Página 1 dos resultados de 1552 itens digitais encontrados em 0.023 segundos

Os professores estagiários e a unidade de Estatística do 6.º ano - O ensino do tema e as dificuldades sentidas.

Barros, Paula Maria
Fonte: Centro de Investigação em Educação. Instituto de Educação e Psicologia da Universidade do Minho Publicador: Centro de Investigação em Educação. Instituto de Educação e Psicologia da Universidade do Minho
Tipo: conferenceobject
Português
Relevância na Pesquisa
46.22%
A estatística e as probabilidades têm adquirido visibilidade nos currículos escolares desde os níveis mais elementares. Consequentemente, é importante reflectir sobre a formação que possuem os futuros professores que vão ensinar essas temáticas. Tendo como ponto de partida esta preocupação, realizou-se uma investigação com três alunas estagiárias (a Joana, a Teresa e a Maria), que leccionaram a unidade de Estatística de 6º ano, com o intuito de identificar as suas dificuldades no planeamento e execução de aulas sobre o tema e de descobrir os factores subjacentes às opções que adoptam na sua prática lectiva. Assim, tendo como referência uma metodologia de estudo de caso, acompanhou-se o percurso de cada uma das estagiárias durante o ensino da unidade de Estatística através de observação de aulas, conversas informais e recolha de documentos escritos. A cada estagiária foram, ainda, realizadas duas entrevistas, uma antes de leccionar a unidade, visando a recolha de dados sobre a sua relação com a estocástica, e outra após leccionar a unidade, com o objectivo de discutir dificuldades sentidas e clarificar opções metodológicas. No que diz respeito à prática pedagógica, as estagiárias revelaram algumas dificuldades comuns...

Estatística: desenvolvimento curricular e tecnologias: algumas questões para discussão

Pires, Manuel Vara; Martins, Cristina
Fonte: Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação, Secção de Educação e Matemática Publicador: Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação, Secção de Educação e Matemática
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
46.27%
É reconhecida a importância que a estatística tem vindo a adquirir e consolidar na sociedade actual. De facto, em muitas situações, torna-se necessário saber: (i) formular questões que possam ser abordadas por meio de dados e recolher, organizar e apresentar dados relevantes que permitam responder a essas questões, (ii) seleccionar e usar métodos estatísticos adequados à análise de dados; ou (iii) desenvolver e avaliar inferências e previsões baseadas em dados (National Council of Teachers of Mathematics, 2007, p. 52). Por isso, também os currículos escolares têm vindo a atribuir uma crescente relevância aos temas e procedimentos estatísticos. Assim, este texto tem como propósito principal apresentar algumas linhas orientadoras do debate a realizar no Grupo de Discussão Estatística — Desenvolvimento Curricular e Tecnologias, enfatizando o papel da estatística no currículo e as formas como é ou poderá ser trabalhada. Começa com algumas considerações sobre o currículo e o desenvolvimento curricular, apresenta uma síntese das orientações curriculares em estatística traçadas nos documentos oficiais e, no final, sistematiza um conjunto de questões que pode ajudar a compreender e resolver melhor os desafios que se colocam...

Ensino e aprendizagem de estatística por meio da modelagem matemática: uma investigação com o ensino médio

Andrade, Mirian Maria
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis Formato: 193 f. : il., tabs., fots.
Português
Relevância na Pesquisa
46.35%
Pós-graduação em Educação Matemática - IGCE; Esta pesquisa visa investigar quais as implicações que o ambiente da Modelagem Matemática pode oferecer para o processo de ensino e aprendizagem da Estatística no âmbito do ensino médio. Assim, os objetivos da pesquisa se configuram como: propor o estudo de Estatística por meio da Modelagem Matemática no contexto do ensino médio e assim investigar e discutir as implicações que tal ambiente de aprendizagem pode oferecer para o ensino e a aprendizagem da Estatística; favorecer e valorizar o desenvolvimento, no estudante, de aspectos de criticidade, da consciência da importância de sua participação na sociedade e da capacidade de associar conteúdo escolar com o seu dia-a-dia. Para tanto, buscamos fundamentar nossa investigação no que se refere à Educação Estatística, bem como delinear nossa concepção de Modelagem Matemática apresentando uma breve revisão da literatura. A metodologia da pesquisa é embasada na abordagem da pesquisa qualitativa de cujos instrumentos metodológicos foram as observações (registros das aulas e fotografias), as atividades dos alunos (atividades de conteúdo específico, sobre o tema estudado – Alcoolismo e Adolescência, anotações...

Educação estatística crítica: uma possibilidade?

Sampaio, Luana Oliveira
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis Formato: 112 f. : il., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
56.38%
Pós-graduação em Educação Matemática - IGCE; Este trabalho discorre sobre uma experiência com alunos de uma disciplina de Estatística para Administração. Com os quais realizamos, extraclasse, trabalhos via Modelagem Matemática a distância: um ambiente virtual de aprendizagem, onde os alunos foram convidados a investigar a realidade por meio da Estatística. Deste ambiente emergiu o termo ciberespaço de interação: todo encontro online com o objetivo de discutir e encaminhar atividades de Modelagem. Nesta pesquisa, o objetivo principal foi utilizar o ambiente de Modelagem Matemática a distância na tentativa de criar condições para estes alunos desenvolverem uma Educação Estatística Crítica (EEC). Nesta linha, a Modelagem além de envolver investigações da realidade, trata-se de um ambiente onde os alunos ganham um amplo espaço para discussões, o que nos proporcionou identificar uma forma de desencadear reflexões: a partir das discussões que surgiram nos ciberespaços de interação. Sendo assim, estudamos a natureza das discussões e as categorizamos da seguinte maneira: Discussões Matemáticas, Discussões Reflexivas, Discussões Técnicas; Discussões Paralelas; e as novas ramificações identificadas nesta pesquisa: Discussões Paralelas Matemáticas...

(Res)significando a Educação Estatística no Ensino Fundamental: análise de uma sequência didática apoiada nas Tecnologias de Informação e Comunicação

Estevam, Everton José Goldoni
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis Formato: 211 f. : il.
Português
Relevância na Pesquisa
66.36%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Educação - FCT; Este trabalho, desenvolvido no contexto da linha de pesquisa Práticas e Processos Formativos em Educação, do Programa de Pós-Graduação em Educação, teve por objetivo avaliar as contribuições de uma investigação exploratória de dados e das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) para o processo de ensino e aprendizagem de conceitos estatísticos no Ensino Fundamental, particularmente no que concerne à atribuição de significado a informações apresentadas por meio de gráficos e tabelas. Assim, situa-se no bojo da Educação Estatística, área que tem sido objeto de estudo de inúmeras pesquisas nos últimos anos, na medida em que, diante do grande volume de informações presentes na sociedade contemporânea, emerge no contexto educacional (mas não apenas nele) a necessidade de se estruturar e discutir alternativas que viabilizem o tratamento adequado desses dados. A sequência didática baseada na investigação exploratória de dados visou a envolver os alunos num processo real de investigação estatística, abrangendo as três dimensões das intenções educativas: conceitual, por envolver conceitos estatísticos e matemáticos; procedimental...

O papel da estatistica na inclusão de alunos da educação de jovens e adultos em atividades letradas; The role of statistcs in the inclusion of students in adult education literacy activities

Keli Cristina Conti
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/03/2009 Português
Relevância na Pesquisa
46.38%
O objetivo deste trabalho foi analisar e compreender o ensino e a aprendizagem de Estatística em aulas de Matemática de alunos da 7.a serie do Ensino Fundamental da Educação de Jovens e Adultos e o papel da produção desse conhecimento na inclusão desses alunos em atividades letradas. O trabalho de campo da pesquisa que denominarei participante foi realizado em uma escola publica do interior do Estado de São Paulo, onde desenvolvi um projeto chamado "Construindo Estatística", que contou com o auxilio, de forma colaborativa, de dois estagiários, auxiliares de pesquisa. O material de analise foi constituído por transcrições das gravações em áudio e vídeo das atividades de sala de aula, portfolios das produções dos alunos, diários de campo meu e dos estagiários. Os três eixos de analise emergiram do processo de analise desse material: a) a relação dos alunos com a Matemática; b) a produção de conhecimentos dos alunos em Estatística nos encontros referentes ao projeto; c) a inclusão dos alunos em atividades letradas. Embora consciente das dificuldades dos alunos em "ler e escrever" e das situações pouco propicias para o desenvolvimento dessas competências na realidade da própria escola, não enfrentei esses fatos como obstáculos intransponíveis: fiz questão de caminhar para a inclusão desses alunos em atividades letradas...

Ensino e aprendizagem da estatística : realidades e desafios

Fernandes, José António
Fonte: Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. Secção de Educação Matemática Publicador: Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. Secção de Educação Matemática
Tipo: info:eu-repo/semantics/conferenceobject
Publicado em /05/2009 Português
Relevância na Pesquisa
66.42%
A influência da Estatística na vida das pessoas e nas instituições tem-se tornado cada mais visível, o que implica que todos os cidadãos devam ter conhecimentos de Estatística para se poderem integra na sociedade actual. Ora, esta relevância da Estatística na sociedade tem-se repercutido no incremento do seu ensino nas escolas, o qual não mais deixou de se desenvolver e aprofundar desde a sua introdução no ensino secundário na década de sessenta, do século passado. Tendo por base literatura publicada, sobretudo em Portugal, nesta conferência são abordados quatro aspectos do ensino e da aprendizagem da Estatística: o tratamento do tema nos programas de Matemática do ensino básico e secundário; a aprendizagem da Estatística; o seu ensino; e, finalmente, alguns desafios para futuras investigações. O estudo destas dimensões da Educação Estatística a partir de alguns estudos realizados em Portugal assume-se como uma contextualização a ter em conta e que melhor reflectirá a nossa realidade, permitindo, ao mesmo tempo, a partir de estudos realizados noutros países, estabelecer desafios para o futuro.

Desenvolvimento da literacia estatística em dois manuais do 7.º ano de escolaridade

Martinho, Maria Helena; Viseu, Floriano
Fonte: Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. Secção de Educação Matemática Publicador: Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. Secção de Educação Matemática
Tipo: info:eu-repo/semantics/conferenceobject
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
46.25%
Este artigo faz uma análise de dois manuais escolares actualmente em vigor com o objectivo de compreender de que forma esses manuais contribuem para promover o desenvolvimento efectivo da literacia matemática. Em particular pretendemos compreender o papel do manual escolar no desenvolvimento da literacia estatística e quais as dimensões da literacia estatística contempladas nos manuais escolares tendo em conta aspectos do modelo apresentado por Gal (2002) nas seguintes dimensões: interpretação, crítica e produção. A interpretação requer a capacidade de leitura de informação traduzida por textos escritos ou orais, números e símbolos, bem como gráficos e tabelas e a sua compreensão. A dimensão crítica contempla a capacidade de avaliar criticamente a informação estatística, mobilizando o conhecimento matemático e estatístico. A terceira dimensão, que intitulamos de produção, requer a capacidade de comunicar argumentos e informação estatística e de tomar decisões. Deste modo, é possível perceber que estas três dimensões traduzem níveis de complexidade crescente, na medida que cada uma pressupõe o domínio da anterior. A relevância da análise dos manuais é justificada pelo facto de o professor quando planifica as suas aulas nem sempre trabalhar directamente com os programas...

Actas do II encontro de probabilidades e estatística na escola

Fernandes, José António; Viseu, Floriano; Martinho, Maria Helena; Correia, Paulo Ferreira
Fonte: Edições CIEd Publicador: Edições CIEd
Tipo: info:eu-repo/semantics/book
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
56.4%
A investigação em Educação Estatística (incluindo os temas de Probabilidades, Estatística e Combinatória), tendo-se iniciado mais tarde do que a investigação educacional em outros ramos da matemática (e.g., números, álgebra e geometria), actualmente tem-se desenvolvido consideravelmente, consequência da integração das suas temáticas nos planos curriculares do ensino não superior, da criação de comunidades profissionais e científicas especialmente interessadas no ensino da Estatística, de que é exemplo paradigmático a International Association for Statistical Education (IASE), integrada no International Statistical Institute (ISI), e de muitas conferências, entre as quais se destaca a International Conference on Teaching Statistics (ICOTS), encontros e publicações no seu âmbito. O crescente desenvolvimento da Estatística e da sua presença na sociedade e na vida das pessoas faz prever que também o interesse pela investigação em Educação Estatística aumentará certamente no futuro. A este respeito, por vezes, o século XX é referido como tendo sido o século da Estatística e que o século XXI será o século da Educação Estatística.; Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT)

Conhecimento dos professores de 1º ciclo sobre educação estatística

Caseiro, Ana Sofia Ferreira
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em /12/2010 Português
Relevância na Pesquisa
66.29%
O presente estudo pretende contribuir para uma maior compreensão do conhecimento dos professores de 1º ciclo sobre educação estatística. Com este propósito foram formuladas as seguintes questões orientadoras da investigação: a) Que conhecimento estocástico é mobilizado pelos professores de 1º ciclo em tarefas de OTD?; a1) Que conhecimento comum (matemático e não matemático) deste conteúdo evidenciam os professores?; a2) Que conhecimento especializado (matemático e não matemático) deste conteúdo evidenciam os professores?; b) Que conhecimento pedagógico no ensino da OTD (do conteúdo e dos alunos e do conteúdo e do ensino) é mobilizado pelos professores de 1º ciclo em tarefas de OTD? A metodologia seguida neste estudo é de natureza qualitativa de cunho essencialmente interpretativo. A recolha de dados foi realizada inicialmente através de um questionário aplicado a 56 professores, seguido de um estudo mais aprofundado com três professores a leccionar turmas de 4º ano de escolaridade. A recolha de dados, com esses professores, foi realizada através de duas entrevistas semi-estruturadas e da observação não participante a cinco aulas de cada um. A análise dos dados foi realizada, sobretudo, através de um quadro de análise desenvolvido com base em estudos identificados na literatura...

Conhecimento dos professores de 1.º ciclo sobre educação estatística

Caseiro, Ana; Monteiro, Cecília
Fonte: CIED – Centro Interdisciplinar de Estudos Educacionais Publicador: CIED – Centro Interdisciplinar de Estudos Educacionais
Tipo: info:eu-repo/semantics/conferenceobject
Publicado em /05/2013 Português
Relevância na Pesquisa
66.25%
Este artigo baseia-se numa dissertação de mestrado1 que procurou contribuir para uma maior compreensão do conhecimento dos professores de 1.º ciclo sobre educação estatística. A metodologia seguida foi de natureza qualitativa de cunho interpretativo, tendo sido a recolha de dados iniciada através de um questionário aplicado a 56 professores, seguido de um estudo mais aprofundado com três professores a lecionar turmas de 4.º ano de escolaridade, aos quais foram realizadas, individualmente, duas entrevistas semi-estruturadas e observadas cinco aulas. A análise dos dados foi realizada, sobretudo, através de um quadro de análise desenvolvido com base em estudos identificados na literatura, onde foram relacionadas componentes do conhecimento do professor com sub-dimensões do conhecimento estatístico. Os resultados do estudo revelam que os professores envolvidos neste estudo evidenciam um conhecimento estatístico limitado no âmbito das seis dimensões do trabalho estatístico analisadas neste estudo, demonstrando não possuir conhecimentos necessários para lecionar OTD nesse nível de ensino de acordo com as atuais orientações curriculares de Matemática.

O conhecimento da estatística e da sua didática de futuros professores e educadores de infância.

Santos, Raquel
Fonte: Escola Superior de Educação. Instituto Politécnico de Santarém Publicador: Escola Superior de Educação. Instituto Politécnico de Santarém
Tipo: info:eu-repo/semantics/conferenceobject
Publicado em 09/02/2012 Português
Relevância na Pesquisa
46.31%
Esta comunicação pretende apresentar uma tese de doutoramento em curso na área de especialização de Didática de Matemática, cuja investigação se enquadra na formação inicial de professores no campo do ensino e a aprendizagem da Estatística. Com a elaboração do novo programa de Matemática do Ensino Básico (ME, 2007), tornou-se ainda mais importante que os professores, mesmo os dos primeiros anos, tenham um bom conhecimento de Estatística, e também sobre o ensino e a aprendizagem deste tema. Assim, é necessário prestar especial atenção à formação inicial de professores nesta área, de modo a que, no futuro, possam contribuir para formar cidadãos críticos da informação que os rodeia. Este estudo visa compreender os conhecimentos e capacidades que os futuros professores e educadores possuem sobre Estatística e a sua didática após terem frequentado as unidades curriculares sobre a área na ESES, sendo esse conhecimento analisado a partir do seu discurso e da sua ação. Scheaffer (2000) critica o ensino da Estatística perspetivado “como uma série de técnicas mais do que um processo de pensar acerca do mundo” (p. 158) e, apesar de reconhecer a utilidade dos procedimentos técnicos, como ponto de partida...

O ensino da estatística e da probabilidade na educação básica e a formação dos professores

Lopes,Celi Espasandin
Fonte: Centro de Estudos Educação e Sociedade Publicador: Centro de Estudos Educação e Sociedade
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2008 Português
Relevância na Pesquisa
66.41%
Este artigo trata sobre a relevância e os objetivos para se ensinar e aprender estatística e probabilidade na Educação básica. A partir dos resultados de pesquisas realizadas na Educação estatística e na Educação Matemática nas últimas décadas, traz considerações sobre os processos de ensino e aprendizagem da estocástica durante a infância e adolescência. Apresenta recomendações relativas ao currículo de Matemática no que se refere ao estudo da probabilidade e da estatística. Destaca questões relativas à formação inicial e contínua dos professores, ao desenvolvimento profissional e conhecimento profissional dos professores que ensinam matemática na educação infantil, ensino fundamental e médio.

Educação estatística no curso de licenciatura em matemática

Lopes,Celi Espasandin
Fonte: UNESP - Universidade Estadual Paulista, Pró-Reitoria de Pesquisa; Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática Publicador: UNESP - Universidade Estadual Paulista, Pró-Reitoria de Pesquisa; Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 Português
Relevância na Pesquisa
56.33%
Este artigo apresenta uma discussão sobre a disciplina de Estatística no curso de formação inicial do futuro professor de matemática que atuará na Educação Básica. Tem-se por objetivo problematizar o desenvolvimento teórico e metodológico dessa disciplina na formação docente, a partir da experiência de estágio na disciplina de Estatística oferecida no segundo semestre de 2008, na Universidade da Georgia (The University of Georgia). A proposta da disciplina parte da concepção de que estatística é uma ciência de análise de dados e que não pode ser tratada em um curso de formação de professores como uma parte da matemática aplicada. O desenvolvimento metodológico da disciplina centra-se na resolução de problemas e no uso de recursos tecnológicos. Os resultados evidenciam que as atividades de ensino propostas no curso promovem o desenvolvimento do pensamento estatístico dos futuros professores de matemática e auxilia-os na percepção sobre o trabalho a ser desenvolvido com seus futuros alunos. Cabe ressaltar, também, a importância da interação de futuros professores com professores em serviço durante as aulas regulares da disciplina.

As Narrativas de Duas Professoras em seus Processos de Desenvolvimento Profissional em Educação Estatística

Lopes,Celi Espasandin
Fonte: UNESP - Universidade Estadual Paulista, Pró-Reitoria de Pesquisa; Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática Publicador: UNESP - Universidade Estadual Paulista, Pró-Reitoria de Pesquisa; Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2014 Português
Relevância na Pesquisa
76.29%
Este artigo discute a potencialidade das narrativas para o desenvolvimento profissional de duas professoras que ensinam Matemática no Ensino Fundamental e estão inseridas em um grupo de trabalho colaborativo denominado Grupo de Investigação e Formação em Educação Matemática (GIFEM), o qual tem por objetivo viabilizar aos professores participantes a superação do desafio de implementar a Educação Estatística em suas aulas. Considera-se, neste estudo, o desenvolvimento profissional como um processo que salienta os aspectos que o professor, em função de suas competências, pode desenvolver e discute as contribuições da produção de narrativas para esse processo. Analisa as narrativas escritas e orais das professoras, produzidas a partir de atividades desenvolvidas com turmas do 5º e do 9º anos e busca evidências da ampliação do conhecimento profissional das professoras, do redimensionamento de sua prática e da produção de saberes que foram socializados durante os encontros do GIFEM.

Atitudes em relação à estatística e à matemática

Silva,Cláudia Borim da; Brito,Márcia Regina Ferreira de; Cazorla,Irene Maurício; Vendramini,Claudette Maria Medeiros
Fonte: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia Publicador: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2002 Português
Relevância na Pesquisa
46.28%
O objetivo deste trabalho foi verificar se as atitudes em relação à estatística poderiam estar relacionadas às atitudes em relação à matemática desenvolvidas durante a trajetória escolar do estudante. Os sujeitos foram 330 alunos de graduação que cursavam estatística introdutória em 1998. Foi aplicado um questionário, uma escala de atitudes em relação à estatística e outra em relação à matemática. As duas escalas apresentaram altos coeficientes de consistência interna. Verificou-se que os alunos apresentaram atitudes mais positivas em relação à matemática do que em relação à estatística. Não foram encontradas diferenças por gênero nas pontuações das duas escalas. Os alunos de exatas apresentaram atitudes mais positivas em relação à matemática e os de humanas atitudes mais negativas em relação à estatística. Os resultados indicaram que existe uma associação das atitudes em relação à matemática na formação das atitudes em relação à estatística e que essa associação é mais forte para os alunos de humanas.

Análise de atitudes de alunos universitários em relação à estatística por meio da teoria de resposta ao item

Turik,Claudia; Viali,Lori; Moraes,João Feliz Duarte de
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, campus de Bauru. Publicador: Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, campus de Bauru.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 Português
Relevância na Pesquisa
56.25%
O presente estudo faz uma análise das respostas fornecidas por uma amostra de 360 graduandos à Escala de Atitudes em relação à Estatística (EAE). Para tanto, o ajuste do Modelo de Resposta Gradual da Teoria de Resposta ao Item foi efetuado no software PARSCALE. A escala apresentou parâmetros de discriminação dos itens (a i) indo de moderado a alto. Os parâmetros de dificuldade dos itens (b i) mostraram que a proposição de mais fácil concordância por parte dos alunos foi referente à tensão sentida, pelos mesmos, durante as aulas de estatística. As variáveis que mostraram influenciar no nível de atitudes foram: área de estudo, autopercepção de desempenho na disciplina e reconhecimento da aplicabilidade da estatística. Esses resultados sugerem que sejam adotadas estratégias para desenvolvimento de um ambiente de ensino-aprendizado estimulante, agradável, e que reforce as aplicações da estatística no contexto do curso de cada estudante.

Uso da estatística na Educação Física: análise das publicações nacionais entre os anos de 2009 e 2011

TEIXEIRA,Inaian Pignatti; SMIRMAUL,Bruno Paula Caraça; LUCHINI,Paulo Eduardo Hartung; GOBBI,Ronaldo Bucken; MOURA,Leandro Pereira; FERNANDES,Rômulo Araújo
Fonte: Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo Publicador: Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2015 Português
Relevância na Pesquisa
46.48%
O objetivo do presente estudo foi verificar o padrão de uso da estatística em artigos científicos publicados em periódicos nacionais da área da Educação Física. Para tal, foram analisados todos os artigos publicados no triênio 2009-2011 de periódicos da área de Educação Física com estratificação B2 ou superior no QUALIS CAPES (Área 21) vigente. No levantamento bibliográfico foram encontrados 872 artigos nas cinco revistas pesquisadas, que foram classificados em sem estatística, estatística descritiva e estatística analítica. Para as análises, utilizou-se a estatística descritiva e o intervalo de confiança de 95% para comparar a diferença entre as proporções e, quando necessário, o teste qui-quadrado e regressão logística. Observou-se uma menor proporção de trabalhos com análise descritiva (7,1%; IC95% = 5,4%-8,8%) quando comparados com os artigos sem estatística (46,3%; IC95% = 42,9%-49,6%) e com estatística analítica (46,6%; IC95% = 43,2%-49,9%). O padrão de uso de procedimentos estatísticos variou entre as cinco revistas científicas e entre as áreas de concentração (Saúde, Esporte, Lazer, Educação e Outras). A proporção dos artigos que não atenderam aos pressupostos básicos para a utilização de testes paramétricos foi de 43...

A estatística e a probabilidade nos currículos dos cursos de licenciatura em matemática no Brasil

Silva, Lucicleide Bezerra da; Ferreira, Verônica Gitirana G. (Orientadora)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: dissertacao
Português
Relevância na Pesquisa
56.28%
Nossa pesquisa buscou investigar a formação para o ensino da Estatística e Probabilidade, nos currículos dos cursos de Licenciatura em Matemática (LM) no Brasil. O nosso estudo foi fundamentado pela discussão dos currículos de Sacristán, nos conhecimentos base necessários à docência de Schulman, em Gal e Garfield para estudarmos o que se tem como metas a serem alcançadas para o ensino desses componentes. E para entendermos os princípios que favorecem ao alcance dessas metas nos pautamos em diversos pesquisadores da Educação Estatística (EE). Na metodologia, mapeamos os cursos em todo o Brasil, suas regiões, estados, municípios e rede de ensino para construirmos nossa amostra com estratos proporcionais em todas as regiões e rede de ensino, com 78 cursos, distribuídos em 48 Instituições de Ensino Superior (IES). Coletamos matrizes curriculares, Projetos Políticos Pedagógicos, Ementários, Programas de disciplinas e aplicamos um questionário com coordenadores dos cursos. Utilizamos partes de análise estatística e de análise de conteúdo. Os resultados mostram que os componentes curriculares de formação conceitual em Estatística e Probabilidade estão presentes nas matrizes curriculares dos cursos de LM de forma obrigatória...

Expressões Afetivas na Interpretação de Dados Estatístico

Queiroz, Tamires Nogueira de; Monteiro, Carlos Eduardo Ferreira (Orientador); Carvalho, Liliane Maria Teixeira Lima de (Coorientadora)
Tipo: dissertacao
Português
Relevância na Pesquisa
46.25%
Pesquisas realizadas recentemente sobre interpretação de dados estatísticos têm investigado que o processo de interpretação é complexo e envolve aspectos cognitivos e afetivos. Em geral, as pesquisas vinculadas à Educação Estatística investigam os aspectos cognitivos e técnicos envolvidos na interpretação de dados. O objetivo geral deste estudo é analisar as expressões afetivas durante o processo de interpretação de dados estatísticos. Os objetivos específicos da pesquisa são: discutir as expressões afetivas como elemento do processo de interpretação de dados estatísticos em diferentes tarefas; e identificar as expressões afetivas apresentadas por estudantes de Licenciatura em Pedagogia e Bacharelado em Estatística, em situações de interpretação de dados. Os dados da pesquisa são referentes a entrevistas com 11 participantes, sendo seis do curso de Pedagogia e cinco de Estatística. Cada entrevista compõe-se de três etapas. Na primeira etapa, as questões vinculam-se a informações gerais de cada participante, bem como às suas vivências com a Estatística. A segunda parte da entrevista refere-se a questões relacionadas a quatro tarefas de interpretação de dados. A tarefa 1 é composta por uma notícia retirada de uma revista nacional sobre acesso ao exame de mamografia; a tarefa 2 está associada a um gráfico de um relatório oficial sobre óbitos em acidentes de trânsito envolvendo a população jovem no Brasil; a tarefa 3 aborda uma pesquisa realizada em Chicago sobre o acesso a armas por estudantes em idade escolar; a tarefa 4 refere-se a uma tabela retirada de um relatório oficial sobre projeção de viagens no Brasil...