Página 1 dos resultados de 187 itens digitais encontrados em 0.156 segundos

Influência do tamanho molecular aparente das substâncias húmicas aquáticas na eficiência da coagulação com sulfato de alumínio e cloreto férrico; Influence of apparent molecular size from aquatic humic substances in the coagulation efficiency with aluminium sulfate and ferric chloride

Sloboda, Eliane
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/11/2007 Português
Relevância na Pesquisa
86.24%
Existem muitos mananciais usados como fonte de abastecimento de água que apresentam cor verdadeira relativamente alta, devido à presença de substâncias húmicas (SH). Muitas estações de tratamento de água (ETA) apresentam problemas no processo de coagulação decorrentes da presença das SH. Com isso é necessário o uso de pré-oxidantes para reduzir a cor verdadeira da água. Quando emprega-se o cloro como oxidante ocorre a formação de subprodutos halogenados, que são prejudiciais a saúde humana. Para este estudo coletou-se água no Rio Itapanhaú - Bertioga/SP, a qual apresentou cor verdadeira na ordem de 400 uH. Para a extração das SHA empregou-se a resina XAD 8. Os extratos de SHA foram filtrados em membrana com poros de 0,45 µm e após utilizou-se a técnica de ultrafiltração (UF) para o fracionamento do material húmico em diferentes tamanhos moleculares aparente. As frações empregadas na caracterização foram: F1: menor que 0,45 µm, F2: entre 100 kDa e 0,45 µm, F3: entre 30 e 100 kDa, F4: entre 10 e 30 kDa, F5: entre 5 e 10 kDa. As frações foram caracterizadas por meio das técnicas de análise elementar, espectroscopia de ultravioleta/visível, infravermelho e ressonância magnética nuclear de 13C (RMN de 13C). Os resultados mostraram que as frações de menor tamanho molecular aparente (F3...

Ruptura e recrescimento de flocos em água com substâncias húmicas aquáticas coagulada com sulfato de alumínio e cloreto férrico; Breakage and regrowth of flocs in water with aquatic humic substances coagulated with aluminum sulphate and ferric chloride

Constantino, Luís Truppel
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/05/2008 Português
Relevância na Pesquisa
76.38%
Por meio de ensaios em reatores estáticos (em equipamento de jarteste) foram estudados os efeitos da ruptura e da refloculação na sedimentação dos flocos, para diferentes velocidades de sedimentação. A água de estudo foi preparada com substâncias húmicas aquáticas (SHA) extraídas de água coletada do rio Itapanhaú - Bertioga/SP, resultando cor verdadeira de 100 uH, e coagulada com sulfato de alumínio e cloreto férrico. Para os dois coagulantes, foram realizadas as etapas de coagulação, mistura rápida, floculação, ruptura (G=50, 100 e 150/s) e refloculação (G=10 e 20/s). Na sedimentação sem a ocorrência de ruptura o cloreto férrico teve um desempenho superior ao sulfato de alumínio, principalmente nas velocidades de sedimentação mais altas. Isso se deve ao fato da floculação da água coagulada com o cloreto férrico ter gerado flocos de tamanho muito superior aos flocos gerados com o sulfato de alumínio. A ruptura, em poucos segundos, prejudicou a remoção dos flocos por sedimentação. Quanto maior o gradiente de velocidade na ruptura, maiores foram os valores da cor aparente remanescente, mesmo após a refloculação. A refloculação, mesmo nos primeiros minutos, diminuiu a cor aparente remanescente se comparada a logo após a ruptura. O menor gradiente de velocidade durante a refloculação testado (10/s) apresentou menores valores da cor aparente remanescente. Tanto na água coagulada com o sulfato de alumínio quanto na coagulada com o cloreto férrico a refloculação se comportou de modo semelhante...

Influência do tamanho molecular aparente de substâncias húmicas aquáticas na eficiência da coagulação por hidroxicloreto de alumínio; Influence of apparent molecular size from aquatic humic substances in the efficiency of coagulation by aluminum hydroxychloride

Santos, Camila Tolledo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 16/11/2009 Português
Relevância na Pesquisa
86.09%
Estações de tratamento de água que tratam águas com cor elevada, causada pela presença de substâncias húmicas, e baixa turbidez têm apresentado problemas operacionais, principalmente na coagulação. As substâncias húmicas aquáticas (SHA) apresentam moléculas de massa molecular variada, grande parte entre 500 Da e 10 kDa. Por esse motivo, as condições de coagulação (tipo e dosagem de coagulante e pH de coagulação) podem ser totalmente distintas no tratamento de águas com a mesma coloração, devido à presença de SHA com propriedades estruturais diferentes, conforme já observado em pesquisas recentes. Neste contexto, o presente trabalho estudou a influência do tamanho molecular aparente das SHA na coagulação por hidroxicloreto de alumínio e fez a comparação dos custos entre este coagulante e dois estudados anteriormente - sulfato de alumínio e cloreto férrico - para mesma eficiência de remoção de cor. Para isso, realizaram-se ensaios de coagulação seguida de filtração em jarteste com quatro águas de estudo preparadas com frações de diferentes tamanhos moleculares aparentes de SHA, com cor verdadeira de 100 uH e turbidez de 5,0 uT. A partir dos resultados encontrados, pode-se afirmar que há influência do tamanho molecular aparente de diferentes frações de substâncias húmicas aquáticas na coagulação por hidroxicloreto de alumínio. Observou-se a tendência de maior consumo de coagulante para a coagulação de frações de SHA de menores tamanhos moleculares aparentes...

Emprego de coagulantes orgânicos naturais como alternativa ao uso do sulfato de alumínio no tratamento de água

Piantá, Cyro Antônio Vianna
Tipo: trabalho de conclusão de graduação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
76.38%
A qualidade da água de abastecimento que é oferecida às populações urbanas, sob o ponto de vista dos padrões físico-químicos e bacteriológicos, qualificando-a em condições de potabilidade e em quantidades suficientes para atender às necessidades dos consumidores, são preocupações das empresas de abastecimento e da sociedade como um todo. Ao processo de tratamento da água decorre o problema do destino final do lodo gerado nas Estações de Tratamento. A carga de alumínio contida nestes lodos, acumulados nos decantadores, pelo uso do sulfato de alumínio como coagulante, retorna ao curso d’água utilizado na captação da água bruta. São necessários estudos aprofundados do lodo das Estações de Tratamento de Água, o que possibilitará a escolha da melhor técnica para a sua disposição final, com a segurança de que os padrões de emissão estabelecidos pela legislação sejam atingidos, minimizando os efeitos provocados pelo seu descarte in natura. Segundo alguns estudos citados neste trabalho, na Inglaterra e Suécia, há evidências de maiores incidências da doença de Alzheimer em áreas onde as fontes de água para abastecimento continham maiores concentrações de alumínio. A principal variável na produção de lodo é a adição dos produtos químicos no processo de tratamento...

Remoção do fitoplâncton na etapa de coagulação/floculação do processo de tratamento de água com sulfato de alumínio

Laux, Marcele; Andrade, Herenice Moreira Serrano de; Müller, Carla Cristine; Damasceno, Raquel Garibaldi
Tipo: resumo publicado em evento; nacional Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
86.08%

Uso de suspensões preparadas com sementes de moringa oleifera associada a coagulantes químicos no tratamento da água residuária de usinas de concreto; Use of suspensions prepared with moringa oleifera seeds associated with chemical coagulants in the treatment of wastewater concrete plants

Heber Martins de Paula
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 12/12/2014 Português
Relevância na Pesquisa
96.23%
A operação de usinas de concreto gera água residuária que necessita de tratamento antes da disposição ou reuso. O processo de coagulação/floculação com o uso de coagulantes químicos associados à decantação pode gerar resíduos nocivos à saúde humana. Inserido nesse contexto, este trabalho tem como objetivo avaliar a eficiência da Moringa oleifera (MO) como coagulante natural para o tratamento da água residuária do concreto produzido em usinas. A pesquisa foi composta por cinco etapas: (a) caracterização da qualidade da água residuária coletada em uma usina de concreto; (b) avaliação da eficiência, em laboratório, do uso combinado do sulfato de alumínio e da MO em pó no tratamento da água residuária do concreto coletada em campo, com a determinação da concentração e as possíveis combinações entre eles; (c) avaliação da eficiência, em laboratório, do uso combinado de Sulfato de alumínio e da MO na forma solúvel e também do emprego do Cloreto férrico, outro coagulante químico, associado à MO, ambos na forma solúvel, no tratamento das águas residuárias de usinas de concreto; (d) otimização das dosagens de MO e de coagulantes químicos no tratamento da água residuária por meio do Delineamento de Composto Central Rotacional...

Quitosana, polieletrólito natural para o tratamento de água potável

Spinelli, Viviane Aparecida
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: dissertação (mestrado) Formato: 134 f.| tabs., grafs., il.
Português
Relevância na Pesquisa
86.46%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental.; No processo de tratamento de água potável, é muito usado como coagulante o sulfato de alumínio, contudo, ele não é biodegradável e pode trazer sérios riscos a saúde humana. O presente trabalho tem como principal objetivo estudar o uso do polímero natural quitosana como coagulante para o tratamento de água potável. A quitosana foi empregada como coagulante para águas de rio e de lago de baixa turbidez, e a cal comercial foi usada para corrigir o pH de coagulação. Os experimentos foram realizados num equipamento de Jar test e o processo de tratamento passou por etapas de coagulação, floculação, decantação e filtração. A eficiência da quitosana no tratamento foi avaliada por análises de cor aparente e turbidez remanescente. As melhores dosagens de cal e quitosana encontradas para a água de rio foram de 3,0 mg/L e 1,5 mg/L, respectivamente; sendo que resultados equivalentes com sulfato de alumínio requerem doses da ordem de 7,5 mg/L e 14 mg/L. As condições ótimas de tratamento obtidas foram de 55 s para a mistura rápida, gradiente de velocidade (G) de 1200 s-1 , tempo de mistura lenta de 30 minutos...

Tratamento de águas residuárias oriundas da purificação do biodiesel por coagulação empregando sulfato de alumínio e quitosana : avaliação preliminar; Treatment of biodiesel wastewater by coagulation using aluminium sulfate and chitosan : preliminary assessment

Guimarães, Patrícia Sales
Tipo: tese / thesis
Português
Relevância na Pesquisa
96.41%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, 2013.; O biodiesel é produzido comumente pelo processo de transesterificação a partir de óleos vegetais e/ou gordura animal que, quando de sua purificação, gera como subproduto uma água residuária misturada com grande quantidade de óleo e outros contaminantes, que impedem o seu descarte em corpos d’água receptores. Para a remoção desses óleos e graxas têm sido empregados processos eletrolíticos e físico-químicos que utilizam, em geral, coagulantes inorgânicos de sais metálicos. Entretanto, o processo de coagulação/floculação gera grande volume de lodo residual com alto teor de alumínio ou ferro de difícil disposição e tratamento. A quitosana tem se mostrado como alternativa de coagulante nos tratamentos de água para abastecimento e águas residuárias, por gerar pouco impacto ambiental e à saúde pública. A quitosana é um biopolímero biodegradável, obtido a partir da desacetilação da quitina, que gera uma quantidade reduzida de lodo e foi pouco estudada no tratamento de águas residuárias oleosas. Nesse contexto, esta pesquisa teve o objetivo de avaliar o desempenho do sulfato de alumínio e da quitosana como coagulantes no tratamento físico-químico para remoção da matéria orgânica de águas residuárias oriundas da purificação do biodiesel. Foram realizados...

Controlo do alumínio no tratamento de água captada no rio Vouga

Santos, Jason Ferreira
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: masterthesis
Português
Relevância na Pesquisa
96.43%
A ampliação do Sistema Regional do Carvoeiro, com o aumento do caudal captado através de uma captação superficial no rio Vouga além do produzido nos poços e furos já existentes, vai requerer a remoção de sólidos suspensos e de turvação para produção de água para o abastecimento público. Neste estudo foi testado o processo de coagulação e floculação com a utilização de sulfato de alumínio. Devido ao problema do alumínio residual na água tratada o objetivo foi centrado na redução desse residual de alumínio, através da aplicação de um coagulante adjuvante e pela incorporação do processo de pré-oxidação com cloro. Além destes dois métodos também foi avaliado a utilização de um coagulante alternativo, o cloreto de ferro. Usando amostras de água do rio Vouga, colhidas junta à captação e transportadas para o laboratório, realizaram-se ensaios de bancada de coagulação e floculação de tipo jar-test. Inicialmente testou-se o cloreto de ferro em comparação com o sulfato de alumínio; o pH foi ajustado com hidróxido de cálcio. Após esta comparação, aplicou-se um coagulante adjuvante. Foi possível a redução da dosagem ótima tanto do sulfato de alumínio como o do cloreto de ferro, com a aplicação de 1mg/L de coagulante secundário. O volume de lamas produzidas na sedimentação também diminuiu devido a uma maior compactação. Com a incorporação do processo de pré-oxidação com cloro...

Contribuição para a análise da presença de arsénio em águas de abastecimento e sua remoção por precipitação química

Correia, Cláudia Sofia Henriques
Fonte: FCT - UNL Publicador: FCT - UNL
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2008 Português
Relevância na Pesquisa
76.39%
Dissertação apresentada na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa para obtenção do grau de Mestre em Engenharia do Ambiente – Perfil Sanitária; Sendo o arsénio um elemento tóxico naturalmente presente no ambiente e largamente usado na indústria, a sua presença nos meios hídricos é praticamente inevitável. Deste modo, o estudo de soluções para a sua redução/mitigação, tanto ao nível das origens de água, como dos tratamentos utilizados, pode considerar-se prioritária. Existem vários processos de remoção, com elevadas eficiências, embora nem todos sejam de concepção e exploração simples e,ou economicamente viáveis. O trabalho teve por objectivo analisar a problemática associada à presença de arsénio em águas para consumo humano e avaliar a sua remoção através de coagulação-floculação, utilizando ensaios de Jar-Test, com e sem pré-oxidação, recorrendo a diversas doses do agente coagulante sulfato de alumínio e contaminando uma água superficial com várias concentrações de uma solução comercial de arsenito. Foi igualmente estudada a importância da inclusão de uma etapa de pré-oxidação na remoção deste elemento, usando como agente oxidante hipoclorito de sódio...

Potenciais efeitos da presença de alumínio na água de consumo humano

Rosalino, Melanie Roselyne Rodrigues
Fonte: Faculdade de Ciências e Tecnologia Publicador: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
86.17%
Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia do Ambiente, Perfil Sanitária; Na água destinada ao abastecimento público é comum a existência de um residual de alumínio, não só pela sua presença na água de origem para captação como também pela utilização recorrente de coagulantes à base de sais de alumínio no tratamento. Apesar de se tratar de um elemento omnipresente, é a sua presença na água de consumo que tem levantado maiores dúvidas em relação aos efeitos que pode vir a ter na saúde. Este residual de alumínio tem vindo a ser objecto de inúmeros estudos científicos, uma vez que pode estar implicado em diversas doenças do foro neurológico. O alumínio tem sido frequentemente associado à etiologia ou patogénese da doença de Alzheimer, não sendo, no entanto, ainda possível referilo como elemento causal da doença. Este trabalho tem como principal objectivo o estudo dos potenciais efeitos na saúde resultantes da utilização de sais de alumínio no tratamento convencional de água destinada ao abastecimento público. Foi feita uma revisão bibliográfica donde se destacaram alguns estudos considerados mais relevantes, os quais foram analisados e criticados. Outro objectivo deste trabalho incide na compreensão das causas da presença de determinados teores de alumínio no final do tratamento...

Germinação de sementes de guandu sob efeito da disponibilidade hídrica e de doses subletais de alumínio

Marin,Adão; Santos,Durvalina Maria Mathias dos; Banzatto,David Ariovaldo; Ferraudo,Antonio Sergio
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2004 Português
Relevância na Pesquisa
86.14%
O objetivo deste trabalho foi verificar a germinação de sementes das cultivares de guandu, IAPAR 43-Aratã e IAC Fava Larga, sob efeito da disponibilidade hídrica e de doses subletais de alumínio. Os experimentos foram instalados na Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias-UNESP, em Jaboticabal (SP), no período de março a maio de 2002. As sementes foram colocadas em caixas de germinação, previamente esterilizadas, revestidas com uma folha de papel germitest umedecido com diferentes concentrações de PEG 6000 (0,0; -0,6; -0,9; -1,2 e -1,5 MPa) e de sulfato de alumínio (0,0; 2,5; 5,0; 7,5; e 10,0 mmol.dm-3). O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado em arranjo fatorial 2 x 5 x 5 (cultivares x disponibilidades hídricas x alumínio), com quatro repetições de 50 sementes. Para complementar a análise estatística foram realizadas análises multivariadas de agrupamento e componentes principais. O experimento foi desenvolvido em câmara de germinação, na temperatura de 25 ºC. A porcentagem de germinação foi verificada no 4.º e 10.º dias após a semeadura. No 10.º dia, as plântulas foram separadas em plúmulas e raízes primárias, para determinar a massa seca. A disponibilidade hídrica foi limitante para a germinação e o crescimento inicial. O efeito do alumínio associado ao estresse hídrico foi evidenciado somente até -0...

Reciclagem de embalagens poliméricas contendo filme de alumínio metálico via processamento químico

Dal Bó,Marcelo; Cardoso,Antônio P. G; Tancredo,Ciana; Mergen,Isaura Z; Doneda,Raquel N; Novaes,Adelamar F; Faria,Débora C. de
Fonte: Associação Brasileira de Polímeros Publicador: Associação Brasileira de Polímeros
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 Português
Relevância na Pesquisa
86.06%
Embalagens poliméricas contendo filme de alumínio, utilizadas para o acondicionamento de alimentos, foram recicladas via processamento químico com o auxílio de ácido sulfúrico e hidróxido de sódio. Os produtos provenientes desse processo de reciclagem foram os polímeros, com grau de impureza aceitável para reutilização em artigos plásticos com menores exigências e o sulfato de alumínio [(Al2SO4)3], utilizado como agente floculante em processos de tratamento de água e efluentes. Os testes de infravermelho (FTIR) e de chama realizados com os polímeros mostraram a presença de polietileno e poliéster, utilizados na fabricação deste tipo de embalagem.

Reciclagem de embalagens poliméricas contendo filme de alumínio metálico via processamento químico

Dal Bó,Marcelo; Cardoso,Antônio P. G; Tancredo,Ciana; Mergen,Isaura Z; Doneda,Raquel N; Novaes,Adelamar F; Faria,Débora C. de
Fonte: Associação Brasileira de Polímeros Publicador: Associação Brasileira de Polímeros
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 Português
Relevância na Pesquisa
86.06%
Embalagens poliméricas contendo filme de alumínio, utilizadas para o acondicionamento de alimentos, foram recicladas via processamento químico com o auxílio de ácido sulfúrico e hidróxido de sódio. Os produtos provenientes desse processo de reciclagem foram os polímeros, com grau de impureza aceitável para reutilização em artigos plásticos com menores exigências e o sulfato de alumínio [(Al2SO4)3], utilizado como agente floculante em processos de tratamento de água e efluentes. Os testes de infravermelho (FTIR) e de chama realizados com os polímeros mostraram a presença de polietileno e poliéster, utilizados na fabricação deste tipo de embalagem.

Influência das características das substâncias húmicas na eficiência da coagulação com sulfato de alumínio

Campos,Sandro Xavier; Di Bernardo,Luiz; Vieira,Eny M.
Fonte: Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental - ABES Publicador: Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental - ABES
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2005 Português
Relevância na Pesquisa
106.23%
Neste trabalho foi estudada a influência das características das substâncias húmicas (SH), em especial a massa molar das moléculas, na eficiência da coagulação com o uso do sulfato de alumínio. Utilizando-se de água proveniente de poço profundo, foram preparadas quatro águas de estudo, todas com cor verdadeira de aproximadamente 100 uH. As SH foram extraídas de turfa e fracionadas em massas molares: i) SH filtradas em membranas de 0,45 µm; ii) SH filtradas em membranas de 0,45 µm e maiores que 100 kDa, iii) SH com moléculas entre 30 e 100 kDa; iv) SH com moléculas menores do que 30 kDa. Verificou-se que quanto maior a massa molar das SH maior foi a eficiência de remoção da cor aparente, com as menores dosagens de coagulante.O pH de coagulação ótimo, esteve entre 6,0 e 7,0, para todas as águas de estudo. Os estudos da porcentagem de ácido húmico (AH) e ácido fúlvico (AF) presentes em cada fração de diferente massa molar mostraram que quanto maior foi à porcentagem de AF presente, maior foi à dosagem de coagulante exigida para se obter os melhores resultados de remoção da cor aparente.

Filtração direta com pré-floculação e coagulação com sulfato de alumínio e hidroxicloreto de alumínio: estudo com água de manancial eutrofizado

Dalsasso,Ramon Lucas; Sens,Maurício Luiz
Fonte: Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental - ABES Publicador: Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental - ABES
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2006 Português
Relevância na Pesquisa
86.26%
Neste trabalho são apresentados dados de um estudo sobre modificações em um sistema implantado de tratamento de água por filtração direta descendente, com o objetivo de melhorar o seu desempenho em função das características da água a ser tratada, caracterizada por baixa cor aparente e turbidez, porém com elevada concentração de fitoplâncton. Ensaios em jarteste precederam a realização de carreiras de filtração em sistema piloto, com ou sem pré-floculação em meio granular expandido. Foram testados sulfato de alumínio e hidróxicloreto de alumínio como coagulantes, e leitos filtrantes de antracito e areia ou apenas antracito. A adoção de um leito filtrante de maior granulometria, hidróxicloreto de alumínio e pré-floculação, reduziu o consumo de água de lavagem de 23,8% para 5,5%, resultando água filtrada com melhor qualidade em termos de cor aparente, turbidez e alumínio residual.

Redes neurais artificiais aplicadas ao processo de coagulação

Menezes,Fábio Conceição de; Rodriguez Esquerre,Karla Patricia Santos Oliveira; Kalid,Ricardo de Araújo; Kiperstok,Asher; Matos,Mario Cezar de Oliva; Moreira,Rodrigo
Fonte: Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental - ABES Publicador: Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental - ABES
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 Português
Relevância na Pesquisa
96.09%
A coagulação é uma etapa de tratamento da água, e para tal são realizados ensaios de teste de jarro que permitem determinar a dose necessária dos agentes coagulante e químico de ajuste de pH no processo de coagulação. Contudo, esses ensaios demoram a ser executados, não respondendo em tempo real às mudanças da qualidade da água bruta. Para superar tal limitação, redes neurais artificiais multicamadas foram construídas (e seus pesos sinápticos ajustados), validadas e testadas para predizer a dosagem do hidróxido de sódio e do sulfato de alumínio - utilizados como agentes químico de ajuste de pH e coagulante, respectivamente. Os resultados dos modelos obtidos são compatíveis com os dados experimentais tendo em vista que as incertezas das estimativas estão na mesma ordem de grandeza das faixas indicadas pelos ensaios realizados de testes de jarro ao longo de quase seis anos.

Uso de fosfato para remoção de arsênio de solo contaminado

Silva,Waleska G. P. da; Amaral Sobrinho,Nelson M. B. do; Mazur,Nelson
Fonte: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG Publicador: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 Português
Relevância na Pesquisa
86.09%
Quando da opção do procedimento de remediação de solos contaminados com metais pesados para determinado sítio, deve-se levar em consideração dados do sítio e do contaminante, o grau de contaminação, o uso futuro da área e a viabilidade econômica do processo de remediação. A Cia. Mercantil Ingá, localizada no município de Itaguaí, RJ, extraía zinco da calamina através do processo de hidrometalurgia. Durante 31 anos a empresa dispôs, no seu pátio e de forma inadequada, cerca de 3 milhões de toneladas de resíduo perigoso. Uma das etapas do processo de extração do zinco consistia na adição de trióxido de arsênio para a remoção de impurezas, tendo-se verificado contaminação do solo com arsênio de áreas próximas ao local de disposição do resíduo. Dentro deste contexto se avaliou, no presente estudo, a técnica de remediação ex situ, através da remoção por lavagem de solo contaminado com arsênio, e o tratamento do efluente gerado da lavagem. O fracionamento mostrou que a diminuição do pH aumentou a retenção do arsênio. O diidrogenofosfato de potássio 0,4 mol L-1 mostrou-se eficiente na remoção por dessorção do arsênio presente no solo contaminado, conseguindo dessorver cerca de 70% deste elemento em pH 6...

Construção e emprego de diagramas de coagulação como ferramenta para o monitoramento contínuo da floculação em águas de abastecimento

Bartiko,Daniel; De Julio,Marcelo
Fonte: Instituto de Pesquisas Ambientais em Bacias Hidrográficas Publicador: Instituto de Pesquisas Ambientais em Bacias Hidrográficas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2015 Português
Relevância na Pesquisa
96.09%
Neste trabalho foram construídos diagramas de coagulação a partir de ensaios em bancada com auxílio de um equipamento jartest para a avaliação da turbidez remanescente de uma água de estudo preparada com a adição de suspensão de caulinita (até atingir turbidez de 25 ± 2 uT) submetida à coagulação, floculação e sedimentação. Foi utilizado sulfato de alumínio isento de ferro como coagulante, sendo variada sua dosagem (5 mg L-1 a 100 mg L-1) e o pH de coagulação (3 a 9). Foram estudadas três velocidades de sedimentação (3,0; 1,5 e 0,5 cm min-1). Com o auxílio dos diagramas de coagulação, observou-se resultados satisfatórios para a remoção de turbidez com valores de pH de coagulação entre 6,5 e 7,5 e dosagem de coagulante a partir de 15 mg L-1; dosagens elevadas de coagulante não levaram, necessariamente, aos menores valores de turbidez remanescente. A eficiência de remoção da turbidez foi maior para velocidades de sedimentação mais baixas, chegando a valores menores que 1 uT na menor velocidade de sedimentação estudada. A construção de diagramas de coagulação com base em ensaios em equipamento jartest demonstrou ser uma ferramenta eficaz para a otimização das etapas de coagulação, floculação e sedimentação do tratamento da água...

Desenvolvimento inicial de plantas de soja supridas com diferentes doses de cama de aviário.

VIEIRA, T. P.; LIMA, L. M. de; BENITES, V. de M.; MENEZES, J. F. S.; PAULA, A. A. R. de; CARVALHO, A. M. de
Fonte: IN:REUNIÃO BRASILEIRA DE FERTILIDADE DO SOLO E NUTRIÇÃO DE PLANTAS, 29.; REUNIÃO BRASILEIRA SOBRE MICORRIZAS, 13.; SIMPÓSIO BRASILEIRO DE MICROBIOLOGIA DO SOLO, 11.; REUNIÃO BRASILEIRA DE BIOLOGIA DO SOLO, 8., 2010, Guarapari. Fontes de nutrientes e produção agrícola: modelando o futuro: anais. Viçosa, MG: SBCS, 2010. 1 CD-ROM. FERTBIO 2010. Publicador: IN:REUNIÃO BRASILEIRA DE FERTILIDADE DO SOLO E NUTRIÇÃO DE PLANTAS, 29.; REUNIÃO BRASILEIRA SOBRE MICORRIZAS, 13.; SIMPÓSIO BRASILEIRO DE MICROBIOLOGIA DO SOLO, 11.; REUNIÃO BRASILEIRA DE BIOLOGIA DO SOLO, 8., 2010, Guarapari. Fontes de nutrientes e produção agrícola: modelando o futuro: anais. Viçosa, MG: SBCS, 2010. 1 CD-ROM. FERTBIO 2010.
Tipo: artigo em anais de congresso (alice) Formato: 4 p.
Português
Relevância na Pesquisa
85.81%
RESUMO: A cama de aviário quando manejada de forma adequada pode suprir, parcial ou totalmente, o uso de fertilizante químico na produção de grãos. Para avaliar a influência de diferentes doses de cama de aviário no desenvolvimento inicial de plantas de soja instalou-se um experimento em casa de Vegetação, na fazenda Fontes do Saber pertencente à Universidade de Rio Verde- FESURV. Goiás. Os tratamentos foram cinco doses de cama de aviário (0;12,5; 25; 37,5 e 50 g de cama de aviário/kg de solo) e dois condicionadores: cama tratada com cal (CT CaO) e cama tratada com sulfato de alumínio (CT Al2(SO4)3). Avaliou-se o número de plântulas emergidas, diariamente e aos 28 dias após a semeadura coletou-se a parte aérea e as raízes para determinação do peso da matéria seca. Não houve interação significativa entre condicionadores e doses de cama de aviário. Porém, o índice de velocidade de emergência (IVE), matéria seca da parte aérea e das raízes das plantas de soja foram influenciados significativamente com o aumento das doses de cama de aviário. O uso de condicionadores nas não influenciou de forma significativa o IVE e a matéria seca da parte aérea, porém, a matéria seca das raízes reduziu significativamente com CT Al2(SO4)3.; 2010