prolegômenos ao estudo da relação sociedade-natureza pelo prisma da idéia das influências ambientais; On myths around climate/environmental determinism in geographic thought history and mistakes of its criticism: methodological reflections, theoretical-epsitemological, semantic-conceptual and philosophical introduction of the study in relation to nature-society through environmental influence view

Carvalho Júnior, Ilton Jardim de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 25/02/2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.79%
Na história do pensamento geográfico há um grande equívoco na maneira pela qual é concebida a teoria do determinismo geográfico/ambiental. Isso significa que o tema tem sido tratado sob estereotipada roupagem, empobrecendo a Geografia e difamando e subestimando inúmeros geógrafos, bem como suas obras e idéias. O primeiro grande objetivo é o de demonstrar a importância histórica, científica e filosófica da idéia das influências ambientais que subjaz ao determinismo ambiental, a inevitabilidade de sua existência enquanto hipótese básica, e a impossibilidade epistemológica de se negá-la como uma hipóteses básica da Geografia, com ênfase em alguns autores rotulados de deterministas, como Hipócrates, Montesquieu, Semple e Huntington. O segundo grande objetivo é realizar uma crítica da crítica, minando algumas generalizações e equívocos dentre tantos que historicamente têm permeado o temário geográfico, e explicar o emaranhado semântico, filosófico, conceitual e epistemológico do tema das influências ambientais sobre a esfera humana, com ênfase na falsa dualidade determinismo/possibilismo. Assim, deve ser concebida como não mais que um mero prolegômeno, essencial, todavia, ao estudo da relação homem-ambiente...

Genomas, sexualidade, seleção de parceiros, anomalias, defeitos, aborto, seleção de embriões : educando e governando vidas e sujeitos pelo determinismo biológico enunciado genes na revista ciência hoje

Arnt, Ana de Medeiros
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.29%
Discursos do campo das Ciências Biológicas têm centrado suas explicações acerca do ser humano e demais seres vivos como meros produtos dos genes. Na delimitação molecular dos fenômenos, formas e comportamentos dos seres vivos encontra-se as explicações para suas existências. Diversas instâncias integram a constituição do pensamento de que a verdade dos seres encontra-se nos seus genes, como escola, mídia, cursos de formação docente, livros didáticos, etc. Destacado papel pedagógico, nessa direção, tem sido exercido pelas as revistas de Divulgação Científica, enquanto veículos que apresentam “notícias” científicas em uma linguagem acessível. Nesta tese de doutorado, busquei analisar como enunciados vinculados ao determinismo genético posicionam o ser humano na revista Ciência Hoje, no período entre 1990 e 2010. A pesquisa, fundamenta-se na análise de enunciados, na conexão com os estudos de Michel Foucault, usando como ferramentas analíticas os conceitos de enunciado, enunciação e governamentalidade, para pensar a mídia, neste caso a Ciência Hoje, como uma pedagogia que participa da constituição de sujeitos e do governo dos corpos e da população. Na análise das revistas destaquei quatro enunciados: Prole saudável e seleção sexual: expressão de nosso genoma; Anômalos e defeituosos: os corpos que não se quer...

Determinismo ambiental e estocasticidade em uma comunidade do sobosque da Floresta Atlantica; Environmental determinism and stochasticity in an undertory community of the Atlantic Forest

Bruno Almozara Aranha
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 22/02/2008 Português
Relevância na Pesquisa
27.67%
Processos determinísticos e estocásticos são importantes na organização da composição da comunidade, e há a hipótese de que o determinismo ambiental aumenta quanto mais extremo for o ambiente. Nosso objetivo foi testar essa hipótese em uma comunidade do estrato herbáceo-arbustivo de um trecho da Floresta Ombrófila Densa Submontana, em Ubatuba, São Paulo, Brasil. Amostramos plantas a partir de 30 cm de altura até 15 cm de perímetro do tronco à altura do peito em 25 parcelas de 3 x 3 m instaladas em locais côncavos e 25 instaladas em locais convexos. Medimos variáveis do microrrelevo (elevação, declividade e índice de convexidade) e da luminosidade (abertura do dossel). Classificamos as espécies em dois componentes: residentes (completam o ciclo vital no estrato herbáceo-arbustivo) e transientes (jovens de espécies dos estratos superiores). Por meio de testes de Mantel simples e parcial e regressão parcial múltipla confrontamos as matrizes de distância desses componentes e da comunidade total com matrizes de distância das variáveis do microrrelevo, da luminosidade e do espaço (distância geográfica). Também construímos curvas de riqueza para cada componente e para a comunidade completa em diferentes situações ambientais. Para testar se o determinismo ambiental aumenta quando aumenta a severidade do ambiente...

O problema do livre-arbítrio e do determinismo

Merlussi, Pedro
Tipo: dissertação (mestrado)
Português
Relevância na Pesquisa
37.74%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Hmanas, Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Florianópolis, 2013.; Nesta dissertação discuto alguns poucos problemas relacionados ao livre-arbítrio. Entretanto, o problema principal com o qual lido é o problema da compatibilidade entre o determinismo e o livre-arbítrio, o qual chamarei de "o problema do livre-arbítrio e do determinismo". Ele pode ser formulado intuitivamente da seguinte maneira: será que a verdade do determinismo exclui a existência do livre-arbítrio? O incompatibilista pensa que, se o determinismo for verdadeiro, também será verdadeiro que não há livre-arbítrio. Acredito que o incompatibilista está certo, de modo que avanço um argumento a favor do incompatibilismo, o Argumento da Consequência. Este é o principal argumento a favor do incompatibilismo, mas ele enfrenta objeções importantes. Assim, esta dissertação tem três partes. Na primeira parte, discuto alguns problemas relacionados ao livre-arbítrio, tal como ofereço uma formulação do problema do livre-arbítrio e do determinismo. Depois disso, na segunda parte, formulo o Argumento da Consequência. Finalmente, na terceira parte, lido com suas principais objeções.; Abstract : In this dissertation I discuss several problems related to free will. However...

Genética humana em manuais escolares de 14 países : análise do determinismo genético e de anomalias genéticas

Silva, Carla; Ferreira, Cláudia; Carvalho, Graça Simões de
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: info:eu-repo/semantics/conferenceobject
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.29%
O presente estudo enquadra-se num projecto internacional mais vasto (Projecto Europeu FP6 STREP Biohead-Citizen; CIT2-CT2004-506015) em que um dos tópicos abordados é a “Genética Humana” nos manuais escolares dos países envolvidos neste projecto. O objectivo do presente trabalho é analisar, nas faixas etárias dos 14 aos 18 anos, se as temáticas “Determinismo genético” e “Anomalias genéticas” estão presentes ou não nos manuais escolares dos 14 países, e estando, de que modo são abordados. Assim, para o primeiro tópico analisamos a frequência dos termos “Programa genético” e “Informação genética” e no segundo tópico comparamos as referências nos manuais às “anomalias estritamente genéticas” e às “anomalias não estritamente genéticas”. Os resultados são apresentados e discutidos.; European Project FP6 “Biohead-Citizen” CIT2-CT-2004-506015; Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) - LIBEC/CIFPEC - unidade de investigação 16/644; Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) - Projecto “Análise de manuais escolares” (PTDC/CED/65224/2006)

Doenças genéticas e determinismo genético em manuais escolares : comparação entre Portugal e França

Silva, Carla; Ferreira, Cláudia; Carvalho, Graça Simões de
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: info:eu-repo/semantics/conferenceobject
Publicado em /05/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.47%
Os avanços no conhecimento do genoma humano fazem surgir uma esperança para a detecção, prevenção e tratamento de numerosas enfermidades, que até aos dias de hoje não tinham solução possível (Oliveira e Hammerschmidt, 2008). A abordagem das doenças genéticas nos manuais é um aspecto fulcral na análise das concepções ensinadas no tópico da Genética Humana. A ideia de “programa genético” subjacente às anomalias genéticas acarreta a noção de que as características físicas e psicológicas dos indivíduos são estabelecidas exclusivamente pelos seus genes. Esta visão reducionista tem vindo a ser substituída pela perspectiva de que há factores metabólicos e ambientais que influenciam a expressão do potencial genético (Penchaszadeh, 2002). No presente estudo analisámos as doenças genéticas, e o processo pelo qual as mesmas são explicadas (herança monogénica ou poligénica, anomalia cromossómica e influência ambiental) em manuais Portugueses e Franceses, nas faixas etárias dos 14 aos 18 anos. Para tal, usaram-se as grelhas de análise concebidas no âmbito do Projecto Europeu FP6 STREP Biohead-Citizen (CIT2-CT2004-506015) para o tema “Genética Humana”. Foram analisados 18 manuais Franceses e 13 manuais Portugueses...

Que relevância é dada à influência do ambiente na expressão das doenças genéticas multifactoriais nos manuais escolares portugueses e franceses?

Silva, Carla; Ferreira, Cláudia; Carvalho, Graça Simões de
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: info:eu-repo/semantics/conferenceobject
Publicado em /12/2010 Português
Relevância na Pesquisa
27.29%
O ensino da genética tem vindo a ser centrado no paradigma do determinismo genético, em que grande ênfase é dada à função do genótipo sobre a produção das características fenotípicas. No presente estudo comparamos a abordagem da Genética Humana nos manuais do ensino básico e secundário de Portugal e de França (nas faixas etárias entre os 14-15 anos e os 17-18 anos) no que diz respeito ao tipo de doenças genéticas aí citadas, enquadrando-as em três categorias – doenças génicas, doenças cromossómicas e doenças genéticas multifactoriais – e analisando ainda até que ponto a influência do ambiente é referida explicitamente para a expressão fenotípica das doenças genéticas multifactoriais. Os manuais portugueses dão mais ênfase às doenças génicas (hemofilia, daltonismo), enquanto que os manuais franceses referem mais frequentemente doenças genéticas multifactoriais (diabetes). Para além disso, ao longo de todas as faixas etárias, nos manuais franceses são explicitadas referências ao efeito do ambiente no surgimento / desenvolvimento das doenças, enquanto que nos manuais portugueses, esses exemplos aparecem apenas no 11º e 12º anos. Um aspecto importante a reter nos manuais portugueses é o facto de os de Psicologia (40% de ocorrências) do 12º ano darem muito mais ênfase do que os manuais de Biologia (5%) à influência do ambiente no surgimento/desenvolvimento de doenças genéticas multifactoriais...

Doenças genéticas e determinismo genético em manuais escolares : comparação entre Portugal e França

Silva, Carla; Ferreira, Cláudia; Carvalho, Graça Simões de
Fonte: Associação para a Investigação e Desenvolvimento Socio-Cultural (AGIR) Publicador: Associação para a Investigação e Desenvolvimento Socio-Cultural (AGIR)
Tipo: info:eu-repo/semantics/conferenceobject
Publicado em /05/2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.47%
O ensino da genética tem vindo a ser centrado no paradigma do determinismo genético, em que grande ênfase é dada à função do genótipo sobre a produção das características fenotípicas. No presente estudo comparamos a abordagem da Genética Humana nos manuais do ensino básico e secundário de Portugal e de França (nas faixas etárias entre os 14-15 anos e os 17-18 anos) no que diz respeito ao tipo de doenças genéticas aí citadas, enquadrando-as em três categorias – doenças génicas, doenças cromossómicas e doenças genéticas multifactoriais – e analisando ainda até que ponto a influência do ambiente é referida explicitamente para a expressão fenotípica das doenças genéticas multifactoriais. Os manuais portugueses dão mais ênfase às doenças génicas (hemofilia, daltonismo), enquanto que os manuais franceses referem mais frequentemente doenças genéticas multifactoriais (diabetes). Para além disso, ao longo de todas as faixas etárias, nos manuais franceses são explicitadas referências ao efeito do ambiente no surgimento/desenvolvimento das doenças, enquanto que nos manuais portugueses, esses exemplos aparecem apenas no 11º e 12º anos. Um aspecto importante a reter nos manuais portugueses é o facto de os de Psicologia (40% de ocorrências) do 12º ano darem muito mais ênfase do que os manuais de Biologia (5%) à influência do ambiente no surgimento/desenvolvimento de doenças genéticas multifactoriais...

Ética, natureza e cultura: entre o determinismo e a liberdade?

Pedro, A.
Fonte: Universidade de Évora. Colégio do Espírito Santo. Publicador: Universidade de Évora. Colégio do Espírito Santo.
Tipo: conferenceobject
Português
Relevância na Pesquisa
27.29%
Será a natureza normativa? Será a ética natural? Estará o nosso comportamento inscrito nos genes? Haverá genes éticos? Qual a amplitude de liberdade que a biologia nos dá? O que comandará as decisões morais, as emoções ou a razão? Existirá uma biogénese no que toca aos humanos? Tal significará que a função ética também é uma função adaptativa? Quais as verdadeiras implicações de tudo isto, por exemplo, no que diz respeito à conduta moral; esta será determinada pela nossa escolha e decisão livres ou é fruto de uma resposta utilitária face às exigências de sobrevivência? Estas são algumas das questões principais que guiarão o nosso trabalho no confronto, discussão e análise entre o paradigma habitual de pensamento sobre o comportamento social e moral e as consequências da tese naturalista e evolucionista dos fundamentos naturais da ética quanto às motivações que radicam nos nossos juízos morais e quanto ao carácter determinista ou de livre arbítrio da actuação moral. Tal como J.-P. CHANGEUX nos chama a atenção, trata-se, em última análise, de perceber onde radica o problema, o qual, do ponto de vista filosófico, passa por definir o que é uma norma ética e qual o seu fundamento; i.é...

Bergson leitor de lucrécio: as implicações existenciais do determinismo

Coelho,Jonas Gonçalves
Fonte: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia Publicador: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2003 Português
Relevância na Pesquisa
37.47%
Tomamos como objeto de análise a obra precoce de Bergson, os Extraits de Lucrèce, procurando mostrar que ao privilegiar as implicações existenciais negativas do determinismo, prefigura e justifica o fato de dedicar grande parte de seu pensamento filosófico posterior à crítica ao determinismo e à defesa da liberdade.

Causalidade, (in)determinismo e (im)previsibilidade: por que o conceito de causa é tão importante?

Bastos Filho,Jenner Barretto
Fonte: Sociedade Brasileira de Física Publicador: Sociedade Brasileira de Física
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.47%
Causalidade, determinismo e previsibilidade, bem como seus respectivos antitéticos não-causalidade, indeterminismo e imprevisibilidade constituem-se em conceitos bastante referidos tanto no âmbito dos cientistas e filósofos quanto no âmbito de outras comunidades. Nem sempre é fácil distinguir causalidade de determinismo e muitas vezes se reduz essas categorias conceituais à capacidade de prever. Argumentamos que várias dessas formulações são insuficientes e inadequadas e, não raro, claramente insustentáveis. Argumentamos também que o conceito de causa é o mais importante dentre eles.

Determinismo biológico e as neurociências no caso do transtorno de déficit de atenção com hiperatividade

Brzozowski,Fabiola Stolf; Caponi,Sandra
Fonte: IMS-UERJ Publicador: IMS-UERJ
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.59%
Nosso objetivo é refletir de que forma as neurociências podem ser fortemente reducionistas quando tentam explicar comportamentos somente com base em processos cerebrais, e usamos como exemplo o caso do transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH). O reducionismo ao qual nos referimos, também chamado determinismo biológico ou neurogenético, na questão das neurociências, é o epistemológico, ou seja, aquele que tenta explicar um problema complexo apenas por algumas de suas partes, desconsiderando outros fatores, tais como sociais e culturais. Como o TDAH atualmente é descrito essencialmente como uma doença cerebral, aplicamos um modelo de sequência redutora defeituosa para o determinismo neurogenético proposto por Steven Rose, que inclui: objetivação, aglomeração arbitrária, quantificação improcedente, crença na normalidade estatística, localização ilegítima, causalidade fora de lugar, classificação dicotômica de causas genéticas e ambientais e a confusão de metáfora com homologia. A vida é um fenômeno complexo e está relacionada com aspectos biológicos e sociais. Dessa forma, explicações sobre ela são adequadas somente quando levam em conta esses dois aspectos. Sugerimos, dessa forma...

Estrutura e sujeito, determinismo e protagonismo histórico: uma reflexão sobre a práxis da saúde coletiva

Minayo,Maria Cecília de Souza
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2001 Português
Relevância na Pesquisa
37.29%
Neste artigo procuro problematizar alguns conceitos (estrutura, sujeito, determinismo e mudanças) no campo das ciências sociais, entendendo-os como fundamentais aos estudos da saúde coletiva. O objetivo central é tratar da subjetividade e do sujeito, porém, para fazê-lo, recorro aos contextos históricos e aos campos teóricos nos quais tais questões são tratadas, sempre em pares de oposição, ou em alguns casos mais atuais, busco a sua integração em um universo de complexidade: pois assim se apresenta a realidade social e, por conseqüência, a realidade da saúde, parte significativamente responsável por indagações e avanços no mundo da ciência e no mundo da vida.

A síndrome de Down e sua patogênese: considerações sobre o determinismo genético

Moreira,Lília MA; El-Hani,Charbel N; Gusmão,Fábio AF
Fonte: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP Publicador: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2000 Português
Relevância na Pesquisa
37.29%
O trabalho apresenta uma análise de fatores causais da síndrome de Down e sua patogênese. Faz também uma revisão da história natural dessa síndrome e dos efeitos da trissomia da banda cromossômica 21q22, considerada crítica para o distúrbio. Embora esse desequilíbrio cromossômico esteja necessariamente presente na síndrome de Down, a relevância do determinismo genético é questionada a partir da observação da possibilidade de desenvolvimento do potencial cognitivo em sujeitos afetados pela síndrome, após a aplicação de programas de estimulação neuromotora e psicopedagógicos.

A noção de determinismo na física e seus limites

Paty,Michel
Fonte: Universidade de São Paulo, Departamento de Filosofia Publicador: Universidade de São Paulo, Departamento de Filosofia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 Português
Relevância na Pesquisa
37.59%
A idéia de determinismo, proposta para estender e generalizar a causalidade física pelo acréscimo em particular da consideração das condições iniciais, constituiu-se desde então na referência ideal de todo conhecimento científico e foi considerada como insuperável. Todavia, esse ideal ver-se-á superado em várias direções: pelas modificações subseqüentes à causalidade relativística; pelos sistemas dinâmicos "não-lineares" deterministas, cujo comportamento pode no final ser totalmente não-previsível; pelos problemas levantados pela física quântica ("redução" da função de estado e predições probabilistas). Os dois últimos casos tornam evidentes os limites das noções de causalidade e de determinismo, mostrando que o conhecimento atual pode superá-las em muito, além de sugerirem interrogações a respeito do sentido realmente físico das grandezas utilizadas na teoria. Quando consideramos as grandezas mais significativas do ponto de vista das características dos fenômenos físicos, a causalidade se apresenta diferente e o determinismo se mostra antropologicamente centrado e ineficiente. Deixam, desse modo, lugar à consideração dessa outra categoria mais significativa, a saber, a de necessidade, que independe de nossas escolhas conceituais e teóricas e tem...

Causalidade, (in)determinismo e (im)previsibilidade: por que o conceito de causa é tão importante?

Bastos Filho,Jenner Barretto
Fonte: Sociedade Brasileira de Física Publicador: Sociedade Brasileira de Física
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.47%
Causalidade, determinismo e previsibilidade, bem como seus respectivos antitéticos não-causalidade, indeterminismo e imprevisibilidade constituem-se em conceitos bastante referidos tanto no âmbito dos cientistas e filósofos quanto no âmbito de outras comunidades. Nem sempre é fácil distinguir causalidade de determinismo e muitas vezes se reduz essas categorias conceituais à capacidade de prever. Argumentamos que várias dessas formulações são insuficientes e inadequadas e, não raro, claramente insustentáveis. Argumentamos também que o conceito de causa é o mais importante dentre eles.

Causalidade, (in)determinismo e (im)previsibilidade: por que o conceito de causa é tão importante?

Bastos Filho,Jenner Barretto
Fonte: Sociedade Brasileira de Física Publicador: Sociedade Brasileira de Física
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.47%
Causalidade, determinismo e previsibilidade, bem como seus respectivos antitéticos não-causalidade, indeterminismo e imprevisibilidade constituem-se em conceitos bastante referidos tanto no âmbito dos cientistas e filósofos quanto no âmbito de outras comunidades. Nem sempre é fácil distinguir causalidade de determinismo e muitas vezes se reduz essas categorias conceituais à capacidade de prever. Argumentamos que várias dessas formulações são insuficientes e inadequadas e, não raro, claramente insustentáveis. Argumentamos também que o conceito de causa é o mais importante dentre eles.

Determinação, história e materialidade

Fontes,Virgínia
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio Publicador: Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2009 Português
Relevância na Pesquisa
27.29%
O ensaio critica algumas modalidades de determinismo atualmente dominantes, fugindo do pensamento aleatório ou pós-moderno. Procuramos contribuir para a explicação objetiva, porém sensível, do mundo, de modo a manter aberta a intervenção efetiva e consciente no processo histórico. O argumento apresenta a contraposição paradoxal e dolorosa entre determinismo econômico e uma liberdade amputada que o acompanha e, em seguida, mostra como a reflexão marxiana permite superar os impasses nos quais recaíram tanto os deterministas naturalistas quanto os antideterministas pós-modernos. Essa superação exige a demonstração da historicidade constitutiva do processo de trabalho, tanto no seu viés ontológico (Lukacs) quanto no viés histórico (Marx), apontando para a materialidade efetiva das relações sociais como forma de distribuição dos seres singulares no conjunto das atividades da produção de sua existência social. Concluímos mostrando como a determinação, em Marx, não é redutora e, portanto, não repousa sobre um econômico entificado.