Página 1 dos resultados de 1067 itens digitais encontrados em 0.012 segundos

Diabetes mellitus, complicações e o nível socioeconómico e cultural

Videira, Joana Margarida Fernandes
Tipo: masterthesis
Português
Relevância na Pesquisa
46.71%
A Diabetes Mellitus representa uma das principais ameças para a saúde humana no século XXI. Devido a este facto, é considerada uma das grandes epidemias mundiais e um problema de saúde pública. Um conjunto de factores de risco assume um papel importante no aparecimento e crescimento da doença na população. As sociedades são conhecidas por desenvolver e manter sistemas de estratificação social ao nível de diversas dimensões, tal como acontece com as condições socioeconómicas. Esta circunstância traduz-se na vantagem de determinados grupos e em desigualdades em áreas como a saúde. Através de uma investigação descritivo-correlacional, pretendeu-se estudar a associação entre factores potenciadores das complicações da Diabetes e o nível socioeconómico e cultural dos indivíduos. A população-alvo é constituída pelos indivíduos com Diabetes tipo 2 que são seguidos em consultas de Oftalmologia no Centro Cirúrgico de Coimbra. Recorreu-se a um método de amostragem não probabilística sistemática constituída por todos os doentes com diagnóstico de Diabetes tipo 2 que se deslocaram ao Centro Cirúrgico de Coimbra para a consulta referida no período entre Abril e Junho do presente ano, representando um total de 215 indivíduos. Foi aplicado um questionário que permitiu caracterizar os indivíduos sob o ponto de vista sociodemográfico...

O nível socioeconômico dos pacientes hipertensos atendidos em Unidades Básicas de Saúde na região oeste da cidade de São Paulo.; The socioeconomic level of hypertensive patients from the Health Basic Units in the west of Sao Paulo city.

Taveira, Luzí Aparecida Faleiros
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 08/12/2005 Português
Relevância na Pesquisa
66.57%
Introdução: Vários fatores podem interferir na adesão ao tratamento dos hipertensos e conseqüentemente no controle da doença. Dentre estes se destaca o contexto socioeconômico em que vivem os hipertensos. Objetivos: Caracterizar hipertensos atendidos em unidades básicas de saúde de acordo com o nível socioeconômico em relação às variáveis biossociais, econômicas, crenças, atitudes, conhecimento sobre a doença e tratamento, falta e interrupção do tratamento; e associar o nível socioeconômico com essas variáveis. Casuística e método: O estudo foi realizado em três unidades básicas de saúde na região oeste da cidade de São Paulo. Para avaliação econômica foi feito o cálculo do índice de bens acumulados, por meio da somatória de preços de eletrodomésticos constantes na residência do paciente, dividido este por doze e posteriormente pelo valor do salário mínimo para equivalência do poder aquisitivo mensal. Os dados foram processados no sistema SPSS v.7.5. O nível de significância adotado foi de 0,05. Resultados: Foram estudados 440 hipertensos. A maioria era do sexo feminino (66%), cor branca (51%), casados (56,8%), com ensino fundamental (52%), índice de massa corporal 29,99±6,0 kg/m², idade de 57±12 anos e renda mensal familiar de 1 a 3 salários mínimos (43...

O aspecto sócioeconômico e sua influência na qualidade do ensino fundamental público no Brasil

Costa, Raquel Dias
Tipo: dissertation
Português
Relevância na Pesquisa
46.51%
Este estudo busca demonstrar através de um modelo de regressão múltipla, a relação do nível socioeconômico com o desempenho escolar dos alunos da educação básica brasileira. A educação no Brasil sofreu mudanças profundas em sua política durante a década de 90, é norteada pela Lei de Diretrizes e Bases (LDB) de 1996. Com praticamente todas as crianças na escola, o problema que ressurge é a qualidade do ensino oferecido. O desempenho dos alunos do ensino público no Brasil é fraco. As avaliações criadas pelo INEP objetivam monitorar a qualidade fornecendo informações sobre o desempenho dos alunos e fatores associados a esse desempenho, com finalidade de reorientar políticas públicas voltadas para a educação. A busca por fatores determinantes do fraco desempenho dos alunos brasileiros é bastante recorrente no meio acadêmico. Essa investigação leva em consideração uma série de fatores do aluno, escola, professor, família entre outros. A grande maioria destaca a condição socioeconômica como um dos fatores que mais determina o desempenho escolar. Os dados selecionados para este estudo retrataram informações do nível socioeconômico e do professor – Índice de Desenvolvimento Humano (IDH)...

Estudo associativo do nível socioeconômico com os hábitos de vida, indicadores de crescimento e aptidão física relacionados à saúde

Guedes, Christiano
Tipo: dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.73%
O objetivo deste trabalho foi associar o nível socioeconômico com os hábitos de vida, indicadores de crescimento e aptidão física relacionada à saúde em estudantes das redes Privada e Pública de Ensino de Porto Alegre (RS). A amostra foi constituída de 1566 estudantes com idades entre 7 e 14 anos, sendo 871 do gênero masculino e 695 do feminino. A coleta de informações referente aos hábitos de vida utilizou o inventário EVIA (Sobral, 1992) adaptado por Torres e Gaya (1997). Os indicadores de crescimento foram determinados a partir das medidas de estatura e massa corporal. A aptidão física relacionada à saúde foi determinada pela medida de IMC e pelos testes de corrida/caminhada 9 minutos, sentar e alcançar (sit and reach) e abdominais (sit up’s). A análise dos dados utilizou a estatística descritiva (valores absolutos, percentuais, média, desvio-padrão) e inferencial (Qui-quadrado). Os dados foram tratados no programa estatístico SPSS 10.0. Para todas as análises, adotou-se o nível de significância de 0,05. Os resultados indicaram que existem diferenças estatisticamente significativas com relação aos hábitos de vida, em termos de organização do cotidiano e prática desportiva, a favor do nível socioeconômico mais privilegiado independentemente do gênero. Os indicadores de crescimento apresentaram índices superiores aos de referência NCHS...

Survey regional sobre crescimento e desenvolvimento : relações com maturação, sobrepeso e obesidade, nível socioeconômico e desempenho motor; Regional survey on human growth and development : relationships with maturation, overweight and obesity, socioeconomic level and motor performance

Edilson Hobold
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/11/2013 Português
Relevância na Pesquisa
46.53%
O presente estudo teve o objetivo de analisar, em escolares de ambos os sexos, de seis a 17 anos de idade, residentes nos municípios lindeiros ao lago de Itaipu, no extremo oeste paranaense, o crescimento e o desenvolvimento humano e suas respectivas relações com a maturação, com o sobrepeso e a obesidade, com o nível socioeconômico e com o desempenho motor. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da FCM/UNICAMP, Parecer CEP Nº 370/2011. Foram selecionadas de forma probabilística estratificada 5.962 crianças e adolescentes de ambos os sexos, sendo 3.024 do sexo feminino e 2.938 do sexo masculino, estudantes de escolas públicas de 11 municípios. Avaliou-se o nível socioeconômico, a antropometria (massa corporal, estatura, altura tronco-cefálica e dobras cutâneas tricipital e subescapular). Calculou-se o Índice de Massa Corporal, o Percentual de Gordura e o Pico de Velocidade de Crescimento (PVC). O desempenho motor foi avaliado pelos testes de salto horizontal, sentar e alcançar, flexão e extensão de braços no solo e vai-e-vem de 20m. Para a criação do banco de dados e a realização das análises estatísticas foi utilizado o programa estatístico SPSS for Windows - versão 11.5. Como tratamento estatístico utilizou-se: estatística descritiva...

Atitudes dos alunos face à disciplina de Educação Física : influência das variáveis ano de escolaridade, contexto de ensino e nível socioeconómico

Oneto, André Filipe Oliveira Nicola
Tipo: info:eu-repo/semantics/bachelorthesis
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
66.5%
Relatório de estagio de mestrado em Ensino de Educação Física nos Ensino Básico e Secundário; O relatório de estágio aqui apresentado pretende, de forma crítica e reflexiva, descrever as atividades didático-metodológicas realizadas, ao longo do ano letivo de 2012/2013, do estagiário de educação física, na última etapa da formação para a obtenção do mestrado em Ensino da Educação Física nos ensinos básico e secundário. O compromisso declarado com as aprendizagens dos alunos e o meio escolar são dois grandes temas deste documento, revelando-se na organização e gestão do ensino e da aprendizagem, bem como na participação na escola e relação com a comunidade. Nestes tópicos, as decisões tomadas precedem-se de justificações pedagógicas inerentes ao processo de ensino-aprendizagem. O outro foco deste trabalho assenta sobre uma vertente de investigação que deverá estar interligada com a função pedagógica do professor e adaptada ao contexto onde a prática de ensino supervisionada é realizada. Diversas pesquisas têm sugerido que as atitudes são fatores que podem influenciar não só a prática atual de atividade física, mas também a futura participação em atividades físicas...

Procrastinação para o estudo e autoeficácia académica em alunos do 3º Ciclo e Ensino Secundário: relação com o rendimento escolar e o nivel socioeconómico

Baptista, Anabela Silva
Tipo: masterthesis
Português
Relevância na Pesquisa
66.39%
Dissertação de Mestrado em Psicologia da Educação; A procrastinação é um fenómeno complexo que abrange múltiplos fatores, nomeadamente fatores sociais, cognitivos e afetivos. São vários os estudos realizados nesta área, tendo demonstrado que este é um comportamento bastante frequente em diversos contextos, particularmente no contexto escolar podendo trazer consequências negativas para o rendimento escolar. A investigação procurado estudar a relação da procrastinação com outras variáveis, sendo a autoeficácia uma delas; no entanto os resultados dos estudos têm sido contraditórios. A primeira parte deste trabalho consiste na revisão de estudos empíricos enquadrados na problemática em questão. A segunda parte apresenta um estudo empírico com o objetivo de verificar a relação entre a procrastinação no estudo e a autoeficácia académica com o rendimento escolar e nível socioeconómico, assim como analisar do género, ano de escolaridade e habilitações dos pais nessas variáveis. O estudo foi realizado com 295 alunos a frequentar entre o 7º e o 12º anos de escolaridade, com idades compreendidas entre os 11 e os 19 anos. Os dados foram recolhidos através de um Questionário Sociodemográfico, da Escala de Autoeficácia Académica (EAEA) de Neves e Faria (2005) e do Questionário de Procrastinação no Estudo construída e validada por Rosário e Costa (2007). Os resultados demonstraram que os rapazes são em média mais procrastinadores do que as raparigas...

A influência do mau trato e do nível socioeconómico no desenvolvimento psicomotor: o papel moderador das atividades extracurriculares

Joaquim, Joana Rita Lopes
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
66.61%
Mestrado em Psicologia Social da Saúde; Os números de crianças sinalizadas como estando em situação de risco, nomeadamente, devido às condições familiares, precariedade e abuso aumenta anualmente. Estes dados alertam para o quão importante é intervir ao nível dos contextos de risco, procurando identificar os fatores que minimizam as suas consequências negativas para o desenvolvimento da criança. A literatura defende que o baixo nível socioeconómico e o abuso têm consequências negativas para o desenvolvimento das crianças em diversos sectores. Procurou-se comparar o desenvolvimento psicomotor, através da noção do corpo e da estruturação espaciotemporal, de crianças de nível socioeconómico alto e baixo, assim como vítimas de abuso e grupo de controlo. Pretendeu-se também, no sentido de identificar fatores de proteção, compreender o papel das atividades extracurriculares na relação entre os fatores de risco e o desenvolvimento psicomotor, testando a hipótese de moderação gerada pela participação. Para constituição dos grupos com base no abuso, foi usado o Questionário de Avaliação do Mau Trato, Negligência e Abuso Sexual (Calheiros, 2006), e a Bateria Psicomotora (BPM) (Fonseca, 1985), para avaliação da noção do corpo e da estruturação espaciotemporal. Verificou-se que ambos fatores de risco apresentam consequências ao nível do desenvolvimento psicomotor. As médias da noção do corpo e da estruturação espaciotemporal variaram...

Obesidade infantojuvenil e estado socioeconómico

Ferreira, Andreia Sousa
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública. Universidade Nova de Lisboa Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública. Universidade Nova de Lisboa
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
56.57%
RESUMO - Introdução: Atualmente, o nível socioeconómico é um dos mais poderosos preditores do estado de saúde, com grande influência no desenvolvimento da obesidade. O orçamento famíliar, os níveis de educação dos pais e o desemprego são fatores que podem influenciar as escolhas alimentares dos mais jovens. Objetivos: Analisar a relação entre o nível socioeconómico e a prevalência de excesso de peso e de obesidade em crianças e jovens por distrito de Portugal continental. Métodos: Foi realizado um estudo ecológico, analítico, observacional e transversal, onde foram recolhidos dados socioeconómicos (taxa de desemprego, rendimento médio/ trabalhador, contribuição para o PIB nacional, proporção da população residente que beneficia do rendimento social de inserção, proporção da população residente com ensino superior completo) do anuário estatistico de 2008 e dos censos de 2011. Os dados foram recolhidos por distrito e correlacionados com a prevalência de excesso de peso e de obesidade infantojuvenil de Portugal continental. Resultados: Verificou-se que a prevalência de obesidade e excesso de peso é significativamente diferente em cada distrito com valor p = 0,008. Demonstrou-se que não se verificaram relações significativas com as variáveis socioeconómicas e a prevalência de excesso de peso e obesidade por distrito...

Influência do nível socioeconômico sobre comportamentos de risco para transtornos alimentares em adolescentes

Dunker,Karin Louise Lenz; Fernandes,Cássia Peres Bonar; Carreira Filho,Daniel
Fonte: Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro Publicador: Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 Português
Relevância na Pesquisa
66.39%
OBJETIVO: Investigar comportamentos de risco para transtornos alimentares (TA) em adolescentes de diferentes níveis socioeconômicos. MÉTODO: 183 adolescentes do sexo feminino de 15 a 18 anos de duas escolas (pública e particular) foram avaliadas quanto à renda e escolaridade dos pais, estado nutricional, comportamentos de risco para TA (Teste de Atitudes Alimentares - EAT-26), atitudes socioculturais quanto à aparência (Escala das Atitudes Socioculturais Voltadas para Aparência - SATAQ-3), percepção corporal (escala de silhuetas) e uso de dietas. RESULTADOS: A média do escore do EAT-26, assim como a porcentagem de adolescentes consideradas de risco foram semelhantes entre as escolas (p >0,05). No escore do SATAQ-3, verificou-se na escola particular um valor maior que da pública (p0,05), e as que apresentaram sobrepeso/obesidade tiveram escores maiores no EAT-26. Metade das adolescentes das escolas já fez dieta, sendo que a frequência do uso de dietas esteve associada com o maior escore do EAT-26. CONCLUSÕES: Comportamentos de risco foram encontrados em grande parte da população estudada, mas esses não estiveram associados com o nível socioeconômico.

Prevalência e variáveis associadas à inatividade física em indivíduos de alto e baixo nível socioeconômico

Reis,Helena França Correia dos; Ladeia,Ana Marice Teixeira; Passos,Everton Carvalho; Santos,Flávio Guilherme de Oliveira; Wasconcellos,Larissa Tapioca de; Correia,Luís Cláudio Lemos; Menezes,Marta Silva; Santos,Renata Dáttoli Gouvêa; Bomfim,Victor G
Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Publicador: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 Português
Relevância na Pesquisa
46.65%
FUNDAMENTO: Estudos que consideram apenas a atividade física de lazer encontraram que a inatividade física é maior entre os indivíduos com menor renda. Existe a possibilidade de que, ao se considerar as atividades de transporte, trabalho e domésticas ocorra modificações nessa associação. OBJETIVO:Determinar se há diferença entre as prevalências de inatividade física entre indivíduos de alto e baixo nível socioeconômico. MÉTODOS: A amostra foi constituída por indivíduos de ambos os sexos, com 18 anos ou mais, de dois grupos de diferentes níveis socioeconômicos. O Grupo de baixo nível socioeconômico (BNSE) foi composto por pais de alunos de uma escola pública. Os indivíduos de alto nível socioeconômico (ANSE) foram pais de uma escola de nível superior privada. Para determinação do nível de atividade física foi utilizado o Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ). RESULTADOS: Noventa e um indivíduos foram avaliados no grupo de BNSE e 59 no ANSE. No grupo de baixo NSE, 42,9% (39) dos indivíduos foram classificados como insuficientemente ativos, comparados a 57,6% (34) nos indivíduos de alto NSE. Tomando-se como parâmetro de inatividade física um tempo de atividade física semanal menor que 150 minutos houve redução da classificação de inatividade em ambos os grupos...

Diferenças intertemporais na média e distribuição do desempenho escolar no Brasil: o papel do nível socioeconômico, 1997 a 2005

Rodrigues,Clarissa Guimarães; Rios-Neto,Eduardo Luiz Gonçalves; Pinto,Cristine Campos de Xavier
Fonte: Associação Brasileira de Estudos Populacionais Publicador: Associação Brasileira de Estudos Populacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 Português
Relevância na Pesquisa
66.63%
É consenso na literatura de avaliação educacional que o nível socioeconômico dos alunos é o fator mais importante para explicar, em determinado ponto no tempo, as variações nos resultados escolares dos alunos avaliados pelo Sistema de Avaliação da Educação Básica - Saeb. Não se sabe, porém, em que medida a mudança temporal nas condições socioeconômicas influenciou a mudança na média e na distribuição do desempenho escolar entre os diversos ciclos do Saeb. Para investigar esta questão, utilizamos o método de decomposição contrafactual desenvolvido por Juhn, Murphy e Pierce (1993), que permite isolar a contribuição da variação na composição e retorno do nível socioeconômico sobre a variação na média e distribuição do desempenho escolar. Foram empregados os dados do Saeb de 1997 a 2005, para a coorte de alunos da 4ª série do ensino fundamental avaliados em matemática. Os principais resultados mostram que o aumento na cobertura escolar no final dos anos 1990 reduziu o nível socioeconômico médio dos alunos e colaborou para diminuir a média e elevar a desigualdade entre os resultados escolares (efeito composição). Ao mesmo tempo, houve redução na sensibilidade do desempenho escolar ao nível socioeconômico (efeito retorno). Este achado tem implicações ambíguas: por um lado...

Percepção da imagem corporal e nível socioeconômico em adolescentes: revisão sistemática

Pereira,Érico Felden; Teixeira,Clarissa Stefani; Gattiboni,Bruna Dalcin; Bevilacqua,Lidiane Amanda; Confortin,Susana Cararo; Silva,Tatiana Rodrigues da
Fonte: Sociedade de Pediatria de São Paulo Publicador: Sociedade de Pediatria de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 Português
Relevância na Pesquisa
46.61%
OBJETIVO: Discutir as relações entre percepção da imagem corporal e fatores socioeconômicos como renda, grau de escolaridade e etnia em adolescentes. FONTES DE DADOS: Artigos selecionados nas bases PubMed e SciELO, sem limite de data de publicação, com amostras de adolescentes, nos idiomas inglês, espanhol, português ou francês, utilizando os descritores: "percepção da imagem corporal", "nível socioeconômico" e "adolescentes". SÍNTESE DOS DADOS: A influência do contexto socioeconômico na percepção da imagem corporal e satisfação/insatisfação com o corpo é tema relevante no entendimento da saúde dos adolescentes. Identificou-se que as relações entre imagem corporal e nível socioeconômico são complexas e os resultados dos estudos publicados não são conclusivos. As principais tendências observadas foram: jovens norte-americanos de classe baixa apresentaram maior chance de serem obesos ao contrário dos brasileiros; moças e rapazes apresentaram comportamentos diferenciados na percepção da imagem corporal, independentemente da etnia e do nível socioeconômico; moças brancas apresentaram maior insatisfação com a imagem corporal e maior busca por dietas do que moças negras, as quais parecem sofrer menos influência dos padrões de beleza em voga; jovens de menor nível socioeconômico apresentaram uma tendência a desejarem corpos maiores. CONCLUSÕES: Considerando-se amostras estrangeiras...

Nível socioeconômico, qualidade e eqüidade das escolas de Belo Horizonte

Soares,Jose Francisco; Andrade,Renato Júdice de
Fonte: Fundação CESGRANRIO Publicador: Fundação CESGRANRIO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2006 Português
Relevância na Pesquisa
66.39%
Entre os fatores que impactam o desempenho cognitivo dos alunos da educação básica destacam-se sua família, as estruturas da sociedade e a escola que ele estuda. A forma de medir estes fatores sofreu enorme impacto com a popularização de duas novas técnicas estatísticas: a Teoria de Resposta ao Item (TRI) e os modelos de regressão para dados hierárquicos. Nesse trabalho apresentam-se três medidas caracterizadoras de uma escola; sua posição construída com ajuda da TRI a partir de indicadores fornecidos pelos alunos, medidas da qualidade e medidas da eqüidade criadas com ajuda dos modelos hierárquicos. A base de dados utilizada é composta por informações provenientes dos questionários socioeconômicos e pelas medidas de desempenho cognitivo dos estudantes das escolas de Belo Horizonte presentes no SIMAVE 2002 e nos vestibulares da UFMG em 2002, 2003 e 2004. A análise da qualidade das escolas de Belo Horizonte, através de modelo onde a influência do nível socioeconômico no desempenho dos alunos é controlada, mostra uma dimensão otimista da realidade. Algumas escolas, públicas e privadas, pelas suas políticas e práticas pedagógicas conseguem fazer diferença no desempenho de seus alunos mesmo quando eles são socioeconomicamente desfavorecidos. Por outro lado...

Índice socioeconômico das escolas de educação básica brasileiras

Alves,Maria Teresa Gonzaga; Soares,José Francisco; Xavier,Flavia Pereira
Fonte: Fundação CESGRANRIO Publicador: Fundação CESGRANRIO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2014 Português
Relevância na Pesquisa
56.43%
Este artigo apresenta a metodologia e os resultados do desenvolvimento de um índice de nível socioeconômico das escolas de educação básica do Brasil. Os dados provêm dos questionários contextuais aos quais os alunos respondam nas avaliações educacionais feitas pelo governo federal nesse nível de ensino. Foram consideradas as respostas válidas de 20.806.062 alunos em 21 bases de dados. Para estimar o índice, itens relacionados às dimensões escolaridade e ocupação dos pais do aluno e a renda familiar foram agregados, empregando-se um modelo da Teoria da Resposta ao Item. Os resultados foram validados mostrando-se fidedignos. Correlações com outros índices semelhantes são positivas e altas. A correlação com a renda per capita dos municípios revela que a realidade nacional vista por um indicador econômico e um indicador obtido pelas respostas a um questionário é, no nível macro, a mesma. A avaliação de especialistas em diferentes localidades do país coincide com a retratada pelo indicador.

Antropometria, maturação sexual e idade da menarca de acordo com o nível socioeconômico de meninas escolares de Cascavel (PR)

Roman,Everton Paulo; Ribeiro,Roberto Regis; Guerra-Júnior,Gil; Barros-Filho,Antonio de Azevedo
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 Português
Relevância na Pesquisa
46.53%
OBJETIVO: Avaliar a idade da menarca e a antropometria de meninas escolares de diferentes níveis socioeconômicos em Cascavel (Estado do Paraná) -Região Sul do Brasil. MÉTODOS: Estudo transversal realizado no ano de 2006 com 2.761 meninas em 27 escolas públicas e particulares. A idade da menarca foi obtida pelo método status quo. Para a avaliação da maturação sexual foi realizada a autoavaliação de acordo com os critérios descritos por Tanner. O nível socioeconômico foi obtido por meio do questionário da ABEP (2003). Avaliou-se o peso e a estatura, obtendo-se o índice de massa corporal (IMC). Foram utilizados a análise estatística descritiva e o teste de Mann-Whitney, com nível de significância de 5%. RESULTADOS: A idade da menarca geral foi 12,2±1,2 anos e 12,1±1,1; 12,3±1,2 e 12,4±1,2 anos para os tercis alto, médio e baixo de nível socioeconômico, respectivamente. Foram constatados valores superiores para as meninas pós-menarca no peso e na estatura dos 10 aos 17 anos de idade e no IMC dos 11 aos 14 anos de idade. CONCLUSÕES: As meninas de nível socioeconômico alto apresentaram idade da menarca em idade inferior aos demais níveis socioeconômicos. Embora estas diferenças tenham sido observadas em níveis socioeconômicos distintos...

Medidas de nível socioeconômico em pesquisas sociais: uma aplicação aos dados de uma pesquisa educacional

Alves,Maria Teresa Gonzaga; Soares,José Francisco
Fonte: Centro de Estudos de Opiniao Publica da Universidade Estadual de Campinas Publicador: Centro de Estudos de Opiniao Publica da Universidade Estadual de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 Português
Relevância na Pesquisa
66.39%
Em qualquer sociedade, diferenças entre os indivíduos são consistentemente observadas quanto ao lugar que ocupam na hierarquia social. Tais diferenças se associam profundamente às oportunidades educacionais, às trajetórias ocupacionais, ao acesso aos bens e serviços, ao prestígio social, ao comportamento político e social, etc. Neste artigo, assume-se que todas essas diferenças podem ser descritas adequadamente por um único construto denominado de nível socioeconômico (NSE). Este trabalho tem como objetivos principais: discutir formas de medir o NSE nas pesquisas sociais e produzir uma medida de NSE que expresse as variações entre famílias representadas nessas pesquisas, bem como interpretar a escala proposta. A consistência da proposta teórica é verificada com dados da Pesquisa Geração Escolar 2005 - Polo Belo Horizonte.

Reflexões sobre a construção da parentalidade e o uso de estratégias educativas em famílias de baixo nível socioeconômico

Bem,Laura Alonso de; Wagner,Adriana
Fonte: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá Publicador: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2006 Português
Relevância na Pesquisa
66.46%
Este artigo apresenta uma revisão da literatura sobre questões relativas à parentalidade à luz da Teoria Ecológico-Sistêmica, objetivando descrever alguns dos fatores que estão envolvidos no processo de escolha das estratégias educativas utilizadas por pais e mães de famílias de baixo nível socioeconômico. Identificamos os conceitos de valores, metas e práticas educativas e descrevemos as interconexões destes a partir de pesquisas empíricas que discutem as variáveis a serem consideradas no processo educativo. Partimos da premissa de que a forma de pensar e a forma de promover o desenvolvimento e a educação das crianças são construídas na relação com o contexto socioeconômico-cultural no qual as famílias estão inseridas. Concluímos que é fundamental podermos pensar nas idiossincrasias do meio em que vivem as famílias de camadas populares, pois elas refletem e são refletidas nos padrões de interação que se estabelecem entre os seus membros.

Nível socioeconômico e sua influência sobre a prevalência de sobrepeso e obesidade em escolares adolescentes do município de Fortaleza

Campos,Lício de Albuquerque; Leite,Álvaro Jorge Madeiro; Almeida,Paulo César de
Fonte: Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2006 Português
Relevância na Pesquisa
46.65%
OBJETIVOS: Analisar a relação entre o nível socioeconômico e a prevalência de sobrepeso e obesidade em adolescentes escolares do ensino público e privado do Município de Fortaleza. MÉTODOS: Realizou-se um estudo de corte transversal com 1.158 adolescentes, sendo 587 das escolas privadas e 571 das escolas públicas. Foram avaliados o índice de massa corporal e o nível socioeconômico das famílias pelo Critérios de Classificação Econômica do Brasil. RESULTADOS: Foi encontrada maior prevalência de sobrepeso/obesidade nas classes de maior nível socioeconômico (24,8%) em relação às de menor nível (17,4%). Os rapazes de maior nível socioeconômico tiveram maiores taxas de prevalência de sobrepeso/obesidade do que os de menor nível, fato que não foi observado entre as adolescentes. Constatou-se que, na fase de 10 a 14 anos, o excesso de peso era mais freqüente nas classes mais altas, não acontecendo essa diferença entre 15 a 19 anos. CONCLUSÃO: Conclui-se que a prevalência de sobrepeso/obesidade em adolescentes do Município de Fortaleza é maior nos estratos sociais mais elevados, tendo os adolescentes masculinos apresentado uma relação diretamente proporcional entre o nível socioeconômico e o excesso de peso...

A influência do nível socioeconômico na resolução temporal em escolares

Balen,Sheila Andreoli; Boeno,Mirian Regina Moresco; Liebel,Graziela
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 Português
Relevância na Pesquisa
46.67%
OBJETIVO: Verificar a influência do nível socioeconômico na resolução temporal de escolares em dois protocolos de avaliação. MÉTODOS: A amostra foi constituída por 44 crianças de seis a 11 anos, sem histórico de alterações otológicas e/ou audiológicas, de doenças neurológicas e psicológicas conhecidas e com audição normal. A amostra foi dividida em três grupos, de acordo com o Critério de Classificação Econômica do Brasil da Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa: Grupo 1: nível socioeconômico alto; Grupo 2: nível socioeconômico médio; Grupo 3: nível socioeconômico baixo. Foram aplicados os testes de detecção de intervalos de silêncio (RGDT) e de detecção de intervalo no ruído (GIN). A análise estatística utilizou o teste Ryan-Einot-Gabriel-Welch Multiple Range Test. RESULTADOS: As médias de desempenho dos grupos 1, 2 e 3 foram maiores no teste de detecção de intervalos de silêncio do que em relação ao de intervalos no ruído. Em relação ao nível socioeconômico, em ambos os testes houve diferenças estatisticamente significativas entre os grupos. CONCLUSÃO: Houve influência do nível socioeconômico na resolução temporal medida tanto pelo teste de detecção de intervalos de silêncio quanto pelo de intervalos no ruído.