Página 1 dos resultados de 10598 itens digitais encontrados em 0.213 segundos

Recursos e respostas pessoais dos profissionais de saúde dos cuidados continuados da região de trás-os-montes e alto douro para lidarem com o fim de vida

Marcos, Lia J. P.; Pimentel, Maria Helena; Baptista, Gorete
Fonte: Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: conferenceobject
Português
Relevância na Pesquisa
115.96%
A evolução da ciência e das tecnologias fez o Homem acreditar que podia controlar todos os fenómenos, acreditando que podia ser imortal. Esta forma de pensar está muito vincada nos profissionais de saúde, pois estes foram instruídos para lutarem pela vida a todo o custo, sendo a morte vista como um fracasso a nível profissional. Compreender como os profissionais de saúde vivenciam o processo de doença terminal e morte, bem como conhecer que recursos pessoais são adotados para lidar com situações de fim de vida. Totalidade dos profissionais de saúde que exercem a sua atividade laboral nas unidades de cuidados continuados da região de Trás-os-Montes e Alto Douro e que acederam participar no estudo, num total de 293. Utilizou-se o questionário constituído por questões de caracterização sociodemográfica e profissional da população e pelo Inventário de Recursos e Respostas Pessoais (BPS/IRRP; Copyright, Automated Assessment, 1995; traduzido e validado para a população portuguesa por McIntyre e Silvério). A confiança no coping (78,9%) e os recursos espirituais/existenciais (75,5%) são as dimensões com maiores scores observados, ao contrário do que se verificou na dimensão suporte social (32...

Recursos e respostas pessoais dos diferentes profissionais de saúde dos cuidados continuados para lidarem com a morte

Marcos, Lia J. P.; Pimentel, Maria Helena; Baptista, Gorete
Fonte: Escola Superior de Saúde de Bragança, Sociedade Portuguesa de Suicidologia Publicador: Escola Superior de Saúde de Bragança, Sociedade Portuguesa de Suicidologia
Tipo: conferenceobject
Português
Relevância na Pesquisa
115.96%
A evolução da ciência e das tecnologias fez o Homem acreditar que podia controlar todos os fenómenos, acreditando que podia ser imortal. “ A morte sempre foi o mais visível porto do périplo humano. Só que nos nossos dias cresce a ilusão ou a esperança de que ela possa ser controlada, adiada...ou vencida.”( Oliveira,2008,p.73 ). Esta forma de pensar está muito vincada nos profissionais de saúde, pois estes foram instruídos para lutarem pela vida a todo o custo, sendo a morte vista como um fracasso a nível profissional. Compreender como os profissionais de saúde vivenciam o processo de doença terminal e morte, bem como, conhecer que recursos pessoais são adotados para lidar com situações de fim de vida. Este estudo foi constituído por uma população de 293 profissionais de saúde que exercem a sua actividade laboral nas unidades de cuidados continuados da região de Trás-os-Montes e Alto Douro. O instrumento de recolha de dados utilizado foi o questionário constituído pelo Inventário de Recursos e Respostas Pessoais (BPS/IRRP) e por questões para caracterização sociodemográfica e profissional da população. Resultados: Analisando as escalas de recursos de coping a confiança no coping (78,9%) e os recursos espirituais/existenciais (75...

Avaliação dos conhecimentos relativos aos RH pelos profissionais de saúde da UHB

Nascimento, Luís; Deusdado, Sérgio; Fernandes, M.; Moura, S.; Oliveira, T.
Fonte: Escola Superior de Saúde, Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Escola Superior de Saúde, Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: conferenceobject
Português
Relevância na Pesquisa
115.99%
O presente estudo foi realizado em Bragança, tendo como objectivo, avaliar os conhecimentos dos profissionais de saúde da Unidade Hospitalar de Bragança (UHB) relativamente aos resíduos hospitalares (RH), no seguimento da unidade curricular Métodos e Técnicas de Investigação da Licenciatura em Farmácia da Escola Superior de Saúde de Bragança. Trata-se de um estudo descritivo, correlacional e de carácter exploratório. Os dados foram recolhidos por meio de inquéritos realizados pelos constituintes deste grupo de trabalho e foram distribuídos nos diferentes serviços da UHB, sendo o tipo de amostragem feita de modo aleatório, estratificado e por conveniência. A dimensão da amostra correspondeu a 15% dos profissionais de saúde da referente instituição, mas a amostra pretendida era de 30%. O objectivo deste estudo é analisar se na UHB, a triagem de resíduos é devidamente efectuada cumprindo todas as normas de segurança e legislação em vigor, por todos os profissionais de saúde, e se estes, receberam formação suficiente acerca deste tema, saber também se existe alguma relação entre “profissão”/“tempo de serviço” com a “triagem em cada serviço”, o que se revela tão importante nos nossos dias para bem de todos os profissionais...

A temática ambiental em representações e práticas de profissionais de saúde da família no município de Manaus - AM/Brasil; The environmental theme in representations and practices of family health professionals in the municipality of Manaus - state of Amazonas /Brazil

Mendonça, Raimunda das Chagas; Giatti, Leandro Luiz; Toledo, Renata Ferraz de
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
135.98%
Evidências científicas mostram que mudanças ambientais antrópicas aumentam riscos de exposição a diversas doenças. Na Estratégia Saúde da Família - ESF, tarefas com claro enfoque ambiental são prescritas indicando às equipes de profissionais que considerem esses aspectos em suas intervenções. O objetivo desta pesquisa foi conhecer representações e práticas de profissionais de Saúde da Família de Manaus (AM) sobre a questão ambiental e sua interface com a saúde pública. Os dados foram coletados por meio de observação participante e entrevistas semiestruturadas, e a análise qualitativa destes deu-se pela Análise de Conteúdo e Triangulação de Métodos. Resultados da pesquisa revelaram que a maioria dos profissionais não compreende o ambiente de forma sistêmica, mesmo tendo declarado que os fatores ambientais têm grande influência sobre a saúde humana; enquanto intervenções, as práticas educativas seguem metodologias tradicionais e são centradas na culpabilização do indivíduo e na simples transmissão de conhecimentos pontuais; o relacionamento dos profissionais com a comunidade resume-se ao atendimento individual e/ou coletivo. Concluiu-se que, para a ESF contribuir para o reordenamento do sistema...

Dificuldades na comunicação entre pessoas com deficiência auditiva e profissionais de saúde: uma questão de saúde pública; Communication difficulties between individuals with hearing disability and health professionals: a public health matter

Castro, Shamyr Sulyvan de; Paiva, Karina Mary; César, Chester Luiz Galvão
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
115.98%
OBJETIVO: Descrever a ocorrência de relatos de pessoas com deficiência auditiva e múltipla (auditiva e visual e/ou mobilidade) quanto às dificuldades para ouvir e entender profissionais de saúde. MÉTODOS: Estudo transversal, do tipo inquérito de saúde, realizado com sujeitos selecionados a partir de outros dois estudos de base populacional. A coleta dos dados ocorreu de forma domiciliar, por meio de entrevistas realizadas por entrevistadores treinados, em São Paulo e região. Foram coletadas informações sobre a dificuldade de ouvir e entender o que os profissionais de saúde disseram no último serviço de saúde usado, além de dados demográficos (idade, gênero e raça), econômicos (renda do chefe da família), tipo de serviço de saúde procurado, uso de plano privado de saúde e necessidade de auxílio para ir ao serviço de saúde. RESULTADOS: Dos entrevistados, 35% relataram problemas para ouvir e entender os profissionais de saúde no último serviço visitado; 30,6% (IC95%: 23,4-37,8) para entender os médicos; 18,1% (IC95%: 12,0-24,1) para entender as enfermeiras; e 21,2% (IC95%: 14,8-27,6) para entender os outros funcionários. Não houve diferenças quando se considerou as variáveis demográficas, a necessidade de auxílio para tomar banho e se vestir...

"Inclusão/exclusão social e escolar de crianças com paralisia cerebral, sob a óptica dos profissionais de saúde"; Social and scholar inclusion/exclusion processes regarding children with Cerebral Palsy: the health professionals? perspectives.

Roriz, Ticiana Melo de Sá
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/03/2005 Português
Relevância na Pesquisa
115.98%
A discussão sobre ?inclusão social? ganha crescente relevância na nossa sociedade. Ela trata do respeito às diferenças, dos direitos e da participação igualitária dos cidadãos. A diversidade de pessoas que evoca essa premissa é imensa, decorrente de aspectos étnicos, sócio-econômicos, sexuais e ligados às necessidades especiais. No caso de crianças com necessidades especiais, particularmente daquelas com deficiências, a inclusão abarca sua participação na sociedade em geral e, especificamente, em instituições de educação regular (?inclusão escolar?). Porém, a despeito da criação de leis e regulamentações, os preconceitos, além da não observância de aspectos como capacitação de educadores e acessibilidade física, dificultam a concretização da inclusão. Considerando a relevância e complexidade do problema e, ainda, que esse processo é freqüentemente mediado por profissionais de saúde, traçou-se como meta estudar a inclusão de crianças com Paralisia Cerebral, com foco nesses profissionais. Indagou-se como eles concebem a e participam da inclusão dessas crianças. Foram investigados os vários profissionais que atendiam duas crianças de três anos, em seguimento em serviços de saúde da região de Ribeirão Preto - SP. O corpus para análise foi obtido por entrevistas semi-estruturadas (neurologista infantil...

Profissionais de saúde na relação com os pacientes portadores de esclerose lateral amiotrófica: aspectos psicológicos e de qualidade de vida; Health Professionals and their relationship with ALS patients, Psychological aspects and Quality of Life

Steiner, Ana Luiza de Figueiredo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/04/2008 Português
Relevância na Pesquisa
115.94%
Esta pesquisa se desenvolveu a partir da parceria entre o Projeto APOIAR do Laboratório de Saúde Mental e Psicologia Clinica Social do Instituto de Psicologia da USP e a ABRELA (Associação Brasileira de Esclerose Lateral Amiotrófica). O estudo refere-se à investigação e compreensão de aspectos afetivos, emocionais e de qualidade de vida dos profissionais da área de saúde, enfocando sua relação com cuidadores e pacientes portadores de Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), doença degenerativa dos neurônios motores, sem prognóstico de cura, embora com a consciência mantida até a morte. Foi empregado o método clínico de pesquisa em onze profissionais, médicos, assistentes sociais, fisioterapeutas respiratórios e motor, nutricionista e terapeuta ocupacional, no setor da Neuromuscular da UNIFESP/Escola Paulista de Medicina em parceria com a ABRELA. Foram empregados como instrumentos: Entrevista Psicológica Semi Estruturada, Método de Rorschach pelo Sistema de Avaliação Aníbal Silveira (sendo alguns índices selecionados) e o Questionário de Vida de McGill. Os dados foram tratados considerando o grupo de forma geral e não de modo individualizado. Principais resultados obtidos apontam para a maturidade do grupo de profissionais...

Efeitos da formação na prevenção de lesões músculo-esqueléticas da coluna lombar nos profissionais de saúde : revisão sistemática

Neves, Ana Margarida Lopes das
Fonte: Universidade Nova de Lisboa. Escola Nacional de Saúde Pública Publicador: Universidade Nova de Lisboa. Escola Nacional de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
115.97%
RESUMO - A morbilidade associada às lesões músculo-esqueléticas da coluna lombar é estimada em 0,8 milhões de DALYS em todo o mundo, constituindo-se a maior causa de absentismo ao trabalho, o que induz uma enorme perda económica. Os profissionais de saúde são um grupo vulnerável a ocorrência de lesões-músculo-esqueléticas ligadas ao trabalho (LMELT), nomeadamente aqueles que mobilizam os doentes no seu dia-a-dia. Perante a frequente perspetiva da imutabilidade da situação de trabalho, a pressão organizacional na prestação de cuidados e o reduzido número de recursos humanos, subsiste a implementação de programas centrados na formação dos profissionais de saúde sobre técnicas e mobilização de doentes, com o intuito de prevenir as LMELT inerentes a esta atividade. O objetivo do estudo é analisar as principais intervenções descritas na bibliografia no que respeita ao impacto da formação dos profissionais de saúde sobre mobilização de doentes, nomeadamente enfermeiros, de modo a contribuir para a prevenção de LMELT ao nível da coluna vertebral. Realizou-se uma revisão sistemática segundo a metodologia do Prisma Statement® nas bases de dados PubMed, Web of Science, B-On, JSTOR, Science, Nature...

Informação de profissionais de saúde sobre transmissão transfusional de hepatites virais

Gaze,Rosangela; Carvalho,Diana Maul de; Tura,Luiz Fernando Rangel
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2006 Português
Relevância na Pesquisa
115.98%
OBJETIVO: O treinamento de profissionais de saúde é uma estratégia para garantir a qualidade da atenção à saúde que deve respeitar a adequação técnica dos conteúdos e o universo conceitual dos treinandos. Efetuou-se estudo piloto para explorar a consistência da informação dos profissionais da atenção básica acerca da transmissão transfusional das hepatites virais. MÉTODOS: Aplicou-se questionário anônimo e voluntário a 190 profissionais de curso de especialização em saúde pública, entre 2003 e 2004. Os dados foram analisados segundo dois grupos ocupacionais: médicos, enfermeiros e dentistas (com 115 sujeitos;) e outros profissionais da saúde (com 66 indivíduos), comparando-se as freqüências das respostas certas e erradas de cada subgrupo pelo chi2. Nove sujeitos não informaram a ocupação. RESULTADOS: Dos profissionais avaliados, 80% eram mulheres, de 22 a 60 anos, procedentes das regiões: Nordeste (27,4%), Sudeste (35,3%) e Centro-Oeste (37,3%). A hemotransfusão foi associada às hepatites B e C por 57,5% dos respondentes; hemofilia foi associada às hepatites B e C por 55,7% dos respondentes. Dos respondentes, 74% discordaram da proposição de que as "hepatites virais não se transmitem, atualmente...

Informação de profissionais de saúde sobre transmissão transfusional de hepatites virais

Gaze,Rosangela; Carvalho,Diana Maul de; Tura,Luiz Fernando Rangel
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2006 Português
Relevância na Pesquisa
115.98%
OBJETIVO: O treinamento de profissionais de saúde é uma estratégia para garantir a qualidade da atenção à saúde que deve respeitar a adequação técnica dos conteúdos e o universo conceitual dos treinandos. Efetuou-se estudo piloto para explorar a consistência da informação dos profissionais da atenção básica acerca da transmissão transfusional das hepatites virais. MÉTODOS: Aplicou-se questionário anônimo e voluntário a 190 profissionais de curso de especialização em saúde pública, entre 2003 e 2004. Os dados foram analisados segundo dois grupos ocupacionais: médicos, enfermeiros e dentistas (com 115 sujeitos;) e outros profissionais da saúde (com 66 indivíduos), comparando-se as freqüências das respostas certas e erradas de cada subgrupo pelo chi2. Nove sujeitos não informaram a ocupação. RESULTADOS: Dos profissionais avaliados, 80% eram mulheres, de 22 a 60 anos, procedentes das regiões: Nordeste (27,4%), Sudeste (35,3%) e Centro-Oeste (37,3%). A hemotransfusão foi associada às hepatites B e C por 57,5% dos respondentes; hemofilia foi associada às hepatites B e C por 55,7% dos respondentes. Dos respondentes, 74% discordaram da proposição de que as "hepatites virais não se transmitem, atualmente...

Acidente de trabalho, com material biológico, em profissionais de saúde de hospitais públicos do Distrito Federal, Brasil, 2002/2003

Caixeta,Roberta de Betânia; Barbosa-Branco,Anadergh
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 Português
Relevância na Pesquisa
115.95%
Foi estudada a ocorrência de acidente de trabalho em profissionais de saúde no período de 2002/2003 e a influência das medidas de biossegurança e aceitação de quimioprofilaxia frente ao risco de transmissão ocupacional do HIV. Avaliou-se 570 profissionais de saúde de seis hospitais públicos, selecionados aleatoriamente, do conjunto de hospitais do Distrito Federal, Brasil. Esses profissionais foram questionados quanto ao conhecimento sobre biossegurança, ocorrência de acidente de trabalho, aceitação da quimioprofilaxia e teste sorológico anti-HIV. Entre os profissionais avaliados, o coeficiente de acidentabilidade foi de 39,1 e mostrou-se inversamente proporcional ao porte do hospital. Dentistas, médicos e técnicos de laboratório acidentaram-se mais, em contrapartida aos farmacêuticos e enfermeiros. As situações relacionadas ao acidente de trabalho com maior aceitação e adesão ao uso da quimioprofilaxia foram sorologia positiva e carga viral intensa do paciente-fonte (99,6-99,0%), em contraposição à sorologia negativa do paciente-fonte e acidente de pequena proporção (36,8-55,6%). O conhecimento dos profissionais de saúde sobre o conceito e as normas de biossegurança, a disponibilidade destas na unidade de trabalho e a realização de treinamento em biossegurança não influenciaram positivamente no coeficiente de acidentabilidade de trabalho.

A visão dos profissionais de saúde em relação à violência doméstica contra crianças e adolescentes: um estudo qualitativo

Andrade,Elisa Meireles; Nakamura,Eunice; Paula,Cristiane Silvestre de; Nascimento,Rosimeire do; Bordin,Isabel A.; Martin,Denise
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2011 Português
Relevância na Pesquisa
125.99%
A violência doméstica é um dos temas mais difíceis de serem tratados pelos profissionais de saúde. Buscou-se compreender, na pesquisa realizada, a experiência dos profissionais de saúde sobre a violência doméstica contra crianças e adolescentes, descrevendo a identificação dos casos e a assistência prestada às vítimas em Unidades Básicas de Saúde. As técnicas utilizadas foram observação participante, entrevistas semi-estruturadas e grupos focais conduzidos em duas Unidades Básicas de Saúde de Embu/SP, considerada uma das regiões mais violentas do país. Dentre os resultados obtidos, os profissionais ressaltaram inúmeras dificuldades para lidar com a questão da violência, como o medo de se envolver com pessoas criminosas, a falta de resguardo nas unidades de saúde e a falta de comprometimento dos familiares. Um dos motivos da dificuldade de denúncia seria a reprodução de padrões culturais da população em que se aceita a punição física como uma prática educativa. Além disso, não se sentiam responsáveis ou capacitados para lidar com o problema. Os profissionais do Embu, de certa forma, acabam por reproduzir os mesmos valores e atitudes da comunidade em relação à violência, mantendo-se coniventes com o silêncio das famílias...

A temática ambiental em representações e práticas de profissionais de saúde da família no município de Manaus - AM/Brasil

Mendonça,Raimunda das Chagas; Giatti,Leandro Luiz; Toledo,Renata Ferraz de
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 Português
Relevância na Pesquisa
125.98%
Evidências científicas mostram que mudanças ambientais antrópicas aumentam riscos de exposição a diversas doenças. Na Estratégia Saúde da Família - ESF, tarefas com claro enfoque ambiental são prescritas indicando às equipes de profissionais que considerem esses aspectos em suas intervenções. O objetivo desta pesquisa foi conhecer representações e práticas de profissionais de Saúde da Família de Manaus (AM) sobre a questão ambiental e sua interface com a saúde pública. Os dados foram coletados por meio de observação participante e entrevistas semiestruturadas, e a análise qualitativa destes deu-se pela Análise de Conteúdo e Triangulação de Métodos. Resultados da pesquisa revelaram que a maioria dos profissionais não compreende o ambiente de forma sistêmica, mesmo tendo declarado que os fatores ambientais têm grande influência sobre a saúde humana; enquanto intervenções, as práticas educativas seguem metodologias tradicionais e são centradas na culpabilização do indivíduo e na simples transmissão de conhecimentos pontuais; o relacionamento dos profissionais com a comunidade resume-se ao atendimento individual e/ou coletivo. Concluiu-se que, para a ESF contribuir para o reordenamento do sistema...

Representações sociais de profissionais de saúde sobre o consumo de drogas: um olhar numa perspectiva de gênero

Oliveira,Jeane Freitas de; Paiva,Mirian Santos; Valente,Camila L. M.
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2006 Português
Relevância na Pesquisa
125.95%
Estudo de caráter qualitativo, desenvolvido com objetivo de apreender as representações sociais de profissionais de saúde sobre o consumo de drogas, numa perspectiva de gênero. Os dados foram coletados de março a julho de 2004, através da observação participante, em uma unidade de saúde especializada na assistência a pessoas usuárias de drogas em Salvador-Bahia; e de entrevista semi-estruturada com 19 profissionais que atuam na referida unidade. Os dados foram submetidos à técnica de análise de conteúdo temática, sendo identificadas duas categorias: o consumo de drogas como uma forma de enfrentar a vida; o ocultamento das mulheres usuárias. O contexto de atuação dos profissionais revelou diferentes realidades em relação às mulheres que consomem drogas, que vão de encontro às representações dos profissionais sobre este grupo populacional. Ressaltamos a influência do contexto na elaboração das representações sociais. Visando uma assistência humanizada e equânime, sugerimos ampliação da abordagem de gênero para os entrevistados e a inclusão de outros profissionais em estudos como este.

A perspectiva dos profissionais de saúde sobre a promoção do brincar em hospitais

Mitre,Rosa Maria de Araujo; Gomes,Romeu
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2007 Português
Relevância na Pesquisa
125.93%
O presente artigo busca investigar e analisar quais os limites e possibilidades da promoção do brincar em hospitais, na perspectiva dos profissionais envolvidos nestas ações. Esta investigação poderá contribuir para o campo da saúde coletiva, uma vez que o debate sobre a perspectiva dos profissionais de saúde acerca da promoção do brincar nos hospitais influencia a construção de novos modelos de atenção à saúde da criança. A discussão se ancora numa perspectiva de pesquisa qualitativa acerca da dinâmica das relações que ocorrem no espaço hospitalar e sobre o papel do brincar no hospital. Foram realizadas 33 entrevistas com profissionais de três hospitais, localizados em diferentes regiões do Brasil, que realizam algum tipo de atividade lúdica. A análise dos dados baseia-se na articulação de temáticas que emergem das falas dos sujeitos com o referencial teórico. Como resultado, ressalta-se o reconhecimento deste tipo de intervenção por parte da instituição, podendo facilitar ou dificultar estas ações. Nas conclusões, destaca-se que conferir à promoção do brincar o status de instrumento terapêutico, no espaço da hospitalização infantil, pode subverter as regras e as hierarquias da instituição hospitalar.

O Programa Saúde da Família segundo profissionais de saúde, gestores e usuários

Ronzani,Telmo Mota; Silva,Cristiane de Mesquita
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 Português
Relevância na Pesquisa
125.95%
OBJETIVO: Analisar a percepção dos profissionais de saúde, gestores e usuários sobre o Programa Saúde da Família (PSF) de dois municípios de Minas Gerais, Brasil. METODOLOGIA: Foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com os profissionais e gestores com os temas: formação profissional, objetivos do PSF, equipes e dificuldades do programa no município. Foi utilizado um questionário estruturado, usando como critério de inclusão o sorteio de domicílios cadastrados em quatro unidades dos municípios. RESULTADOS: Os profissionais relataram que: os atributos pessoais de seus membros são o requisito para uma boa equipe; há insatisfação com a organização do PSF; a prevenção é o principal objetivo do PSF. Os gestores destacaram que o maior benefício do PSF é a intervenção junto às famílias. Citaram também a educação, a assistência e a promoção da saúde como pontos importantes do PSF. Os usuários revelaram que: o agente de saúde representa a categoria profissional de maior destaque; a presença de especialistas no PSF é necessária; a maior parte dos entrevistados não participa de atividade extra-consulta; o serviço especializado é preferível ao PSF. CONCLUSÃO: Os envollvidos na proposta do PSF têm expectativas diferentes quanto à estratégia...

Atuação diante das situações de aborto legal na perspectiva dos profissionais de saúde do Hospital Municipal Fernando Magalhães

Farias,Rejane Santos; Cavalcanti,Ludmila Fontenele
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2012 Português
Relevância na Pesquisa
115.96%
O presente estudo teve como objetivo analisar as percepções dos profissionais de saúde do Hospital Municipal Fernando Magalhães (HMFM) sobre a atuação diante das situações de aborto legal. Para tal, buscou-se caracterizar os profissionais entrevistados, compreender o processo de qualificação para o atendimento às mulheres em situação de aborto e identificar as percepções dos profissionais sobre a atuação diante do aborto legal. Quanto à metodologia, adotou-se a abordagem quantitativa e qualitativa. Os instrumentos utilizados foram a análise de documentação institucional e as entrevistas do tipo semiestruturada, baseadas em roteiro com consentimento livre e esclarecido. Os resultados desta pesquisa apontaram para: o uso inadequado do direito a objeção de consciência por parte dos profissionais de saúde; a existência de diferentes dificuldades dos profissionais na construção de uma postura capaz de garantir o acesso ao aborto previsto em lei; e a interferência dos princípios éticos e dos valores religiosos como um elemento importante na postura profissional que desestimula a prática do aborto legal. Recomendam-se medidas voltadas para a formação continuada dos profissionais e monitoramento das ações preconizadas pelas normas técnicas.

A utilização da fitoterapia e de plantas medicinais em unidades básicas de saúde nos municípios de Cascavel e Foz do Iguaçu - Paraná: a visão dos profissionais de saúde

Bruning,Maria Cecilia Ribeiro; Mosegui,Gabriela Bittencourt Gonzalez; Vianna,Cid Manso de Melo
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2012 Português
Relevância na Pesquisa
125.96%
A fitoterapia e o uso de plantas medicinais fazem parte da prática da medicina popular, que complementa o tratamento usualmente empregado para a população de menor renda. O trabalho analisou o conhecimento de gestores e profissionais de saúde que atuam na atenção primária (APS), sobre fitoterapia, nos municípios de Cascavel e Foz do Iguaçu, Paraná. Entre fevereiro e julho de 2009, realizou-se estudo exploratório, descritivo, qualitativo, empregando entrevistas e questionário estruturado. Um gestor relatou interesse na implantação do programa, os demais profissionais entrevistados não receberam formação sobre o tema durante a graduação ou nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) onde trabalham. Seis profissionais (60%) relataram ter acesso às informações sobre fitoterapia através do conhecimento popular, uma (10%) formação na UBS, dois (20%) através de periódicos, quatro (40%) através de meio de comunicação e quatro citaram mais que uma das opções. Em Foz do Iguaçu, nas UBS onde a terapêutica foi introduzida, os profissionais não foram consultados antes de sua implantação. Para instituir a fitoterapia nas UBS desses dois municípios é necessário capacitar os profissionais quanto ao tema, desde o cultivo até a prescrição...

Avaliação do processo de aconselhamento pré-teste nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA) no Estado do Rio de Janeiro: a percepção dos usuários e profissionais de saúde

Sobreira,Paula Guidone Pereira; Vasconcellos,Mauricio Teixeira Leite de; Portela,Margareth Crisóstomo
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2012 Português
Relevância na Pesquisa
125.94%
Este estudo objetiva avaliar o processo de aconselhamento pré-teste nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA) do estado do Rio de Janeiro, tendo como base a percepção dos usuários e dos profissionais de saúde. Foi realizado inquérito populacional com aplicação de questionário estruturado para uma amostra de usuários e aconselhadores de nove CTA. A análise foi realizada de forma quantitativa, avaliando o grau de satisfação nos indicadores de infraestrutura; acolhimento; relação usuário-aconselhador; e, territorialidade, acesso e disponibilidade. Dos usuários entrevistados 58,1% referiram estar muito satisfeitos com o serviço oferecido, e 38,7% satisfeitos, segundo análise do conjunto dos indicadores. Grande parte dos profissionais de saúde entrevistados (80,9%) também disse estar satisfeita. Embora tenha sido encontrado um alto índice de satisfação, foram identificadas queixas quanto aos aspectos estruturais e processuais que demandam atenção dos gestores e profissionais de saúde para a melhoria da qualidade do serviço prestado.

Adaptação transcultural e reprodutibilidade de questionário para avaliação de conhecimento e atitude de profissionais de saúde frente a casos de abuso físico infantil

Silva-Oliveira,Fernando; Ferreira,Efigênia Ferreira e; Mattos,Flávio de Freitas; Ribeiro,Marco Túlio de Freitas; Cota,Luís Otavio de Miranda; Vale,Míriam Pimenta; Zarzar,Patrícia Maria
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2014 Português
Relevância na Pesquisa
125.88%
O objetivo deste estudo foi adaptar transculturalmente e avaliar a reprodutibilidade de um questionário desenvolvido por uma equipe da Universidade de Londres, usado na avaliação do conhecimento e da atitude de profissionais da atenção primária frente a casos de abuso físico infantil. A tradução seguiu os critérios descritos por Herdman, 1998, de forma criteriosa, de modo a preservar ao máximo a equivalência funcional. O questionário adaptado foi aplicado em 107 profissionais de saúde de Belo Horizonte. Os testes Kappa Simples e Ponderado foram utilizados para avaliar a reprodutibilidade deste instrumento. A maioria das questões apresentou valores aos testes Kappa acima de 80% (excelente). A versão brasileira do questionário apresentou-se, portanto, adaptada e com boa reprodutibilidade.