Página 1 dos resultados de 2743 itens digitais encontrados em 0.016 segundos

Vivências da sexualidade durante a gravidez

Cruz, Maria Diana Fernandes da
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: info:eu-repo/semantics/bachelorthesis
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.27%
Trabalho apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Licenciada em Enfermagem; Sumário Durante o período de gravidez, existem uma série de mudanças biológicas, psicológicas, culturais e sociais, estas podem ter influência na vivência da sexualidade. A vivência da sexualidade durante esta fase pode ser entendida de diversas formas pela gestante, muitas vezes pode ser um factor importante para a satisfação das necessidades acrescidas da mulher em se sentir amada e constituir uma importante fonte de prazer, ou também pode ser entendida como desnecessária, pois não se justifica pela sua função procriativa. O presente estudo de investigação tem como tema a desenvolver, vivências da sexualidade durante a gravidez, e como objectivo principal desenvolver o conhecimento de como vivenciam as grávidas multigestas do concelho de Viana do Castelo a sua sexualidade durante a gravidez. O objectivo principal é suportado pelos objectivos da investigação, que são os seguintes: Conhecer as vivências da sexualidade das grávidas na primeira gravidez; Conhecer as vivências da sexualidade das grávidas nas seguintes gravidezes; Identificar alterações na sexualidade durante a primeira gravidez; Identificar alterações na sexualidade durante as seguintes gravidezes; Identificar factores que condicionam a sexualidade na primeira gravidez; Identificar factores que condicionam a sexualidade nas gravidezes seguintes. No final deste trabalho de investigação destaca-se a diminuição da actividade sexual durante a gravidez...

Opiniões e atitudes em relação à sexualidade: pesquisa de âmbito nacional, Brasil 2005; Opinions and attitudes regarding sexuality: Brazilian national research, 2005

PAIVA, Vera; ARANHA, Francisco; BASTOS, Francisco I; Grupo de Estudos em População, Sexualidade e Aids
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
47.07%
OBJETIVO: Descrever opiniões e atitudes sobre sexualidade da população urbana brasileira. MÉTODOS: Inquérito de base populacional realizado em 2005, em amostra representativa de 5.040 entrevistados. Realizou-se análise das atitudes diante da iniciação e educação sexual de adolescentes, considerando sexo, idade, escolaridade, renda, estado civil, religião, cor, região geográfica e opiniões sobre fidelidade, homossexualidade e masturbação. Os resultados foram contrastados com pesquisa similar realizada em 1998, sempre que possível. RESULTADOS: A maioria dos entrevistados escolheu como significado para o sexo a alternativa: "sexo é uma prova de amor". Como em 1998, a maioria manifestou-se pela iniciação sexual dos jovens depois do casamento (63,9% para iniciação feminina vs. 52,4% para a masculina), com diferenças entre praticantes das diversas religiões. A educação escolar de adolescentes sobre o uso do preservativo foi apoiada por 97% dos entrevistados, de todos os grupos sociais. Foi elevada a proporção de brasileiros que concordaram com o acesso ao preservativo nos serviços de saúde (95%) e na escola (83,6%). A fidelidade permaneceu um valor quase unânime e aumentou, em 2005, a proporção dos favoráveis à iniciação sexual depois do casamento...

Representações sociais sobre a sexualidade de pessoas estomizadas: conhecer para transformar; Social Representations about the sexuality of stomized patients:seeking to know more about the subject in order to transform it

Paula, Maria Angela Boccara de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/01/2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.27%
O estoma causa impacto em várias esferas da vida da pessoa, inclusive na vivência da sexualidade, bem como na vivência do seu parceiro sexual. O tema sexualidade abrange inúmeros aspectos que passam pela fisicidade e subjetividade humana e que envolvem percepções e significados. Conhecer as representações sociais (RS) sobre a sexualidade de pessoas com estoma intestinal definitivo e identificar fatores que potencializam e ou dificultam sua vivência foram os objetivos deste estudo, tendo como referencial teórico-metodológico a Teoria das RS. A análise de conteúdo dos discursos obtidos por meio de entrevistas abertas, realizadas junto a 15 pessoas com estomas intestinais definitivos há um ano ou mais, cadastrados na Associação Vale Paraibana de Ostomizados -Taubaté (SP) permitiu significar três unidades temáticas: O SIGNIFICADO DA SEXUALIDADE, A VIVÊNCIA DA SEXUALIDADE: ANTES DO ESTOMA e RESSIGNIFICANDO A SEXUALIDADE. Demonstrou-se que o estoma intestinal interfere na dinâmica da vivência da sexualidade, desvelando que os significados a ela atribuídos estão ancorados nas histórias individuais de vida, na qualidade das relações pessoais/conjugais estabelecidas na prática e na percepção da sexualidade, apesar do estoma. Por outro lado...

O desenvolvimento da sexualidade da criança em situação de risco; The sexuality development in risk situation child

Yano, Karen Murakami
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 16/04/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.26%
Este estudo objetivou retratar e analisar a visão da criança em relação a sua sexualidade: concepções formadas, experiências, sentimentos gerados e efeitos sobre seu desenvolvimento. Trata-se de um estudo apoiado no método qualitativo descritivo-exploratório. Os dados coletados foram organizados segundo o referencial metodológico da Análise Temática do discurso. Participaram do estudo, crianças de seis a doze anos, integrantes de uma instituição não governamental que desenvolve atividades sócio-educativas. Foram entrevistadas, aos pares, 42 crianças. Utilizaram-se perguntas abertas e técnicas facilitadoras de comunicação: Técnicas de Normalização, Narrativa Autogênica e Brinquedo Terapêutico. A sistematização dos dados gerou as categorias empíricas: os meios de conhecimento, as concepções de sexualidade, o tempo e a sexualidade e a violência e a sexualidade. As crianças receberam mais informações sexuais do que uma educação sexual. A falta de orientação e informação, aliados à conhecimentos equivocados e estereotipados, deixavam um vasto campo para que as crianças elaborassem suas próprios julgamentos e respostas ao que elas viam e ouviam ao seu redor. Na opinião destas crianças, os pais eram mais repreensivos e não forneciam todas as informações que elas necessitariam. Desta forma elas buscavam outros meios para aprender sobre a sexualidade. Assim a televisão e os pares eram os meios mais procurados para informar-se. Fadadas a buscarem informações por conta própria...

A abordagem à sexualidade masculina na atenção primária à saúde: possibilidades e limites; The approach to male sexuality in primary health care: possibilities and limitations

Pinheiro, Thiago Félix
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/09/2010 Português
Relevância na Pesquisa
37.26%
A relação masculinidades-saúde tem sido investigada por vários estudos nos últimos anos. A aproximação dos homens às práticas de cuidado e aos serviços de saúde é apontada como um desafio que esbarra na construção social das masculinidades e no direcionamento dos serviços para a atenção a mulheres e crianças. Este trabalho tem o objetivo de compreender como as questões relativas à sexualidade masculina são abordadas na Atenção Primária à Saúde. Para tanto, investiga como homens, situados no contexto de pobreza urbana, percebem e lidam com a sexualidade e com necessidades em saúde sexual; como a sexualidade masculina se configura como tema e demanda nos serviços de saúde e como interagem profissionais e usuários frente a ela. Trata-se de um recorte de pesquisa multicêntrica, voltada para a investigação da relação dos homens com os serviços de Atenção Primária à Saúde. Este recorte se detém à análise da observação etnográfica da estrutura e do funcionamento de duas Unidades Básicas de Saúde da cidade de Natal/RN, Brasil, e de entrevistas semi-estruturadas com 57 homens, usuários desses serviços. O trajeto analítico-interpretativo foi orientado, no campo teórico, pela perspectiva de gênero e...

A sexualidade no cuidado de enfermagem de mulheres com câncer ginecológico e mamário; Sexuality in nursing care for women with gynecological and breast cancer

Ferreira, Simone Mara de Araujo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 14/05/2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.3%
Trata-se de um estudo qualitativo que teve como objetivo analisar se a sexualidade é uma das dimensões do cuidado de enfermagem nas mulheres com câncer ginecológico e mamário, num hospital universitário. A coleta de dados foi realizada empregando-se como fontes de informação a entrevista individual semiestruturada. Foram entrevistadas 16 profissionais da equipe de enfermagem, sendo nove alocadas na Seção de Enfermagem da Unidade de Ginecologia e sete no Ambulatório de Mastologia e Oncologia Ginecológica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Utilizouse o referencial metodológico da análise de conteúdo, e o suporte teórico de análise dos dados foi a sexualidade como construção sociocultural. Os dados foram codificados, inicialmente, em dois núcleos de sentido. A partir desses dois núcleos de sentido, foram construídas quatro unidades temáticas: "A doença e a sexualidade da mulher: reconhecendo o problema"; "A sexualidade como dimensão do cuidado de enfermagem"; "Identificando barreiras na abordagem da sexualidade" e "Reconhecendo a necessidade de reestruturação da assistência prestada". No primeiro núcleo temático, destacaram-se as percepções das profissionais de enfermagem em relação ao comprometimento da sexualidade da mulher acometida pelo câncer ginecológico e mamário. Reconhecendo que a vaidade é inerente ao sexo feminino e que as mulheres dão muita importância para a aparência física...

A roteirização da sexualidade por enfermeiras que cuidam de pacientes com câncer de mama; Scripting of sexuality by nurses providing care to patients with breast cancer

Junqueira, Lilian Claudia Ulian
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 11/08/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.34%
O acometimento pelo câncer de mama é acompanhado por diversos eventos estressores, que provocam uma série de mudanças imprevisíveis e não escolhidas na vida da mulher que está em tratamento, bem como na dos familiares envolvidos, podendo alterar a dinâmica relacional e a sexualidade. Algumas das preocupações comuns entre as pacientes são: o medo da morte que a doença suscita, o sentimento de inutilidade, a perda dos vínculos afetivos e, especialmente, a mutilação da mama, que é símbolo da feminilidade, sexualidade, erotismo, maternidade e identidade. No cenário do tratamento e da reabilitação, a enfermeira exerce papel importante no cuidado da mulher adoecida. Por essa razão, é relevante indagar como a profissional percebe as questões da sexualidade na assistência. Este estudo qualitativo, descritivo e exploratório teve por objetivo investigar os significados atribuídos à sexualidade e se (e como) essa dimensão é contemplada na prática profissional de enfermeiras (os) que cuidam de mulheres com câncer de mama. Participaram da pesquisa 31 enfermeiras e um enfermeiro, com experiência profissional em oncologia variando de dois a 25 anos de assistência a pacientes com câncer de mama, oriundos de diferentes instituições e contextos de saúde...

Sexualidade do Idoso: uma revisão sistemática da literatura; The Sexuality of the elderly: a systematic review of literatura

Souza, Mariana Paula de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/05/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.29%
A velhice se constitui de uma importante etapa da vida que é extremamente significativa, merecendo atenção e cuidados especiais, com possibilidades de continuidade das fontes de prazer, alegria e de felicidade. Assim, atingir a velhice implica nas diversas superações de etapas, obstáculos, percalços e momentos que conduzem a um amadurecimento maior, dadas as experiências vivenciadas. Embora podendo ser considerada, biologicamente, como uma regressão morfofuncional, esse processo afeta todos os sistemas fisiológicos principais, de forma variável. Entretanto, os sentimentos e as sensações não sofrem deterioração. Não impede o indivíduo de desfrutar a vida, de forma ativa e saudável, possibilitando também a praticar a sexualidade como pode e como queira. Mas, os preconceitos sofridos neste sentido, são muitos. A sociedade, sustenta o mito da fase assexuada, excluindo do imaginário, qualquer vivência da sexualidade entre eles, que por vezes, acreditam que a sexualidade nessa fase da vida já não faz mais sentindo. Assim, sentimos a necessidade de estudar e entender como os idosos percebem a sua própria sexualidade. Para desmitificar esse assunto que perpassa por preconceitos, mitos, tabus e crendices populares...

Onde "está" a sexualidade?: representação de sexualidade num curso de formação de professores

Balestrin, Patrícia Abel
Tipo: dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.33%
Esta pesquisa teve como foco de análise representações de sexualidade presentes num Curso Normal noturno, de uma escola particular católica de Porto Alegre. Inserida no campo dos estudos feministas numa perspectiva pós-estruturalista, a pesquisa tomou como inspiração metodológica a etnografia e a produção de dados se deu a partir de observações sistemáticas ao longo de um semestre, análise documental e entrevistas individuais com as estudantes. A questão central da pesquisa - “Onde “está” a sexualidade num curso de formação de professoras?” - ampliou-se para a discussão de quando, onde e como a sexualidade entrava em cena naquele contexto escolar. Para tanto, foram criados três eixos analíticos que dizem do “currículo da sexualidade” neste curso: o “tempo” da sexualidade; o “espaço” da sexualidade e o “tom” da sexualidade. Esses três eixos se atravessam, e talvez seja possível afirmar que cada representação de sexualidade tem o seu tempo, o seu espaço e o seu tom para se fazer visível. Em relação ao primeiro eixo, enfatizo que, assim como é atribuído um “tempo da sexualidade” no curso (contando com uma aula específica sobre o tema), também na vida humana a sexualidade parece ter um tempo devido para aparecer...

Cenas da sexualidade florianopolitana

Schroeder, Marcelo Nuernberg
Tipo: dissertação (mestrado) Formato: xii, 138 f.| il.
Português
Relevância na Pesquisa
37.27%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico, Programa de Pós-graduação em Urbanismo, História e Arquitetura da Cidade, Florianópolis, 2009; Este trabalho trata da sexualidade e da arquitetura. Através das leituras de Foucault, sobre a sexualidade, e de Bataille, sobre o erotismo, estuda-se a arquitetu-ra e a sexualidade como construções sociais cujas trajetórias se sobrepõem. Assim, o objetivo aqui presente é expressar um retrato bastante amplo destas sobreposi-ções e dar-lhes um sentido atual, sobretudo ao estudar o centro da cidade de Floria-nópolis. A sexualidade é vista como um objeto paradoxal. Trata-se de uma figura his-tórica real caracterizada pela enunciação de discursos como forma de produção de verdade classificatória sobre indivídios, seus desejos e práticas correlatas ao sexo. Este enunciado é produzido num jogo complexo de relações de poder ao longo da história e também se materializa através da arquitetura, conforme cita Foucault, nos espaços de saturação sexual. Porém, antes de constituir-se enquanto razão discur-siva moderna, o erotismo precede a sexualidade como parte de sua natureza ances-tral. A natureza do erotismo relaciona-se aos eventos em torno da transcendência...

O que é a sexualidade humana?; What is this human sexuality?

Ravagni, Eduardo
Tipo: tese / thesis
Português
Relevância na Pesquisa
37.26%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2007.; O presente estudo analisa os modos pelos quais a sexualidade humana se desvela como objeto de conhecimento do pesquisador, no intuito de poder iluminar a trilha conceitual pela qual ele transita ao longo de 30 anos de atividade terapêutico-docente. Para desenvolver este estudo, buscou-se na psicanálise e no trabalho de alguns autores, que têm problematizado a sexualidade, direta ou indiretamente – por meio da relação existente entre o desenvolvimento humano, a afetividade e a identidade –, a interligação epistemológico-conceitual que permite compreender o fenômeno da sexualidade humana. A psicanálise não forneceu um modelo rígido e fechado de etapas e procedimentos, porém deu sentido ao caminhar. Dessa forma, o objeto de estudo foi paulatinamente compreendido na medida em que foi sendo circundado o espaço da sexualidade por meio de três estudos que epistemologicamente se interligam e complementam. O primeiro trabalho analisa as idéias centrais de algumas teorias sobre a ciência do desenvolvimento humano que, direta ou indiretamente, permitem a compreensão de algumas questões relacionadas com a sexualidade humana. O segundo estudo abre espaço à análise das mensagens que...

Educação sexual em contexto escolar: uma intervenção contra a vulnerabilidade na vivência da sexualidade adolescente

Nelas, Paula Alexandra de Andrade Batista
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
37.29%
A sexualidade estando presente desde o nascimento, na adolescência assume novo significado. Descobre-se o primeiro amor através de uma relação de intimidade e partilha de afectos, o corpo adquire um novo sentido, o grupo torna-se importante enquanto fonte de suporte, partilha de angústias e confiança, contribuindo para o desenvolvimento do adolescente. Na adolescência, perscrutam alguns factores de risco, nomeadamente a vivência da sexualidade de forma não informada e responsável, com repercussões para a saúde física e psicológica, pelo que é imperioso intervir através de programas formativos no âmbito da sexualidade que promovam vivência desta de forma responsável. São objectivos do estudo: Promover um modelo de intervenção formativa baseado no debate e reflexão crítica sobre sexualidade em contexto de sala de aula; Construir e validar instrumentos que permitam avaliar as atitudes face à sexualidade e ainda os conhecimentos dos adolescentes sobre reprodução, planeamento familiar e infecções de transmissão sexual; Testar a eficácia de um programa de intervenção formativo a nível dos conhecimentos sobre planeamento familiar, infecções de transmissão sexual, reprodução e atitudes face à sexualidade; Testar a efectividade do programa de intervenção formativo numa amostra alargada de adolescentes...

Das representações sociais sobre a sexualidade dos Estudantes do 1º Ano do Curso de Enfermagem

Dias, Hélia; Sim-Sim, Margarida
Fonte: UIIPS Publicador: UIIPS
Tipo: lecture
Português
Relevância na Pesquisa
37.32%
A sexualidade é caraterizada, enquanto conceito, por uma polissemia. Como objeto de estudo tem sido tratada sob diversas perspetivas, as mais marcantes centram-se no domínio biológico, bem como, no domínio psicossocial, relevando deste, uma visão da sexualidade como uma construção social e histórica produzida sobre as caraterísticas biológicas. Na enfermagem, a investigação sobre a sexualidade é recente. Os estudos mostram, ainda, este tema como um tabu que tem sido percecionado e reproduzido, não se tendo encontrado uma forma consistente de incorporar uma reflexão que seja promotora de competências para cuidar no âmbito da sexualidade. A partir da questão “Qual o universo semântico da representação sobre sexualidade dos estudantes de enfermagem do 1º ano do curos de enfermagem – 1º ciclo?”, desenvolveu-se um estudo exploratório com o objetivo de identificar o universo semântico do conceito de sexualidade na representação social dos estudantes de enfermagem do 1º ano do curso de enfermagem. Participaram 180 estudantes. Foi utilizado o teste de associação livre de palavras, recorrendo-se ao estímulo “a sexualidade é…”. O tratamento dos dados seguiu a análise descritiva e de conteúdo propostas por Bardin (2008). As palavras associadas à sexualidade foram organizadas nas dimensões: psicológica...

Representações sociais de estudantes de gerontologia social acerca da sexualidade na velhice

Leite, Ana Paula Matias
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em /04/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.27%
Compreender a representação social dos/as estudantes do 3º Ano de Gerontologia Social do 1º ciclo de estudos do Instituto Superior de Serviço Social do Porto, acerca da sexualidade dos idosos é o objetivo deste trabalho. Para atingir este objetivo, elegemos como referencial metodológico e teórico a Teoria das Representações Sociais. As representações sociais relacionadas com a velhice tendencialmente conduzem a atitudes discriminatórias que estão particularmente ligadas a ideias preconcebidas, a mitos e a estereótipos. Pretende-se com este trabalho contribuir para alterar a visão da sociedade ocidental que classifica a sexualidade na velhice como um período de assexualidade e como sendo uma prerrogativa dos jovens. Pretende-se também contribuir para a construção de propostas sobre a sexualidade na velhice que possam futuramente integrar na formação dos/as Gerontólogos/as Sociais. E por isso, é importante desmitificar e esclarecer que a sexualidade, o desejo sexual, a intimidade, o amor, os afectos, não desaparecem com o envelhecimento. O idoso ama e precisa de viver a sua vida e a sua sexualidade de uma forma digna e livre. Admitindo a necessidade de melhor compreender a sexualidade na velhice, desenvolvemos uma investigação de cariz exploratório...

Caça aos homens disponíveis: corpo, gênero e sexualidade na biossociabilidade gay online

Zago,Luiz Felipe
Fonte: Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM/IMS/UERJ) Publicador: Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM/IMS/UERJ)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2013 Português
Relevância na Pesquisa
47%
O artigo é uma reflexão que articula os conceitos de biossociabilidade, armário e sexualidade como forma de analisar os usos que vêm sendo feitos de sites de relacionamento voltados para homens gays na internet. A partir de dados produzidos através da observação participante em dois sites, procura-se apontar os modos emblemáticos de exibição e descrição dos corpos nos perfis de usuários, delineando novas significações para o "assumir-se" gay nesse contexto. Nesta biossociabilidade online, a metáfora do armário adquire novos contornos: criam-se situações de intensa visibilidade e exposição dos corpos e, ao mesmo tempo, de insidiosa vigilância acerca da discrição da sexualidade gay.

A terceira onda sexológica: medicina sexual e farmacologização da sexualidade

Russo,Jane A.
Fonte: Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM/IMS/UERJ) Publicador: Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM/IMS/UERJ)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2013 Português
Relevância na Pesquisa
47.12%
Este artigo pretende discutir a passagem da "segunda onda sexológica", que surge em meados do século XX, para uma terceira fase representada pela Medicina Sexual, cujo surgimento data da última década do século. Analisa-se o surgimento da Medicina Sexual como parte de um processo mais amplo de "biologização" das concepções acerca do humano ao qual se concatena uma transformação importante do modo de atuação e produção da indústria farmacêutica. Dois pontos cruciais na passagem da segunda sexologia para a Medicina Sexual serão abordados: a reconfiguração médica da impotência através da construção e da difusão do diagnóstico de "disfunção erétil" e os efeitos disto para a sexualidade masculina; a mudança de foco da sexualidade feminina ou do casal para a sexualidade masculina e suas consequências. O objetivo mais amplo do artigo é apresentar e discutir a medicalização da sexualidade masculina e seu significado no que diz respeito às relações de gênero.

Novas tecnologias de intervenção na sexualidade: o panorama latino-americano

Rohden,Fabíola; Russo,Jane; Giami,Alain
Fonte: Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM/IMS/UERJ) Publicador: Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM/IMS/UERJ)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2014 Português
Relevância na Pesquisa
47.12%
Este artigo busca refletir sobre o desinteresse pela área que congrega estudos e intervenções clínicas sobre a sexualidade por parte dos estudiosos críticos da sexualidade como campo político na América Latina. Iniciamos com um panorama sobre as sexualidades e as políticas na América Latina e, em seguida, apresentamos um panorama histórico do campo da sexologia e da medicina sexual na região. Procuramos argumentar que considerar a medicalização da sexualidade apenas como uma forma da sua despolitização deixa de lado aspectos importantes do processo, em especial no que diz respeito à produção de novos sujeitos na esfera do consumo. Em nossas conclusões realizamos uma reflexão crítica acerca do crescente consumo de biotecnologias na esfera da sexualidade e das concepções que lhes são subjacentes, buscando ressaltar seu aspecto eminentemente político.

Gênero, sexualidade e swing: a ressignificação de valores através da troca de casais

Silvério,Maria
Fonte: Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM/IMS/UERJ) Publicador: Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM/IMS/UERJ)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 Português
Relevância na Pesquisa
46.91%
O objeto de estudo deste artigo é o swing, também chamado de troca de casais. Pretende-se compreender questões fundamentais que norteiam este universo no que diz respeito à sexualidade e às identidades de gênero dos praticantes. A análise é feita a partir de trabalho de campo realizado em um clube de swing na região de Lisboa e em entrevistas com seis casais adeptos da prática. Procura-se entender de que maneira as identidades de gênero e sexuais são reproduzidas, ressignificadas ou negadas no swing, bem como o que caracteriza a feminilidade e a masculinidade neste universo. Esta pesquisa também aponta algumas particularidades da troca de casais não apenas para o relacionamento afetivo-sexual, mas também para os indivíduos envolvidos.

Viv??ncias da sexualidade de idosos (as)

Rodrigues, Luiz Carlos Barbosa
Tipo: masterthesis
Português
Relevância na Pesquisa
37.33%
Disserta????o(mestrado) - Universidade Federal do Rio Grande, Programa de P??s-Gradua????o em Enfermagem, Escola de Enfermagem, 2008.; A viv??ncia da sexualidade na velhice nada mais ?? do que a continua????o de um processo que se iniciou na inf??ncia. A gera????o atual de idosos (as) construiu seus conceitos atrav??s de experi??ncias vividas em uma educa????o repressora presente na cultura da ??poca. Este estudo teve como objetivo identificar e descrever a viv??ncia de idosos (as) acerca de sua sexualidade. Os pressupostos foram: Os(as) idosos(as) n??o diferenciam sexualidade e atividade sexual. 2) Na inf??ncia e adolesc??ncia os(as) idosos(as) n??o despertaram sua sexualidade. 3) Na juventude houve um despertar da sexualidade do(as) idosos(as). 4) Na maturidade/velhice os(as) idosos(as) v??m aproveitando mais sua sexualidade. Foi realizada uma pesquisa descritiva, com abordagem qualitativa, tendo como local, uma associa????o de idosos (as) de um munic??pio do Sudoeste do Paran??. Os sujeitos do estudo totalizaram 4 (quatro) idosos (as), sendo 3 (tr??s) mulheres e 1 (um) homem, desta associa????o. Foi utilizado como t??cnica a entrevista gravada semi-estruturada, no domic??lio dos sujeitos da pesquisa, e como instrumento de coleta um roteiro de entrevista que possibilitou orientar a conversa com confiabilidade...

Sentidos produzidos sobre a sexualidade por mulheres com paraplegia congênita

Alves, Silvia Rodrigues Cavalcanti; Ferreira, Sandra Patrícia Ataíde (Orientadora)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: dissertacao
Português
Relevância na Pesquisa
37.31%
As pessoas com deficiência e as mulheres compõem grupos minoritários que historicamente foram alvo de discriminação. Dessa forma, quando a questão das pessoas com deficiência é somado à questão do gênero, essas sofrem uma dupla marginalização devido aos preconceitos sexuais e pelas dificuldades causadas pela deficiência, que ainda carrega um estigma social que se reflete em vários âmbitos da vida e, logo, também no plano da sexualidade. Assim, as pessoas com deficiência tendem a ser consideradas como homogêneas assexuadas. A falta de informação acerca da sexualidade de tais pessoas alimenta a crença de que deficiência e sexualidade são incompatíveis, sendo forte a ideia de que a pessoa com deficiência não vivencia sua sexualidade, principalmente, quando essa deficiência é a paraplegia, por envolver os membros inferiores (onde se localiza os órgãos genitais). Entretanto, há muito que se desconstruir sobre tais concepções, primeiramente, porque a sexualidade não se resume ao ato sexual nem se localiza unicamente nos órgãos sexuais. Além disso, não há nenhuma evidência que relacione a paraplegia (ou qualquer outro tipo de deficiência) à falta de desejo sexual. Percebe-se que há uma escassez de estudos que abordem conjuntamente as questões do gênero e da sexualidade das pessoas com deficiência...