Página 1 dos resultados de 6112 itens digitais encontrados em 0.160 segundos

"Interação profissional de saúde e usuário hipertenso: contribuição para a não-adesão ao regime terapêutico"; Health professional and hypertensive health service user interaction: contribution to the non-adherence to the therapeutic regime.

Reiners, Annelita Almeida Oliveira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 17/01/2005 Português
Relevância na Pesquisa
106.02%
Os objetivos desta pesquisa foram: compreender a perspectiva do profissional de saúde e do usuário hipertenso sobre a interação que ocorre entre eles no contexto da atenção em unidades públicas de saúde e analisar de que forma essa interação contribui para a não-adesão ao regime terapêutico. A metodologia aplicada para o desenvolvimento do estudo foi a Teoria Fundamentada nos Dados e o referencial teórico utilizado para a análise dos dados e interpretação dos resultados foi o Interacionismo Simbólico, além da literatura existente sobre o assunto. Ao todo, quinze profissionais de saúde e dez usuários fizeram parte da pesquisa. Ao final, foram encontradas seis categorias (duas delas, centrais) e outras subcategorias as quais, depois de um processo elaborado de comparações, relações e integração compuseram a proposição teórica que a autora fez sobre a interação entre o usuário e o profissional de saúde e da qual extraiu elementos para analisar a contribuição que essa interação tem para a não-adesão ao regime terapêutico. A autora concluiu que a interação, por ser pautada no modelo biomédico, centralizada no profissional de saúde, desigual, assimétrica e distanciada, tem elementos que podem estar contribuindo para a não- adesão do usuário ao regime terapêutico. Concluiu também que a principal ação que o profissional de saúde utiliza para promover a adesão do usuário ao regime terapêutico ? a conscientização ? tem sido ineficaz uma vez que se baseia no modelo tradicional de educação em saúde e no qual o usuário não é considerado como sujeito. Outra conclusão é a de que o usuário...

Representação social de profissionais de saúde sobre aspectos emocionais relacionados ao diabetes mellitus; Social representation of health professionals about emotional aspects related to diabetes mellitus

Ribas, Camila Rezende Pimentel
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 18/10/2013 Português
Relevância na Pesquisa
95.99%
Este estudo teve como objetivo identificar as representações sociais de profissionais de saúde da área de diabetes mellitus sobre aspectos emocionais de pacientes adultos com diabetes mellitus. Trata-se de uma pesquisa descritiva, exploratória, de abordagem qualitativa, cujo referencial teórico adotado foi a teoria das representações sociais. Participaram do estudo 11 profissionais de saúde, de nível superior, sendo cinco enfermeiras, três psicólogos, uma médica, um educador físico e uma nutricionista, oriundos de instituições públicas e consultórios particulares. A coleta de dados ocorreu no período de março de 2012 a maio de 2012. Para tanto, utilizaram-se um formulário: contendo os dados sociodemográficos dos profissionais de saúde e um roteiro de entrevista semiestruturada, com a seguinte questão norteadora: Quais os significados que você, como profissional de saúde, atribui aos aspectos emocionais relacionados ao diabetes mellitus? Os dados foram submetidos à técnica de análise de conteúdo, utilizando-se o software ATLAS.ti - versão 6.2.27, que possibilitou identificar seis categorias: O paciente deve ser considerado em seus aspectos emocionais e comportamentais; Os aspectos emocionais do paciente suscitam uma atitude refratária ao tratamento; A contenção dos impulsos emocionais por parte do paciente favorece o controle da doença; O profissional não dá conta de lidar com os aspectos emocionais do paciente mobilizados pelo tratamento; O profissional reconhece a importância de compreender os aspectos emocionais do paciente em relação ao tratamento...

Responsabilidade do profissional de saúde sobre a notificação de casos de violência doméstica

Saliba, Orlando; Garbin, Cléa Adas Saliba; Garbin, Artênio José Isper; Dossi, Ana Paula
Fonte: Universidade de São Paulo (USP), Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo (USP), Faculdade de Saúde Pública
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 472-477
Português
Relevância na Pesquisa
105.81%
A notificação da violência doméstica pelos profissionais de saúde contribui para o dimensionamento epidemiológico do problema, permitindo o desenvolvimento de programas e ações específicas. O objetivo do trabalho foi verificar a responsabilidade desses profissionais em notificar a violência, especialmente a doméstica e as possíveis implicações legais e éticas a que estão sujeitos. Assim, foi realizada pesquisa na legislação brasileira e códigos de ética da medicina, odontologia, enfermagem e psicologia. Quanto à legislação, as sanções estão dispostas na Lei das Contravenções Penais, Estatuto da Criança e Adolescente, Estatuto do Idoso e na lei que trata da notificação compulsória de violência contra a mulher. Também existem penalidades em todos os códigos de ética analisados. Conclui-se que o profissional de saúde tem o dever de notificar os casos de violência que tiver conhecimento, podendo inclusive responder pela omissão.; Domestic violence reporting by health providers contributes to the epidemiological assessment of the magnitude of the problem, which allows the development of specific programs and actions. The aim of the study was to assess the level of responsibility of these providers towards reporting violence...

Os Centros de Saúde em Portugal - A Satisfação dos Utentes e dos Profissionais

Santos, Osvaldo; Biscaia, André; Antunes, Ana Rita; Craveiro, Isabel; Júnior, António; Caldeira, Rita; Charondière, Pascale
Fonte: Ministério da Saúde - Missão para os Cuidados de Saúde Primários Publicador: Ministério da Saúde - Missão para os Cuidados de Saúde Primários
Tipo: book Formato: 1992750 bytes; application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
95.99%
A satisfação com os serviços de saúde, na sua dupla vertente da satisfação dos utentes e da satisfação dos profissionais, é uma área complexa e de difícil avaliação mas, ao mesmo tempo, incontornável. A satisfação dos utentes é, actualmente, considerada como um objectivo fundamental dos serviços de saúde e tem vindo a ocupar um lugar progressivamente mais importante na avaliação da qualidade dos mesmos. O aumento da popularidade deste conceito está associado ao seu valor mediador na aliança (e adesão) terapêutica, à evidência de que a satisfação dos utentes está directamente relacionada com os resultados dos cuidados de saúde, influenciando muitos comportamentos de doença e de saúde, e à crescente importância do papel do utente dos cuidados de saúde enquanto consumidor. Mais especificamente, sabe-se que a satisfação dos utentes está associada à taxa de uso de cuidados de saúde, à efectividade das terapêuticas e ao estado geral de saúde. Por seu lado, e numa visão integradora, a satisfação profissional surge como sendo o resultado afectivo da motivação no trabalho, tendo consequências em termos do desempenho no trabalho e, portanto, sendo determinante para o desenvolvimento sustentado dos cuidados de saúde. A satisfação profissional nos serviços de saúde é considerada um elemento estrutural destes e está associada à sua qualidade e resultados...

Atitude dos profissionais de saúde face ao aleitamento materno

Queirós, Maria Antónia Pinto Monteiro; Nelas, Paula Alexandra Andrade Batista, orient.; Duarte, João Carvalho, co-orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu. Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu. Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
95.99%
Enquadramento: O estudo das atitudes do profissional de saúde face ao aleitamento materno (AM) permite reflectir e fomentar mudanças no comportamento profissional neste âmbito. Objectivos: Avaliar as atitudes dos profissionais de saúde (enfermeiros e médicos) relativamente ao AM e identificar se factores sócio-demográticos, profissionais e contextuais influenciam as atitudes dos profissionais de saúde face ao AM. Métodos: Trata-se de estudo quantitativo, descritivo, analítico-correlacional, de corte transversal, constituído por uma amostra de 408 profissionais de saúde que exercem funções na região Norte de Portugal. Na colheita de dados foi utilizado um questionário que possibilitou caracterizar sóciodemográfica, profissional e contextualmente o aleitamento dos participantes. Incluímos também a escala de avaliação das atitudes dos profissionais de saúde face ao AM de MARINHO (2003). Resultados: Verificamos que 40,2% apresentam atitude positiva face ao AM 35,6% atitude negativa. As mulheres apresentam melhor atitude em relação às “crenças acerca dos benefícios da amamentação” “importância/interesse em relação à amamentação” e “aconselhamento geral sobre o AM”. Os mais novos (?35 anos) têm pior atitude na “importância/interesse em relação à amamentação” e melhor atitude “face à decisão de não amamentar”. Os com idade ?46 anos apresentam menor atitude no “aconselhamento geral sobre o AM”. Os casados e com filhos têm melhor atitude face à “importância/interesse em relação à amamentação”. Já os sem filhos e os que trabalham a nível hospitalar...

Responsabilidade do profissional de saúde sobre a notificação de casos de violência doméstica

Saliba,Orlando; Garbin,Cléa Adas Saliba; Garbin,Artênio José Isper; Dossi,Ana Paula
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2007 Português
Relevância na Pesquisa
105.81%
A notificação da violência doméstica pelos profissionais de saúde contribui para o dimensionamento epidemiológico do problema, permitindo o desenvolvimento de programas e ações específicas. O objetivo do trabalho foi verificar a responsabilidade desses profissionais em notificar a violência, especialmente a doméstica e as possíveis implicações legais e éticas a que estão sujeitos. Assim, foi realizada pesquisa na legislação brasileira e códigos de ética da medicina, odontologia, enfermagem e psicologia. Quanto à legislação, as sanções estão dispostas na Lei das Contravenções Penais, Estatuto da Criança e Adolescente, Estatuto do Idoso e na lei que trata da notificação compulsória de violência contra a mulher. Também existem penalidades em todos os códigos de ética analisados. Conclui-se que o profissional de saúde tem o dever de notificar os casos de violência que tiver conhecimento, podendo inclusive responder pela omissão.

Ecologia na formação do profissional de saúde: promoção do exercício da cidadania e reflexão crítica comprometida com a existência

Siqueira-Batista,Rodrigo; Rôças,Giselle; Gomes,Andréia Patrícia; Albuquerque,Verônica Santos; Araújo,Flávia Monteiro de Barros; Messeder,Jorge Cardoso
Fonte: Associação Brasileira de Educação Médica Publicador: Associação Brasileira de Educação Médica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 Português
Relevância na Pesquisa
105.84%
Este manuscrito, baseado em revisão de literatura, convida à reflexão sobre a importância da discussão das questões ecológicas na formação do profissional de saúde. Entre os aspectos considerados fundamentais, inclui-se a revisão da Agenda 21 e as interações entre os processos produtivos, o consumo, as inovações tecnológicas e a degradação da saúde e do meio ambiente. A proposta central desta discussão é a sensibilização para incorporar o debate sobre a relação entre ambiente e saúde nos currículos dos diversos cursos da área da saúde, incluindo graduação e pós-graduação. Considera-se que essas reflexões no espaço acadêmico são formas potenciais de promover a responsabilização dos futuros profissionais de saúde no exercício da cidadania, destacando o comprometimento presente e futuro com a existência e com as condições e a qualidade de vida dos indivíduos, da sociedade e do planeta.

Reivindicando a subjetividade dos usuários da Rede Básica de Saúde: para uma humanização do atendimento

Traverso-Yépez,Martha; Morais,Normanda Araújo de
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2004 Português
Relevância na Pesquisa
105.84%
O presente estudo objetivou investigar a forma como os usuários dos serviços públicos de saúde em Natal, Rio Grande do Norte, Brasil, "dão sentido" à sua situação de "paciente", interessando basicamente três aspectos: (1) a avaliação dos serviços recebidos; (2) a consciência de seus direitos como pacientes e seu papel na melhoria desses serviços; (3) as expectativas com relação ao encontro com o profissional de saúde. Os resultados apontam para as inúmeras deficiências encontradas no setor saúde e para a passividade e resignação da população em face do quadro atual. Reflete-se, ainda, sobre a necessidade de se valorizar a subjetividade do usuário, bem como sobre a relação profissional-paciente/cliente como um momento importante no processo de "humanização" das práticas de saúde. Esse reconhecimento deve possibilitar a construção, pelo usuário, de uma consciência crítica acerca de seus direitos e do seu papel como agente de mudanças no sistema de saúde.

Acolhimento solidário ou atropelamento? A qualidade na relação profissional de saúde e paciente face à tecnologia informacional

Maciel-Lima,Sandra Mara
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2004 Português
Relevância na Pesquisa
105.91%
No setor de serviços, o produto do trabalho não é uma mercadoria que possa ser facilmente trocada. O que se vende é um serviço especializado e este se dá, basicamente, pela troca de informações, pelo atendimento às necessidades e expectativas do usuário que o procura. Então o que se sobressai são relações sociais entre indivíduos: profissionais e usuários/consumidores. Sendo assim, o artigo apresenta indicadores de que a introdução da tecnologia informacional computadorizada precariza a qualidade na relação profissional de saúde/paciente. Inicialmente, este artigo traz uma discussão acerca dos conceitos de qualidade do setor de saúde. A relação profissional de saúde/paciente é o próximo assunto a ser discutido, passando por um breve histórico do conceito saúde/doença e considerações sobre como está sendo vislumbrada a relação médico-paciente, especificamente. A análise dos dados primários mostra alguns indicadores de que as mudanças tecnológicas, físicas e de gestão nas Unidades de Saúde, estão precarizando a qualidade no atendimento à saúde. Muitas alterações de ordem tecnológica, mas poucas de ordem operacional, muitas máquinas, mas poucos profissionais para atender os usuários.

Ser profissional de saúde em uma unidade neonatal de alto e médio risco: o visível e o invisível

Machado,Claudia Egypto; Jorge,Maria Salete Bessa
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 Português
Relevância na Pesquisa
105.96%
Este estudo tem como objeto as vivências do profissional de saúde que trabalha em uma unidade neonatal de alto e médio risco. Utilizou-se como referencial teórico a fenomenologia hermenêutica de Martin Heidegger com o objetivo de compreender as vivências dos profissionais e as repercussões dessas vivências para sua saúde mental. Foram realizadas entrevistas fenomenológicas com os profissionais da unidade, chegando-se à compreensão, a partir da análise das unidades de significado encontradas, de que o sentido do ser-profissional-de-saúde nessa unidade transita entre o ôntico e o ontológico, na medida em que o profissional ora se protege no modo impessoal, ora se coloca no modo existencial ontológico de ser. Espera-se que a pesquisa possa contribuir para o enriquecimento e a humanização da relação profissional-paciente.

A atuação do serviço de saúde na violência sob o olhar de lideranças comunitárias de Londrina (PR)

Amaro,Marcia Caroline Portela; Andrade,Selma Maffei de; Garanhani,Mara Lúcia
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 Português
Relevância na Pesquisa
105.75%
Nos últimos anos, no Brasil, observa-se um aumento da violência urbana. A cidade de Londrina, no estado do Paraná, particularmente, vem assistindo a um preocupante aumento dos índices de violência. Isso tem levado as lideranças da cidade a se mobilizarem. O objetivo deste estudo é levantar qual a visão que lideranças comunitárias de duas regiões da periferia da cidade de Londrina, que apresentam diferentes níveis de mobilização popular, têm da atuação de serviços de saúde sobre a problemática da violência. A abordagem utilizada é de pesquisa qualitativa. Foi utilizado o referencial teórico das Representações Sociais e a técnica da análise de conteúdo de Bardin. Foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com lideranças identificadas a partir do processo chamado de "bola de neve" ou amostragem em rede. As entrevistas foram realizadas até que se atingiu a saturação das representações sociais, totalizando vinte e seis entrevistas, treze em cada região pesquisada. Os resultados mostraram que, de modo geral, a atuação dos serviços de saúde é considerada precária na visão das lideranças comunitárias. Na região onde a comunidade é mais mobilizada, porém, essa atuação ocorre de maneira mais articulada. Já na região menos mobilizada...

Percepção dos coordenadores de saúde bucal e cirurgiões-dentistas do serviço público sobre o Sistema Único de Saúde (SUS)

Martins,Ronald Jefferson; Moimaz,Suzely Adas Saliba; Garbin,Cléa Adas Saliba; Garbin,Artênio José Ísper; Lima,Daniela Coêlho de
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 Português
Relevância na Pesquisa
105.76%
O profissional de saúde é um ponto-chave para a implementação do Sistema Único de Saúde (SUS). À medida que exerce sua função, o sistema passa do aspecto teórico-conceitual para a prática da atenção. Objetivou-se neste estudo verificar o nível de conhecimento sobre o Sistema Único de Saúde (SUS) dos coordenadores de saúde bucal e cirurgiões-dentistas do serviço público dos 40 municípios da região noroeste do Estado de São Paulo. Utilizou-se um questionário estruturado, autoaplicável, composto de questões referentes aos princípios doutrinários e organizativos do SUS, controle social, financiamento, formação de recursos humanos, atenção e assistência em saúde. Dos entrevistados, 77 (89,5%) não sabiam quem era o responsável pelo planejamento e execução da assistência, 53 (61,6%) não tinham conhecimento de equidade, 46 (53,5%) de fundo de saúde e 45 (52,3%) de controle social. Conclui-se que existe deficiência no conhecimento de determinados assuntos, havendo necessidade de promoção de cursos a respeito da filosofia do SUS.

O sofrimento psíquico de agentes comunitários de saúde e suas relações com o trabalho

Rosa,Alcindo José; Bonfanti,Ana Letícia; Carvalho,Cíntia de Sousa
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 Português
Relevância na Pesquisa
105.86%
O estudo tem a finalidade de analisar aspectos que, quando presentes nas condições e relações de trabalho de Agentes Comunitários de Saúde (ACS), podem relacionar-se ao desencadeamento de sofrimento psíquico nestes profissionais e, consequentemente, impedir que tenham uma postura profissional ativa e mediadora, tanto para a garantia do direito à saúde quanto para a operacionalização dos serviços de saúde. Para o delineamento conceitual e caracterização do fenômeno estudado, recorreu-se ao corpus de conhecimentos produzidos por Dejours, que ofereceu, nas últimas décadas, importantes contribuições para a compreensão da Psicodinâmica do Trabalho e suas consequências. A pesquisa foi realizada durante uma intervenção em unidade de saúde da Estratégia Saúde da Família do município de Rondonópolis (MT); para a coleta de dados foram realizados os seguintes procedimentos: grupos de conversa e entrevistas abertas com agentes comunitários de saúde, observação do trabalho que realizavam e entrevistas abertas com a população usuária das unidades. A apreciação dos resultados partiu do registro cursivo e análise dos discursos captados durante as atividades e foi feita por meio de categorias, que foram analisadas. Considerou-se que há situações que caracterizam a sobrecarga de trabalho do ACS em vários âmbitos. Duas consequências foram apontadas...

Práticas assistenciais das Equipes de Saúde da Família em quatro grandes centros urbanos

Santos,Adriano Maia dos; Giovanella,Ligia; Mendonça,Maria Helena Magalhães de; Andrade,Carla Lourenço Tavares de; Martins,Maria Inês Carsalade; Cunha,Marcela Silva da
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2012 Português
Relevância na Pesquisa
105.84%
O artigo analisa as práticas assistenciais dos médicos e enfermeiros de Equipes de Saúde da Família (EqSF) em quatro capitais a partir de inquéritos. Identifica aspectos relacionados às ações prioritárias, atividades rotineiras e a associação entre o perfil profissional e a realização de atividades selecionadas, buscando evidenciar o quanto se aproximam de práticas integrais. O recorte referese a resultados com dados coletados por questionários autoaplicados. O teste usado na análise dos cruzamentos foi o qui-quadrado de Pearson (?²) para variáveis categóricas. As variáveis A e B são associadas ou não, ao nível de significância de 5%. As análises indicam tendência a um balanço entre atendimento à demanda programada e espontânea, corroborando práticas centradas nas pessoas. Ações a agravos infecciosos de curso longo não são prioridades para todas as EqSF, comprometendo as ações de vigilância à saúde e as práticas integrais. A atenção domiciliar, ainda, não é uma prática semanal para todos os profissionais. Insuficiente envolvimento com atividades na comunidade restringe a produção do cuidado às práticas convencionais e comprometem a lógica de mudança de modelo. Contradições identificadas entre formação e práticas sugerem necessidade de rever as políticas de educação permanente.

Aliados do A. Aegypti: fatores contribuintes para a ocorrência do dengue segundo as representações sociais dos profissionais das equipes de saúde da família

Reis,Cássia Barbosa; Andrade,Sonia Maria Oliveira de; Cunha,Rivaldo Venâncio da
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2013 Português
Relevância na Pesquisa
105.74%
Historicamente as políticas de saúde e as ações de combate ao dengue são pautadas no controle vetorial, com atividades de campo, deixando em segundo plano as atividades de educação em saúde. Conhecer as representações sociais de profissionais de unidades de saúde da família, sobre os fatores que contribuem para a manutenção dos índices de ocorrência do dengue é o objetivo desta pesquisa de forma a contribuir para a melhoria da comunicação entre profissionais de saúde e população, visando o controle da doença. Foi realizado estudo qualitativo com profissionais da estratégia de saúde da família de seis municípios selecionados, sendo os dados tabulados pela técnica do Discurso do Sujeito Coletivo. Os resultados mostraram quatro discursos referentes a aspectos que foram levantados através da pergunta sobre qual a causa da ocorrência de dengue. Conclui-se que os profissionais atribuem à população parte importante da responsabilidade pela ocorrência do dengue, mas também observam a falta de estrutura e organização dos serviços, bem como percebem dificuldades para que ocorra a mudança dos comportamentos observados com os recursos disponíveis.

Relação usuária-profissional de saúde: experiência de uma mulher homossexual em uma unidade de saúde de referência de Fortaleza

Araújo,Maria Alix Leite de; Galvão,Marli Teresinha Gimeniz; Saraiva,Micheli Morais Martins; Albuquerque,Angela Dias de
Fonte: Universidade Federal do Rio de Janeiro Publicador: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2006 Português
Relevância na Pesquisa
105.95%
A relação usuária-profissional de saúde é essencial para a qualidade do atendimento, especialmente nos serviços de atenção à saúde da mulher, onde a abordagem da sexualidade deve ser objeto de considerada relevância. Tem-se como objetivo descrever a experiência vivenciada por uma mulher homossexual atendida em uma unidade de saúde. Desenvolveu-se um relato de experiência. Em virtude de a revelação da homossexualidade feminina não constituir prática comum nos serviços de saúde, optou-se por um estudo de caso mediante descrição da experiência de atendimento de uma mulher homossexual em uma unidade de saúde de referência de Fortaleza-CE no segundo semestre de 2004. Desenvolveu-se entrevista aberta com a seguinte pergunta norteadora: Fale-me da sua experiência com o atendimento na unidade de saúde. Os dados foram analisados utilizando-se duas categorias temáticas: O atendimento recebido na unidade e a comunicação com o profissional de saúde. Conforme se concluiu, foi possível iniciar uma reflexão sobre a fragilidade das relações interpessoais entre as mulheres homossexuais e os serviços de saúde. Apesar de estas terem acesso ao serviço via setor de ginecologia, o desenvolvimento do processo de comunicação é muito superficial e deixa de elucidar questões importantes do exercício da sexualidade...

Relação entre o profissional de saúde da família e o idoso

Araújo,Maria Aparecida da Silva; Barbosa,Maria Alves
Fonte: Universidade Federal do Rio de Janeiro Publicador: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 Português
Relevância na Pesquisa
105.95%
O estudo tem como objetivo discutir a relação dos profissionais de saúde da família com os idosos. Foi desenvolvido com base na abordagem qualitativa, cujos dados foram coletados utilizando-se a técnica de grupo focal, seguida da análise de conteúdos. Verificou-se que a relação profissional de saúde e idoso por meio da comunicação é presente de forma compromissada e humanizada, a qual traz beneficios e influencia na mudança de comportamento do idoso; no entanto, as ações são fundamentadas no modelo biomédico e educação em saúde tradicional. Os resultados indicam que a relação do profissional de saúde e idoso se coloca ainda como um desafio para a resolutividade da atenção básica e indica a necessidade de conscientização de gestores para qualificação profissional na perspectiva de associar o trabalho em saúde por uma sociedade mais justa e igualitária, superando o modelo de atenção tradicional.

Visão de profissionais e estudantes da área de saúde sobre a interface saúde e meio ambiente

Camponogara,Silviamar; Viero,Cibele Mello; Erthal,Graciele; Diaz,Paola da Silva; Rossato,Gabriela Camponogara; Soares,Sabrina de Aguiar; Peres,Roger Rodrigues
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio Publicador: Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2013 Português
Relevância na Pesquisa
105.91%
Este artigo apresenta a visão de profissionais e estudantes da área da saúde sobre a interface saúde e meio ambiente. Estudo de abordagem qualitativa, descritivo, desenvolvidos com diferentes atores sociais que integram o processo de formação profissional e laboral da área da saúde em um município do Rio Grande do Sul. Os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada com questões norteadoras sobre o objeto de estudo, feita com trabalhadores hospitalares, enfermeiros, docentes, acadêmicos da área da saúde e agentes comunitários de saúde. Cada subprojeto foi analisado individualmente, com base no referencial sobre análise de conteúdo. Os resultados evidenciam que os sujeitos possuem visões dicotômicas sobre meio ambiente e reconhecem os efeitos prejudiciais da atual crise ambiental, alegando que o ser humano é o principal causador. Os sujeitos do estudo entendem que há estreita interface entre saúde e meio ambiente, sendo as populações menos privilegiadas economicamente as mais afetadas pelos danos ambientais. Conclui-se que o aprofundamento do debate sobre o tema no processo de formação e prática profissional em saúde é fundamental no sentido de se buscar a efetiva responsabilidade socioambiental por parte dos atores sociais atuantes no setor.

Conhecimentos e práticas dos profissionais de saúde sobre o manejo da dor no período neonatal

Costa de Azevedo Maia, Alessandra; Bechara Coutinho, Sonia (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: other
Português
Relevância na Pesquisa
105.85%
Apesar do maior conhecimento sobre dor, os recém-nascidos continuam a ser expostos a procedimentos invasivos, sem a utilização de analgesia, nas Unidades de Terapia Intensiva Neonatal. Os médicos, em sua maioria, são incapazes de avaliar e tratar a dor do neonato, devido à não incorporação do saber às ações médicas. As atitudes dos neonatologistas, muitas vezes, não refletem as atuais evidências estabelecidas sobre dor nesta faixa etária. Objetivos: 1- Revisar a literatura para avaliar as variáveis que podem influenciar as ações e atitudes dos profissionais, na sua prática clínica. 2-Comparar as práticas referidas e utilizadas pelos médicos no manejo d dor nas Unidades de Terapia Intensiva Neonatal. Métodos: Para a abordagem do tema, foi revista a literatura relacionada, através das bases de dados MEDLINE, SciElo e LILACS no período de 1995-2008. Utilizados os descritores Dor , Terapia Intensiva Neonatal e Profissional de Saúde . Para o artigo original foi realizado um estudo descritivo, transversal, com componente analítico, através de questionários aplicados aos médicos, diaristas e/ou plantonistas, no período de janeiro a maio de 2007. Com a finalidade de comparar as informações fornecidas pelos profissionais com a prática médica na rotina dos serviços...

A trajetória da formação profissional dos agentes comunitários de saúde no Município do RECIFE-PE

Méllo, Lívia Milena Barbosa de Deus e
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: dissertacao
Português
Relevância na Pesquisa
95.98%
A história do Agente Comunitário de Saúde no Brasil se confunde com a história de lutas pelo direito à saúde e com a trajetória da instituição do Sistema Único de Saúde a partir do Movimento da Reforma Sanitária Brasileira. Estando o SUS em disputa permanente para consolidar-se enquanto projeto universal, equânime e integral, depende da ação dos seus trabalhadores e, portanto, da formação destes, na medida em que a esta reorienta atitudes e práticas diante da sociedade. Esteestudo apresenta inicialmente as diversas lentes sobre o Estado, políticas sociais, e políticas de saúde, além da relação trabalho e educação, no intuito de apreender os fundamentos que embasam as políticas de formação profissional em saúde, em especial a formação dos Agentes Comunitários em Saúde. Trata-se de um estudo de caso, de abordagem qualitativa e caráter histórico cujo objetivo é descrever e analisara trajetória da formação profissional dos Agentes Comunitários de Saúde no município do Recife, através do curso de formação técnica. Partimos do pressuposto que esta história tem relevância nacional visto que a conclusão do curso dos ACS se efetiva em Recife, enquanto se encontra parado na grande maioria dos municípios brasileiros. Revela-se nesta trajetória contextos políticos favoráveis de investida nas políticas de gestão do trabalho...