Página 1 dos resultados de 480 itens digitais encontrados em 0.109 segundos

Ação comunicativa no cuidado à saúde da família: encontros e desencontros entre profissionais de saúde e usuários; Communicative Action Toward The Health care of the Family: Meetings and failure in meetings among professionals of health and users.

Craco, Priscila Frederico
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 07/02/2006 Português
Relevância na Pesquisa
66.08%
Na atualidade vivenciamos, nacional e internacionalmente, uma crescente revalorização do tema família com priorização e expansão de serviços de Atenção Primária à Saúde, como estratégia de reorganização do setor saúde e de mudança do modelo assistencial. Novas propostas em discussão e aplicação têm ocupado um lugar de destaque na reconstrução das práticas de saúde no Brasil. Neste cenário, ressalta-se a dimensão comunicacional do encontro entre profissionais de saúde e usuários, como um processo de diálogo, que garanta e estimule uma crescente integração entre as finalidades técnicas do trabalho e os projetos de vida dos usuários. Este estudo teve por objetivo compreender as comunicações e ações dos sujeitos (profissionais de saúde e usuários) envolvidos no cuidado à saúde da família e interpretar as possibilidades e dificuldades da ação comunicativa neste cuidado. A Teoria da Ação Comunicativa defendida por Habermas (1987) é a referência teórica fundamental. A esta foram acrescidas a conceituação de Dialógica do Cuidado proposta por Ayres (2002) e a categoria do trabalho vivo em ato proposta por Merhy (2000). Utilizamos a abordagem qualitativa de pesquisa, com a observação participante e a entrevista semi-estruturada como métodos de coleta de dados. A pesquisa foi desenvolvida em uma Unidade de Atenção à Saúde da Família do município de Ribeirão Preto...

Reflexões sobre relações disciplinares a partir do estudo de caso de um serviço universitário de promoção da saúde e prevenção de doenças na prática clínica; Reflections about disciplinary relationships based upon the case study of a university service for education and research in health promotion and disease prevention in clinical practice

Guedes, Lígia Emerita
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 14/10/2009 Português
Relevância na Pesquisa
76.02%
Introdução. O trabalho em equipe interdisciplinar é considerado um importante pressuposto para reorganização do processo de trabalho nas práticas de promoção da saúde e prevenção de doenças, visando a uma abordagem mais integral e resolutiva. Objetivo. Discutir aspectos das relações disciplinares entre profissionais de saúde, incluindo barreiras e facilitadores à prática da interdisciplinaridade, tomando como referência o caso de um centro universitário voltado ao ensino e pesquisa em promoção da saúde e prevenção de doenças na prática clínica. Método. Pesquisa qualitativa, realizada no Centro de Promoção da Saúde do Serviço de Clínica Geral do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (CPS-HCFMUSP), com emprego de observação participante e entrevistas semiestruturadas com profissionais de saúde, iniciada após prévia aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa e consentimento esclarecido dos entrevistados. Os dados foram submetidos à análise qualitativa, através da análise de conteúdo, modalidade temática. Resultados. Encontram-se práticas realizadas por profissionais com mesmos objetivos, porém com pequena interação entre si, sem método e linguagem comuns...

A integração das ações no campo da saúde mental entre a estratégia de saúde da família e o núcleo de apoio à saúde da família: desafios para uma prática interdisciplinar; Integration of actions in the field of Mental Health between the Family Health Strategy and the Support Center for Family Health: challenges for an interdisciplinary practice

Oliveira, Fernanda Rodrigues Leite de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 06/05/2013 Português
Relevância na Pesquisa
96.28%
Com o intuito de superar os modelos tradicionais de atenção à saúde, caracterizados pela fragmentação e pelo elevado grau de especialização das intervenções, a Estratégia de Saúde da Família (ESF) foi criada como dispositivo prioritário para a reorganização do sistema de saúde. Para tanto, é composta por equipe multiprofissional que deve atuar no desenvolvimento de ações de promoção da saúde, prevenção de adoecimento, tratamento e reabilitação com foco no indivíduo, na família e na comunidade. Com o objetivo de ampliar e apoiar o trabalho da ESF, o Ministério da Saúde criou os Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF). Tais núcleos são compostos por equipes multiprofissionais que devem operar de acordo com a lógica do Apoio Matricial, trabalhando de maneira conjunta com a ESF. Para isso, os profissionais do NASF desenvolvem algumas ações estratégicas, como discussões de casos, realização de atendimentos compartilhados e ações de educação permanente. A partir da experiência profissional junto ao NASF foi possível verificar alguns impasses e dificuldades relacionados ao desenvolvimento das ações em Saúde Mental e também à integração das equipes de ESF e NASF. Que concepções de Saúde Mental e de cuidado guiam as ações? Como se dá a integração dos diferentes saberes e do trabalho entre os profissionais na construção de projetos terapêuticos? Frente a essas questões...

Vivência profissional e conhecimento especializado: um estudo sobre a apropriação da prática por profissionais que atuam na estratégia de saúde na família; Professional Experience and Specialized Knowledge: a study on the appropriacy of practice by professionals who work with the Family Health Strategy

Monteiro, Joana Filipa Afonso
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/09/2011 Português
Relevância na Pesquisa
66.09%
No transcurso da história, as práticas em saúde tiveram diversas configurações. Todavia, a partir da década de 70, sobretudo nos países ocidentais, a atuação embasada no modelo flexneriano passou a ser questionada por desvelar sua ineficácia, ineficiência e manutenção da desigualdade social. Assim, o Relatório Carnegie (1970) propõe a mudança de paradigma pautado em uma concepção positiva de saúde que contemple os determinantes psicossociais do adoecimento e cuidado. Convergentemente, o Movimento da Reforma Sanitária brasileira conquistou a regulamentação do Sistema Único de Saúde (SUS), em 1990, e, em 1994, o Ministério da Saúde apresenta o Programa de Saúde da Família como ícone da política nacional de Atenção Primária à Saúde (APS) que, a partir de 2006, é concebido como Estratégia e tem como um de seus objetivos superar o modelo hegemônico médico-centrado, a partir, entre outras coisas, da organização dos processos de trabalho. Todavia, um dos obstáculos para operacionalização desta proposta consiste na dificuldade de mudanças das práticas em saúde, que perseveram na abordagem técnica, dificultando a apropriação do trabalho pela equipe. Visando compreender as relações estabelecidas entre prática profissional...

Pró-saúde na perspectiva dos profissionais de saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Bauru: análise do discurso; Pro-Health in the perspective of health professionals of the municipal health Bauru: discourse analysis

Souza, Sylvia Helena Scombatti de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 24/04/2014 Português
Relevância na Pesquisa
66.15%
A Estratégia Saúde da Família surgiu como uma proposta para impulsionar a reestruturação da Atenção Básica em Saúde, tendo como foco o núcleo familiar. A inserção da Equipe de Saúde Bucal foi um importante componente nesta proposta de atendimento integral, vislumbrando um paradigma de atenção odontológica que promova melhorias nas condições de vida da população e a perspectiva de atuação dentro dos princípios da integralidade, desenvolvendo atividades de promoção, prevenção e recuperação da saúde bucal. O Agente Comunitário de Saúde é um profissional que emerge da comunidade e integra a equipe de saúde da família tornando-se um vínculo entre esses dois polos, trazendo as demandas da comunidade para a equipe e facilitando o acesso aos serviços. Este estudo teve como objetivo analisar, através dos discursos dos cirurgiões-dentistas, auxiliares em saúde bucal e agentes comunitários de saúde, suas percepções sobre a integralidade das ações, a integração ensino-serviço, através do programa Pró- Saúde, e as implicações na rotina de trabalho desses profissionais. Trata-se de um estudo de abordagem qualitativa, onde os profissionais integrantes das Equipes de Saúde Bucal e Agentes Comunitários de Saúde foram entrevistados com auxílio de um roteiro semiestruturado...

Emergência de realidades no ensino superior da saúde : atos e vozes da área de fisioterapia nas diretrizes curriculares nacionais

Oliveira, Gilnara da Costa Corrêa
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.07%
Esta tese teve como objeto de estudo a compreensão da emergência de realidades no ensino superior da saúde, segundo a singularidade da área de fisioterapia, mediante seus atos e vozes nas Diretrizes Curriculares Nacionais. Entendi ter-se organizado um movimento social por entre o debate das diretrizes curriculares. No encontro com profissionais da fisioterapia, procurei saber em que momento emergiu para esta profissão a possibilidade de mudança – sob a forma das Diretrizes Curriculares Nacionais – no saber-fazer-ensinar fisioterapêutico. Uso um movimento social por entre o debate das diretrizes curriculares. No encontro com profissionais da fisioterapia, procurei saber em que momento emergiu para esta profissão a possibilidade de mudança – sob a forma das Diretrizes Curriculares Nacionais – no saber-fazer-ensinar fisioterapêutico. Uso da ciência da complexidade e da teoria das realidades emergentes, para propor uma imagem e interpretação da conformação de novidades no ensino superior da fisioterapia, considerados os atos e as vozes de profissionais dessa área que militam pela educação e pelo lugar que a formação deve tomar na invenção de mundos (da técnica, do trabalho, das relações sociais, da ciência...

Vinte anos de assistência a pessoas vivendo com HIV/AIDS no Brasil: a perspectiva de profissionais da saúde

Sadala, Maria Lúcia Araújo; Marques, Sílvio de Alencar
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 2369-2378
Português
Relevância na Pesquisa
86.04%
O objetivo do estudo é descrever os significados atribuídos por profissionais de saúde à sua experiência de cuidar de pessoas com HIV/AIDS. Os dados foram coletados em entrevistas com 10 profissionais da saúde, em diferentes instituições paulistas. Três temas emergiram da análise dos dados: (a) o cenário da assistência ao paciente com HIV/AIDS; (b) relacionamento com o paciente; (c) aspectos éticos nesse cuidado. A despeito dos reconhecidos avanços na assistência a esse paciente, os achados revelam a persistência de comportamentos discriminatórios, relacionados a sentimentos de insegurança e medo do contágio, entre os profissionais nos serviços e hospitais gerais. O preparo específico para atender os pacientes estaria mais voltado aos profissionais dos centros especializados para a assistência ao HIV/AIDS, resultando em dificuldades na integração da assistência a esses pacientes nos demais serviços do SUS. Esses dados remetem aos aspectos da formação profissional na área da saúde como um todo, levando à reflexão sobre as competências que se espera dos profissionais da saúde em cuidar e relacionar-se com pessoas com HIV/AIDS, assim como sobre o impacto dessa realidade na prevenção da doença.; The aim of this study was to describe the meaning ascribed by health professionals to the care they provide for persons with HIV/AIDS. Data were collected through recorded interviews with 10 health professionals providing care to AIDS patients in different institutions in São Paulo State...

Encontros entre usuarios, profissionais da saude e suas representações sobre o urgente; Meeting between users, health professionals concerning theirs urgent social representations

Arine Campos de Oliveira Assis
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/02/2006 Português
Relevância na Pesquisa
76%
A Saúde como direito é uma prerrogativa da Constituição vigente no Brasil, que nasceu intrinsecamente ligada à idéia de que os homens têm direitos inalienáveis decorrentes de sua condição humana. No entanto, milhares de cidadãos brasileiros fazem uma leitura reducionista, entendendo-a como restrita ao acesso à consulta médica, realizada de forma imediata nos diversos Serviços de Saúde. Um dos fatos paradigmáticos desta cultura instituída é a tradicional superlotação dos Pronto-Socorros com pacientes portadores de casos de baixa complexidade clínica, passíveis de resolução em outros serviços de menor complexidade, que será tomada como objeto deste estudo. O ponto de partida foi o questionamento sobre quais fatores seriam condicionantes e moduladores desta configuração de demanda, optando por uma abordagem do problema numa perspectiva simbólica, tendo o estudo por objetivo compreender os significados que os usuários atribuem às suas necessidades de procura por algum cuidado em caráter de urgência. O caminho percorrido para chegar aos resultados foi o Método Qualitativo utilizando-me dos conceitos de urgência e emergência, articulados ao Modelo Teórico das Representações Sociais. Foi realizada uma investigação em um Pronto-Socorro Hospitalar em quatro Unidades Básicas de Saúde do município de Campinas...

Percepções de profissionais da estratégia saúde da família sobre o processo de trabalho em equipe; Perceptions of professionals in the family health strategy on the process of teamwork

Lilian Mieko Mine
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/07/2013 Português
Relevância na Pesquisa
76.15%
O trabalho em equipe é considerado essencial para o funcionamento da Estratégia Saúde da Família na busca por uma abordagem integral e resolutiva, contudo, esbarra em alguns obstáculos que resultam na desarticulação do processo de trabalho, provocando descontinuidade de ações e fragmentação do cuidado. Foi proposto um estudo de natureza quali-quantitativa, com o intuito de investigar as percepções de cirurgiões-dentistas, agentes comunitários de saúde e enfermeiros a respeito da integração entre a equipe de saúde bucal (ESB) e os outros integrantes da equipe de saúde da família (ESF), sob a ótica de uma atuação interdisciplinar, procurando identificar as dificuldades e limitações no processo de trabalho. Foram selecionadas doze unidades de saúde da família no município de Piracicaba, SP, que possuíam ESB instaladas, totalizando uma amostra de 60 indivíduos. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista individual seguindo um roteiro semi-estruturado, específico para cada categoria profissional. A análise dos dados foi realizada por meio de uma análise descritiva para as questões fechadas e as questões abertas foram analisadas pela teoria do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC). Os discursos revelaram que a maioria dos profissionais possui uma concepção teórica adequada sobre a definição do trabalho em equipe...

O contributo das atividades artísticas na promoção da saúde e qualidade de vida de crianças hospitalizadas : perceção dos profissionais, dos pais e das próprias crianças

Rocha, Denise M.; Carvalho, Graça Simões de
Fonte: Universidade do Minho. Centro de Investigação em Estudos da Criança (CIEC) Publicador: Universidade do Minho. Centro de Investigação em Estudos da Criança (CIEC)
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
75.91%
A criança hospitalizada, em particular a criança em tratamento oncológico, apresenta elevado grau de stress, perturbador do seu bem-estar, pelo que o exercício da atividade artística pode contribuir para ultrapassar esta situação depressiva e contribuir para a melhoria da sua qualidade de vida. No presente estudo analisámos a perceção dos profissionais de saúde e de educação, dos pais e das próprias crianças hospitalizadas sobre as atividades artísticas desenvolvidas no âmbito do apoio pedagógico (AP) e de atividade dos tempos livres (ATL), no Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto. As atividades artísticas de AP ocorreram durante todo o ano letivo e as de ATL nas férias escolares. A amostra compreendeu três grupos: Grupo-A, com 15 sujeitos de equipa do IPO (4 enfermeiros, 3 médicos, 3 professoras, 2 assistentes operacionais, 2 voluntários e 1 educadora); gupo-B, com 11 progenitores (10 mães e 1 pai), e o grupo-C com 6 crianças, com idades entre os 5 e 13 anos praticando atividades de AP e de ATL. Aos três grupos aplicou-se um questionário/entrevista adaptado do “Pediatric Oncology Quality of Life Scale (POQOLS) de 1994”. Em geral, a visão dos sujeitos sobre a prática das atividades artísticas neste âmbito hospitalar foi claramente positiva. A equipa pedagógica enfatizou a sua importância como mediador na aprendizagem de outras disciplinas. Os pais e equipa não médica salientaram a sua contribuição no desenvolvimento cognitivo e na abstração do ambiente hospitalar. As próprias crianças destacaram que sentiam bem-estar durante a realização das atividades e demonstraram uma disposição positiva...

Educação em enfermagem e os desafios para a promoção de saúde

Silva,Kênia Lara da; Sena,Roseni Rosângela de; Grillo,Maria Jose Cabral; Horta,Natália de Cássia; Prado,Priscilla Malta Coelho
Fonte: Associação Brasileira de Enfermagem Publicador: Associação Brasileira de Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2009 Português
Relevância na Pesquisa
75.85%
Estudo descritivo-exploratório de abordagem qualitativa cujo objetivo foi analisar a abordagem da promoção da saúde na formação do enfermeiro. Os sujeitos foram docentes, estudantes e profissionais que recebem os estudantes nos cenários de aprendizagem de dois cursos de graduação em enfermagem de Minas Gerais/Brasil. Há indicativos da incorporação da promoção da saúde como referencial para a formação do enfermeiro favorecidas pela articulação ensino-serviço como importante estratégia neste processo. Entretanto, carecem de maior valorização como condição para sustentabilidade ao processo de mudança na formação do enfermeiro. Conclui-se pela necessidade de ações estratégicas para a modificação das práticas sanitárias e de ensino potencializando as "boas" práticas de promoção da saúde na superação dos desafios para as mudanças na formação do enfermeiro.

Atuação dos coordenadores de grupos de saúde na rede docente assistencial

Santos,Luciane de Medeiros dos; Oliveira,Eleonora Menicucci de; Crepaldi,Maria Aparecida; Aurélio Da Ros,Marco
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2010 Português
Relevância na Pesquisa
75.89%
OBJETIVO: Analisar o modelo de atuação de coordenadores de grupos de promoção da saúde em unidades básicas de saúde vinculadas à formação de profissionais. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS: Estudo qualitativo realizado no município de Florianópolis, SC, em 2001. Foram analisados quatro grupos, totalizando 24 sessões em unidades básicas de saúde. Procedeu-se à observação participante para iniciar o trabalho de campo. Os relatos foram analisados por meio da técnica de análise do discurso do tipo enunciativo-pragmático. ANÁLISE DOS RESULTADOS: As formas de atuação dos coordenadores congruentes ao modelo preventivista foram: opressiva, pedagógica bancária, biologicista e higienista, prescritiva de condutas e culpabilizadora, infantilizadora, redutora das problemáticas coletivas, desfavorecedora do setting grupal, além de utilização de solilóquio. As formas de atuação consonantes ao Modelo da Nova Promoção foram: facilitadora da livre expressão e autonomia, comunicadora empática, construcionista, acolhedora, utilizou a escuta ativa, além de promover a superação da violência e alienação. CONCLUSÕES: Os coordenadores atuaram primordialmente por meio do modelo preventivista e sem utilizar recursos técnicos e teóricos alusivos à metodologia grupal na área da saúde. As atuações identificadas nos modelos preventivista e a nova promoção da saúde desvelam características que se fundamentam...

A integração ensino-serviço no contexto dos processos de mudança na formação superior dos profissionais da saúde

Albuquerque,Verônica Santos; Gomes,Andréia Patrícia; Rezende,Carlos Henrique Alves de; Sampaio,Marcelo Xavier; Dias,Orlene Veloso; Lugarinho,Regina Maria
Fonte: Associação Brasileira de Educação Médica Publicador: Associação Brasileira de Educação Médica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 Português
Relevância na Pesquisa
76.09%
Este artigo propõe uma reflexão sobre a integração ensino e serviço a partir das discussões de um grupo multiprofissional de um curso de especialização para ativação de mudanças na formação superior em saúde. Além das reflexões do grupo, o texto traz interlocuções com referenciais teóricos sobre aspectos que envolvem a integração ensino-serviço. São abordadas as relações da integração ensino-serviço com a formação superior dos profissionais de saúde, com os modelos tecnoassistenciais, com a prática do cuidado em saúde, com o trabalho em equipe e com a educação permanente.

Vinte anos de assistência a pessoas vivendo com HIV/AIDS no Brasil: a perspectiva de profissionais da saúde

Sadala,Maria Lúcia Araújo; Marques,Sílvio de Alencar
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2006 Português
Relevância na Pesquisa
86.04%
O objetivo do estudo é descrever os significados atribuídos por profissionais de saúde à sua experiência de cuidar de pessoas com HIV/AIDS. Os dados foram coletados em entrevistas com 10 profissionais da saúde, em diferentes instituições paulistas. Três temas emergiram da análise dos dados: (a) o cenário da assistência ao paciente com HIV/AIDS; (b) relacionamento com o paciente; (c) aspectos éticos nesse cuidado. A despeito dos reconhecidos avanços na assistência a esse paciente, os achados revelam a persistência de comportamentos discriminatórios, relacionados a sentimentos de insegurança e medo do contágio, entre os profissionais nos serviços e hospitais gerais. O preparo específico para atender os pacientes estaria mais voltado aos profissionais dos centros especializados para a assistência ao HIV/AIDS, resultando em dificuldades na integração da assistência a esses pacientes nos demais serviços do SUS. Esses dados remetem aos aspectos da formação profissional na área da saúde como um todo, levando à reflexão sobre as competências que se espera dos profissionais da saúde em cuidar e relacionar-se com pessoas com HIV/AIDS, assim como sobre o impacto dessa realidade na prevenção da doença.

Avaliação do atributo coordenação da Atenção Primária à Saúde: aplicação do PCATool a profissionais e usuários

Carneiro,Maria do Socorro Melo; Melo,Danielle Maria Sousa; Gomes,Juliana Mendes; Pinto,Francisco José Maia; Silva,Marcelo Gurgel Carlos da
Fonte: Centro Brasileiro de Estudos de Saúde Publicador: Centro Brasileiro de Estudos de Saúde
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2014 Português
Relevância na Pesquisa
76.05%
Esta pesquisa objetiva avaliar a coordenação do sistema de saúde exercida pela atenção primária mediante a aplicação do PCATool. Foi Realizada de agosto de 2010 a maio de 2012, envolvendo os Centros de Saúde da Família de Sobral (CE). Participaram 98 profissionais da Estratégia Saúde da Família e 607 usuários. Para análise estatística dos dados utilizou-se o SPSS 19.0. Os profissionais têm conhecimento sobre a procura de seus usuários aos serviços especializados, no entanto, há deficiência na contrarreferência para a atenção primária. A utilização do prontuário familiar foi avaliada positivamente. Assim, é necessário fortalecer a comunicação entre a rede de atenção, buscando a integração do sistema.

A relação entre saúde e escola: percepções dos profissionais que trabalham com adolescentes na atenção primária à saúde no Distrito Federal

Penso,Maria Aparecida; Brasil,Katia Cristina Tarouquella Rodrigues; Arrais,Alessandra da Rocha; Lordello,Silvia Renata
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 Português
Relevância na Pesquisa
66.07%
A comunidade científica tem reconhecido a necessidade e a importância de investimentos de pesquisas na área da saúde dos adolescentes. Este artigo se propõe a discutir a relação entre saúde e escola na percepção dos profissionais que trabalham com adolescentes na atenção primária à saúde no Distrito Federal (DF). Foram entrevistados 13 profissionais de saúde que atendem adolescentes, e atuam no Programa de Atenção Integral à Saúde de Adolescentes (PRAIA), em dois centros de saúde onde funcionava o Programa, localizados nas duas regiões de menor IDH do DF. Essas foram transcritas e submetidas à análise construtiva-interpretativa, que permitiu a construção de duas zonas de sentido, assim denominadas: 1) a saúde precisa ir à escola, mas estamos paralisados; 2) o desconforto dos profissionais com a forma como as demandas são formuladas pela escola. Essas revelaram que existe uma grande dificuldade de integração entre os profissionais das áreas de educação e saúde. Os principais obstáculos apontados concentram-se no excesso de burocracia, na falta de tempo, escassez e sobrecarga dos profissionais e o despreparo para construir ações integradas, tanto da saúde quanto da educação. Apesar da existência de políticas públicas que preconizam a ação conjunta de diferentes esferas do governo...

Saúde da família: limites e possibilidades para uma abordagem integral de atenção primária à saúde no Brasil

Giovanella,Ligia; Mendonça,Maria Helena Magalhães de; Almeida,Patty Fidelis de; Escorel,Sarah; Senna,Mônica de Castro Maia; Fausto,Márcia Cristina Rodrigues; Delgado,Mônica Mendonça; Andrade,Carla Lourenço Tavares de; Cunha,Marcela Silva da; Martin
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 Português
Relevância na Pesquisa
76.03%
O artigo analisa a implementação da Estratégia Saúde da Família (SF) e discute suas potencialidades em orientar a organização do SUS no Brasil, a partir da análise da integração da SF à rede assistencial e atuação intersetorial, aspectos cruciais de uma atenção primária abrangente. Foram realizados quatro estudos de caso de municípios com elevada cobertura por SF (Aracaju, Belo Horizonte, Florianópolis e Vitória) tendo como fontes: entrevistas semi-estruturadas com gestores e inquéritos com profissionais de saúde e de famílias cadastradas. A análise da integração destacou a posição da Estratégia SF na rede assistencial, os mecanismos de integração e a disponibilidade de informações para continuidade da atenção. A intersetorialidade foi pesquisada quanto aos campos de atuação, abrangência, setores envolvidos, presença de colegiados, e iniciativas das equipes. Os resultados apontam avanços na integração da SF à rede assistencial, propiciando o fortalecimento dos serviços básicos como serviços de procura regular e porta de entrada preferencial, todavia permanecem dificuldades de acesso à atenção especializada. As iniciativas intersetoriais foram mais abrangentes quando definidas como politica integrada do governo municipal para a construção de interfaces e cooperação entre os diversos setores.

Saberes populares e cientificismo na estratégia saúde da família: complementares ou excludentes?

Junges,José Roque; Barbiani,Rosangela; Ávila Soares,Natália de; Fernandes,Raquel Brondísia Panizzi; Lima,Marília Schreck de
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2011 Português
Relevância na Pesquisa
76%
A Estratégia Saúde da Família foi criada para superar o modelo tradicional de assistência em saúde. Ela pressupõe a integração das dimensões subjetivas e sociais dos usuários, ultrapassando a redução do processo saúde/doença a puros limites técnico-científicos. O artigo tem por objetivo compreender como os profissionais da saúde lidam com os conhecimentos populares dos usuários da estratégia. A metodologia caracteriza-se como exploratória com abordagem qualitativa, a técnica para a coleta de dados foi grupo focal, e para interpretação dos resultados, a análise de conteúdo. Participam da amostra integrantes das sete equipes da Estratégia Saúde da Família do município de Campo Bom RS, escolhidos segundo critérios de competência, somando doze membros. Os resultados mostraram divergências entre os profissionais sobre como acolher ou não saberes populares. Muitos não consideram a subjetividade e as representações sociais da cultura popular no processo saúde/doença. Outros toleram estes saberes como mecanismo para que o usuário aceite a terapia proposta. Apenas uma minoria valoriza esses conhecimentos, como complementares ao universo científico, na construção da integralidade.

O ensino das ciências sociais em saúde: entre o aplicado e o teórico

Barros,Nelson Filice de
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2014 Português
Relevância na Pesquisa
76.02%
Os modelos de ensino de ciências sociais e da clínica são insuficientes para as necessidades prático-reflexivas quando aplicados à saúde. O objetivo deste artigo é refletir sobre os desafios e as perspectivas do ensino de ciências sociais para profissionais da saúde. Na década de 1950 iniciou-se o importante movimento de aproximação das ciências sociais com o campo da saúde, no entanto prevalecem relações de fraca credencial, devido: baixo status profissional dos cientistas sociais na área da saúde; localização pouco clara dos profissionais de ciências sociais no campo da saúde; pequena importância atribuída pelos estudantes às ciências sociais; reduzido número de profissionais e a colonização das ciências sociais pela cultura biomédica no campo da saúde. Dessa maneira, aos profissionais das ciências sociais aplicadas à saúde ainda é colocada a necessidade de construir uma identidade, mesmo após seis décadas de presença neste campo, pois sua condição ambivalente os tem fixado como presença parcial, incompleta e virtual, exigindo estratégia complexa de sobrevivência na fronteira entre as ciências sociais e a saúde.

Articulação ensino-serviço e vigilância da saúde: a percepção de trabalhadores de saúde de um distrito escola

Pereira,Juliana Guisardi; Fracolli,Lislaine Aparecida
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio Publicador: Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 Português
Relevância na Pesquisa
86.01%
Para ser colocada em prática, a Vigilância da Saúde necessita que os trabalhadores de saúde estejam preparados para operacionalizá-la. O objetivo deste artigo é descrever a percepção de profissionais de saúde sobre as contribuições da articulação ensino-serviço para a implantação da Vigilância da Saúde. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, realizada no Distrito de Saúde Escola Butantã, no município de São Paulo. Foram sujeitos da pesquisa médicos e enfermeiros que atuavam nas unidades de saúde da região. Os dados foram coletados mediante entrevistas e analisados segundo a técnica do discurso do sujeito coletivo. Os resultados mostraram que, segundo os profissionais de saúde, a articulação ensino-serviço se efetiva pela supervisão dos alunos de graduação em Medicina e Enfermagem, no cotidiano das unidades de saúde. Para os profissionais de saúde, a contribuição da articulação ensino-serviço para a Vigilância da Saúde é pequena e se resume às atividades curriculares dos alunos. Falta um projeto político do município para a Vigilância da Saúde, e a academia poderia contribuir na sua elaboração. Conclui-se que, para a mudança das práticas assistenciais, é importante a construção em parceria...