Página 1 dos resultados de 48 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

Caracterização psicológica dos pacientes com obesidade severa, antes e depois da cirurgia bariatárica; Psychological characterisation of severely obese patients: pre- and post-bariatric surgery

Ferreira, André; Santos, Osvaldo; Raimundo, Graça; Pegacho, Margarida; Manuel, Carvalho
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
17.35%
Apesar de a prevalência de psicopatologia entre candidatos de cirurgia bariátrica ser superior à da população não obesa, sabe-se pouco sobre o impacto da cirurgia em termos psicopatológicos. O principal objectivo deste estudo foi caracterizar a evolução de morbilidade psicopatológica em doentes submetidos a cirurgia bariátrica. Estudo observacional longitudinal. Foram incluídos todos os doentes submetidos a cirurgia bariátrica entre Março 2008 e Junho 2010 num hospital geral da região sul de Portugal. A avaliação psicológica foi feita através de entrevista clínica estruturada, com aplicação do MCMI-III (mesmo protocolo antes e 12 meses após a cirurgia). Participaram 20 doentes (19 mulheres). Os síndromes de eixo 1 do DSM-IV mais prevalentes antes da cirurgia foram: ansiedade (40%), distimia (20%), perturbação somatoforme e perturbação delirante (15% cada). Depois da cirurgia, os mais prevalentes foram: ansiedade (40%), perturbação bipolar, distimia, e perturbação delirante (15% cada). A perturbação da personalidade mais prevalente (pré-cirurgia) foi a compulsiva (15%). Depois da cirurgia, foram: histriónica, compulsiva, e paranóide (10% cada). Em conclusão, a cirurgia bariátrica parece não ser eficaz...

The influence of the comorbidity between depression and alcohol use disorder on suicidal behaviors in the São Paulo Epidemiologic Catchment Area Study, Brazil; Influência da comorbidade entre depressão e transtornos por uso de álcool nos comportamentos suicidas no Estudo de Área de Captação de São Paulo, Brasil

COÊLHO, Bruno Mendonça; ANDRADE, Laura Helena; GUARNIERO, Francisco Bevilacqua; WANG, Yuan-Pang
Fonte: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP Publicador: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
18.21%
OBJECTIVE: To investigate in a community sample the association of suicide-related cognitions and behaviors ("thoughts of death", "desire for death", "suicidal thoughts", and "suicidal attempts") with the comorbidity of depressive disorders (major depressive episode or dysthymia) and alcohol or substance use disorders. METHOD: The sample was 1464 subjects interviewed in their homes using the Composite International Diagnostic Interview to generate DSM-III-R diagnosis. Descriptive statistics depicted the prevalence of suicide-related cognitions and behaviors by socio-demographic variables and diagnoses considered (major depressive episode, dysthymia, alcohol or substance use disorders). We performed a multivariate logistic regression analysis to estimate the effect of comorbid major depressive episode/dysthymia and alcohol or substance use disorders on each of the suicide-related cognitions and behaviors. RESULTS: The presence of major depressive episode and dysthymia was significantly associated with suicide-related cognitions and behaviors. In the regression models, suicide-related cognitions and behaviors were predicted by major depressive episode (OR = range 2.3-9.2) and dysthymia (OR = range 5.1-32.6), even in the presence of alcohol use disorders (OR = range 2.3-4.0) or alcohol or substance use disorders (OR = range 2.7-2.8). The interaction effect was observed between major depressive episode and alcohol use disorders...

"Manifestações psicopatológicas não-psicóticas em uma amostra da comunidade chinesa da cidade de São Paulo"; Non-psychotic psychopathologic manifestations in a sample of the Chinese community in the city of São Paulo

Wang, Yuan Pang
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/03/2003 Português
Relevância na Pesquisa
16.71%
Introdução: Os transtornos mentais que ocorrem na comunidade e em culturas diversas são temas de grande interesse frente às constantes transformações sociais no mundo. A mudança do foco de pesquisa para os transtornos freqüentes na comunidade possibilitou aperfeiçoamentos metodológicos e desenvolvimento de instrumentos sensíveis para a sua detecção. A inclusão da variável cultural no estudo da psiquiatria, por sua vez, questiona o universalismo psicopatológico, a taxonomia ocidental e o diagnóstico de síndromes culturalmente específicas. Uma amostra desta visão psiquiátrica, ancorada na questão cultural e de transtornos da comunidade, são as pesquisas envolvendo neurastenia, um transtorno neurótico comum entre os chineses. O presente trabalho é um estudo observacional e transversal dos transtornos mentais comuns entre os indivíduos chineses da comunidade. Objetivo: Avaliar a psicopatologia não-psicótica dos chineses residentes na cidade de São Paulo, através de instrumentos padronizados. Material e Método: Os sujeitos da comunidade (n = 211), chineses e seus descendentes, preencheram um questionário de auto-avaliação e foram entrevistados por pesquisadores treinados. Os instrumentos utilizados foram: Chinese Health Questionnaire (CHQ-12)...

Transtornos mentais e déficits cognitivos: estudo transversal de uma população idosa residente na área de captação do hospital das clínicas na cidade de São Paulo; Mental disorders and cognitive impairment: a cross-sectional study of older people from the catchment area of Hospital das Clínicas de São Paulo

Santana, Claudia Martins
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 05/12/2011 Português
Relevância na Pesquisa
17.9%
O rápido envelhecimento populacional faz com que a saúde mental da população geriátrica venha tomando uma importância cada vez maior na saúde pública. Os objetivos deste estudo foram:(1) investigar a prevalência de transtornos mentais ao longo da vida, analisando possíveis fatores sócio-demográficos associados (2) pesquisar a possível relação entre prevalência de transtorno mental ao longo da vida e desempenho cognitivo. Foram estudados 82 sujeitos acima de 60 anos da área de captação do Hospital das Clínicas da cidade de São Paulo. O instrumento utilizado para investigação diagnóstica foi o Composite International Diagnostic Interview (CIDI), sendo a avaliação do desempenho cognitivo obtida através do Mini Exame do Estado Mental (MEEM) e do Informant Questionnaire on Cognitive Decline in the Elderly (IQCODE). Os resultados mostraram que os transtornos mentais de maior prevalência ao longo da vida foram Depressão (16%), Transtorno de Humor Recorrente (10%) e Transtorno de Ansiedade Generalizada (8,5%). Os demais transtornos observados foram Distimia (6%), Transtorno Doloroso Persistente (5%), Uso Nocivo de Álcool (5%) e Transtorno Dissociativo (2,4%). Não foram identificados casos de Transtorno Afetivo Bipolar...

Terapia cognitivo-comportamental em grupo para pacientes com transtorno de pânico resistentes à medicação : preditores de resposta em até cinco anos de seguimento

Heldt, Elizeth Paz da Silva
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
17.35%
O transtorno de pânico (TP) é uma doença de curso crônico e caracteriza-se pela presença de ataques súbitos de ansiedade, acompanhados de sintomas físicos e afetivos, do medo de ter um novo ataque e da evitação de locais ou situações nas quais já ocorreram os ataques de pânico. O tratamento é freqüentemente iniciado com farmacoterapia, porém entre 50 a 80% desses pacientes continuam sintomáticos após a medicação. Estudos têm sugerido que a terapia cognitivo-comportamental (TCC) individual ou em grupo é uma estratégia de tratamento eficaz para pacientes com TP que falharam em responder ao tratamento farmacológico. Entretanto, pouca atenção tem sido dada à identificação de fatores que influenciam os desfechos de longo-prazo. OBJETIVOS Identificar os preditores de resposta à terapia cognitivo-comportamental em grupo (TCCG) para TP até cinco anos após o término do tratamento e avaliar o impacto dessa resposta na qualidade de vida dos pacientes. MÉTODOS Os participantes são provenientes do Programa de Transtornos de Ansiedade do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, com diagnóstico de TP com ou sem agorafobia, segundo os critérios do DSM-IV, que tenham realizado um protocolo de 12 sessões de TCCG, durante os anos de 1998 a 2004. Para serem incluídos...

Transtornos depressivos, ideação suicida e qualidade de vida em pacientes deprimidos ambulatoriais

Berlim, Marcelo Turkienicz
Tipo: dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
17.35%
Introdução: A presente Dissertação de Mestrado é resultado de um projeto de pesquisa que objetivou avaliar as características sócio-demográficas e clínicas de todos os pacientes portadores de transtorno depressivo primário (i.e., depressão maior, depressão bipolar I/II ou distimia) atendidos no ambulatório do Programa de Transtornos do Humor do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (PROTHUM-HCPA) entre março de 2001 e outubro de 2005. Métodos: Todos os pacientes arrolados para o presente estudo forneceram consentimento informado e foram avaliados, em sua primeira consulta no PROTHUM-HCPA, através dos seguintes instrumentos psicométricos: Mini International Neuropsychiatric Interview (MINI; utilizado para fins diagnósticos), World Health Organization´s Quality of Life Instrument – Brief Version (WHOQOL BREF; utilizada para avaliar a qualidade de vida genérica), Quality of Life in Depression Scale (QLDS; utilizada para avaliar a qualidade de vida doença-específica), Inventário de Depressão de Beck (BDI; utilizado para a avaliação subjetiva da sintomatologia depressiva), Escala de Depressão de Hamilton (HAM-D; utilizada para a avaliação objetiva da sintomatologia depressiva) e Impressão Clínica Global (CGI; utilizada para determinação do status clínico).Além disso...

Depressão e factores cronobiológicos

Moniz, Ana Luisa da Costa e Almeida Matos Godinho Cardoso
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em 28/04/2008 Português
Relevância na Pesquisa
18.14%
Tese de Doutoramento em Psicologia Clínica; O problema desta investigação prende-se com uma questão: Existem alterações nos ritmos circadianos na Distimia? Decorrente deste problema, o nosso objectivo no presente estudo foi testar a hipótese segundo a qual nos doentes distímicos não há alterações nos indicadores cronobiológicos. Se é um facto que a investigação tem evidenciado a natureza cronobiológica de alguns tipos de depressão (Depressão Major, Perturbação Afectiva Sazonal e Depressão de Inverno), a nossa prática clínica hospitalar realça algumas diferenças entre estas manifestações depressivas e a Distimia, nomeadamente no tipo de sintomas que os doentes apresentam. Os distímicos parecem expor mais queixas subjectivas em detrimento das de carácter objectivo circadiano. De acordo com a literatura, a Distimia caracteriza-se pela presença crónica de humor depressivo, na maior parte do dia, em mais de metade dos dias, durante dois anos. Este estado é habitualmente acompanhado por perda de interesse, de desejo ou de prazer (anedonia), diminuição da auto-estima, perda de autoconfiança, perda de perspectivas quanto ao futuro, lentificação, perda de energia e fadiga. Não tem sido esclarecido se estas alterações equivalem ou não a alterações dos ritmos biológicos...

Qualidade de vida de pessoas com depressão, distimia, doença bipolar e perturbações depressivas sem outra especificação

Macedo, Ermelinda; Nossa, Paulo Nuno Sousa; Silva, Carlos F.
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Tipo: info:eu-repo/semantics/conferenceobject
Publicado em /03/2014 Português
Relevância na Pesquisa
27.35%
Introdução: As doenças do humor provocam um forte prejuízo nas pessoas, embora ainda não seja muito claro o seu impacte conforme a especiicidade da doença. A qualidade de vida (QDV) das pessoas com doença mental tem sido alvo de crescente interesse de investigação, por ter vindo a ser considerada uma medida importante para aferir intervenções e resultados. Objetivos: Identiicar relações signiicativas entre a qualidade de vida e a Depressão Major, (DM), Distimia (D), Doença Bipolar (DB) e Perturbações Depressivas sem outra Especiicação (PDSOE). Metodologia: Participaram 39 sujeitos com idades superiores a 18 anos, com diagnósticos médicos de DM, D, DB e PDSOE e a frequentar consulta externa de psiquiatria de um Hospital da Zona Norte de Portugal. Foram utilizados o WHOQOL-Bref, o Índice de Graffar e um Questionário de Dados Sociodemográicos e Clínicos. Os dados foram recolhidos nos domicílios dos sujeitos. Todos os sujeitos assinaram consentimento informado. Para a análise estatística recorreu-se ao Statistical Package for Social Sciences IBM SPSS Statistics, versão 19.0. Foi considerado estatisticamente signiicativo um valor de p

Calidad de vida y trastornos del humor : relación para cumplir con el proceso de atención

Macedo, Ermelinda; Silva, Carlos F.; Nossa, Paulo Nuno Sousa
Fonte: Instituto de Salud Carlos III. Unidad de Investigación en Cuidados de Salud (Investén-isciii) Publicador: Instituto de Salud Carlos III. Unidad de Investigación en Cuidados de Salud (Investén-isciii)
Tipo: info:eu-repo/semantics/conferenceobject
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
17.35%
Los trastornos del humor provocan un fuerte prejuicio en la gente, aunque no sea muy claro cuál su impacto de acuerdo a la enfermedad específica. La calidad de vida de las personas con enfermedad mental ha sido objeto de interés de la investigación cada vez mayor, después de haber sido considerado una medida importante para evaluar las intervenciones y los resultados. objetivos: 1) identificar las relaciones significativas entre los dominios de la calidad de vida y variables sociodemográficas en las personas con trastornos del humor, 2) identificar las relaciones significativas entre la calidad de vida y de la depresión mayor, distimia, trastorno bipolar y los trastornos depresivos no especificados. Método: 39 sujetos mayores de 18 años, con trastornos del humor de un hospital de Portugal. Utilizado el WHOQOL-Bref; Índice de Graffar y un cuestionario de datos demográficos y clínicos. Los datos fueron recolectados en los domicilios de los sujetos. Todos los sujetos firmaron el consentimiento informado. Fueron explicados los objetivos del estudio, el papel de los investigadores y el cumplimiento de la confidencialidad. Para el análisis estadístico se utilizó el Statistical Package for Social Sciences IBM SPSS Statistics...

Impacto das doenças do humor na qualidade de vida; Impact of mood disorders on quality of life; Impacto de los trastornos del humor en la calidad de vida

Macedo, Ermelinda; Nossa, Paulo Nuno Sousa; Silva, Carlos F.
Fonte: Sinais Vitais Publicador: Sinais Vitais
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /08/2014 Português
Relevância na Pesquisa
17.35%
introdução: As Doenças do Humor (DH) provocam um forte prejuízo nas pessoas, embora ainda não seja muito claro o seu impacte na qualidade de vida (QDV) conforme a especiicidade da doença. objetivos: Os objetivos deste estudo são: 1) identiicar relações signiicativas entre a QDV e variáveis sociodemográicas em pessoas com doenças do humor; 2) identiicar relações signiicativas entre a QDV e a Depressão Major (DM) Distimia (D) Doença Bipolar (DB) e Perturbações Depressivas Sem Outra Especiicação (PDSOE). material e métodos: Participantes - 39 sujeitos com DM, D, DB e PDSOE. Instrumentos - WHOQOL-Bref; Índice de Graffar e Questionário de Dados Sociodemográicos e Clínicos. Análises estatísticas: Utilizado o IBM SPSS Statistics, versão 19.0. Considerado estatisticamente signiicativo um valor de p < .05. Resultados: Realçada a relação entre a idade, sexo, estado civil, escolaridade, classe social e a QDV. Os dados apontam ainda para um impacte diferencial na QDV conforme a DH. Os sujeitos com DPSOE apresentam índices superiores de QDV, existindo algumas relações signiicativas quando comparadas com a DM, D e DB. Conclusões: Este estudo aponta para a existência de algumas relações entre a QDV e variáveis sociodemográicas e para a presença de diferenças na QDV conforme a DH.; Introduction: Mood Disorders (MD) cause a great distress to people and their lives...

Atención de pacientes pobres con trastornos afectivos de la ciudad de México

Berenzon,Shoshana; Juárez,Francisco
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2005 Português
Relevância na Pesquisa
17.9%
OBJETIVO: Describir los caminos de atención seguidos por población adulta, que cubre los criterios diagnósticos de trastornos depresivos, distimia y trastorno bipolar. MÉTODOS: La información se obtuvo mediante una entrevista personal, utilizando un cuestionario estandarizado que incluía secciones del Composite International Diagnostic Interview sobre trastornos afectivos y una sección sobre utilización de servicios. Los entrevistados (n=1,486) fueron seleccionados a partir de una muestra aleatoria, estratificada según las variables socioeconómicas y multietápicas (manzanas, viviendas, individuos), residentes en la Ciudad de México. RESULTADOS: Un número importante de las personas con trastornos afectivos informaron recurrir tanto a servicios formales como informales de atención. Se observó que en muchos casos se estableció el primer contacto con un médico general (81% de los hombres con trastornos depresivos, 100% con distimia y 36% con trastornos bipolares; 44.4% de las mujeres con depresión, 23% con distimia y 100% con trastornos bipolares). Del mismo modo, se observó que el 45% de los hombres con depresión, el 40% de los varones con distimia y el 65% de las mujeres con trastorno bipolar concluyeron los caminos asistenciales con el uso de los recursos proporcionados por las medicinas alternativas. CONCLUSIONES: El uso entremezclado de diversos sistemas de atención cumple por lo menos dos funciones. 1) permite armar un conjunto de opciones potenciales y así maximizar los recursos curativos con los que se cuenta...

Validação da escala de depressão geriátrica em um ambulatório geral

Paradela,Emylucy Martins Paiva; Lourenço,Roberto Alves; Veras,Renato Peixoto
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 Português
Relevância na Pesquisa
17.35%
OBJETIVO: A Escala de Depressão Geriátrica, utilizada para o rastreamento de sintomas depressivos em idosos, ainda não teve suas características de medida avaliadas em ambulatórios gerais no Brasil. O objetivo foi estudar a validade da Escala, com 15 itens (EDG-15), na identificação de episódio de Depressão Maior ou Distimia em idosos atendidos em ambulatório geral. MÉTODOS: A Escala foi aplicada em 302 indivíduos com 65 anos ou mais, que em seguida foram examinados, de maneira independente, por um geriatra que não tinha conhecimento dos resultados da Escala. Os diagnósticos de Depressão Maior ou Distimia foram feitos utilizando-se os critérios do Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders-IV. A sensibilidade e a especificidade nos vários pontos de corte foram expressas pela curva Receiver Operating Characteristic. RESULTADOS: O ponto de corte de melhor equilíbrio foi 5/6, obteve sensibilidade de 81% e especificidade de 71%; e o valor da área sob a curva Receiver Operating Characteristic foi de 0,85 (IC 95%: 0,79-0,91). CONCLUSÕES: A Escala de Depressão Geriátrica pode ser utilizada para o rastreamento de sintomas depressivos na população geriátrica ambulatorial brasileira. O ponto de corte 5/6, sugerido inicialmente por outros autores...

Comorbidades entre dependência química, distimia, HIV e HCV: relato de caso

Marsden,Vanessa Fabiane Machado Gomes
Fonte: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 Português
Relevância na Pesquisa
27.69%
INTRODUÇÃO: A comorbidade entre dependência química e doenças infectocontagiosas é bem conhecida, assim como a relação entre transtornos de humor e uso de substâncias. Entretanto, o transtorno distímico nestes pacientes recebe pouca atenção. Em parte, isso se justifica porque a realização do diagnóstico de distimia é mais difícil do que de outros transtornos do humor em razão do tempo de abstinência (2 anos) necessário para o diagnóstico, tendo em vista que toxicodependentes apresentam diversas recaídas durante o curso de suas vidas. As infecções pelos vírus HIV e HCV, frequentemente associadas ao consumo injetável de substâncias, contribuem para alterações do estado mental e o próprio tratamento pode causar diversas flutuações no humor. RELATO DE CASO: O paciente é um homem de 40 anos de idade que apresenta comorbidade entre dependência química (heroína e álcool) e distimia, complicada por recaídas, consumo injetável e status sorológico positivo aos vírus HIV-1 e HCV. CONCLUSÃO: Pacientes dependentes químicos com comorbidades psiquiátricas e infectocontagiosas são desafiadores no que tange diagnóstico, tratamento e definição de abordagens terapêuticas para os diferentes problemas apresentados. Investigar e abordar adequadamente...

Distimia: características históricas e nosológicas e sua relação com transtorno depressivo maior

Spanemberg,Lucas; Juruena,Mario Francisco
Fonte: Sociedade de Psiquiatria do Rio Grande do Sul Publicador: Sociedade de Psiquiatria do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 Português
Relevância na Pesquisa
38.14%
Transtorno distímico é uma forma crônica e incapacitante de depressão, ocorrendo em uma parcela substancial da população (3 a 6%) e aumentando os riscos de transtorno depressivo maior. Ela é associada a consideráveis incapacitações e elevada comorbidade. O status nosológico da distimia tem despertado consideráveis controvérsias ao longo das décadas passadas, sendo que algumas investigações a consideraram como um transtorno do humor e outras como um transtorno de personalidade. Classificada na nosografia atual entre os transtornos de humor, a distimia é hoje uma entidade tratável e que precisa receber maior atenção em virtude de sua morbidade. Este artigo revisa os principais aspectos históricos da distimia, suas características nosológicas, subtipos e sua relação com transtorno depressivo maior. Ao final, concluímos que novos estudos são necessários para a validação do conceito de distimia e do espectro de depressões crônicas, para uma melhor compreensão etiológica e para uma terapêutica baseada em evidências.

Impacto da cronicidade do transtorno distímico na qualidade de vida

Orsini,Mara Rúbia de Camargo Alves; Ribeiro,Cecília Rodrigues
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 Português
Relevância na Pesquisa
17.35%
A distimia diferencia-se da depressão por sua cronicidade e menor severidade sintomatológica. A cronicidade acarreta sérios prejuízos na rotina dos pacientes, atividades laborais, relacionamentos sociais e qualidade de vida. O objetivo deste estudo foi explorar o impacto do transtorno distímico na qualidade de vida dos pacientes. Utilizou-se uma entrevista semiestruturada com 24 pacientes distímicos, sendo os dados analisados pelo software Alceste. Neste artigo, discutiu-se a classe sobre o Tratamento da Distimia e Qualidade de Vida. Observou-se um ciclo de tristeza que interfere no dia a dia, acarretando insatisfação e frustração, retroalimentando a baixa autoestima, que induziria à continuidade dos sintomas, passando a fazer parte da experiência cotidiana do indivíduo e aparecendo, por fim, como um modo de ser. A partir desses dados, sugere-se que o transtorno possa ser interpretado por novos parâmetros, baseados na compreensão dessa sucessão de processos, que deveria ser o foco da intervenção com tais pacientes.

Tratamento farmacológico da distimia: avaliação crítica da evidência científica

Lima,Maurício Silva de
Fonte: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP Publicador: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1999 Português
Relevância na Pesquisa
38.14%
Distimia é um transtorno depressivo de natureza crônica, mas de menor gravidade que a depressão maior, cujos sintomas persistem por mais ou menos dois anos. Este artigo aborda aspectos relativos à eficácia do tratamento farmacológico na distimia, a partir de resultados de revisões sistemáticas recentemente concluídas. Em termos de eficácia, os resultados foram similares para as diferentes classes de drogas, tais como tricíclicos (ADT), inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRS), inibidores da mono-amino-oxidase (IMAO) e outras drogas (sulpirida, amineptina, e ritanserina). Os pacientes tomando tricíclicos relataram um maior número de efeitos adversos, comparado com placebo. Em resumo, o tratamento farmacológico da distimia é eficaz, sem efeito diferencial entre os diversos antidepressivos. O uso de tricíclicos está associado à maior ocorrência de efeitos adversos e de desistências. Apesar de a distimia ser uma doença crônica, existe ainda informação limitada sobre a qualidade de vida dos pacientes e sobre o tratamento a médio e longo prazo.

Ajuste social em pacientes com transtorno afetivo bipolar, unipolar, distimia e depressão dupla

Tucci,Adriana M; Kerr-Corrêa,Florence; Dalben,Ivete
Fonte: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP Publicador: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2001 Português
Relevância na Pesquisa
27.35%
OBJETIVOS: Dados internacionais mostram que os transtornos afetivos têm uma prevalência de, aproximadamente, 11,3% da população. Além disso, são uma das doenças que mais geram perdas sociais e nos relacionamentos familiares. O objetivo deste trabalho foi avaliar o ajuste social e familiar de pacientes com transtornos afetivos (bipolar, unipolar, distimia e com depressão dupla), comparando o resultado entre as categorias diagnósticas, além de verificar quais variáveis estão associadas e conduzem ao pior ajuste. MÉTODOS: Foram feitos a caracterização socioeconômica e demográfica e um levantamento dos dados de evolução e de história da doença por meio de um questionário elaborado para essa finalidade. Para a avaliação de ajuste social, utilizou-se a Escala de Avaliação da Incapacitação Psiquiátrica (DAS/OMS, 1998). O relacionamento familiar foi avaliado pelo Global Assessment of Relational Functioning Scale (GARF/APA, 1994). Foram estudados 100 pacientes em tratamento, por pelo menos seis meses, no Ambulatório de Psiquiatria da Faculdade de Medicina Unesp, Botucatu, SP. RESULTADOS/CONCLUSÕES: Com predomínio de mulheres, a maioria dos pacientes tinha no mínimo dois anos de seguimento, idade acima de 50 anos...

Revisão sobre a eficácia de psicoterapia vs. farmacoterapia no tratamento de depressão em idosos

Scazufca,Marcia; Matsuda,Cintia MCB
Fonte: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP Publicador: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2002 Português
Relevância na Pesquisa
17.35%
INTRODUÇÃO: Depressão é uma das doenças mentais mais prevalentes entre pessoas idosas. Embora os tratamentos farmacológicos já estejam validados, a recorrência de depressão é comum. Este artigo revisa ensaios clínicos que examinaram a eficácia da psicoterapia versus os tratamentos farmacológicos, sozinhos ou combinados, para pessoas idosas com depressão. MÉTODOS: Foi realizada busca na internet, em dois bancos de dados (Medline e PsychINFO), por ensaios clínicos randomizados e controlados publicados entre 1984 e 2001 que examinaram a eficácia de psicoterapias versus farmacoterapia para depressão em indivíduos com 60 anos ou mais, com diagnóstico de distimia, depressão menor ou maior. RESULTADOS: Foram incluídos quatro estudos. Três compararam a eficácia da psicoterapia versus a farmacoterapia durante a fase aguda e de continuação do tratamento para depressão, e um examinou a eficácia desses tratamentos durante a fase de manutenção. Tratamentos com psicoterapia (sozinha ou combinada com medicação) foram superiores à farmacoterapia em três estudos com sujeitos com depressão maior. Psicoterapia não foi superior a placebo ou antidepressivos em um estudo com sujeitos com distimia ou depressão menor. CONCLUSÃO: As evidências empíricas sobre a eficácia da psicoterapia versus a farmacoterapia para pacientes idosos com depressão são escassas e não conclusivas...

Análise relacional de distorções cognitivas em pacientes com transtornos do humor genotipados para o polimorfismo 5-HTTLPR

Pires dos Passos, Marcela; Ricardo Mendes de Oliveira, João (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: other
Português
Relevância na Pesquisa
17.35%
Estudos preliminares sugerem que há uma base biológica distinta para as nuances psicopatológicas dos transtornos do humor, tais como os sintomas somáticos, a lentificação psicomotora e as distorções cognitivas, inferidas através do Inventário Beck de Depressão (BDI). Nesse sentido, este estudo investigou a relação entre distorções cognitivas e a presença do polimorfismo genético 5-HTTLPR em pacientes com transtorno do humor (Depressão Maior, Distimia e Transtorno Bipolar). Este polimorfismo se caracteriza por uma variação de 44 pares de base de DNA na região reguladora do gene da proteína carreadora de serotonina e foi descrito há 15 anos atrás. Sua variante curta tem se mostrado como um importante fator de modulação de comportamentos patológicos em diversas síndromes neuropsiquiátricas e também em traços de personalidade, reação a fatores estressores e resposta a psicofármacos. A amostra estudada foi constituída por 20 pessoas, das quais 13 foram diagnosticadas com Distimia, dois com Depressão Maior e cinco com Transtorno Bipolar. Esses pacientes fazem parte de um grupo maior de indivíduos que foram genotipados para o 5-HTTLPR em um estudo precedente (OLIVEIRA et al., 2000) e que nesta análise atual foram convocados ao ambulatório de Saúde Mental do Hospital das Clínicas da UFPE...

Influência dos eventos de vida estressores em grupos com predisposição genética para transtorno de humor

Carla da Silva Soares, Fábia; Ricardo Mendes de Oliveira, João (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: other
Português
Relevância na Pesquisa
27.69%
Os transtornos de humor estão dentre os transtornos psiquiátricos mais prevalentes, sendo a Depressão Maior, a Distimia e o Transtorno Bipolar os quadros mais freqüentemente diagnosticados e estudados. É um grupo de doenças de grande importância mundial, pois acometem milhões de pessoas em todo o mundo, afetando a qualidade de vida e sendo responsável por elevadas taxas de suicídio. O objetivo deste estudo foi analisar o efeito da influência dos eventos de vida estressores (EVEs) e da predisposição genética nos transtornos de humor (Depressão maior, Transtorno afetivo bipolar e Distimia). Foram selecionados 52 pacientes do ambulatório de saúde mental do Hospital das Clínicas, submetidos a dois questionários, para avaliação dos EVEs e do histórico familiar e por último para correlacionar as variáveis foi utilizado o Teste de Spearman. Para fazer uma comparação entre os gêneros, dentro de cada grupo de transtorno foi utilizado o teste de Mann-Whitney e o programa utilizado foi o SPSS. Em todos os grupos a correlação entre o número total dos EVEs e o número total dos episódios se mostrou positiva e a análise feita entre o número de EVEs do primeiro episódio com o risco genético para o grupo de Depressão Maior não se mostrou significativa...