Página 1 dos resultados de 3 itens digitais encontrados em 0.030 segundos

Determinação de benzidina nos rios que recebem a carga de efluentes das industrias têxteis da cidade de São Carlos; Determinación de la bencidina en los rios que reciben la carga de efluentes de las industrias textiles de la ciudad de São Carlos

Arruda, Flávio Roberto
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/09/2008 Português
Relevância na Pesquisa
26.55%
Estima-se que cerca de 12% dos corantes sintéticos têxteis se perdem entre os processos de produção e utilização, sendo dificil a avaliação do impacto gerado pela industria de manufatura ao meio ambiente. A benzidina, um composto reconhecidamente cancerígeno e mutagênico está presente em algumas centenas de composições de tintas listadas no color index. Apesar de muitos paises proibirem o uso da benzidina, como é o caso dos EUA que desde 1973 só permitem a sua produção para consumo próprio das empresas produtoras, países como o Brasil não possuem um controle tão eficiente da produção e uso de corantes a base de benzidina, sendo encontrada até mesmo em medicamentos de uso pediátrico. Optou-se por verificar a presença de benzidina nos córregos do Tijuco Preto e do Gregório porque em São Carlos existem duas industrias têxteis que dispõe os seus efluentes nos mesmos. Neste trabalho foi empregado o método de extração líquido-líquido em pH 9,5 para a determinação da benzidina em amostras de água. Foi utilizada a cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massas para detectar e quantificar a benzidina nas amostras de água dos córregos do Tijuco Preto e do Gregório. Foi verificada a presença de benzidina nas amostras de água do córrego do Tijuco Preto e do córrego do Gregório nas concentrações da ordem de 0...

Solvent extraction of sodium chloride from codfish (Gadus morhua) salting processing wastewater

Ferraro, Vincenza; Cruz, Isabel B.; Jorge, Ruben Ferreira; Pintado, Manuela E.; Castro, Paula M. L.
Fonte: Elsevier Publicador: Elsevier
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
47.3%
Codfish is worldwide mostly consumed salt-cured due to the highly appreciated sensory characteristics promoted by salt. During the salting process huge amounts of salted wastewater are generated – approximately 22% w/w of the codfish – carrying ca. 250 g/L of sodium chloride and ca. 10 g/L of organic compounds, namely proteins and free amino acids. In this study, the salt load of wastewater generated during the salting process of codfish (Gadus morhua) was successfully reduced by ethanol extraction. The effects of time, sample:ethanol ratio, pH and temperature on salt extraction by ethanol addition were assessed by a onevariable-at-a-time approach and then by performing a 32 fractional factorial design. The effects of pH were also assessed in absence of ethanol. The maximum amount of salt precipitated in the wastewater was ca. 33%, at a wastewater-ethanol ratio 1:1 (v/v), at a temperature of 0 °C and after 30 min. Proteins and free amino acids present in the wastewater significantly limited salt precipitation; in a blank solution (salt in water at ca. 250 g/L) a higher amount of salt, ca. 37%, was precipitated in the same conditions. Ethanol and temperature showed a linear effect on salt precipitation for both wastewater and blank solution however ethanol was the driving factor. Changes in pH did not result in salt precipitation either in absence or presence of ethanol. During salt extraction...

Valorisation of codfish (Gadus morhua L.) salting processing wastewater through the extraction of high added value compounds

Ferraro, Vincenza
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em 22/06/2011 Português
Relevância na Pesquisa
27.47%
Apesar do desenvolvimento de outros métodos de preservação, a salga do bacalhau (Gadus morhua L.) continua a ser uma realidade devido a um conjunto de factores, entre os quais a simplicidade e o baixo custo do processo bem como as características sensoriais do produto final, muito apreciadas pelos consumidores. Ao longo do processo de salga o bacalhau incorpora sal até 20% do seu peso e liberta concomitantemente cerca de 22% da sua água fisiológica; assim, aproximadamente 200 litros de água residual salgada são gerados para cada tonelada de bacalhau fresco. Esse efluente é actualmente tratado como resíduo tóxico devido ao alto teor de cloro, que pode atingir valores de concentração de cerca de 160 g/L. A libertação desta água trás como consequência alterações significativas na composição e na estrutura do tecido muscular do bacalhau, levando à perda de compostos bioativos importantes, entre os quais aminoácidos livres, peptídeos e proteínas, nutrientes que, embora não essenciais, podem ser benéficos em certas circunstâncias. Assim, a recuperação de compostos orgánicos e do sal marinho de grau alimentar utilizado no processo de salga pode contribuir para a gestão integrada da água residual em questão. Com este objetivo...