Página 1 dos resultados de 168 itens digitais encontrados em 0.116 segundos

Conhecimento dos enfermeiros dos cuidados de saúde primários sobre síndrome HELLP

Belinha, Ana Sofia de Sousa
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: info:eu-repo/semantics/bachelorthesis
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
76.4%
Projeto de Graduação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Licenciada em Enfermagem; A prática da enfermagem continua a desenvolver e a adaptar-se às alterações das prioridades de saúde da sociedade. Os sistemas de prestação de cuidados de saúde, em constante mudança, oferecem aos profissionais de enfermagem novas oportunidades de modificar a conduta da enfermagem relativamente à mulher e à maternidade, para aperfeiçoar a forma como os cuidados são prestados. Assim sendo, e reconhecendo a importância dos enfermeiros dos cuidados de saúde primários e da sua relevância para a prevenção da doença e para os ensinos às mulheres grávidas e não grávidas, desenvolveu-se o seguinte Projeto de Graduação, intitulado “Conhecimento dos enfermeiros dos cuidados de saúde primários sobre síndrome HELLP”. Neste sentido, a investigação desenvolvida visa alcançar respostas para as seguintes questões: “Qual o conhecimento que os enfermeiros dos cuidados de saúde primários possuem sobre patologia hipertensiva?”; “Será que os enfermeiros dos cuidados de saúde primários possuem conhecimento sobre o síndrome HELLP na gravidez?”; “Será que os enfermeiros dos cuidados de saúde primários possuem conhecimento sobre a prevenção e os fatores de risco do síndrome HELLP na gravidez?”; e...

Prazer, contracepção e planeamento familiar na adolescência - a perspectiva do enfermeiro dos cuidados de saúde primários português!

Brás, Manuel; Anes, Eugénia; Neto, Alexandra; Brás, Maria de Fátima Morais; Praça, Maria Isabel Fernandes
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Saúde Publicador: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Saúde
Tipo: conferenceobject
Português
Relevância na Pesquisa
86.03%
O Homem desde sempre procurou conhecer os seus mecanismos biológicos, numa busca contínua de mais poder e maior bem-estar. No trilhar deste caminho, um dos marcos mais notáveis da ciência médica, foi a capacidade de interferir na biologia da reprodução. A habilidade de intervir nas funções biológicas, reflectiu-se no dimensionamento da célula familiar, sofrendo enormes e profundasalterações, espelhadas e reflectidas no tecido social, por força de várias alterações a nível dos usos e costumes, da economia e ainda no perfil etário das populações actuais. Estas profundas mudanças ocorreram talvez e especialmente, devido ao acesso a métodos contraceptivos eficazes e à possibilidade de escolher quando, quantos e em que altura ter filhos. Com o objectivo de identificar conceitos e percepções dos enfermeiros dos CSP, face à contracepção, métodos contraceptivos e sexualidade dos adolescentes, realizamos um estudo exploratório, descritivo, transversal de cariz eminentemente quantitativo. Amostragem probabilística,amostra aleatória de 1735 profissionais de enfermagem de 226 centros de saúde de Portugal.A idade média dos inquiridos é 39 anos. Mínimo 22 e máximo de 68 anos. Dos inquiridos, (93,3%)são do sexo feminino e (6...

Grau de satisfação com os cuidados de saúde primários prestados aos utentes portadores de ostomias de eliminação

Ribeiro, Maria Isabel; Vicente, Anabela; Gonçalves, Júlia; Raposo, Maria; Santos, Sara
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Saúde Publicador: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Saúde
Tipo: conferenceobject
Português
Relevância na Pesquisa
76.05%
Introdução: Um doente portador de ostomia é uma pessoa que foi submetida a cirurgia para o desvio do trânsito intestinal e/ou urinário do seu trajeto normal, devido a uma determinada situação, seja de doença, trauma ou outras. Neste contexto, o Enfermeiro assume um papel muito ativo ao tentar ajudar e cuidar do doente ostomizado. O ostomizado passa por alterações drásticas em relação à representação do seu corpo, nas práticas, nas experiências, no relacionamento familiar, no relacionamento sexual e nas relações sociais que afetam o trabalho e o lazer, repercutindo-se na sua autonomia (Borges et al., 2007). Uma preparação física e psicológica adequada é indispensável para que o utente retome a sua vida habitual, uma vez que se trata de uma intervenção cirúrgica em que existem diferentes sentimentos e diferentes reações, desde a descrença, recusa, e choque (Fernandes, 2004). Objetivos: Conhecer as características dos utentes portadores de ostomias de eliminação, determinar o grau de satisfação com os Cuidados de Saúde Primários prestados e identificar os ensinos realizados. Material e Métodos: Foi conduzido um estudo exploratório, transversal e descritivo no qual participaram 43 utentes, portadores de ostomias de eliminação...

Enfermeiro de família, um especialista de e com futuro? sim (...)! porque (...)!

Brás, Manuel; Brás, Maria de Fátima Morais; Moura, Sandra Cristina Mendo
Fonte: Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: conferenceobject
Português
Relevância na Pesquisa
76.16%
As mudanças sociais e culturais, políticas e demográficas, que a sociedade atual experiencia,sugerem que o modelo de organização de cuidados de saúde deixe de se centrar na doença para se focalizar nas necessidades reais de saúde da população, sendo o contexto familiar o que se adivinha como o mais privilegiado para se avaliar as respostas humanas aos processos de transição e de doença, pois, a família, sob o ponto de vista sociológico, constitui-se como a primeira unidade de cuidados de saúde. A enfermagem, enquanto profissão indissociável eintrinsecamente ligada ao cuidar, nasceu como que integrada no seio da família, sendo, esta alvo dos cuidados e um recurso para os mesmos. A prática da enfermagem constitui a essência fundamental dos Cuidados de Saúde Primários (CSP). Pela formação, experiência e os ambientes onde trabalhamos fazem com que assim seja. Os enfermeiros prestam cuidados onde quer que as pessoas se encontrem e a casa (leia-se família) é hoje pedra angular no âmbito da saúde familiar (ICN, 2003; Hanson, 2004). Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), os enfermeiros de família podem ajudar indivíduos e famílias a lidar com a doença e incapacidade crónica, ou períodos de stress e maior vulnerabilidade...

Um olhar sobre o ombro aos conhecimentos dos enfermeiros dos cuidados de saúde primários portugueses sobre a sexualidade dos adolescentes no final da primeira década do século XXI

Brás, Manuel; Anes, Eugénia; Brás, Maria de Fátima Morais; Praça, Maria Isabel Fernandes; Moura, Sandra Cristina Mendo
Fonte: Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: conferenceobject
Português
Relevância na Pesquisa
86.13%
Este artigo, excerto de uma tese de doutoramento, procura vislumbrar através de um olhar sobre o “ombro” a opinião dos enfermeiros portugueses dos cuidados de saúde primários face à sexualidade dos adolescentes, com quem diariamente se encontram nas consultas de enfermagem. Os resultados, sugerem entre outros que, as escolas não preparam estes profissionais relativamente a estas temáticas (sexualidade e adolescência) mais, estes profissionais consideram a masturbação como um expressão normal da sexualidade em particular nesta faixa etária e mais frequente no rapaz que na rapariga. Consideram ainda que o medo da quebra de sigilo é fator que inibe os adolescentes a frequentarem mais as consultas de enfermagem, muito particularmente as de planeamento familiar.

Satisfação dos utentes com os cuidados de enfermagem nos cuidados de saúde primários

Ferreia, Carina; Brás, Manuel; Anes, Eugénia
Fonte: Escola Superior de Enfermagem do Porto Publicador: Escola Superior de Enfermagem do Porto
Tipo: conferenceobject
Português
Relevância na Pesquisa
76.22%
A avaliação da qualidade dos cuidados de enfermagem prestados em Cuidados de Saúde Primários, deve ser tida em conta pelos gestores das instituições, uma vez que a satisfação dos utentes constitui uma realidade pertinente e é um elemento estrutural dos serviços de saúde.

Qual o hábito dos enfermeiros dos cuidados de saúde prímários lidar habitualmente com os adolescentes?

Brás, Manuel; Figueiredo, Maria; Ferreira, Carina; Anes, Eugénia
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Chaves Dr. José Timóteo Montalvão Machado, UTAD, Escola Superior de Enfermagem de Vila Real Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Chaves Dr. José Timóteo Montalvão Machado, UTAD, Escola Superior de Enfermagem de Vila Real
Tipo: conferenceobject
Português
Relevância na Pesquisa
86.13%
As interações entre os enfermeiros e utentes são fundamentais, particularmente na adolescência. Os cuidados de saúde primários devem ter profissionais cientificamente preparados e motivados para abordar com os adolescentes temas da sua esfera de interessa. Se, porventura, nas áreas mais sensíveis, o processo de relação profissional se desenvolver de forma humanizada, sigilosa e cientificamente sustentada, acreditamos estar a contribuir para uma adolescência sem grandes complicações e angústias.

Dificuldades sentidas pelas equipas na referenciação de utentes para a RNCCI

Fernandes, Andreia Filipa Fidalgo; Baptista, Gorete; Martins, Paula
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Chaves Dr. José Timóteo Montalvão Machado, UTAD, Escola Superior de Enfermagem de Vila Real Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Chaves Dr. José Timóteo Montalvão Machado, UTAD, Escola Superior de Enfermagem de Vila Real
Tipo: conferenceobject
Português
Relevância na Pesquisa
76.05%
A Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados é fundamentaI para a eficácia na prestação de cuidados de saúde e apoio social. Na entrada de utentes para a Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados é essencial que o processo de referenciação se concretize, implicando trabalho em equipa. Os grupos profissionais envolvidos na referenciação, enfermeiros, médicos e assistentes sociais, têm competências diferentes, mas apenas na equipa interdisciplinar permite alvejar a qualidade ho1ística dos cuidados. O trabalho em equipa e a transdisciplinaridade são valores chave na referenciação, de forma a assegurar a articulação e continuidade dos cuidados continuados. Porém, há dificuldades que surgem nesse processo, pelo que realizámos a presente investigação no sentido de averiguar quais as principais dificuldades sentidas no processo de referenciação, tendo como população alvo as equipas dos cuidados de saúde primários. Foi feito um estudo exploratório descritivo de natureza transversal em 111 profissionais, tendo sido construído um questionário para a recolha de informação. A troca de experiências entre profissionais, a burocratização no processo de referenciação, as situações de referenciação logo após a alta hospitalar...

Perceção dos enfermeiros acerca da metodologia de trabalho: humanitude na gestão de cuidados de saúde

Olívia, Costa; Galvão, Ana Maria; Baptista, Gorete
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Tipo: conferenceobject
Português
Relevância na Pesquisa
86.04%
A presente investigação debruça-se sobre a gestão de cuidados, no que concerne, à temática da aplicação da metodologia de trabalho Humanitude. Reconhecida a perceção da riqueza subjacente a esta ferramenta de trabalho pela equipa de enfermagem é exequível perspetivar intervenções a nível de gestão de cuidados de saúde, específicas à realidade do contexto institucional dos Cuidados de Saúde Primários, que visem o otimizar da qualidade de serviços prestada ao utente e, consequentemente, o aumento da satisfação e motivação dos profissionais envolvidos na relação do cuidar. Conhecer as perceções dos enfermeiros sobre a metodologia do cuidar: Humanitude; identificar os seus conteúdos representacionais sobre Humanitude; elaborar uma proposta de intervenção específica na área da gestão dos cuidados de saúde e estabelecer possíveis correlações entre variáveis independentes (sociodemográficas) e os pilares da Humanitude. Estudo de natureza exploratória, descritivo, de carácter quantitativo e correlacional, desenvolvido numa amostra de 35 enfermeiros, de um centro de saúde do norte do país. Foi elaborado um questionário dirigido aos objetivos e contexto específicos. Este instrumento, assente nos pilares da Humanitude...

Os adolescentes e a sexualidade: assuntos da procura dos cuidados de saúde primários

Brás, Manuel; Anes, Eugénia; Praça, Maria Isabel Fernandes; Brás, Maria de Fátima Morais
Fonte: Asociación de Psicología Evolutiva y Educativa de la Infancia y de la Adolescencia (INFAD de Psicologia) Publicador: Asociación de Psicología Evolutiva y Educativa de la Infancia y de la Adolescencia (INFAD de Psicologia)
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
75.95%
Procuramos conhecer as questões colocadas pelos adolescentes aos enfermeiros dos cuidados de saúde primários, no sentido de facilitar a tomada de decisão e intervenção ao nível de uma sexualidade saudável. Desenvolvemos, um estudo descritivo, exploratório e transversal, em 1735 enfermeiros de 226 Centros de Saúde, das 18 Sub-regiões de Saúde e 2 Secretarias Regionais da Madeira e Açores. Dos 1735 participantes no nosso estudo (93,3%) dos enfermeiros inquiridos são do sexo feminino, e (6,7%) são do sexo masculino. A idade varia entre 22 e 68 anos, com uma moda de 39 anos, média de 37,3 anos e um desvio padrão de 9,2. A maioria vivem em meio urbano (54,1%) e em meio rural vivem 45,9%. Vivem no interior 46,3%, no litoral 46,2%, na ilha da Madeira 4,2% e na ilha dos Açores 3,3%. Os assuntos colocados com maior frequência são a contracepção (48,4%), as doenças sexualmente transmissíveis (21,7%) e a sexualidade (19,8%). Constatamos existir relação entre os assuntos colocados com maior frequência e as variáveis socio-demográficas a idade, o sexo e a zona de residência.

A adolescência e sexualidade a óptica do enfermeiro dos cuidados de saúde primários português

Brás, Manuel; Anes, Eugénia; Brás, Maria de Fátima Morais; Praça, Maria Isabel Fernandes
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Tipo: conferenceobject
Português
Relevância na Pesquisa
86.26%
Lidar com a adolescência e a “sexualidade”, faz parte das actividades que, embora não oficialmente explicitadas, permeiam todas as acções e comportamentos do profissional de enfermagem dos cuidados de saúde primários, enquanto exigência maior, para desempenhar o seu papel profissional. Os profissionais de enfermagem dos cuidados de saúde primários que se propõem trabalhar com grupos de adolescentes nos Centros de Saúde, Escolas ou Centros Comunitários, sabem que a questão que emerge com particular significado nas discussões é a sexualidade. Objetivos: Identificar conhecimentos e informação, opiniões e atitudes dos enfermeiros dos CSP, face à sexualidade dos adolescentes. Metodologia: Desenvolvemos um estudo descritivo-transversal, com metodologia quantitativa, que faz a abordagem da população em estudo, através de amostragem probabilística, apoiada na amostra aleatória simples. Na recolha de dados foi usado um questionário, constituído por questões fechadas e semiabertas, questões escala e cenário e uma escala de atitudes. Participaram no estudo 1735 enfermeiros, que exercem actividade em 226 Centros de Saúde das 18 Sub-regiões de Saúde do continente e das regiões autónomas Madeira e Açores. Os dados foram colhidos entre 24 de Março a 25 de Junho de 2005. Resultados: A idade média dos enfermeiros inquiridos é de 39 anos. Pela análise da mediana...

A adolescência e a sexualidade. A óptica do enfermeiro dos cuidados de saúde primários português

Brás, Manuel; Anes, Eugénia; Brás, Maria de Fátima Morais; Praça, Maria Isabel Fernandes
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra e a Unidade de Investigação em Ciências da Saúde Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra e a Unidade de Investigação em Ciências da Saúde
Tipo: conferenceobject
Português
Relevância na Pesquisa
96.26%
Lidar com a adolescência e a “sexualidade”, faz parte das actividades que, embora não oficialmente explicitadas, permeiam todas as acções e comportamentos do profissional de enfermagem dos cuidados de saúde primários, enquanto exigência maior, para desempenhar o seu papel profissional. Os profissionais de enfermagem dos cuidados de saúde primários que se propõem trabalhar com grupos de adolescentes nos Centros de Saúde, Escolas ou Centros Comunitários, sabem que a questão que emerge com particular significado nas discussões é a sexualidade. Pretendemos Identificar conhecimentos e informação, opiniões e atitudes dos enfermeiros dos CSP, face à sexualidade dos adolescentes. Desenvolvemos um estudo descritivo-transversal, com metodologia quantitativa, que faz a abordagem da população em estudo, através de amostragem probabilística, apoiada na amostra aleatória simples. Na recolha de dados foi usado um questionário, constituído por questões fechadas e semiabertas, questões escala e cenário e uma escala de atitudes. Participaram no estudo 1735 enfermeiros, que exercem actividade em 226 Centros de Saúde das 18 Sub-regiões de Saúde do continente e das regiões autónomas Madeira e Açores. Os dados foram colhidos entre 24 de Março a 25 de Junho de 2005. A idade média dos enfermeiros inquiridos é de 39 anos. Pela análise da mediana...

Percepções de educadoras e proposta institucional acerca dos cuidados infantis de saúde em creche.; Caregiver´s perceptions and institutional proposal concerning the childhood health care in day-care center

Alves, Roberta Cristiane Pascarelli
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/09/2006 Português
Relevância na Pesquisa
75.96%
Promover saúde à criança é garantir cuidados de qualidade que proporcionem seu desenvolvimento integral. A creche é um dos locais onde muitas crianças vivem grande parte da infância, o que justifica buscar compreender como são os cuidados oferecidos a elas nesse serviço. A presente investigação teve como objetivo geral caracterizar aspectos relacionados à implementação de cuidados de saúde infantil em creche e como objetivos específicos identificar percepções de educadoras e proposta institucional acerca dos cuidados de saúde às crianças. Foram realizadas entrevistas com quatro professoras e a coordenadora pedagógica de uma creche pública municipal, na cidade de São Paulo, e análise de documentos institucionais. Nos discursos das educadoras, a integração das funções de educar e cuidar aparece como própria do trabalho na creche, mas vários fatores dificultam seu exercício, tais como a precária formação para as questões de cuidado, particularmente os de saúde, e a sobrecarga de atividades. Face às dificuldades, surgem questionamentos acerca da possibilidade de efetivar amplamente essa integração. A educação ainda aparece como o foco principal do trabalho das professoras, ficando o cuidado como algo inevitável...

Atitudes e barreiras à prática de enfermagem baseada na evidência em contexto comunitário; Attitudes and barriers to evidence-based nursing practice in a community context; Actitudes y barreras para la práctica de enfermería basada en la evidencia en un contexto comunitario

Pereira, Rui Pedro Gomes; Cardoso, Maria José da Silva Peixoto de Oliveira; Martins, Maria Alice Correia dos Santos Cardoso
Fonte: ESEnfC - UICS-Enfermagem Publicador: ESEnfC - UICS-Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /07/2012 Português
Relevância na Pesquisa
76.12%
Trabalho de Investigação desenvolvido no âmbito da atribuição da Bolsa de Investigação Enfermeira Maria Aurora Bessa pela Secção Regional do Norte da Ordem dos Enfermeiros em 2010; Enquadramento: Várias pesquisas, têm identificado barreiras à prática baseada em evidência (PBE). A maioria dessas investigações foi realizada em contextos diferenciados. Justifica-se o desenvolvimento de investigação para identificar barreiras e atitudes face à PBE em contexto comunitário, atendendo à reorganização e centralidade dos Cuidados de Saúde Primários. Os objetivos de pesquisa foram: a) identificar barreiras percecionadas face à adoção de uma prática de enfermagem baseada na evidência em contexto comunitário; b) descrever as atitudes dos enfermeiros em relação à prática baseada em evidência. Metodologia: Desenvolveu-se um estudo transversal, exploratório e descritivo que decorreu numa Unidade Local de Saúde do norte de Portugal, recorrendo à versão teste do “Questionário de Atitudes face à Prática Baseada em Evidência” (Mckenna, Ashton e Keeney, 2004). Os resultados sobrepõem-se aos dos estudos internacionais embora considerem especificidades nacionais. No geral, as barreiras identificadas são de várias etiologias: pessoal...

De enfermeiro por programa a enfermeiro de família

Figueiredo, Maria Filomena Trincheiras de
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: masterthesis
Português
Relevância na Pesquisa
76.04%
Em 2006, com a Reforma dos Cuidados de Saúde Primários, surgem as USF, unidades baseadas num modelo organizativo de trabalho em equipa, baseado na medicina geral e familiar e na enfermagem de família. Na USF Ars medica, o modelo organizativo de trabalho que vigorava, até Setembro de 2010, era o modelo de enfermeiro por programa, ou seja, o enfermeiro estava colocado num determinado Programa de Saúde/área de actuação e só desenvolvia actividades nessa mesma área de actuação. Com a eminente passagem a Modelo B, e a consequente exigência de modelo organizativo de Enfermeiro de Família, tornou-se necessário reorganizar os cuidados de enfermagem. O projecto teve como finalidade criar condições e implementar o modelo organizativo de Enfermeiro de Família na USF Ars medica (ACES VI – Loures), aquando da candidatura a Modelo B (Junho 2011). Neste Relatório, apresenta-se todo o trajecto percorrido, desde a fase de preparação, até ao momento actual; Abstract: In 2006, with the Reform of Primary Health Care, come the USF, organizational units based on a model of teamwork based in general and family medicine and family nursing. At USF Ars medica, the organizational model of work that existed until September 2010 was the model of program nurse...

A saúde mental dos enfermeiros nos cuidados de saúde primários: uma abordagem no ACES da Cova da Beira

Florentim, Ricardo Jorge Santos; Cabral, Lídia Rosário, orient.; Duarte, João Carvalho, co-orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
96.11%
Introdução e Objectivos: A Saúde Mental é uma das componentes da Saúde, onde o Enfermeiro é um profissional de referência dos indivíduos, das famílias e da comunidade. Contudo, para cuidar é preciso cuidar-se. Deste modo, os objectivos desta investigação são: avaliar a Saúde Mental dos Enfermeiros nos Cuidados de Saúde Primários (nomeadamente no ACES da Cova da Beira), analisar a relação entre os factores sócio-demográficos e a Saúde Mental e determinar se os factores profissionais influenciam a mesma. Metodologia: Esta investigação quantitativa assenta numa base descritiva e correlacional, mediante utilização de um questionário (para descrição dos factores sócio-demográficos e profissionais) e do Inventário de Saúde Mental (para avaliação da Saúde Mental) aplicados aos Enfermeiros do ACES da Cova da Beira, durante a 2ª quinzena de Setembro de 2011. Resultados: A maioria dos Enfermeiros do ACES da Cova da Beira é do sexo feminino, com idade superior a 40 anos, casados, licenciados, com a categoria profissional de Enfermeiro e exerce funções no Centro de Saúde da Covilhã. Porém, não existe relação estatística entre a Saúde Mental dos Enfermeiros e as variáveis sócio-demográficas e profissionais estudadas. Conclusões: As Enfermeiras e os profissionais do Centro de Saúde de Belmonte têm melhores níveis de Saúde Mental. Paralelamente...

Da assistência aos pobres aos cuidados de saúde primários em Portugal : o papel da enfermagem : 1926-2002

Rodrigues, Ana Paula Gato R. Polido
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública. Universidade Nova de Lisboa Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública. Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
76.34%
RESUMO - Este estudo analisa a forma como os cuidados de saúde não hospitalares e a enfermagem comunitária, se desenvolveram e se influenciaram mutuamente, no período 1926-2002. Trata-se de um estudo histórico que recorre a fontes escritas, imagéticas e orais, e utiliza conceções do novo institucionalismo e os conceitos de poder e biopoder de Foucault, para investigar este processo. Apresenta e analisa as origens destes cuidados e da enfermagem comunitária, o modo como se institucionalizaram e como evoluíram. A criação e desenvolvimento dos cuidados de saúde não hospitalares foram acompanhados pela individualização da enfermagem comunitária. As políticas e práticas dos cuidados de saúde primários e da enfermagem comunitária apresentam uma clara dependência do percurso já realizado. A sua génese está ligada a práticas de caridade cristã de assistência aos mais pobres liderada pelas Misericórdias e ordens religiosas. O novo entendimento sobre o papel do Estado relativamente à saúde conduziu à criação de instituições não hospitalares e à diferenciação da enfermagem comunitária. Assinale-se como momentos positivos para enfermeiros e instituições a formação das visitadoras sanitárias...

Dos contextos da prática à (co)construção do modelo de cuidados de enfermagem de família

Figueiredo,Maria Henriqueta de Jesus Silva; Martins,Maria Manuela Ferreira Pereira da Silva
Fonte: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2009 Português
Relevância na Pesquisa
76.12%
Face aos desafios que se colocam aos enfermeiros, no desenvolvimento de cuidados centrados na família como contexto e unidade de intervenção, realizamos uma pesquisa direcionada para a intervenção familiar, no contexto dos Cuidados de Saúde Primários. De natureza qualitativa, adotamos a metodologia de investigação-ação, numa trajetória de cinco etapas, integradas num ciclo de estudos. Dos resultados do diagnóstico, através da análise comparativa dos modelos conceituais com as práticas de cuidados à família, emergiu a necessidade da mudança iniciada com um processo formativo. Tendo como referenciais o Modelo Sistêmico, o Modelo Calgary de Avaliação da Família e o Modelo Calgary de Intervenção na Família, reconstruiu-se o modelo de cuidados de enfermagem à família, operacionalizando-o através da definição das áreas de atenção e intervenção. A co-construção do modelo a partir das necessidades identificadas pelos enfermeiros, legitimado pelas tomadas de decisão dos mesmos, constitui-se como base de discussão no contexto da enfermagem de família.

A utilização do inquérito domiciliar como instrumento de acompanhamento de ações de saúde em microáreas: analisando a situação vacinal de menores de um ano

Malta,Rodrigo Fernandes; Mishima,Silvana Martins; Almeida,Maria Cecília Puntel de; Pereira,Maria José Bistafa
Fonte: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto / Universidade de São Paulo Publicador: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto / Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2002 Português
Relevância na Pesquisa
75.76%
Uma das estratégias que os serviços locais de saúde dispõem para acompanhamento de atividades é o inquérito domiciliar, fonte de informação importante sobre acesso aos serviços e conhecimento da situação de saúde da população. Objetiva-se aqui analisar o uso do inquérito como instrumento para diagnóstico e acompanhamento da situação vacinal de menores de 1 ano em uma microárea de Ribeirão Preto. No primeiro semestre de 1998, foram entrevistadas 106 famílias, utilizado-se um cadastro familiar, sendo identificadas 9 (4,35% da população) crianças menores de 1 ano onde 4 (44,44%) apresentaram atraso na vacinação. Posteriormente, foi identificado que 8 crianças apresentaram o esquema atualizado, e em apenas 1 caso não se obteve informação. Pode-se verificar que o inquérito domiciliar é uma estratégia viável para acompanhar e avaliar a assistência prestada, no caso deste estudo, as ações de vacinação, de modo a determinar de modo eficaz e eficiente rumos a serem traçados na assistência à saúde no nível local.

A prática da enfermagem na atenção à saúde da criança em unidade básica de saúde

Figueiredo,Glória Lúcia Alves; Mello,Débora Falleiros de
Fonte: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto / Universidade de São Paulo Publicador: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto / Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2003 Português
Relevância na Pesquisa
75.94%
Este estudo tem como objetivo identificar as ações de enfermagem no acompanhamento do crescimento e desenvolvimento de crianças menores de cinco anos de idade, usuárias de duas Unidades Básicas de Saúde de Franca-SP. O estudo empírico foi baseado em observação, através de videogravação, das atividades de enfermagem nos setores de vacinação, pré-consulta, pós-consulta e coleta para o teste do "pezinho". Depreendemos que as ações básicas de acompanhamento do crescimento e desenvolvimento, de estímulo ao aleitamento materno, orientações alimentares, vacinação, prevenção de doenças prevalentes estão permeando a assistência de enfermagem, embora de forma fragmentada na comunicação e vínculo com a clientela.