Página 1 dos resultados de 7212 itens digitais encontrados em 0.032 segundos

Feminismo e discurso do género na psicologia social

Nogueira, Conceição
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2001 Português
Relevância na Pesquisa
86.23%
Neste artigo abordaremos como o discurso do género foi construído pela psicologia social, isto é, como o próprio conceito e as teorias explicativas que o envolvem foram construindo um significado que hoje está associado ao próprio estudo do género, tendo presente a influência das diferentes teorias feministas. O feminismo, especialmente determinadas teorias e perspectivas contemporâneas permitiu o equacionar de sérias críticas à ciência tradicional, moderna e positivista, críticas essas que se fazem sentir em várias disciplinas. Apresentam-se os diferentes programas de pesquisa sobre o género na psicologia social de influência feminista: a psicologia empiricista feminista, e o pósempiricismo feminista que coloca em causa a própria pesquisa de diferenças sexuais acentuando a construção social do género. Na psicologia social e nos estudos sobre o género estas novas perspectivas permitem um novo posicionamento e o pensar em novas possibilidades para a transformação de uma disciplina “reguladora e autoritária” para uma nova forma de acção local e contextualizada, nunca androcêntrica e universal.

George Herbert Mead y la psicología social de los objetos

Doménech,Miquel; Iñiguez,Lupicinio; Tirado,Francisco
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2003 Português
Relevância na Pesquisa
86.16%
Hace más de una década que diversas disciplinas de las ciencias sociales vindican la necesidad de una semiología de lo material. Sin duda, la realidad social es eminentemente simbólica, pero tal simbolismo no se ciñe exclusivamente a lo textual, discursivo o lingüístico. Existen prácticas más allá de esta dimensión que producen sentido y significado. Los objetos y las cosas están implicados en ellas. ¿Qué elementos definen semejante semiología? ¿Cómo hay que interpretar esas prácticas? ¿Cómo se relacionan con la producción de lo social? Las respuestas vienen de la mano de la formulación de una cultura material. Mas la elaboración de ésta exige la revisión de las propuestas que al respecto realizó G.H.Mead. Efectivamente, en su obra es posible encontrar una explicación para el papel que los objetos juegan en la constitución y mantenimiento de identidades sociales, entender cómo confieren al self un ambiente estable y familiar, examinar cómo los actos de tocar y comprender, en tanto que relación básica con lo material, detentan un papel clave en la construcción y mantenimiento de la realidad, y, en definitiva, observar como la relación del self con el mundo físico se configura como relación social. En el presente trabajo revisaremos todas estas cuestiones. Y concluiremos que constituyen los primeros pasos para esbozar una Psicología Social de los objetos.

Notas para uma genealogia da Psicologia Social

Silva,Rosane Neves da
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2004 Português
Relevância na Pesquisa
86.25%
A partir de uma "desnaturalização" do conceito de social, pretende-se situar as condições de possibilidade para a invenção da psicologia social. Utilizando uma estratégia genealógica, nosso objetivo é mostrar que, no lugar da psicologia explicar o social, é o próprio social que deve explicar o surgimento da psicologia moderna. Para tanto, é preciso deixar de considerar o social como sinônimo da noção de sociabilidade e passar a considerá-lo como algo essencialmente construído a partir de determinadas práticas humanas. Tal problematização permite entender como se produzem, no final do século XIX, as primeiras aproximações da psicologia moderna em direção ao social a partir das questões relacionadas ao fenômeno das multidões.

Históricos cursos de Psicologia Social no Brasil

Bomfim,Elizabeth de Melo
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2004 Português
Relevância na Pesquisa
86.2%
O artigo ancora-se numa reflexão sobre quatro cursos de Psicologia Social ministrados no Brasil na primeira metade do século XX. O legado documental de seus proponentes traz à cena vestígios das práticas educativas, informando o teor temático e metodológico assim como as influências teóricas. Aberta às contribuições de vários campos de conhecimento, a Psicologia Social é revelada em seu momento de imprecisão, fragilidade e construção como campo científico.

A Psicologia Social como especialidade: paradoxos do mundo Psi

Rodrigues,Heliana de Barros Conde
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2005 Português
Relevância na Pesquisa
86.2%
O artigo problematiza o processo de criação de uma especialidade em Psicologia Social, campo até então considerado imune à constituição dos especialismos tão comuns em nossa área de atuação. Para tanto, recorre a conceitos da Análise Institucional - Efeito Weber, Efeito Lukács, campo de intervenção e campo de análise -, que funcionam como ferramentas na apreciação tanto da história recente da Psicologia Social no Brasil quanto da definição oficial da Psicologia Social como especialidade.

Psicologia Social: uma especialidade da psicologia?

van Stralen,Cornelis Johannes
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2005 Português
Relevância na Pesquisa
86.31%
Este artigo questiona a decisão do Conselho Federal de Psicologia de reconhecer a Psicologia Social como especialidade da Psicologia. Esta decisão foi uma resposta a reivindicações de psicólogos que, atuando no campo das políticas públicas, têm procurado uma identidade profissional própria. Ignora, porém, que a Psicologia Social constitui uma disciplina científica específica no campo das ciências sociais, à medida que articula níveis de explicação psicológicos e sociológicos. Argumento que a decisão se tornou possível, de um lado, pela dificuldade de a Psicologia Social construir um campo profissional próprio e, de outro lado, pela posição ambígua que a Associação Brasileira de Psicologia Social tomou diante deste assunto. Concluo que o reconhecimento da Psicologia Social como especialidade da Psicologia poderá fortalecer a tendência de a Psicologia Social se tornar apenas uma disciplina básica no currículo da psicologia, em vez de uma disciplina autônoma que contribua para a compreensão de fenômenos coletivos.

Possibilidades solidárias e emancipatórias do trabalho: campo fértil para a prática da psicologia social crítica

Veronese,Marília Veríssimo; Guareschi,Pedrinho
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2005 Português
Relevância na Pesquisa
86.17%
O artigo discute a inserção da psicologia social crítica no campo da economia solidária, como um espaço laboral passível de constituir modos singularizados de trabalhar. Para tanto, revisa brevemente os principais conceitos referentes ao trabalho associativo e solidário, relacionando-o com as questões da subjetividade e da contemporaneidade. Questiona as referências emancipatórias das ciências sociais críticas, em especial a psicologia, colocando a necessidade de cartografar novos mapas para trilhar o "labirinto" da contemporaneidade, com suas ambigüidades e possibilidades, ao analisar um registro empírico tomado do campo do cooperativismo em bases solidárias. Finaliza colocando em pauta uma agenda progressista para a psicologia, quando inserida nessa realidade específica do mundo do trabalho.

Notas de pesquisa de campo em psicologia social

Narita,Stella
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2006 Português
Relevância na Pesquisa
86.16%
O presente artigo discute questões teóricas e metodológicas referentes à pesquisa de campo em Psicologia Social. Procura trazer contribuições à pesquisa qualitativa, enfocando especialmente a situação de entrevista e o tratamento dos dados. Utiliza o conceito de habitus de classe de Pierre Bourdieu para debater a relação indivíduo-grupo-sociedade, problema teórico-metodológico de fundo, e tema, fundamental para a Psicologia Social.

Sobre a psicologia social no Brasil, entre memórias históricas e pessoais

Sá,Celso Pereira de
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 Português
Relevância na Pesquisa
86.26%
Este artigo envolve uma recuperação de fatos e textos diversos, assim como de experiências vividas, que alimentaram o funcionamento de memórias históricas e a construção de memórias pessoais ao longo dos quarenta anos da trajetória acadêmica do autor como estudante e como professor de psicologia social no Rio de Janeiro. Procura-se, através dos relatos de tais memórias, caracterizar diferentes fases e orientações no desenvolvimento da psicologia social no Brasil, especialmente em suas relações com a psicologia e com as ciências humanas e sociais, bem como registrar algumas das condições - culturais, editoriais, políticas - e personagens individuais que exerceram influência nesse processo acadêmico. Sustenta-se ainda, à luz dessas memórias, que a avaliação, apropriação e articulação de contribuições oriundas da Europa e dos Estados Unidos levou finalmente à constituição de uma psicologia social brasileira que é caracteristicamente plural, crítica e avessa a fronteiras disciplinares rígidas.

Encontro da psicologia social brasileira com a psicologia soviética

Rey,Fernando Luis Gonzalez
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2007 Português
Relevância na Pesquisa
86.19%
O presente trabalho debate a relação da teoria desenvolvida por Sílvia Lane com os autores soviéticos, em particular com Vygotsky e Leontiev. No trabalho se analisam os diferentes momentos do pensamento de Sílvia Lane, especificando suas contribuições para o desenvolvimento de uma psicologia social comprometida com a realidade social brasileira, assim como com a elaboração de categorias e problemas de relevância geral para a psicologia.

O papel de Sílvia Lane na mudança da Psicologia Social do Brasil

Carone,Iray
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2007 Português
Relevância na Pesquisa
86.14%
As memórias de um período de mudanças implantadas na Psicologia Social da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, durante os anos 80, quando Sílvia Lane enfatizou os compromissos éticos e políticos da Psicologia com a realidade brasileira.

T.W. Adorno e a psicologia social

Crochík,José Leon
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2008 Português
Relevância na Pesquisa
86.18%
Neste ensaio, ressalta-se a importância da disciplina Psicologia Social na obra de T. W. Adorno e a concepção que formula acerca dessa disciplina. Esse autor defende que há uma nova forma de configuração dos indivíduos, expressada por atitudes e comportamentos individuais padronizados e por um ego frágil, facilmente cooptado por movimentos sociais totalitários. Tais indivíduos surgem em uma sociedade caracterizada por uma forma de dominação calcada na racionalidade administrativa e tecnológica. Para esse autor, a Psicologia Social deveria estudar esse objeto para que, com o esclarecimento produzido e difundido, os indivíduos possam resistir à adesão cega a movimentos sociais irracionais, tal como o fascismo, insistindo que a determinação desses movimentos não é individual, mas social.

La psicología social y el concepto de cultura

Vera Noriega,José Ángel; Rodríguez Carvajal,Claudia Karina; Grubits,Sonia
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2009 Português
Relevância na Pesquisa
86.17%
El objetivo de este artículo es realizar una revisión de las teorías contemporáneas de la psicología social, observando en sus métodos experimentales y los datos de investigación, las diferentes maneras de medir, evaluar y teorizar sobre el uso del concepto de cultura. Se estudian las teorías de individualismo-colectivismo, capital social, identidad social y étnica, sistemas concéntricos y adaptativos. El análisis se lleva a cabo desde la perspectiva teórica que supone al constructo sociológico y antropológico de cultura como una categoría no psicológica que integra los aspectos sociales vinculados a la formación de valores y representaciones que cortan transversalmente el comportamiento social.

O lugar de psicologia social na formação dos psicólogos

Souza,Ligia Claudia Gomes de; Souza Filho,Edson Alves de
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 Português
Relevância na Pesquisa
86.28%
Este trabalho pretendeu contribuir para o ensino da Psicologia Social no Brasil ao levantar os conteúdos e práticas do ensino dessa disciplina em cursos de psicologia de instituições localizadas em todas as regiões do país. A pesquisa consistiu no levantamento do material referente ao ensino da Psicologia Social, através de ementas, programas, de questionários e bibliografia indicada. 51 professores da disciplina Psicologia Social responderam a um questionário, e as informações referentes a ementas e programas foram coletadas junto às instituições. Os dados foram submetidos à análise de conteúdo, organizados em tabelas e submetidos a testes estatísticos. O ensino de Psicologia Social se dá através de conceitos descritivos/fenômenos, onde são valorizados os temas da área, em detrimento das correntes teóricas, as práticas e os métodos que foram menos referidos/enfatizados. Interpretamos esses resultados como busca de "sensibilização" dos alunos do curso de Psicologia para os problemas sociais relacionados com a Psicologia Social.

Atuação do psicólogo, SUAS/CRAS e Psicologia Social Comunitária: possíveis articulações

Silva,Janaína Vilares da; Corgozinho,Juliana Pinto
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 Português
Relevância na Pesquisa
86.16%
Este artigo, de caráter bibliográfico, buscou evidenciar a necessidade, a oportunidade e a possibilidade de que as produções teórico-conceituais e metodológicas já desenvolvidas na ciência psicológica social, particularmente a comunitária, com base materialista histórico-dialética, fossem exploradas em sua capacidade de orientar a atuação do psicólogo no âmbito do SUAS/CRAS. A pesquisa foi iniciada devido a recente conquista de espaço institucional da atuação do psicólogo no SUAS/CRAS e pelos poucos referenciais teórico-metodológicos específicos para atuação neste campo. O presente estudo buscou relacionar a Psicologia ao SUAS/CRAS através de conceitos da Psicologia Social Comunitária, apontando um modelo de atuação que visasse a autonomia dos sujeitos.

A produção do conhecimento na psicologia social brasileira: um estudo descritivo a partir da Revista Psicologia & Sociedade, 1986-1992

Cruz,Robson Nascimento da; Stralen,Cornelis Johannes van
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2012 Português
Relevância na Pesquisa
86.27%
Com o intuito de auxiliar na compreensão da história recente da Psicologia Social brasileira, apresentamos a primeira parte de pesquisa que objetivou descrever alguns aspectos que perpassam sua organização científica e social, o que se deu a partir de um dos seus principais veículos de comunicação, o periódico Psicologia & Sociedade: Revista da Associação Brasileira de Psicologia Social (ABRAPSO). Para isso, analisamos os trabalhos publicados entre os anos de 1986 e 1992. Assim, o total de 277 trabalhos, distribuídos em 10 revistas, constituiu nossa fonte de pesquisa. A origem institucional e geográfica dos autores, o padrão de autoria, o tipo e as temáticas dos trabalhos publicados, a metodologia e os locais de realização das investigações e intervenções, foram as informações examinadas. Por fim, a identificação tanto das transformações quanto de padrões de funcionamento da área, e alguns de seus possíveis determinantes, são apresentados.

Acepções de identidade na obra de Jürgen Habermas: subsídios para uma psicologia social criticamente orientada

Lima,Aluísio Ferreira de
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2012 Português
Relevância na Pesquisa
86.2%
Jürgen Habermas pode ser apresentado como um dos mais conhecidos e produtivos autores no âmbito da filosofia, ciências sociais e psicologia social. Suas contribuições, discussões e proposições sobre as coordenadas pós-nacionalistas, identidade humana, individual e coletiva, por exemplo, têm sido referência obrigatória para diversas disciplinas das ciências humanas e tornaram-se objeto de crítica para diversos intelectuais. Com o objetivo de colaborar na compreensão da leitura habermasiana acerca das questões envolvendo a identidade humana, discutiremos como a questão da identidade foi sendo trabalhada nos textos prévios a proposição da Teoria da Ação Comunicativa (I), a seguir apresentaremos as principais ideias desenvolvidas em sua obra Teoria da Ação Comunicativa e a releitura que faz da Psicologia Social de G. H. Mead para pensar a socialização e a individuação (II) e, finalmente, as contribuições que tem apresentado para a Psicologia Social, sobretudo, para a questão da identidade e dos processos de reconhecimento (III).

A contribuição do modelo social da deficiência à psicologia social

Gesser,Marivete; Nuernberg,Adriano Henrique; Toneli,Maria Juracy Filgueiras
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 Português
Relevância na Pesquisa
86.21%
O objetivo deste artigo é apontar a relevância de a psicologia social considerar a deficiência como uma categoria de análise nas pesquisas e na práxis psicossocial. Para a defesa dessa questão, primeiramente apresentar-se-ão indicativos sobre a deficiência no Brasil e no mundo e o modo como a deficiência se articula com categorias de análise como as de gênero, raça, geração e classe social, já consideradas nos estudos e análises psicossociais. Em seguida, dar-se-á visibilidade ao modelo social da deficiência, especialmente a proposta de compreensão transversal da deficiência, em intersecção com diferentes categorias. Por fim, explanar-se-á sobre a relevância de a psicologia social crítica, comprometida com a defesa dos direitos humanos e com a transformação social, integrar ao seu marco teórico os estudos sobre deficiência, considerando-a como uma categoria de análise e destacando-se a importância de tal opção para as políticas públicas.

Feminismos, teoria queer e psicologia social crítica: (re)contando histórias...

Borges,Lenise Santana
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2014 Português
Relevância na Pesquisa
86.22%
As abordagens feministas e queer são reconhecidas como aportes teóricos e metodológicos fundamentais para uma ressignificação da psicologia social, especialmente da chamada psicologia social crítica. Apesar do reconhecimento dos limites teóricos compartilhados tanto pelo ideário feminista como pelos pontos de vista críticos, algumas narrativas recentes sobre as relações entre os feminismos, a teoria queer e a psicologia social crítica, sobretudo no que se refere ao debate das sexualidades, tendem a considerar a história dessas relações sem as devidas contextualizações e, primordialmente, sob a ótica das ideias pós-modernas. A partir de uma seleção de narrativas que se propõem a (re)contar a história dessas relações, procuro mostrar como algumas narrativas possibilitam uma articulação entre os pensamentos feministas e queer, enquanto outras apresentam uma versão que tenta contrapor uma teoria em relação à outra, apostando na substituição dos feminismos vistos (como homogêneos, e sem contradições) pela teoria queer, tratada como vanguardista.

PSICOLOGIA SOCIAL DE ADORNO: RESISTÊNCIA À VIOLÊNCIA DO MUNDO ADMINISTRADO

Silva,Pedro Fernando
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2015 Português
Relevância na Pesquisa
86.22%
O objetivo deste ensaio é analisar o potencial político da psicologia social de Theodor W. Adorno; refletir sobre sua capacidade de opor resistência à violência típica do mundo administrado, cuja dimensão psíquica regressiva, semelhante à que serviu de sustentação para a instauração do horror nazifascista, nos impulsiona a investigar os atuais mecanismos psicossociais de dominação responsáveis pela integração dos indivíduos regredidos a condições de existência manifestamente contrárias à preservação racional da vida. O método adotado para esta análise consiste na ênfase no objeto desta psicologia social - desindividualizados átomos sociais pós-psicológicos - e na atualização de seu modelo de crítica. Conclui-se que a continuidade dos mecanismos de integração psicossocial responsáveis pela interceptação do processo de individuação repete a violência totalitária: a aniquilação do indivíduo autônomo. Diante dessa tendência histórica funesta, a psicologia social de Adorno impõe-se como práxis: convertendo-se em resistência à barbárie.