Página 1 dos resultados de 3392 itens digitais encontrados em 0.065 segundos

Prevalência de hipertensão arterial no idoso institucionalizado.

Pires, Eliana; Vilela, Ana; Martins, Matilde
Fonte: Escola Superior de Saúde de Bragança e Unidade Local de Saúde do Nordeste Publicador: Escola Superior de Saúde de Bragança e Unidade Local de Saúde do Nordeste
Tipo: conferenceobject
Português
Relevância na Pesquisa
66.69%
A elevada prevalência de Hipertensão Arterial (HTA) e o seu difícil controlo levam a comunidade científica a considerar esta como um problema de saúde pública. A HTA é um dos principais fatores de risco para doenças cardiovasculares associada ao desenvolvimento de enfarte agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral e consequentemente ao aumentando da morbimortalidade em pessoas idosas. Identificar a prevalência de HTA nos idosos institucionalizados num lar de 3ª idade do distrito de Bragança. Tratou-se de um estudo transversal descritivo, realizado num lar de idosos do distrito de Bragança. A amostra foi constituída pela totalidade de idosos institucionalizados durante o mês de março de 2013, num total de 67 idosos. A informação foi obtida recorrendo aos registos do processo individual do idoso, no período de 20 a 28 de abril. A tensão arterial foi avaliada a todos os idosos, por uma das investigadoras, com aparelho eletrónico Dinamap, seguindo os critérios da Direção Geral de Saúde. O critério para classificação da HTA foi pressão arterial (PA)> 140/90 mmHg ou uso atual de anti-hipertensivos. Constituímos uma amostra de 67 idosos, verificando-se a maior prevalência no género feminino 74%, com idades entre de 52 anos de mínimo e 97 anos de máximo...

Hipertensão arterial na gravidez: qualidade de vida familiar e satisfação com a vida em Angola

Kapiñala, Esperança Cristina Sequesseque
Tipo: masterthesis
Português
Relevância na Pesquisa
66.79%
A hipertensão arterial na gravidez está entre as causas mais frequentes de morte materna. Entre os tipos de hipertensão arterial presentes na gravidez, destacam-se, a pré-eclâmpsia e a hipertensão gestacional. Considerada como fator de risco, as características individuais, condições socioeconómicas desfavoráveis, bem como determinados antecedentes clínicos, podem desencadear danos materno-fetais. O presente estudo tem como objetivo geral estudar a qualidade de vida familiar e satisfação com a vida numa amostra de grávidas angolanas com e sem hipertensão arterial. A amostra deste estudo foi constituída por 100 mulheres grávidas, sendo que 50 com diagnostico de hipertensão arterial e 50 sem, residentes no município do Lubango, província da Huíla (Angola). O protocolo de avaliação envolveu um Questionário Sociodemográfico, um Questionário Complementar (recolha de dados acerca da grávida), o Qualidade de Vida (QOL) e a Escala de Satisfação com a Vida (SWLS). Os resultados obtidos apontam para diferenças estatisticamente significativas entre as duas amostras, revelando que as grávidas com hipertensão apresentam piores resultados ao nível da qualidade de vida familiar e satisfação com a vida. Acresce ainda...

Papel da ouabaína endógena sobre o sistema cardiovascular do modelo de hipertensão arterial DOCA-SAL.; Role of endogenous ouabain on the cardiovascular system of DOCA-salt hypertensive rats.

Wenceslau, Camilla Ferreira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 15/06/2012 Português
Relevância na Pesquisa
66.69%
Tem sido demonstrado que na hipertensão arterial ocorre aumento de ouabaína plasmática, um inibidor da Na+K+-ATPase. Em 1998, Ferrari et al. desenvolveram uma molécula denominada de rostafuroxina, a qual é capaz de antagonizar os efeitos da ouabaína por deslocar a ligação desse glicosídeo com a Na+K+-ATPase. Dentro desse contexto, parece razoável sugerir que um anti-hipertensivo capaz de antagonizar os efeitos da ouabaína possa representar uma nova ferramenta farmacológica para o tratamento da hipertensão arterial. Baseado em tais premissas, o presente estudo avaliou o papel da ouabaína por meio do tratamento com rostafuroxina sobre: a pressão arterial, a reatividade vascular em artérias de resistência e a atividade simpática de ratos DOCA-sal. Os resultados demonstraram que os animais DOCA-sal tratados com rostafuroxina apresentaram redução da pressão arterial sistólica e da hiperatividade simpática e melhora na função vascular. Assim, sugere-se que a ouabaína seja um possível alvo para o tratamento da hipertensão arterial dependente de volume.; It has been shown that some types of hypertension have increased plasma levels of ouabain, a factor inhibitor of Na+K+-ATPase. In 1998, Ferrari et al. developed a molecule called rostafuroxin that antagonizes the effects of ouabain. In this context...

Efeito da suplementação de ácido fólico e do exercício físico sobre as concentrações plasmáticas de indivíduos portadores de hipertensão arterial essencial ou Efeito da suplementação de ácido fólico e do exercício físico sobre as concentrações de homocisteína plasmática em indivíduos portadores de hipertensão arterial essencial; Effect of folic acid supplementation and physical exercises on plasma concentrations of homocysteine in essencial hypertensive subjects

Pereira, Avany Fernandes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 20/10/2004 Português
Relevância na Pesquisa
66.73%
A homocisteína plasmática é considerada marcador de risco para doenças cardiovasculares e sua associação com a hipertensão arterial essencial parece ser importante no agravamento desta doença. O exercício físico tem mostrado eficácia na redução da pressão arterial e o ácido fólico suplementar a dieta como a melhor conduta para a redução da homocisteinemia. O objetivo deste trabalho foi verificar o efeito da suplementação de ácido fólico e/ou do exercício físico sobre as concentrações plasmáticas de homocisteína em hipertensos essenciais medicados. Para tanto foram estudados 69 hipertensos (57±10 anos), sendo 22 do sexo masculino e 47 do sexo feminino, divididos em dois grupos: grupo 1 medicado com diurético e grupo 2 medicado sem diurético, sendo o tiazídico o diurético mais utilizado (80%). Foram realizadas avaliações médica, antropométrica, dietética, pressórica, bioquímica e o teste de aptidão cardiorrespiratória. Os indivíduos receberam suplementação com 500 µg/dia de ácido fólico, em estudo do tipo cruzado, e foram submetidos a treinamento com exercícios físicos supervisionados, sendo reavaliados a cada dois meses até o final do estudo. Os grupos foram homogêneos em relação a todas as variáveis estudadas exceto a homocisteína plasmática que foi maior significativamente no grupo 1. Não houve diferença significativa entre os sexos para todas as variáveis estudadas. Os hipertensos eram em sua maioria (62%) não controlados e portadores de síndrome metabólica (77%). O exercício físico apresentou efeito benéfico na reclassificação dos hipertensos leves e moderados para a classe de limítrofes sem normalizar a pressão arterial. Não houve efeito do exercício na composição corporal e na homocisteinemia. A suplementação de ácido fólico reduziu a hiperhomocisteinemia em 11% no grupo 1 e 19% no grupo 2 frente a aumentos similares na folacemia. Em relação à pressão arterial houve normalização da homocisteinemia apenas nos hipertensos com pressão arterial normalizada. Os hipertensos limítrofes e leves apresentaram reclassificação da hiperhomocisteinemia limítrofe para moderada. A presença de diurético potencializou a normalização da pressão pelo exercício físico e indiretamente influenciou...

Implicações sistêmicas da hipertensão arterial em felinos domésticos

Flores, Gabriela de Araújo Narvaez
Tipo: trabalho de conclusão de graduação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.74%
Considera-se hipertensão o incremento contínuo nos valores de pressão arterial sistêmica. A hipertensão arterial em felinos é uma doença prevalente na clínica de pequenos animais e traz consequências graves que afetam a qualidade e expectativa de vida. Sua importância vem sendo elucidada à medida que evoluímos em fazer seu diagnóstico e identificar suas consequências. O aumento significativo de pacientes geriatras nas últimas décadas também está associado a um aumento da prevalência dos casos clínicos associados à hipertensão, tendo em vista que os idosos tendem a ser mais acometidos. Diagnosticar e tratar a hipertensão arterial antes que ela traga injúrias irreparáveis ao organismo é um desafio na clínica de felinos e deve ser o principal objetivo do médico veterinário. Para isso, é fundamental o aprimoramento constante acerca dessa doença, boa compreensão técnica do funcionamento dos dispositivos utilizados para diagnóstico e habilidade no manejo dos animais. Os gatos permanentemente hipertensos desenvolvem lesões em órgãos-alvo, que são o cérebro, rins, coração e olhos. Tais alterações incluem infartos e hemorragias cerebrais, doença renal crônica, hipertrofia do ventrículo esquerdo e cegueira. O objetivo deste trabalho é fazer uma revisão bibliográfica acerca das principais alterações provocadas pela hipertensão em felinos domésticos...

Influência do exercício aeróbico sobre a atividade de renina plasmática portadores de hipertensão arterial com sobrepeso

Martinelli, Bruno
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis Formato: 77 f.
Português
Relevância na Pesquisa
66.69%
Pós-graduação em Fisiopatologia em Clínica Médica - FMB; Existem evidências de que a atividade de renina plasmática é mediador comum da obesidade e hipertensão arterial, o que exacerba o risco cardiovascular quando esta enzima está hiperativada. O exercício aeróbio exerce influência nesta atividade enzimática e torna-se importante elemento para intervenção terapêutica para as duas condições clínicas. O objetivo deste estudo foi discutir as interações entre sistema renina, hipertensão arterial, obesidade e exercício físico. A ativação da renina plasmática merece consideração na fisiopatologia da hipertensão arterial, pois está associada a maior risco cardiovascular. Obesos e sedentários têm tendência à ativação mais intensa deste sistema, o que poderia explicar, pelo menos em parte, o maior comprometimento cardiovascular entre estes indivíduos. Parece que o exercício físico induz à elevação dos níveis da atividade de renina plasmática como efeito imediato, e desativação, a longo prazo, em portadores de hipertensão. Há controvérsias sobre as diversas interações desses elementos e mais estudos se fazem necessários.; There are evidences that plasmatic renin activity is usual mediator to obesity and arterial hypertension...

Avaliação das propriedades mecânicas do sistema respiratório de ratos com hipertensão arterial pulmonar e sepse

Tauil, Karla Andréia Mêtte Waldrich
Tipo: dissertação / dissertation
Português
Relevância na Pesquisa
66.69%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, 2014.; Introdução: A Hipertensão Arterial Pulmonar (HAP) está associada a alterações celulares e estruturais da vasculatura pulmonar. A disfunção endotelial promove vasoconstrição, proliferação do músculo liso, das células endoteliais da íntima, lesões plexiformeangioproliferativas, e trombose in situ, bem como, aumenta a rigidez e resistência vascular arterial pulmonar. A sepse é uma síndrome complexa sistêmica e de origem infecciosa. A associação entre HAP e sepse potencializa o consumo metabólico de oxigênio e o desequilíbrio na oferta, com o risco de mortalidade muito elevada. Métodos: Neste estudo foram utilizados 44 ratos machos adultos, da raça Wistar. Todos os animais foram randomizados e distribuídos em quatro grupos: Controle (CTRL), Hipertensão Arterial Pulmonar (HAP), Sepse (SPS) e Hipertensão Arterial Pulmonar associada à Sepse (HPSPS). Deste total, 32 animais foram submetidos à análise das propriedades mecânicas e análise morfométrica dos vasos pulmonares no 28° dia do experimento, enquanto 12 animais foram submetidos à hemodinâmica para confirmação da ocorrência de HAP. Resultados: A dissipação de energia no componente viscoelástico aumentou significativamente em pulmões de ratos com HAP (0...

Hipertensão arterial sistémica em felídeos com doença renal crónica

Loução, Felisbela Alexandra da Cruz
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: info:eu-repo/semantics/bachelorthesis
Publicado em //2008 Português
Relevância na Pesquisa
66.77%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; A hipertensão arterial sistémica é a principal afecção cardiovascular da espécie felina. Consiste numa elevação persistente da pressão arterial sistémica e evidencia uma forte associação com a doença renal crónica. Nesta última ocorre retenção de sódio e água, com consequente aumento do volume de fluído extracelular e do débito cardíaco, produzindo elevação da pressão arterial sistémica. Também, a activação do sistema renina-angiotensina-aldosterona e outras alterações neuro-hormonais, comuns na doença renal crónica, são passíveis de induzir hipertensão arterial sistémica. Por sua vez, a hipertensão arterial sistémica promove a hipertensão e a hiperfiltração glomerulares, a proteinúria e a arteriosclerose, completando este ciclo vicioso através da auto-prepectuação da lesão renal. A prevalência significativa destas doenças, com particular destaque na população felina geriátrica, torna fundamental o diagnóstico precoce, a instituição de uma terapêutica específica e o controlo adequado das alterações secundárias, favorecendo assim, o prognóstico e melhorando a qualidade de vida dos animais afectados. No âmbito deste tema foi realizado um estudo...

Hipertensão arterial: a dimensão socioeconómica

Ventura, Susana Patrícia de António Valente Mira
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
66.8%
Mestrado em Gestão de Serviços de Saúde; Este trabalho visa a descrição dos principais custos directos e indirectos associados à Hipertensão Arterial e à identificação das variáveis socioeconómicas que contribuem para a evolução da mesma e para a Qualidade de Vida dos indivíduos hipertensos. Foi recolhida informação referente aos custos da Hipertensão Arterial através de uma revisão da literatura internacional. O segundo objectivo foi atingindo através da realização de um questionário, de auto preenchimento pelos indivíduos, realizado em seis Farmácias Comunitárias. As partes I e II permitiram a recolha de informação demográfica e socioeconómica, enquanto a parte III avaliou a qualidade de vida. Os dados foram tratados através do software SPSS v.17.0. A variável identificada como preponderante para a evolução da Hipertensão Arterial foi a escolaridade. Os indivíduos analfabetos apresentaram um risco de descompensação três vezes superior quando comparados com indivíduos com mais de nove anos de escolaridade. A prática de exercício físico e os hábitos alimentares foram as outras duas variáveis com significado para a progressão da Hipertensão Arterial. A qualidade de vida dos indivíduos hipertensos também é determinada pela escolaridade dos mesmos...

Hipertensão arterial em adolescentes escolarizados da área de intervenção do Centro de Saúde de Queluz

Mexia, Ricardo
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública. Universidade Nova de Lisboa Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública. Universidade Nova de Lisboa
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
66.78%
RESUMO - A hipertensão arterial é uma das maiores causas de mortalidade e morbilidade mundial, sendo responsável por cerca de 7,1 milhões de mortes anualmente. A tensão arterial elevada no início da vida está associado a hipertensão na idade adulta, sendo a adolescência uma altura fundamental para modificar estilos de vida e comportamentos que possam diminuir a prevalência de hipertensão. Os dados existentes sobre a hipertensão arterial na adolescência em Portugal não são consistentes, mas parecem apontar para um aumento da prevalência. Entre Janeiro e Março de 2007 foi realizado um estudo descritivo e transversal, para determinar a prevalência de hipertensão dos alunos do 7º Ano das Escolas da área de intervenção do Centro de Saúde de Queluz. Foram avaliados sexo, idade, tensão arterial, perfil estato-ponderal, antecedentes familiares de hipertensão arterial e prática de exercício físico de 902 alunos. O estudo determinou uma taxa de prevalência de hipertensão arterial global de 25,3%, mais prevalente no sexo feminino (30,3%) do que no masculino (19,6%). Nos indivíduos com IMC superior a 25 kg/m2, foi encontrada uma prevalência de 50% de hipertensão sendo de apenas 21,2% nos com um perfil estato-poderal mais baixo. O Odds Ratio ajustado para raça...

Hipertensão arterial na infância

Salgado,Cláudia Maria; Carvalhaes,João Thomaz de Abreu
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2003 Português
Relevância na Pesquisa
66.76%
OBJETIVOS: realizar uma revisão crítica da literatura atual, enfocando aspectos práticos e relevantes para o diagnóstico e tratamento ambulatorial da criança com hipertensão arterial. FONTE DE DADOS: artigos clássicos e revisão sistemática da literatura atual através de busca eletrônica nos bancos de dados Medline e Lilacs, nos últimos 10 anos, utilizando-se as palavras-chave hipertensão arterial, recém-nascido, lactente, pré-escolar, criança e adolescente, selecionando-se aqueles que trouxeram informações relevantes. SÍNTESE DOS DADOS: a hipertensão arterial e a obesidade são um problema de saúde pública em todo o mundo. A hipertensão arterial essencial do adulto inicia-se na infância, e, além disso, pode ser secundária a várias doenças. O pediatra tem por obrigação medir adequadamente a pressão arterial de seus pacientes. Quando descoberta, a hipertensão arterial deve ser investigada para ser adequadamente tratada. A investigação depende da idade e do grau de elevação da pressão arterial, devendo preocupar-se não somente com a causa da hipertensão, mas também com os seus efeitos em órgãos alvo. CONCLUSÕES: o reconhecimento precoce da pressão arterial anormal e a intervenção (investigação e tratamento) adequada são necessários para diminuir a morbidade/mortalidade cardiovascular e renal futura.

Hipertensão arterial sistêmica e anestesia

Lorentz,Michelle Nacur; Santos,Alexandre Xavier
Fonte: Sociedade Brasileira de Anestesiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Anestesiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2005 Português
Relevância na Pesquisa
66.69%
JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Devido à grande prevalência da hipertensão arterial sistêmica na população e a falta de consenso sobre que níveis pressóricos o anestesiologista deve aceitar para induzir uma anestesia para cirurgia eletiva, realizou-se uma revisão na literatura que trata da associação hipertensão arterial e anestesia. Considerando que a suspensão de uma cirurgia implica em gastos, o que torna a Medicina cada vez mais cara, e que, por outro lado, o ato anestésico deve ser realizado com a maior segurança possível, o objetivo desse trabalho foi analisar as evidências da literatura que possam nortear a prática clínica. CONTEÚDO: O artigo apresenta incidência e classificação da hipertensão arterial sistêmica além de relatar e comentar trabalhos relevantes que abordam a hipertensão arterial no paciente cirúrgico. CONCLUSÕES: Ainda não estão estabelecidos quais níveis máximos de pressão são compatíveis com uma cirurgia eletiva, sendo que, atualmente, os critérios para a suspensão da cirurgia no paciente hipertenso mal controlado são muito mais baseados em dados empíricos que em evidências. Existe uma tendência em postergar a cirurgia quando a PA é superior a 180/110 mmHg, mas cada caso deve ser analisado isoladamente...

Validade da hipertensão arterial auto-referida e seus determinantes (projeto Bambuí)

Lima-Costa,Maria Fernanda; Peixoto,Sérgio Viana; Firmo,Josélia Oliveira Araújo
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2004 Português
Relevância na Pesquisa
66.73%
OBJETIVO: Determinar a validade da hipertensão auto-referida e seus determinantes em adultos residentes na comunidade. MÉTODOS: Foi selecionada uma amostra aleatória simples de moradores da cidade de Bambuí, Estado de Minas Gerais, com 18 anos de idade ou mais. Três medidas de pressão arterial foram realizadas em 970 indivíduos, que correspondiam a 89,3% dos selecionados. A sensibilidade, especificidade e os valores preditivos positivo e negativo da hipertensão auto-referida foram calculados em relação à hipertensão (média da pressão arterial >90 ou >140 mmHg e/ou uso atual de medicamentos para hipertensão). RESULTADOS: A sensibilidade e a especificidade da hipertensão auto-referida foram 72,1% (IC 95%: 69,3-75,0) e 86,4% (IC 95%: 84,3-88,6), respectivamente. Sua prevalência foi 27,2% (IC 95%: 24,4-30,1), sendo razoavelmente semelhante à da hipertensão (23,3%; IC 95%: 20,7-26,1%). A validade da hipertensão auto-referida foi maior entre mulheres, entre aqueles com idade igual a 40-59 e >60 anos, entre os que haviam visitado médicos mais recentemente (25 kg/m²). CONCLUSÕES: Os resultados mostram que a hipertensão auto-referida é um indicador apropriado da prevalência da hipertensão arterial, mesmo em uma população residente fora de grandes centros urbanos...

Importância relativa do Índice de Massa Corporal e da circunferência abdominal na predição da hipertensão arterial

Sarno,Flávio; Monteiro,Carlos Augusto
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2007 Português
Relevância na Pesquisa
66.74%
OBJETIVO: Avaliar a importância relativa do Índice de Massa Corporal (IMC) e da circunferência abdominal na determinação da hipertensão arterial em adultos. MÉTODOS: Estudo transversal com amostra de funcionários (N=1.584), entre 18 e 64 anos de idade, de hospital geral privado do município de São Paulo. A coleta de dados envolveu questionário estruturado, medida da pressão arterial, peso, altura e circunferência abdominal. A hipertensão foi diagnosticada com pressão arterial > 140/90 mmHg ou uso de medicação anti-hipertensiva. A importância relativa do IMC e da circunferência abdominal foi calculada pela fração atribuível de hipertensão correspondente a cada indicador antropométrico, empregando-se níveis de cortes usuais e baseados na distribuição observada na população estudada. Adicionalmente, foi desenvolvido um indicador que combinou simultaneamente valores de IMC e circunferência abdominal. RESULTADOS: A prevalência de hipertensão foi de 18,9% (26,9% em homens e 12,5% em mulheres). Em homens, a fração de hipertensão atribuível ao IMC superou aquela atribuível à circunferência abdominal segundo níveis de corte usuais (56% x 48%, respectivamente) e quartis da distribuição observada (73% x 69%...

As campanhas nacionais para detecção das doenças crônicas não-transmissíveis: diabetes e hipertensão arterial

Toscano,Cristiana M.
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 Português
Relevância na Pesquisa
66.71%
O diabetes mellitus e a hipertensão arterial estão associadas à morbidade e à mortalidade e são responsáveis por complicações cardiovasculares, encefálicas, coronarianas, renais e vasculares periféricas. Estudos recentes demonstraram que os benefícios da redução de fatores de risco para doenças cardiovasculares são significativos em indivíduos com diabetes melittus. O controle intensivo da hipertensão arterial tem se mostrado eficaz na redução de complicações em pacientes com diabetes e hipertensão. No entanto, não há evidência científica irrefutável acerca da eficiência dos programas de rastreamento para o diabetes melittus e a hipertensão. Na grande maioria das diretrizes vigentes, o rastreamento é recomendado de forma seletiva. Essas atividades apresentam oportunidades de se coletarem dados observacionais que, embora não substituam a evidência direta de ensaios clínicos randomizados, podem produzir importantes evidências sobre eficiência, custo e impacto. Com o propósito de reduzir a morbi-mortalidade associada à hipertensão arterial e ao diabetes mellitus, o Ministério da Saúde implementou o Plano de Reorganização da Atenção à Hipertensão Arterial e ao Diabetes Mellitus no País, durante o período de 2001-2003.

Hipertensão arterial em adolescentes do Rio de Janeiro: prevalência e associação com atividade física e obesidade

Corrêa-Neto,Victor Gonçalves; Sperandei,Sandro; Silva,Luis Aureliano Imbiriba; Maranhão-Neto,Geraldo de Albuquerque; Palma,Alexandre
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 Português
Relevância na Pesquisa
66.76%
O objetivo do estudo foi identificar a prevalência de hipertensão arterial sistêmica em adolescentes estudantes do 3º ano do ensino médio de escolas públicas estaduais dentro do município do rio de Janeiro com idade entre 17 e 19 anos, bem como investigar as associações de hipertensão arterial sistêmica com obesidade e níveis de atividade física. Dados de pressão arterial, índice de massa corporal e atividade física, foram coletados. A amostra foi composta por 854 indivíduos, a estatística descritiva foi aplicada na amostra, bem como um modelo de regressão de Poisson para determinar o impacto das variáveis na prevalência de hipertensão arterial sistêmica. A prevalência de hipertensão arterial sistêmica foi de 19,4%. Sexo masculino, sobrepeso e obesidade se associaram positiva e significativamente com hipertensão arterial sistêmica (p < 0,05), já atividade física não mostrou associação significativa com hipertensão arterial sistêmica (p > 0,05). A natureza dessas relações deveria ser interpretada a luz da reflexão e não de rotulações passivas embasadas em conceitos hegemônicos.

Hipertensão arterial e orientação domiciliar: o papel estratégico da saúde da família

Ribeiro,Amanda Gomes; Cotta,Rosângela Minardi Mitre; Silva,Luciana Saraiva da; Ribeiro,Sônia Machado Rocha; Dias,Cristina Maria Ganns Chaves; Mitre,Sandra Minardi; Nogueira-Martins,Maria Cezira Fantini
Fonte: Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2012 Português
Relevância na Pesquisa
66.69%
OBJETIVO: Analisar a importância, a efetividade e as limitações de estratégias participativas de educação em saúde sobre a problemática da adesão ao tratamento da hipertensão arterial. MÉTODOS: Estudo de caso, intervencional, de abordagem qualiquantitativa com duração de 4 meses. Participaram do estudo 27 mulheres portadoras de hipertensão arterial, com idade entre 45 e 60 anos e cadastradas no Programa de Saúde da Família de Porto Firme, Minas Gerais. Foram comparadas duas modalidades de intervenção visando à orientação de mudanças dietéticas indicadas no tratamento da hipertensão arterial: uma baseada em atividades educativas em grupo, realizadas na Unidade de Atenção Primária à Saúde; e outra combinada pelas atividades educativas em grupo e por orientações domiciliares. Os dados foram obtidos por grupos focais e entrevistas individuais. Para avaliar os dados qualitativos relacionados à adesão, foram analisados, antes e após a intervenção, o peso corporal, o índice de massa corporal, a circunferência de cintura, a pressão arterial, a glicemia e o consumo alimentar. Os dados foram examinados por análise de conteúdo e estatística descritiva. As variáveis coletadas antes e depois da intervenção foram analisadas pelos testes não-paramétricos de Wilcoxon e Mann Whitney. RESULTADOS: As duas estratégias de educação em saúde tiveram efeito positivo sobre a adesão às orientações nutricionais...

Inquérito sobre hipertensão arterial e décifit cognitivo em idosos de um serviço de geriatria

Cavalini,Luciana Tricai; Chor,Dora
Fonte: Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2003 Português
Relevância na Pesquisa
66.69%
INTRODUÇÃO: Tanto a hipertensão arterial como o déficit cognitivo são condições de alta prevalência na população idosa, com influência direta sobre a qualidade de vida. Assim, identificar associações entre esses agravos é de interesse para a saúde pública. MÉTODO: Realizou-se um inquérito em uma unidade ambulatorial de atendimento a idosos, com o objetivo de estudar a associação entre hipertensão arterial e déficit cognitivo. A identificação dos indivíduos com disfunção cognitiva foi realizada por meio do Mini Exame do Estado Mental, aplicado a todos os pacientes que procuraram o serviço entre agosto/1998 e janeiro/1999. Entrevistas com os pacientes e revisão de prontuários possibilitaram a classificação da exposição (hipertensos/não hipertensos). RESULTADOS: Foram identificados 99 indivíduos com disfunção cognitiva entre os 307 participantes do estudo, obtendo-se uma prevalência de 32,2% (IC 95% = 27,0% - 37,4%). Foi estimada uma associação inversa de grande magnitude entre hipertensão arterial e déficit cognitivo para o grupo de idosos com 80 anos ou mais, cujo diagnóstico foi registrado há cinco anos ou mais (OR = 0,13; IC 95% = 0,03 - 0,54), sendo que essa associação não foi encontrada entre os indivíduos com idades entre 65 e 79 anos. CONCLUSÕES: A associação inversa entre hipertensão arterial e déficit cognitivo nos indivíduos mais idosos reforça a hipótese de outros autores de que...

Hipertensão arterial sistêmica: aspectos clínicos e análise farmacológica no tratamento dos pacientes de um setor de psicogeriatria do Instituto Bairral de Psiquiatria, no município de Itapira, SP

Longo,Marco Aurelio Tosta; Martelli,Anderson; Zimmermann,Anita
Fonte: Universidade do Estado do Rio Janeiro Publicador: Universidade do Estado do Rio Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 Português
Relevância na Pesquisa
66.71%
OBJETIVO: o presente trabalho teve como objetivo a verificação dos quadros de hipertensão arterial sistêmica (HAS) e análise das principais classes dos agentes anti-hipertensivos orais usados pelos pacientes integrantes da Unidade Terapêutica - Setor Estância do Instituto Bairral de Psiquiatria localizado na cidade de Itapira, SP. METODOLOGIA: a população analisada foi composta por 51 sujeitos com faixa etária entre 52 e 87 anos de idade, em sua maioria portadora de distúrbios psiquiátricos e outras comorbidades clínicas, sendo excluídos da amostra os pacientes sem histórico de HAS e com níveis pressóricos considerados normais pelas V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial. O material para realização desta pesquisa foi obtido a partir da revisão bibliográfica de livros e artigos científicos publicados em periódicos localizados nas bases de dados Medline, Scielo e Lilacs, tendo como palavras-chave: hipertensão arterial sistêmica; anti-hipertensivos; idoso. Trata-se de um estudo transversal com dados obtidos a partir de pesquisa em prontuários de anotações técnicas, para a caracterização dos quadros diagnosticados como hipertensão arterial, considerando anamnese, exame físico na admissão e controle dos níveis pressóricos diários dos pacientes da Unidade Terapêutica Estância do Instituto Bairral de Psiquiatria...