Página 1 dos resultados de 58 itens digitais encontrados em 0.038 segundos

Cimento ósseo de fosfato tricálcio : síntese e influência de aditivos na sua injetabilidade

Alves, Hugo Leonardo Rocha
Tipo: dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
57.15%
Cimentos ósseos são materiais desenvolvidos há aproximadamente uma década para aplicações biomédicas. Um cimento deste tipo pode ser preparado misturando um sal de fosfato de cálcio com uma solução aquosa para que se forme uma pasta que possa reagir à temperatura corporal dando lugar a um precipitado que contenha hidroxiapatita [Ca10(PO4)6(OH)2]. A similaridade química e morfológica entre este biomaterial e a parte mineral dos tecidos ósseos permite a osteocondução, sendo o cimento substituído por tecido ósseo novo com o tempo e com a vantagem de não desencadear rejeição. Estes cimentos são usados principalmente para as operações de preenchimento ósseo, que requer operações cirúrgicas extremamente invasivas. O desafio atual é colocar este biomaterial no local de enxerto pelo método menos agressivo possível. A inovação consiste em formular composição de cimento ósseo injetável pela incorporação de aditivos. No entanto, propriedades como reduzido tempo de cura, limitada dissolução em meio líquido e resistência mecânica adequada ao local do enxerto devem ser preservadas. Neste estudo, foram abordados oito diferentes aditivos que foram incorporados ao fosfato tricálcico [Ca3(PO4)2] sintetizado...

Desenvolvimento de cimento ósseo de fosfato de cálcio como suporte para o crescimento de tecidos

Machado, Jeferson Luis de Moraes
Tipo: dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.72%
O crescimento de células em arcabouços tridimensionais porosos tem se tornado progressivamente ativo na engenharia de tecidos. Os arcabouços guiam o crescimento celular, sintetizam uma matriz extracelular e outras moléculas biológicas, e facilitam a formação de tecidos e órgãos funcionais. Um cimento deste tipo pode ser preparado misturando um sal de fosfato de cálcio com uma solução aquosa para que se forme uma pasta que possa reagir à temperatura corporal dando lugar a um precipitado que contenha hidroxiapatita (Ca10(PO4)6(OH)2). A similaridade química e morfológica entre este biomaterial e a parte mineral dos tecidos ósseos permite a osteocondução, sendo o cimento substituído por tecido ósseo novo com o tempo e com a vantagem de não desencadear processos inflamatórios e de corpo estranho, com eventual expulsão do material implantado. O objetivo do presente trabalho foi a obtenção e caracterização de suportes tridimensionais para a engenharia de tecido, com o uso de matérias-primas nacionais, por meio da utilização de microesferas de parafina como corpos geradores de poros. As microesferas foram produzidas por suspensão em solução aquosa de poli (álcool vinílico) (PVA) e sulfato de sódio (Na2SO4). Foram analisadas as fases presentes no cimento sintetizado e após a reação de cura do mesmo...

Influência de aditivos na injetabilidade de cimento ósseo de fosfato tricálcico; Additives influence on the injectability of tricalcium phosphate bone cement

Alves, Hugo Leonardo Rocha; Santos, Luis Alberto dos; Bergmann, Carlos Perez
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
67.44%
Os cimentos de fosfatos de cálcio são biomateriais formados pela mistura de um pó de fosfato de cálcio com água ou com solução aquosa de sais orgânicos ou inorgânicos formando uma pasta que reage à temperatura ambiente ou corpórea, endurecendo como resultado da reação de precipitação. Cimentos de fosfato de cálcio são usados comumente em cirurgias de preenchimento ósseo na odontologia e ortopedia, que requerem procedimentos extremamente invasivos. A inovação consiste em formular uma pasta injetável pela incorporação de aditivos. Neste estudo, três aditivos (carboxi-metil-celulose, polímero de agar e alginato de sódio) foram incorporados a fosfato tricálcico-alfa, nas concentrações de 0,4%; 0,8%; 1,6%; 3,2%; 6,4% em massa. Os resultados demonstraram que foi possível obter composições de cimento de fosfato tricálcico injetáveis. Verificou-se que a injetabilidade, medida por um método inédito proposto, depende do comportamento reológico das pastas. Neste estudo, as formulações com 1,6% de carboxi-metil-celulose, 1,6% de agar e 0,8% de alginato de sódio, permitiram a obtenção de uma viscosidade suficiente para uma boa homogeneização e injeção do cimento.; Calcium phosphate cements are biomaterials made of a mixture of calcium phosphate powder with water or with aqueous solutions of inorganic or organic salts...

Síntese do ?-fosfato tricálcico e estudo da modificação de cimentos de fosfato de cálcio com silicato tricálcico

Ferreira, Oscar Jacinto Bareiro
Tipo: trabalho de conclusão de graduação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
47.81%
Os cimentos ósseos de fosfato de cálcio apresentam uma série de vantagens de utilização em ortopedia e traumatologia, sendo as mais destacadas a sua biocompatibilidade e bioatividade, que permitem a osteocondução dos tecidos e o endurecimento “in situ”, permitindo maior facilidade de manipulação. A principal desvantagem destes cimentos é sua baixa resistência mecânica, que no melhor dos casos consegue igualar-se à do osso trabecular. A adição do silicato tricálcico ao cimento de fosfato de cálcio pode ser efetiva no aumento da ostecondutividade do cimento. Porém, só alguns estudos têm sido feitos para avaliar os efeitos da adição do silicato tricálcico nas propriedades mecânicas dos cimentos de fosfato de cálcio. O objetivo do trabalho foi obter pós de ?-fosfato tricálcico [?-(Ca3(PO4)2)], mediante o método tradicional de reação de estado sólido, e por um método inovador para este fim, a reação por combustão. Avaliar comparativamente as propriedades dos pós de ?-fosfato tricálcico e dos cimentos de ?-fosfato tricálcico, obtido por ambos os métodos, para sua escolha e implementação no estudo da modificação do cimento de fosfato de cálcio com silicato tricálcico [Ca3SiO5]. As rotas de reação de estado sólido e reação por combustão permitiram a obtenção do ?-fosfato tricálcico como fase majoritária e de forma cristalina...

Obtenção e utilização de microesferas de parafina para confecção de arcabouços teciduais baseados em cimento de ?-fosfato tricálcico; Production and use of paraffin microspheres for tissue scaffolds based on ?-tricalcium phosphate cement

Machado, Jeferson Luis de Moraes; Santos, Luis Alberto dos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
67.31%
Um dos fatores mais importantes na técnica conhecida por engenharia de tecidos é o crescimento de células em suporte porosos tridimensionais conhecidos por arcabouços. Os arcabouços guiam o crescimento celular e facilitam a formação de tecidos e órgãos funcionais. Cimentos ósseos são materiais desenvolvidos há aproximadamente uma década para aplicações biomédicas. Um cimento deste tipo pode ser preparado misturando um sal de fosfato de cálcio com uma solução aquosa para que se forme uma pasta que possa reagir à temperatura corporal dando lugar a um precipitado que contenha hidroxiapatita. O desenvolvimento de estruturas porosas de cimento de fosfato de cálcio é de grande utilização em engenharia de tecidos, além de outras áreas da traumatologia. O objetivo deste trabalho foi o uso de cimento de ?-TCP (?-fosfato tricálcico) para obtenção desses arcabouços, através da obtenção e utilização de esferas de parafina como corpos geradores de poros. O ?-TCP foi sintetizado por resfriamento brusco de seus precursores e, as esferas foram produzidas por suspensão em uma solução aquosa de poli (álcool vinílico) e sulfato de sódio. As quantidades de cada um destes reagentes foram estudadas com relação ao tamanho das esferas formadas. Pela análise de difração de raios X foi detectada a presença de ?-TCP como fase indesejada no processo de síntese do ?-TCP e de hidroxiapatita deficiente em cálcio após a reação de pega do cimento. Foi analisada a extração da parafina dos arcabouços por utilização de um método térmico. A porosidade dos arcabouços confeccionados com esferas de parafina foi observada por microscopia eletrônica de varredura...

Estudo comparativo do uso isolado de plasma rico em plaquetas e combinado com cimento de alfa-fosfato tricálcico no reparo ósseo em ratos; Comparative study on use of platelet-rich plasma alone and in combination with alpha-tricalcium phosphate cement for bone repair in rats

Sebben, Alessandra Deise; Hoff, Gabriela; Klein, Caroline Peres; Freitas, Thiago Alexi de; Assad, Camilla Araújo; Santos, Luis Alberto dos; Silva, Jefferson Braga
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.92%
Objetivos: Avaliar o efeito do cimento ?-TCP combinado com PRP sobre a osteogênese, comparando os resultados com PRP utilizado isoladamente. Métodos: Foi confeccionado defeito bilateral no fêmur de ratos e preenchido com um dos dois tipos de tratamentos (PRP ou ?-TCP+PRP), sendo avaliado em quatro e oito semanas. As imagens radiográficas forneceram valores da área da lesão, e a histologia (coloração Picrosirius) indicou a área de neoformação óssea. Resultados: As médias referentes à área de lesão do grupo ?-TCP+PRP (2,64mm² ± 2,07 e 1,91mm² ± 0,93; quatro e oito semanas, respectivamente) demonstraram numericamente melhores resultados, porém não significativos (p > 0,05), em comparação com aqueles observados no grupo PRP (5,59mm² ± 2,69 e 3,23mm² ± 1,46; quatro e oito semanas, respectivamente). As médias de neoformação óssea foram de 62,7% ± 12,1% e 79,01% ± 6,25 no grupo PRP, e 73,3% ± 12,7 e 85,86% ± 10,45 no grupo ?-TCP+PRP, em quatro e oito semanas, respectivamente (p > 0,05). Conclusão: Os dados deste estudo sugerem que o tratamento com cimento ?-TCP combinado com PRP não demonstra diferença significativa quando comparado ao PRP isolado. Entretanto, há um possível efeito precoce sobre a regeneração óssea quando os dois biomateriais são aplicados em conjunto.; Objectives: To evaluate the effect of alpha-tricalcium phosphate (?-TCP) cement combined with platelet-rich plasma (PRP) on osteogenesis...

Síntese e caracterização de cimento de alfa-fosfato tricálcico reforçado com hidrogel de alginato de sódio e PVA para aplicação médico-odontológica

Fernandes, Juliana Machado
Tipo: dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
67.26%
Os cimentos de fosfato de cálcio (CFCs) têm atraído grande interesse para uso em ortopedia e odontologia como substitutos para partes danificadas do sistema esquelético, mostrando boa biocompatibilidade e osteointegração, permitindo sua utilização como enxerto ósseo. As características que determinam os CFCs biomateriais atrativos para a reconstituição ou remodelação óssea, são a facilidade de manipulação e moldagem, sem ter de dar forma prévia ao implante, adaptando-se totalmente à forma da cavidade óssea. Diversos estudos, têm mostrado que a adição de aditivos poliméricos tem uma forte influência sobre as propriedades do cimento. A baixa resistência mecânica é o principal obstáculo a uma maior utilização de CFC como material de implante. O objetivo deste trabalho foi avaliar as propriedades de um cimento com base em ?-fosfato tricálcico (? -TCP ), adicionado de PVA (poli (álcool vinílico)) (10%, 8%, 6%), hidrogel de PVA (10%,8%,6%) reticulado com ácido cítrico (10%), hidrogel de alginato de sódio (2%) e poliacrilato de amônia (1%), todos em massa, foram adicionados ao pó de ? -TCP sintetizado. As amostras foram moldadas e avaliadas quanto à densidade, porosidade, teste ?in vitro? (Simulated Body Fluid)...

Implante de cimento de alfa-fosfato tricálcico de dupla pega munido de canais de interconexão em órbita de coelhos

Gomes Junior, Deusdete Conceição
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis Formato: xii, 47 p. : il.
Português
Relevância na Pesquisa
46.92%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Pós-graduação em Cirurgia Veterinária - FCAV; Os implantes oculares são empregados após a remoção do bulbo do olho ou seu conteúdo, visando a manutenção do volume orbitário e a posterior colocação de prótese ocular. Estes são classificados como integráveis ou não integráveis, quando permitem ou não a infiltração de tecido fibrovascular do hospedeiro, respectivamente. Considerando a cirurgia protética como procedimento de relevância na oftalmologia veterinária e humana, buscou-se com a pesquisa avaliar macroscopicamente e por microscopia eletrônica de varredura as esferas do cimento de ?-fosfato tricálcico de dupla pega munido de canais de interconexão, assim como a integração do implante com o tecido orbital de coelhos, por meio de análise macroscópica e histopatológica. Doze animais compuseram o grupo experimental, sendo submetidos a enucleação do olho esquerdo e inserção do implante. Os períodos de avaliação foram 15, 45, 90 e 180 dias de pós-operatório, com exenteração da órbita de três animais, por período, para análise histopatológica. A microarquitetura das esferas caracterizou-se pela formação de colunas de cristais hexagonais e microporos medindo de 1...

Avaliação do cimento de alfa-fosfato tricálcico em artrodeses tarsocrurais experimentais em cães

Dórea Neto, Francisco de Assis
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: vi, 67 f. : il.
Português
Relevância na Pesquisa
57.41%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Cirurgia Veterinária - FCAV; Objetivou-se nesta pesquisa estudar o comportamento e a bioatividade do cimento de alfa-fosfato tricalcico de dupla pega em artrodeses tarsocrurais. Utilizaram-se seis caes, adultos, macho ou femeas, sem raca definida, com idades entre dois e cinco anos e pesando entre 18 e 30 kg. Foram constituidos dois grupos com 3 animais cada: um grupo onde empregou-se o cimento de ¿-fosfato tricalcico de dupla pega (Grupo I) e outro utilizando osso esponjoso autogeno (Grupo II). A avaliacao radiografica ocorreu aos 30, 45, 60, 90 e 120 dias apos o procedimento cirurgico. Radiograficamente, a fusao dos ossos das articulacoes ocorreu em ambos os grupos apos o 30o dia, sem qualquer reacao adversa ou do tipo corpo estranho. A estabilidade das articulacoes foi satisfatoria com a utilizacao de fixadores esqueleticos externos. Histologicamente, aos 120 dias, observaram-se diferencas na maturidade das celulas osseas entre os dois grupos ocorrendo absorcao lenta e remodelacao da bioceramica (Grupo I). Relativamente a microscopia eletronica de varredura, foi observada formacao de osso novo diretamente na superficie da bioceramica, sem causar formacao de lacuna entre a interface osso-ceramica. O cimento de alfa-fosfato tricalcico de dupla pega demonstrou ter uma boa resistencia mecanica...

Desenvolvimento e caracterização de microesferas de fosfato de cálcio bifásico; Development and characterization of biphasic calcium phosphate microspheres

Rachel Mary Osthues
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 04/06/2012 Português
Relevância na Pesquisa
46.89%
A utilização de biocerâmicas a base de fosfato de cálcio encontra grande aceitação clínica na substituição de tecidos ósseos, e mesmo no preenchimento dérmico, devido à sua similaridade química com parte mineral de ossos e dentes. Em função desta similaridade, os fosfatos de cálcio apresentam, dentre outras propriedades importantes, elevada biocompatibilidade, e na maioria das vezes exibem bioatividade e/ou osteocondução. Estes materiais não induzem reações inflamatórias ou imunológicas, agudas ou crônicas, ou seja, causam mínima irritação, limitada ao local de contato, e mínimas reações alérgicas. Dentre os fosfatos de cálcio, as apatitas formam a maior parte das cerâmicas de interesse biológico e podem ser constituídas de hidroxiapatita e beta-fosfato tricálcico, mistura chamada de fosfato de cálcio bifásico. Classicamente, este material se encontra disponível em blocos cerâmicos, densos ou porosos, ou na forma de materiais particulados (grânulos, pós e colóides). Na forma de grânulos ou pós, o formato esférico é preferido por se conformar melhor em locais de implantação irregulares, além de apresentarem propriedades reológicas mais satisfatórias em produtos injetáveis. Vários métodos de produção de micropartículas têm sido relatados...

Síntese, caracterização e cinética de formação do pó de [alfa]-fosfato tricálcico de elevada pureza = : Synthesis, characterization and reaction kinetics of high purity [alpha]-tricalcium phosphate; Synthesis, characterization and reaction kinetics of high purity [alpha]-tricalcium phosphate

Hugo Ananias Inacio Cardoso
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/02/2014 Português
Relevância na Pesquisa
57.03%
O fosfato tricálcico (TCP) é um dos fosfatos de cálcio mais importantes dentre os utilizados como biomateriais devido à sua biocompatibilidade, bioatividade, biorreabsorbilidade e osteocondutividade. A fase ? (?-TCP) se destaca, principalmente, devido à sua conversão em hidroxiapatita deficiente em cálcio após implantação. Entretanto, não são extensamente reportados em literatura trabalhos com ?-TCP de elevada pureza, o que prejudica sua reatividade e seu desempenho in vivo. O objetivo principal deste trabalho é sintetizar ?-TCP de elevada pureza. Para isso, o pó de ?-TCP foi obtido via reação de estado sólido. Os reagentes precursores foram sintetizados em laboratório a fim de se diminuir o nível de impurezas, principalmente o magnésio. Após analisados e validados, os reagentes foram misturados nas devidas proporções e o pó calcinado para obtenção da fase ?-TCP. Analisou-se a influência de cada variável na cinética da reação: tempo, temperatura, resfriamento. Foi obtido pó de ?-TCP (2g) com 100% de pureza sob temperaturas (1265ºC) e tempos (2h) menores que os registrados em literatura, sem a necessidade de choque térmico. O protocolo foi validado também para maiores quantidades de material (50g)...

Avaliação do uso de placas sinterizadas de titânio com e sem recobrimento de beta-fosfato tricálcico no reparo de falhas ósseas em calvária de ratos = : Evaluation of sintered titanium scaffolds with and without beta-tricalcium phosphate coating for calvarial defects repair in rats; Evaluation of sintered titanium scaffolds with and without beta-tricalcium phosphate coating for calvarial defects repair in rat

Davi Reis Calderoni
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 16/12/2014 Português
Relevância na Pesquisa
47.36%
Introdução: A reparação de um defeito craniano é um procedimento desafiador, que requer não somente o preenchimento da falha óssea mas também estabilidade a longo prazo do material empregado e restabelecimento do contorno e simetria. Diversos tipos de materiais com diferentes características bem como diferentes métodos de produção dos implantes vêm sendo testados, sem que ainda haja um substituto ósseo considerado ideal. No presente estudo foram investigadas as propriedades de osteointegração de implantes da liga Ti6Al4V construídos por prototipagem com poros tridimensionalmente conectados considerando a influência do recobrimento dos mesmos com uma camada delgada de ?-fosfato tricálcico nestas propriedades. Método: Trinta ratos foram submetidos à criação de defeitos ósseos bilaterais na calvária, que foram preenchidos com implantes, recobertos ou não com ?-fosfato tricálcico, de modo aleatório. Os animais foram distribuídos em grupos e sacrificados 15, 45 e 90 dias após o procedimento. A integração dos implantes foi inicialmente avaliada por ensaio de compressão. A interface osso-implante foi analisada por meio de microscopia eletrônica de varredura. Resultados: A força máxima para produzir o deslocamento inicial dos implantes foi aumentando durante o período estudado...

Avaliação de "engineering scaffolds" de hidroxiapatite e fosfato tricálcico para crescimento ósseo.

Reis, J; Potes, J; Capela e Silva, F; Relvas, C; Simões, J
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
46.92%
A Engenharia de Tecidos envolve a utilização de células com matrizes biológicas ou artificiais, ou scaffolds, que direccionam as células durante o processo de reparação ou regeneração dos tecidos. Os scaffolds têm sido usados na reconstrução de segmentos ósseos, já que existem limitações importantes na utilização de enxertos autólogos, homólogos ou heterólogos. A composição dos scaffolds e as suas características estruturais desempenham um papel fundamental nas respostas biológicas do tecido ósseo. O presente estudo teve como objectivo a avaliação da utilização in vivo de scaffolds de hidroxiapatite (HA) e de hidroxiapatite/fosfato tricálcico (HA/TCP) no recrutamento e diferenciação de células osteogénicas, para aplicação em ortopedia como superfície osteocondutora/osteoindutora, quer enquanto material de revestimento quer como material para preenchimento de defeitos ósseos. Para o efeito, foram concebidos e fabricados protótipos de scaffolds, com 75% de porosidade, os quais se implantaram nas tíbias de duas ovelhas. Três meses após a cirurgia os animais foram sacrificados e foi feita a avaliação histológica de osso não descalcificado em secções incluídas em resina e coradas com Giemsa Eosina. A avaliação histológica efectuada sugere que os scaffolds de HA parecem ter uma maior capacidade de recrutamento e de diferenciação de células osteogénicas e de formação de osso compacto...

Desenvolvimento de substitutos ósseos à base de cerâmicos porosos

Carvalho, Ana Rita Rodrigues de
Fonte: Faculdade de Ciências e Tecnologia Publicador: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
47.36%
Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia Biomédica; Os fosfatos de cálcio são os constituintes inorgânicos principais dos tecidos duros e apresentam como principais vantagens o facto de serem bioactivos, biocompatíveis e osteoconductores. Os fosfatos mais conhecidos são a hidroxiapatite e o fosfato tricálcico. A hidroxiapatite aparece na forma carbonatada nos ossos e dentes. Este trabalho teve como objectivo produzir matrizes porosas à base de hidroxipatite e fosfato tricálcico. Os fosfatos de cálcio usados neste trabalho foram produzidos pela técnica de sol-gel e foram caracterizados recorrendo à difracção de raios-X. Neste contexto, verificou-se que a fase beta do fosfato tricálcico só aparece a partir dos 800ºC e que a amostra mais pura de hidroxiapatite é sinterizada a 700ºC, após 48 horas de envelhecimento, apresentando uma cristalinidade elevada. As matrizes porosas foram obtidas por adição de NaCl (70%,80% (v/v)) aos pós de fosfatos de cálcio sintetizados. Após a lixiviação do sal e tratamento térmico de sinterização foram obtidas estruturas porosas tridimensionais. A avaliação da porosidade e interconexão dos poros foi avaliada por microscopia electrónica de varrimento.

Produção de cimentos ósseos à base de fosfato de cálcio

Mansos, Patrícia Alexandra de Oliveira
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2008 Português
Relevância na Pesquisa
46.84%
Os cimentos fosfato de cálcio (CPC) têm vindo a despertar cada vez mais interesse por apresentarem vantagens em relação a outros materiais, tais como o cimento acrílico ou os blocos cerâmicos, usualmente utilizados na reparação óssea. Estes são constituídos por um ou mais fosfato de cálcio, e uma solução líquida, originando uma pasta que endurece rapidamente, e que resulta num material cristalino, biocompatível e osteocondutor. O objectivo deste estudo foi investigar algumas das propriedades de um novo CPC à base de ?-Fosfato tricálcico (?-TCP) que se caracteriza por incluir na sua fase líquida, além de um ácido carboxílico, um aditivo polimérico, o hidroxipropilo quitosano (HPCS), cuja síntese foi optimizada por variação dos parâmetros temperatura e duração da reacção. As propriedades mecânicas e de manuseio, assim como o produto final do CPC foram estudados efectuando-se testes de compressão, flexão, tempo de presa, injectabilidade e difracção de raios-X (DRX). Além disto investigou-se o comportamento in vitro e in vivo realizando-se testes de citotoxicidade e implantando-se o CPC no fémur de 8 coelhos durante um período de 4 meses. Verificou-se que o CPC produzido neste trabalho é um cimento de brushite...

Obtenção e utilização de microesferas de parafina para confecção de arcabouços teciduais baseados em cimento de ?-fosfato tricálcico

M. Machado,J. L. de; Santos,L. A dos
Fonte: Associação Brasileira de Cerâmica Publicador: Associação Brasileira de Cerâmica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 Português
Relevância na Pesquisa
67.31%
Um dos fatores mais importantes na técnica conhecida por engenharia de tecidos é o crescimento de células em suporte porosos tridimensionais conhecidos por arcabouços. Os arcabouços guiam o crescimento celular e facilitam a formação de tecidos e órgãos funcionais. Cimentos ósseos são materiais desenvolvidos há aproximadamente uma década para aplicações biomédicas. Um cimento deste tipo pode ser preparado misturando um sal de fosfato de cálcio com uma solução aquosa para que se forme uma pasta que possa reagir à temperatura corporal dando lugar a um precipitado que contenha hidroxiapatita. O desenvolvimento de estruturas porosas de cimento de fosfato de cálcio é de grande utilização em engenharia de tecidos, além de outras áreas da traumatologia. O objetivo deste trabalho foi o uso de cimento de ?-TCP (?-fosfato tricálcico) para obtenção desses arcabouços, através da obtenção e utilização de esferas de parafina como corpos geradores de poros. O ?-TCP foi sintetizado por resfriamento brusco de seus precursores e, as esferas foram produzidas por suspensão em uma solução aquosa de poli (álcool vinílico) e sulfato de sódio. As quantidades de cada um destes reagentes foram estudadas com relação ao tamanho das esferas formadas. Pela análise de difração de raios X foi detectada a presença de ?-TCP como fase indesejada no processo de síntese do ?-TCP e de hidroxiapatita deficiente em cálcio após a reação de pega do cimento. Foi analisada a extração da parafina dos arcabouços por utilização de um método térmico. A porosidade dos arcabouços confeccionados com esferas de parafina foi observada por microscopia eletrônica de varredura...

Uso de novos materiais para o capeamento pulpar (hidroxiapatita - HAp e fosfato tricálcico - ?-TCP)

Delfino,C. S.; Ribeiro,C.; Vieira,G. F.; Bressiani,A. H. A.; Turbino,M. L.
Fonte: Associação Brasileira de Cerâmica Publicador: Associação Brasileira de Cerâmica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 Português
Relevância na Pesquisa
46.92%
O capeamento pulpar é uma medida importante e muito usada no cotidiano da prática odontológica e, quando realizado de forma consciente, baseado em um bom diagnóstico da condição pulpar no momento da exposição, pode prevenir o dente de sofrer uma intervenção endodôntica. Além do hidróxido de cálcio, outros materiais vêm sendo testados quanto a sua ação em promover o reparo pulpar pela formação de ponte de dentina, após capeamento pulpar direto. Uma das alternativas de materiais viáveis para o capeamento pulpar são as cerâmicas à base de fosfatos de cálcio, destacando-se a hidroxiapatita (HAp) e o fosfato tricálcico (?-TCP). Estes materiais não promovem a formação de área necrótica, característica da utilização do hidróxido de cálcio, são biocompatíveis e favorecem o reparo do tecido pulpar. Para avaliar os efeitos desses materiais no capeamento pulpar foi realizada esta revisão de literatura, abordando desde a resposta do tecido pulpar, até o protocolo para o uso clínico.

Estudo da significância de variáveis de compactação e sinterização de pastilhas de?-TCP utilizando planejamento de experimentos

Oliveira,R. N.; Alencastro,F. S.; Soares,G. D. A.
Fonte: Associação Brasileira de Cerâmica Publicador: Associação Brasileira de Cerâmica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 Português
Relevância na Pesquisa
46.92%
Dentre as cerâmicas de uso biomédico destaca-se o fosfato tricálcico do tipo ? (?-TCP). Pós cerâmicos são normalmente compactados e sinterizados em altas temperaturas para sua densificação e consequente aumento da resistência mecânica. Uma forma de otimizar a densificação de corpos cerâmicos é analisar a significância das variáveis de processamento por meio de um planejamento de experimentos. O objetivo deste trabalho foi determinar a significância dos seguintes parâmetros: pressão de compactação uniaxial (28 e 111 MPa); calcinação prévia do pó (como recebido - não calcinado e calcinado a 650 °C); temperatura e tempo de sinterização (respectivamente, 900 e 1150 °C, 2 e 4 h). As pastilhas produzidas foram caracterizadas por microscopia eletrônica de varredura, difração de raios X e espectroscopia no infravermelho, enquanto que a microdureza e a retração linear foram consideradas as respostas do planejamento. Observou-se que o aumento da pressão de compactação e da temperatura de sinterização foram os parâmetros mais importantes para a densificação das amostras. As pastilhas sinterizadas a 1150 °C apresentaram tamanho médio de grão entre 1 e 2 µm e retração linear máxima de aproximadamente 20%...

Efeito da adição de alumina nas propriedades físicas e mecânicas do ?-fosfato tricálcico

Rodrigues,P. L.; Almeida,F. S. de; Motisuke,M.; Sousa,E. de
Fonte: Associação Brasileira de Cerâmica Publicador: Associação Brasileira de Cerâmica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 Português
Relevância na Pesquisa
67.31%
Dentre as biocerâmicas de fosfato de cálcio, o fosfato tricálcio (TCP) em sua forma polimórfica ?, tem recebido grande atenção dos pesquisadores devido à sua excelente bioatividade e elevada taxa de reabsorção in vivo tornando-o candidato em potencial para a a fabricação de implantes ortopédicos temporários. Entretanto, esta biocerâmica apresenta uma limitação em seu processamento que está associada com a transformação da fase ? para a fase ?. Desta forma se faz necessário o uso de aditivos de sinterização para se obter corpos de provas com boa densificação e, consequentemente, melhores propriedades mecânicas. Este trabalho tem como objetivo avaliar o efeito da adição de alumina nas propriedades físicas e mecânicas do ?-fosfato tricálcico. As amostras foram conformadas por compactação uniaxial, seguida da prensagem isostática e, submetidas a tratamento térmico durante 2 h em varias temperaturas (1100, 1200 e 1300 °C). Os resultados mostraram que apesar da alumina não ocasionar uma melhora nas propriedades mecânicas dos biocompósitos nas temperaturas estudadas, esta conseguiu estabilizar a fase ?-TCP.

Influência de aditivos na injetabilidade de cimento ósseo de fosfato tricálcico

Alves,Hugo Leonardo Rocha; Santos,Luis Alberto dos; Bergmann,Carlos Pérez
Fonte: Rede Latino-Americana de Materiais Publicador: Rede Latino-Americana de Materiais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2006 Português
Relevância na Pesquisa
67.44%
Os cimentos de fosfatos de cálcio são biomateriais formados pela mistura de um pó de fosfato de cálcio com água ou com solução aquosa de sais orgânicos ou inorgânicos formando uma pasta que reage à temperatura ambiente ou corpórea, endurecendo como resultado da reação de precipitação. Cimentos de fosfato de cálcio são usados comumente em cirurgias de preenchimento ósseo na odontologia e ortopedia, que requerem procedimentos extremamente invasivos. A inovação consiste em formular uma pasta injetável pela incorporação de aditivos. Neste estudo, três aditivos (carboxi-metil-celulose, polímero de agar e alginato de sódio) foram incorporados a fosfato tricálcico-alfa, nas concentrações de 0,4%; 0,8%; 1,6%; 3,2%; 6,4% em massa. Os resultados demonstraram que foi possível obter composições de cimento de fosfato tricálcico injetáveis. Verificou-se que a injetabilidade, medida por um método inédito proposto, depende do comportamento reológico das pastas. Neste estudo, as formulações com 1,6% de carboxi-metil-celulose, 1,6% de agar e 0,8% de alginato de sódio, permitiram a obtenção de uma viscosidade suficiente para uma boa homogeneização e injeção do cimento.