Página 1 dos resultados de 5 itens digitais encontrados em 0.077 segundos

O ensino de estatística na universidade e a controvérsia sobre os fundamentos da inferência; Teaching Statistics at the University and the inference controversy

Cordani, Lisbeth Kaiserlian
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 18/06/2001 Português
Relevância na Pesquisa
56.16%
A maioria dos cursos universitários tem, em seu currículo, uma disciplina básica obrigatória de elementos de probabilidade e estatística. Além dos procedimentos de natureza descritiva, associados a análise de dados, fazem parte da ementa dessas disciplinas procedimentos inferenciais, geralmente apresentados dentro da teoria clássica(ou frequentista) de Neyman-Pearson. Não é costume nesta disciplina nem discutir aspectos epistemológicos ligados à inferência estatística e nem incluir a apresentação da escola Bayesiana, como uma possível alternativa. Sabidamente, tal disciplina é um entrave na vida escolar, tanto do aluno como do professor. Do aluno, porque este se depara, em boa parte das vezes, com um oferecimento mecânico da disciplina, sem motivação de natureza aplicada e sem vínculo aparente com sua realidade próxima curricular. Do professor, porque encontra geralmente alunos, além de despreparados com relação aos conceitos primários de incerteza e variabilidade, também com predisposição negativa, devido ao tabu associado à disciplina. Com o intuito de discutir a necessidade do oferecimento das primeiras noções inferenciais nessa disciplina, bem como responder a pergunta qual a inferência que deve ser ensinada numa disciplina básica de um curso universitário? buscamos caracterizar...

A aderência entre o constructo da sustentabilidade e a prática das ONGs

Kisil, Rosana
Tipo: dissertation
Português
Relevância na Pesquisa
25.87%
O cerne da Sustentabilidade como conceito contemporâneo é a inclusão de uma lógica diferente da tradicional dentro do sistema social: o cuidado com os aspectos econômicos, humanos e ambientais como orientadores de decisões para toda e qualquer atividade produtiva em exercício (produtos, serviços, bem estar humano). Responder ao constructo da sustentabilidade exige das organizações um sistema complexo de gestão sobre suas trocas com o meio. Nas Organizações Não Governamentais (ONGs) o funcionamento organizacional tem também buscado um estado duradouro de produção de resultados de utilidade pública, adotando formas de gestão que variam entre o tradicionalismo e a inovação, numa tentativa de equilibrar-se com fatores emergentes como a responsabilidade social interna, a capacidade de aprendizagem e a responsabilidade ambiental. Esta pesquisa propõe um composto de Critérios aplicativo dos princípios orientadores da sustentabilidade ajustados às ONGs: substitui os tradicionais elementos que só se aplicam às empresas, como “lucro” e “produção limpa”, por elementos equivalentes nas ONGs, como “produção de resultados” e “inovação metodológica”. Esses ajustes foram feitos a partir da literatura analisada e são sustentados durante toda a dissertação. Diversos estudos e modelos científicos sobre a eficiência...

Design da interação em ambientes virtuais : uma abordagem semiótica

Osvaldo Luiz de Oliveira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 08/05/2000 Português
Relevância na Pesquisa
35.92%
Ambientes virtuais. algumas vezes também denominados sistemas de realidade virtual, são ambientes computacionais que incorporam um certo estilo de interação Humano-Computador no qual os signos aos quais o ser humano é exposto são gerados pelo computador de maneira relativa ao "ponto de vista" de um participante individual. Dirigidos inicialmente a aplicações científicas e a simuladores de alto custo, hoje os ambientes virtuais são amplamente empregados em áreas tais como arquitetura, medicina, entretenimento, treinamento, educação, psicoterapia, visualização, modelagem digital de manufatmas, comunicação e até mesmo em arte graças basicamente à confluência de três fatores: a queda no custo dos recursos computacionais, o aumento de performance dos processadores e o desenvolvimento de algoritmos eficientes e robustos para computação gráfica e sonora. A pesquisa sobre ambientes virtuais conduzida até agora tem se fixado na melhoria da performance e da qualidade de resposta dos ambientes virtuais. A preocupação com o design da interação do ser humano em ambientes virtuais de forma abrangente é relativamente recente. Tendo como pano de fundo a Semiótica de Peirc, esta tese trata do design da interação do ser humano em ambientes virtuais propondo o entendimento destes ambientes e do próprio design como signo. Nós objetivamos primariamente o desenvolvimento de um modelo conceitual para interação em ambientes virtuais. o estabelecimento de princípios que governam esta interação e a criação de um método para design destes ambientes. Secundariamente. nós analisamos o potencial que o modelo conceitual proposto tem para ser aplicado a outras classes de software e como os princípios de design propostos podem ser utilizados num quadro de inferência lógica de questões remetidas a ambientes virtuais. Um protótipo de ambiente virtual que permite a crianças o desenvolvimento e a atuação em peças de teatro é desenvolvido para ilustrar os conceitos discutidos e para exemplificar na prática a aplicação destes conceitos; Virtual environments...

Logics of formal inconsistency

João Marcos de Almeida
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 16/02/2005 Português
Relevância na Pesquisa
36.07%
Segundo a pressuposição de consistência clássica, as contradições têm um cará[c]ter explosivo; uma vez que estejam presentes em uma teoria, tudo vale, e nenhum raciocínio sensato pode então ter lugar. Uma lógica é paraconsistente se ela rejeita uma tal pressuposição, e aceita ao invés que algumas teorias inconsistentes conquanto não-triviais façam perfeito sentido. A? Lógicas da Inconsistência Formal, LIFs, formam uma classe de lógicas paraconsistentes particularmente expressivas nas quais a noção meta-teónca de consistência pode ser internalizada ao nível da linguagem obje[c]to. Como consequência, as LIFs são capazes de recapturar o raciocínio consistente pelo acréscimo de assunções de consistência apropriadas. Assim, por exemplo, enquanto regras clássicas tais como o silogismo disjuntivo (de A e {não-,4)-ou-13, infira B) estão fadadas a falhar numa lógica paraconsistente (pois A e (nao-A) poderiam ambas ser verdadeiras para algum A, independentemente de B), elas podem ser recuperadas por uma LIF se o conjunto das premissas for ampliado pela presunção de que estamos raciocinando em um ambiente consistente (neste caso, pelo acréscimo de (consistente-.A) como uma hipótese adicional da regra). A presente monografia introduz as LIFs e apresenta diversas ilustrações destas lógicas e de suas propriedades...

Um Modelo de engenharia do conhecimento para sistemas de apoio a decisão com recursos para raciocínio abdutivo

Heinzle, Roberto
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 181 p.| il.
Português
Relevância na Pesquisa
25.9%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico, Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento, Florianópolis, 2011; Esta Tese tem por objetivo a construção de um modelo de engenharia do conhecimento para integrar o raciocínio não-monotônico aos Sistemas de Apoio a Decisão-SAD, e assim oferecer um instrumento mais efetivo no auxílio aos processos cognitivos desenvolvidos pelo gestor no âmbito de uma tomada de decisão organizacional. Para identificar os princípios e as alternativas a serem considerados na construção do modelo foi feita uma revisão da literatura sobre as diferentes abordagens dos pesquisadores das áreas de teoria da decisão, teoria do raciocínio, lógica e raciocínio computacional. Desta forma, percebeu-se que os princípios que fundamentam a Teoria do Raciocínio de Peirce, somada à representação do conhecimento com o uso de uma ontologia, poderiam ser aplicados para embasar a criação do modelo que permite aos Sistemas de Apoio a Decisão oferecer o suporte necessário ao gestor, inclusive com recursos para desenvolvimento do raciocínio não-monotônico. O modelo foi então formulado e, posteriormente, submetido à validação por meio de uma aplicação experimental realizada junto à Universidade Regional de Blumenau e relacionada à gestão dos cursos de pós-graduação stricto sensu oferecidos pela instituição. Entre as conclusões a que se chegou...