Página 1 dos resultados de 148 itens digitais encontrados em 0.199 segundos

Doação de órgãos e tecidos: relação com o corpo em nossa sociedade; Organ and tissues donation: relation with the body in our society; Donación de órganos y tejidos: relación con el cuerpo en nuestra sociedad

ROZA, Bartira De Aguiar; GARCIA, Valter Duro; BARBOSA, Sayonara de Fátima Faria; MENDES, Karina Dal Sasso; SCHIRMER, Janine
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
116.51%
Este estudo, de revisão bibliográfica, objetivou tecer considerações teóricas sobre doação de órgãos e tecidos e sua relação com o corpo em nossa sociedade. O aumento da taxa de doação depende de um olhar ampliado além das questões técnicas do processo de doação de órgãos e tecidos. Vários países, com larga experiência temporal e, que trabalham sistematicamente nesse processo, incorporaram a abordagem social e a perspectiva ética, baseadas no voluntarismo das famílias e no respeito ao direito de autonomia dos potenciais doadores. O acompanhamento do corpo, pós-doação, solicitado pelas famílias, representa o início do luto pela morte de um parente, parte da prática de ritual fúnebre cultuada em nossa sociedade. As ações que asseguram uma sequência ético-legal, definida na legislação dos transplantes, pressupõem compromisso com a qualidade e segurança do processo de doação de órgãos e tecidos, que deve ser rigorosamente perseguida pelos profissionais que trabalham na área. Espera-se, assim, que essas atitudes construam uma cultura positiva sobre a doação no país, contribuindo, a longo prazo, para o aumento nas taxas de doação.; This is a study of literature review aimed to develop theoretical considerations on the donation of organs and tissues and on its relationship with the human body...

Entrevista familiar no processo de doação de órgãos e tecidos para transplante; Family interview in the process of donating organs and tissues for transplantation; Entrevista familiar en el proceso de donación de órganos y tejidos para transplante

Santos, Marcelo José dos; Massarollo, Maria Cristina Komatsu Braga; Moraes, Edvaldo Leal de
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
106.35%
OBJETIVO: Desvelar o significado atribuído pelos profissionais que atuam em Serviços de Procura de Órgãos e Tecidos à entrevista familiar no processo de doação de órgãos e tecidos para transplante. MÉTODOS: Pesquisa de abordagem qualitativa, na vertente fenomenológica, conforme a modalidade "estrutura do fenômeno situado". Participaram do estudo, 12 profissionais. RESULTADOS: Após a análise das entrevistas, foi desvelado o significado atribuído pelos profissionais à entrevista. CONCLUSÕES: As proposições que emergiram revelaram que a entrevista familiar é uma etapa importante, pois trata da possibilidade da doação de órgãos e tecidos para salvar e/ou melhorar a qualidade de vida de pessoas que necessitam de um transplante. Este procedimento é complexo, visto que envolve aspectos relativos ao entrevistador, ao entrevistado e ao local da entrevista, além de questões éticas e legais. Também evidenciam a necessidade de capacitação profissional para conhecer, identificar e lidar com fatores que facilitam ou dificultam o diálogo com os familiares.

A recusa familiar no processo de doação de órgãos e tecidos para transplante; The family refuse on the organs and tissues donation process for transplant

Moraes, Edvaldo Leal de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/06/2007 Português
Relevância na Pesquisa
106.6%
Esta pesquisa teve como objetivo conhecer a percepção de familiares de potenciais doadores sobre os motivos considerados para recusar a doação dos órgãos e tecidos para transplante. Para compreender a percepção dos familiares optou-se por realizar uma pesquisa qualitativa, segundo a modalidade "estrutura do fenômeno situado". Como forma de desvelar o fenômeno foram entrevistadas oito famílias, utilizando as seguintes questões norteadoras: "Como foi a tomada de decisão para recusar a doação dos órgãos e tecidos para transplante do seu familiar falecido?" e "Quais os motivos considerados para recusar a doação?". Após a obtenção das descrições, os discursos foram analisados individualmente, sendo feita a análise ideográfica, resgatando os seguintes temas e subtemas: "Relatando a internação do familiar", "Vivenciando a perda do familiar": "Recebendo a informação da morte encefálica e a solicitação da doação", "Sofrendo com a perda do familiar"; "Decidindo pela recusa da doação dos órgãos": "Conversando sobre doação", "Respeitando a decisão tomada"; "Apresentando os motivos de recusa da doação dos órgãos": "A crença religiosa", "A espera de um milagre", "A não compreensão do diagnóstico de morte encefálica e a crença na reversão do quadro"...

Doação de órgãos e visão da família sobre atuação dos profissonais neste processo: revisão sistemática da literatura brasileira; Family's opinion on professionals' attitude during process of organs donation: a systematic review from Brazilian literature

Almeida, Elton Carlos de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/01/2012 Português
Relevância na Pesquisa
116.55%
A história dos transplantes vem rompendo barreiras e enfrentando desafios embora de forma incipiente, por diversas décadas, conquistando impressionantes resultados, demonstrando a evolução científica e tecnológica aplicada ao setor. Assim, observa-se que, ao longo dos tempos, o número de doações tem aumentado. Porém, não o suficiente para reduzir a lista de espera, cabendo então a reflexão acerca das causas que dificultam esse processo. Diversos são os motivos pelos quais afetam a doação de órgãos, ressaltando-se a recusa dos familiares e a não notificação de possíveis doadores. Assim, vale ressaltar a importância do preparo profissional no que diz respeito à abordagem familiar, momento decisivo para que se possa dar continuidade ao processo de captação de órgãos. Diante do exposto, o estudo tem por objetivo explorar, recolher, organizar, sintetizar e compartilhar visão dos familiares em relação a atuação dos profissionais no processo de doação de órgãos. A metodologia retrata uma revisão sistemática da literatura brasileira sobre o tema central baseando na busca de artigos que demonstrassem resultados de pesquisas realizados no País, entre 2001 e 2011, no portal PubMed e nas bases de dados SCOPUS...

Conflitos éticos de enfermeiros no processo de doação de órgãos e tecidos para transplante; Ethical conflicts of nurses in the process of donating organs and tissues for transplantation

Araujo, Mara Nogueira de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 05/07/2012 Português
Relevância na Pesquisa
116.59%
Esta pesquisa teve por objetivos conhecer a percepção de enfermeiros sobre conflitos éticos no processo de doação de órgãos e tecidos para transplante, como são tomadas as decisões e o que é levado em consideração para a tomada de decisão frente a conflitos éticos. Foi realizado um estudo exploratório, descritivo e de abordagem qualitativa, sendo utilizada a análise de conteúdo proposta por Bardin. Foram realizadas onze entrevistas com enfermeiros que prestaram assistência a potenciais doadores na prática profissional, há pelo menos um ano, lotados nas seguintes unidades: UTI adulto e pediátrica, Pronto socorro, Centro cirúrgico, Unidades de internação e na Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante. Após a análise emergiram cinco categorias: 1. Dificuldade em aceitar a morte encefálica; 2. Não aceitação da equipe multiprofissional de desconectar o ventilador mecânico do paciente em morte encefálica não doador de órgãos; 3. Dificuldades da equipe multiprofissional durante o processo de doação de órgãos; 4. Situações que podem interferir no processo de doação de órgãos e 5. Tomada de decisão frente a conflitos éticos no processo de doação de órgãos. Os resultados mostraram que os enfermeiros identificam conflitos éticos no processo de doação de órgãos...

Na fronteira da emancipação e da colonização através do processo de doação de órgãos

Kaufmann, Mauro Luiz
Tipo: dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
106.41%
O estudo apresenta aspectos sociológicos relevantes sobre o comportamento de pessoas que, através da perda de familiares, passaram por situação de decisão de potencial doação de órgãos humanos para transplante. O tema é abordado segundo a teoria habermasiana da ação comunicativa, demonstrando-se que tanto os familiares que optaram pela doação como os que não autorizaram a doação podem ter suas ações compreendidas como tentativas de autonomia dos sujeitos, num mundo caracterizado pela heteronomia. Do ponto de vista empírico, os grupos familiares dividem-se entre o apego a valores tradicionais e a aceitação da modernidade técnica, dicotomia que parece dividir a sociedade brasileira. No entanto, no momento da decisão, é a vontade do morto, expressa em vida, que tende a ser respeitada após a morte.

Aspectos éticos e legais das anotações de enfermagem nos procedimentos de doação de órgãos para transplantes

Dalri,Maria Barcelos; Rossi,Lídia Aparecida; Carvalho,Emilia Campos de
Fonte: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1999 Português
Relevância na Pesquisa
106.26%
Objetivo deste estudo foi verificar os registros de enfermagem de pacientes doadores de órgãos quanto aos aspectos éticos e legais. Foram analisados os registros de enfermagem de 12 prontuários de pacientes doadores de órgãos internados em um Hospital Universitário do interior do estado de São Paulo, no período de Janeiro de 1992 a agosto de 1996. Foi identificada a informação quanto ao consentimento para doação de órgãos nos registros de enfermagem em 16,7% dos prontuários. Observamos, em 91,7% dos prontuários, falta de data, de assinaturas, ou presença de rasuras nos registros de enfermagem.

Revisão integrativa: indicadores de resultado processo de doação de órgãos e transplantes

Ferraz,Agenor Spallini; Santos,Lucas Guimarães Machado; Roza,Bartira de Aguiar; Schirmer,Janine; Knihs,Neide da Silva; Erbs,João Luis
Fonte: Sociedade Brasileira de Nefrologia Publicador: Sociedade Brasileira de Nefrologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2013 Português
Relevância na Pesquisa
106.35%
OBJETIVO: Identificar por meio da revisão integrativa os principais indicadores de resultado do processo de doação de órgãos e transplantes utilizados e transplantes no Brasil e no mundo. A revisão integrativa da literatura foi realizada nas bases de dados bibliográficas MedLine/PubMed e LILACS e sites governamentais e não governamentais no período de 1995 e 2011. Os descritores/palavras chaves utilizados foram doação de órgãos, transplante de órgãos e resultados em saúde, sendo selecionados 26 artigos e nove sites. A classificação do nível de evidência dos artigos variou de um a seis. RESULTADOS: Nível de evidência dos artigos na sua maioria 66,6% foi quatro (12:18 PubMed) todos os artigos da base LILACS (8). Os indicadores apresentados nos artigos se propõem a avaliar, mensurar e controlar dados relacionados ao perfil do doador, condições clínicas e hospitalares, tempo de isquemia e tamanho do órgão, procedimento cirúrgico e as complicações advindas do transplante.

Doação de órgãos: meu corpo, minha sociedade

Bendassolli,Pedro Fernando
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1998 Português
Relevância na Pesquisa
106.4%
A doação de órgãos é um problema de relevância social e científica, pois envolve as formas como a vida é perpetuada através do corpo de outra pessoa, especificamente por meio de seus órgãos. Quais são os fatores de resistência e de facilitação à doação de órgãos? Este artigo propõe um fator de resistência e um de facilitação. O primeiro, o narcisismo pelo próprio corpo; o segundo, o desejo de perpetuar-se a si mesmo e a vida.

Do lugar do corpo ao não-lugar da doação de órgãos

Bendassolli,Pedro Fernando
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2000 Português
Relevância na Pesquisa
106.43%
A compreensão psicológica sobre a doação de órgãos deve fazer parte de uma reflexão maior capaz de incluir uma análise das práticas científicas, culturais e médicas nas quais o corpo está sendo engajado nos dias de hoje. Assim, esse estudo teve por finalidade principal desenvolver uma análise sobre o impacto causado pela doação de órgãos sobre a relação que o homem estabelece com seu corpo, tomado no sentido de lugar do indivíduo, centro de atravessamentos simbólicos, relacionais, identitários e históricos. Para se alcançar esse objetivo, foi feito um resgate teórico destinado a fundamentar, conceitualmente, algumas das representações sobre o corpo em nossa cultura, notadamente aquelas que se relacionam com as chamadas tecnologias corporais no campo da Medicina. A análise realizada sugere que a doação de órgãos se integra dentro de uma prática que faz do corpo um não-lugar, ou seja, desinveste-o dos significados simbólicos que o elegiam como veículo de relacionamento social e lugar da inscrição identitária do homem.

Percepção do corpo, medo da morte, religião e doação de órgãos

Bendassolli,Pedro Fernando
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2001 Português
Relevância na Pesquisa
106.52%
O objetivo desta pesquisa foi o de levantar as principais razões que levam estudantes universitários a doarem seus órgãos para transplante e as relações entre a doação de órgãos, o medo da morte e a religião dos participantes. Para tanto, foram realizados três estudos interdependentes, os quais somaram a participação de 192 estudantes de uma universidade pública do Estado de São Paulo. Os resultados obtidos nestes estudos sugerem, como sendo as principais razões para a doação: desejo de continuar a vida do outro; reaproveitamento dos órgãos; dar qualidade de vida aos que necessitam de um transplante; inutilidade do corpo após a morte. Quanto à não doação, as principais razões foram: crítica à lei dos transplantes; crítica ao sistema de saúde brasileiro; razões bioéticas, tais como receio de morte premeditada e contrabando de órgãos. Nestes estudos não foi encontrada relação significativa entre religião e doação de órgãos, mas foi encontrada entre o medo da morte e a não doação.

A perda do filho: luto e doação de órgãos

Bittencourt,Ana Luiza Portela; Quintana,Alberto Manuel; Velho,Maria Teresa Aquino de Campos
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 Português
Relevância na Pesquisa
116.41%
O presente artigo constitui uma reflexão teórica que visa compreender os aspectos presentes no processo de luto parental pela perda do filho. Com base na compreensão do sofrimento decorrente dessa vivência, busca-se pensar suas implicações no procedimento de doação de órgãos e na postura que os profissionais da saúde podem assumir, a fim de amenizar o sofrimento dos pais diante da possibilidade de seu filho ser um potencial doador. Busca-se também abarcar princípios éticos referentes ao processo de consentimento da doação, assim como refletir sobre a capacitação da equipe de saúde para auxiliar os familiares na vivência do luto e no processo de doação de órgãos.

A doação de órgãos: a lei, o mercado e as famílias

Steiner,Philippe
Fonte: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo Publicador: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2004 Português
Relevância na Pesquisa
106.43%
O artigo compara a organização atual da doação de órgãos post mortem com os projetos de criação de um mercado de órgãos para transplante. Umagrande semelhança aparece entre esses dois dispositivos, já que um limita ou impede a expressão das relações sociais (princípio do anonimato da doação) e o outro elimina essas relações em proveito de uma relação contratual. O artigo compara, em seguida, a doação de órgãos às leis de sucessão e ao seguro de vida. Desse modo, fica claro que a família intervém nos três casos para pôr em contato os valores últimos e a transmissão dos recursos no momento do falecimento.

Recusa de doação de órgãos e tecidos para transplante relatados por familiares de potenciais doadores

Moraes,Edvaldo Leal de; Massarollo,Maria Cristina Komatsu Braga
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 Português
Relevância na Pesquisa
106.44%
OBJETIVO: Conhecer a percepção de familiares de potenciais doadores sobre os motivos de recusa para doação de órgãos e tecidos para transplante. MÉTODOS: Trata-se de uma pesquisa qualitativa, na vertente fenomenológica, modalidade "estrutura do fenômeno situado". Participaram do estudo oito familiares que recusaram a doação dos órgãos e tecidos. RESULTADOS: Após análise das entrevistas, foram revelados dez motivos de recusa, considerados pelos familiares. CONSIDERAÇÕES FINAIS: As proposições que emergiram revelaram que os motivos de recusa familiar para doação de órgãos e tecidos estão relacionados à crença, valores e inadequações no processo de doação e transplante.

Doação de órgãos e tecidos: relação com o corpo em nossa sociedade

Roza,Bartira De Aguiar; Garcia,Valter Duro; Barbosa,Sayonara de Fátima Faria; Mendes,Karina Dal Sasso; Schirmer,Janine
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 Português
Relevância na Pesquisa
106.51%
Este estudo, de revisão bibliográfica, objetivou tecer considerações teóricas sobre doação de órgãos e tecidos e sua relação com o corpo em nossa sociedade. O aumento da taxa de doação depende de um olhar ampliado além das questões técnicas do processo de doação de órgãos e tecidos. Vários países, com larga experiência temporal e, que trabalham sistematicamente nesse processo, incorporaram a abordagem social e a perspectiva ética, baseadas no voluntarismo das famílias e no respeito ao direito de autonomia dos potenciais doadores. O acompanhamento do corpo, pós-doação, solicitado pelas famílias, representa o início do luto pela morte de um parente, parte da prática de ritual fúnebre cultuada em nossa sociedade. As ações que asseguram uma sequência ético-legal, definida na legislação dos transplantes, pressupõem compromisso com a qualidade e segurança do processo de doação de órgãos e tecidos, que deve ser rigorosamente perseguida pelos profissionais que trabalham na área. Espera-se, assim, que essas atitudes construam uma cultura positiva sobre a doação no país, contribuindo, a longo prazo, para o aumento nas taxas de doação.

Opinião e conhecimento da população da cidade de curitiba sobre doação e transplante de órgãos

Coelho,Julio Cezar Uili; Cilião,Camilla; Parolin,Mônica Beatriz; Freitas,Alexandre Coutinho Teixeira de; Gama Filho,Ózimo Pereira; Saad,Danilo Tatim; Pistori,Rafael Petracca; Martone,Daniel
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2007 Português
Relevância na Pesquisa
96.6%
OBJETIVOS: Determinar a opinião e o conhecimento, de uma amostra da população da cidade de Curitiba, sobre doação e transplante de órgãos. MÉTODOS: A opinião e o conhecimento sobre doação e transplante de órgãos de mil pessoas, com idade superior a 18 anos, foram determinados através de um questionário de 20 perguntas. Os entrevistados avaliados tinham uma distribuição similar em idade, sexo e padrão socioeconômico, e escolaridade à população brasileira, determinada pelo IBGE. RESULTADOS: A maioria dos entrevistados (87,8%) era favorável à doação de órgãos. Não houve diferença na percentagem da população favorável à doação de órgãos com a relação a sexo, estado civil, religião e rendimentos. Os principais motivos para serem favoráveis à doação de órgãos foram para salvar vida, ajudar o próximo e doar vida. Os principais motivos para não serem favoráveis à doação foram falta de confiança na medicina ou no sistema de captação e distribuição de órgãos, por haver comércio de órgãos e temor de mutilação do corpo. A maioria dos entrevistados respondeu que os ricos tinham mais chances de serem transplantados do que os pobres, que existe venda de órgãos no Brasil e que existe possibilidade de erro no diagnóstico de morte encefálica estabelecido pelo médico. CONCLUSÃO: A maioria da população deste estudo é favorável à doação de órgãos e tem um bom conhecimento sobre doação e transplante de órgãos. A maioria demonstrou não confiar no sistema de distribuição de órgãos e no diagnóstico de morte encefálica.

Doação de órgãos: compreensão na perspectiva de adolescentes

Monteiro,Ana Maria de Carvalho; Fernandes,Elizabeth Cordeiro; Araújo,Ednaldo Cavalcante de; Cavalcanti,Ana Márcia Tenório de Souza; Vasconcelos,Maria Gorete de Lucena
Fonte: Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira Publicador: Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 Português
Relevância na Pesquisa
116.49%
OBJETIVOS: conhecer a perspectiva dos adolescentes sobre doação de órgãos. MÉTODOS: estudo descritivo, exploratório, de abordagem qualitativa, com 13 adolescentes entre 16 a 19 anos, de duas escolas públicas do Recife/PE. A coleta dos dados ocorreu de fevereiro a maio de 2008 com entrevistas semiestruturadas, submetidas à análise de conteúdo na modalidade temática. RESULTADOS: identificaram-se quatro temáticas: concepções que podem salvar vidas; conhecimentos revelados; sentimentos facilitadores e complicadores para a doação de órgãos; outras influências que repercutem na decisão de doar órgãos. Os adolescentes demonstraram desejo de salvar vidas doando órgãos, porém, não suficiente para uma tomada de decisão. A influência da família, mídia e amigos, surgiu como fator positivo ou de resistência, e a possibilidade de contribuir para a continuidade da vida funcionou positivamente na decisão. CONCLUSÕES: Na ótica dos adolescentes, a doação de órgãos é necessária e eles desejam contribuir, porém seus conhecimentos são inadequados. Há necessidade de informações sistemáticas e precisas para tornar realidade seu desejo em doar órgãos e salvar vidas.

Reflexões sobre a comissão intra-hospitalar de doação de órgãos e tecidos para transplantes

Arcanjo,Rafaela Alves; Oliveira,Lilian Candiá de; Silva,Delma Dias da
Fonte: Conselho Federal de Medicina Publicador: Conselho Federal de Medicina
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2013 Português
Relevância na Pesquisa
116.33%
Trata-se de estudo de revisão de literatura com o objetivo de caracterizar a legislação vigente com pertinência aos obstáculos encontrados pela Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes. Observou-se que devem ser tomadas medidas de educação contínua entre os profissionais que atuam nessa comissão, bem como conhecer o perfil cultural da população que atende e levar à sociedade informações pertinentes ao processo de doação, visando suscitar entre as famílias essa discussão e, quem sabe assim, reduzir as filas de espera por um transplante no Brasil.

Doação de órgãos: ponderações dos familiares sobre a recusa

Grudka Lira, Gerlene; Soares de Lima, Luciane (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: other
Português
Relevância na Pesquisa
116.52%
Esta dissertação teve por objetivo a construção de dois artigos versando sobre a recusa familiar para doação de órgãos. O primeiro, de revisão, buscou identificar os fatores que contribuíram para a formação do conhecimento que ancora a tomada de decisão pela recusa familiar da doação de órgãos com base nos constructos da teoria das representações sociais. O resgate da literatura proporciona melhor compreensão para os profissionais de saúde do processo de doação de órgãos e consequentemente da recusa familiar, com base em ferramenta conceitual de entendimento das realidades sociais. O segundo artigo, teve como objetivo compreender as representações sociais de familiares de potenciais doadores que recusaram a doação de órgãos com a finalidade de transplante. Através do método qualitativo e de um desenho descritivo exploratório, foram entrevistados nove familiares que tiveram o parente notificado regularmente através da Central de Transplantes do Estado de Pernambuco. Os dados foram submetidos a análise de conteúdo na modalidade temática e quatro temas fundamentaram este estudo: Qualidade da assistência prestada decisiva na recusa da doação; o corpo é inviolável, crença na possibilidade de retorno à vida e; núcleo familiar cenário da tomada da decisão

Doação de órgãos: um olhar na compreensão dos adolescentes

Maria de Carvalho Monteiro, Ana; Gorete Lucena de Vasconcelos, Maria (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: other
Português
Relevância na Pesquisa
116.61%
Os transplantes ocasionam modificação no paradigma do conceito de morte - um acontecimento pontual decorrente da parada simultânea da consciência, respiração, batimentos cardíacos, circulação e falência de outros órgãos - para o de morte encefálica - na qual há constatação do coma não reativo, apneia, abolição dos reflexos do tronco e espinhais. A Bioética surge, como um instrumento para orientar as condutas no campo da doação de órgãos para transplantes. Este ramo da Ciência baseia-se em quatro princípios: Justiça, Não Maleficência, Beneficência e Autonomia. No que diz respeito à doação de órgãos nas categorias populacionais, uma merece destaque, por ser composta de sujeitos em formação, os adolescentes. Estes, que na contemporaneidade têm status de maior visibilidade e participação na vida social e alguns conflitos éticos e legais, podem fazer parte da adolescência. O presente estudo teve como objetivo: Compreender a visão dos adolescentes sobre a doação de órgãos. Constituiu-se em estudo descritivo, exploratório, conduzido pela abordagem qualitativa com base nas falas de 13 adolescentes entre os 16 e os 19 anos, estudantes brasileiros de duas escolas de nível secundário da rede pública...