Página 1 dos resultados de 155 itens digitais encontrados em 0.035 segundos

Estratégias de redução do estresse e seu impacto no sistema imune de mulheres com câncer de mama: evidências para a prática clínica; Strategies for reducing stress and its impact on the immune system of women with breast cancer: evidence for clinical practice

Abrahão, Camila Aparecida
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 09/05/2013 Português
Relevância na Pesquisa
47.04%
O câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais frequente no mundo e o mais comum entre as mulheres. Agentes estressores afetam significativamente a gênese da doença. O estresse crônico suprime facetas da resposta imune como a atividade das células natural killer (NK) e a proliferação de células T, as quais exercem um papel importante na resposta imune contra o câncer, pois lisam as células tumorais e atuam no combate e monitoramento do crescimento desordenado das mesmas. É concebível que o manejo do estresse possa reduzir a progressão do câncer e melhorar a qualidade de vida de pacientes com a doença. Várias modalidades de redução de estresse tem se mostrado promissoras no tratamento oncológico, como as terapias complementares. O presente estudo teve como objetivo identificar e analisar as evidências disponíveis na literatura científica sobre a utilização de terapias complementares como estratégia de redução do estresse e sua influência no sistema imune de mulheres com câncer de mama. Realizou-se uma revisão integrativa da literatura, utilizando como referencial teórico a Prática Baseada em Evidências. Foram utilizadas cinco bases de dados: LILACS, EMBASE, CINAHL, PubMed e Biblioteca Cochrane. Os critérios de inclusão foram artigos disponíveis na íntegra...

Medicinas tradicionais, alternativas e complementares como marcadores de diferenciação social; Traditional medicine, complementary and alternative medicine as marker of social differentiation

Cristiane Spadacio
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 013/02/04 Português
Relevância na Pesquisa
46.68%
Apesar dos notáveis avanços alcançados pela Medicina Ortodoxa - Biomedicina, tem havido um crescimento exponencial no interesse e no uso de Medicinas Tradicionais (MT), Alternativas e Complementares (MAC). O tema deste estudo ancora-se nas discussões sobre as MT e MAC e sua utilização por diferentes grupos sociais em situação de adoecimento crônico, especificamente o Diabetes Mellitus tipo 2. A pesquisa tem como objetivo compreender em que medida o uso de MT e MAC por pacientes com diabetes tipo 2 está relacionado com diferenças entre grupos sociais no Brasil. Foram entrevistados 80 pacientes de serviços público e privado de saúde. Sendo 40 pacientes em tratamento do diabetes tipo 2 no Ambulatório de Diabetes Mellitus, Hipertensão e Obesidade, da Disciplina de Medicina Interna e Semiologia Médica, do Departamento de Clínica Médica da Unicamp, e 40 pacientes em uma clínica particular na Cidade de Campinas, no período de abril de 2009 a maio de 2010. Nesta pesquisa serão utilizadas as informações socioeconômicas e demográficas dos pacientes, que possibilitam inferir a "posição social" dos entrevistados, assim como aspectos relacionados às percepções dos pacientes, principalmente no que diz respeito ao acesso e à escolha por tratamentos heterodoxos. Teoricamente...

Medicinas e terapias complementares na visão de médicos e enfermeiros da Saúde da Família de Florianópolis

S. Thiago, Sônia de Castro
Tipo: dissertação (mestrado)
Português
Relevância na Pesquisa
66.87%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-graduação em Saúde Pública, Florianópolis, 2009; Esta dissertação de Mestrado em Saúde Pública teve como motivação a observação do aumento recente da demanda por terapias complementares no mundo, o que torna relevante a geração de informações sobre o tema no Brasil. A Organização Mundial da Saúde vem preconizando a inclusão destas práticas nos sistemas públicos de saúde dos países desde 1978, recomendação referendada no Brasil em 1986. As experiências no país, neste sentido, vêm sendo desenvolvidas em ritmo crescente, porém de forma desigual e descontinuada devido à ausência de diretrizes específicas. Somente em maio de 2006 foi lançada a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), a qual recomenda a inclusão de algumas destas práticas no Sistema Único de Saúde (SUS), a sensibilização e formação de profissionais neste campo e o fomento de pesquisas na área. Com o objetivo de explorar a opinião de médicos e enfermeiros da Estratégia da Saúde da Família de Florianópolis sobre essas práticas e sua inclusão no SUS, foi realizada uma pesquisa de caráter quali-quantitativa entre setembro e dezembro de 2008. Um questionário fechado auto aplicado foi preenchido por 94...

Atitudes e conhecimento em relaçao a terapias complementares dos estudantes de medicina da Universidade Federal de Santa Catarina

Morales, Nayara Mendes
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: trabalho de conclusão de curso
Português
Relevância na Pesquisa
46.58%
Trabalho de Conclusão de Curso - Universidade Federal de Santa Catarina. Curso de Medicina. Departamento de Clinica Medica.

Terapias complementares na perspectiva de profissionias de saúde em cuidados paliativos

Lopes, Nádia Andreia Amaro
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em 14/05/2013 Português
Relevância na Pesquisa
46.58%
Contexto: A utilização das TCs é, hoje em dia, uma realidade presente na sociedade portuguesa e a nível mundial sendo a sua integração nos SNSs; a sua disponibilidade e acessibilidade; a sua qualidade e eficácia e o seu uso racional por profissionais e consumidores focos de investigações e desenvolvimento, nos diversos países do mundo, após a WHO Traditional Medicine Strategy 2002-2005. Este estudo evidencia o interesse e a utilização das TCs por parte de profissionais de saúde em Cuidados Paliativos e teve como objetivo geral: conhecer a perspetiva de profissionais de saúde em CP sobre a utilização de TCs no seu quotidiano profissional e por objetivos específicos: identificar o interesse dos profissionais de saúde em CP por TCs; identificar as TCs mais utilizadas pelos profissionais de saúde em CP e identificar as formações em TCs efetuadas por profissionais de saúde em CP. Metodologia: Consiste num estudo exploratório descritivo com uma abordagem quantitativa em que os dados foram obtidos mediante a aplicação de um questionário constituído por três partes A, B e C, correspondentes às características pessoais e profissionais; ao interesse e à utilização das TCs pelos profissionais de saúde em Cuidados Paliativos...

Uso de terapias complementares, alternativas no controlo da dor crónica na região da Beira Interior

Cardoso, Telma Joana Bernardino
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em /05/2012 Português
Relevância na Pesquisa
66.96%
Introdução: 4 em cada 10 portugueses sofrem de dor crónica. Trata-se de uma calamidade, quando a este número associamos um conjunto de alterações físicas, psicológicas, emocionais e económicas que acrescentam imenso ao já demasiado peso da dor do doente. Nas últimas décadas tem-se assistido a uma crescente utilização de terapias complementares/alternativas (TC/A), nomeadamente no que concerne ao alívio da dor. Objectivos: Estimar a prevalência de dor crónica na região da Beira Interior e avaliar a frequência de uso de TC/A nos doentes com dor crónica na mesma região. Metodologia: Estudo transversal, descritivo e analítico. Foram elaborados questionários telefónicos aos habitantes da Beira Interior, com telefone fixo, seleccionados de forma aleatória e recolhidos dados referentes aos utentes inscritos nas consultas de dor da mesma região (CHCB, HAL e HSM), através do registo da mesma consulta. Os dados foram tratados com recurso ao software Statistical Package for Social Sciences® (SPSS - versão 19.0 para Windows) e ao Microsoft Excel ®, considerando-se significativos para p < 0,05. Resultados: A prevalência de dor crónica na região da Beira Interior é de 57%, sendo que as queixas mais frequentes são a lombalgia com ou sem ciatalgia...

Práticas complementares de saúde e os desafios de sua aplicabilidade no hospital: visão de enfermeiros

Melo,Suzane Cristina Costa; Santana,Raíra Gomes de; Santos,Déborah Cardozo dos; Alvim,Neide Aparecida Titonelli
Fonte: Associação Brasileira de Enfermagem Publicador: Associação Brasileira de Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 Português
Relevância na Pesquisa
46.68%
Pesquisa de abordagem qualitativa, descritivo-exploratória, com o objetivo de descrever o conjunto de concepções e saberes que orientam o emprego de práticas integrativas e complementares de saúde (PICS) por enfermeiros; e analisar os desafios que se apresentam à aplicabilidade dessas terapias por enfermeiros no contexto hospitalar. Os sujeitos da pesquisa foram enfermeiros de instituições públicas hospitalares do Rio de Janeiro. A coleta de dados foi feita através de entrevista semiestruturada e técnica de criatividade e sensibilidade denominada Almanaque. Os resultados mostram que a hegemonia do modelo biomédico na formação e atuação dos profissionais de saúde dificulta a aplicação de PICS no hospital. Porém, à medida que esse modelo não dá conta da complexidade do ser humano, emerge a possibilidade de compartilhamento com PICS no cuidado, visando à integralidade do ser humano.

Uso de medicinas alternativas e complementares por pacientes com câncer: revisão sistemática

Spadacio,Cristiane; Barros,Nelson Filice de
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 Português
Relevância na Pesquisa
46.75%
O interesse no tema das medicinas alternativas e complementares tem aumentado, principalmente entre pacientes oncológicos. Realizou-se uma revisão sistemática da literatura na base de dados PubMed sobre o perfil dos pacientes que optam pelo uso dessas medicinas e suas motivações. As palavras-chaves utilizadas na busca foram "cancer and complementary alternative medicine" e "oncology and complementary alternative medicine", no período 1995-2005. Os critérios de seleção foram: presença dos descritores no título dos artigos, idiomas português, inglês ou espanhol e terem sido realizados em população adulta. A partir de 43 artigos analisados, concluiu-se que a utilização de medicinas alternativas e complementares é parte do escopo social desses pacientes. Seu uso é importante na construção da identidade de pacientes com câncer, ajudando-os nas decisões em relação ao tratamento convencional.

Percepção de médicos e enfermeiros da Estratégia de Saúde da Família sobre terapias complementares

Thiago,Sônia de Castro S; Tesser,Charles Dalcanale
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2011 Português
Relevância na Pesquisa
56.88%
OBJETIVO: Analisar a percepção de profissionais da Estratégia de Saúde da Família sobre práticas integrativas e complementares. MÉTODOS: Estudo com 177 médicos e enfermeiros a partir de um questionário auto-aplicado em 2008. As variáveis desfecho foram "interesse pelas práticas integrativas e complementares" e "concordância com a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares". Sexo, idade, graduação, pós-graduação, tempo de formado e de trabalho, possuir filhos, oferta de práticas integrativas e complementares no local de trabalho e uso de homeopatia ou acupuntura compuseram as variáveis independentes. Os dados foram analisados pelo teste do qui-quadrado e teste exato de Fisher. RESULTADOS: Dezessete centros de saúde ofereciam práticas integrativas e complementares; 12,4% dos profissionais possuíam especialização em homeopatia ou acupuntura; 43,5% dos médicos eram especialistas em medicina de família e comunidade/saúde da família. Dos participantes, 88,7% desconheciam as diretrizes nacionais para a área, embora 81,4% concordassem com sua inclusão no Sistema Único de Saúde. A maioria (59,9%) mostrou interesse em capacitações e todos concordaram que essas práticas deveriam ser abordadas na graduação. A concordância com a inclusão dessas práticas mostrou-se associada significativamente com o fato de ser enfermeiro (p = 0...

Percepção de médicos e enfermeiros da Estratégia de Saúde da Família sobre terapias complementares

Thiago,Sônia de Castro S; Tesser,Charles Dalcanale
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2011 Português
Relevância na Pesquisa
56.88%
OBJETIVO: Analisar a percepção de profissionais da Estratégia de Saúde da Família sobre práticas integrativas e complementares. MÉTODOS: Estudo com 177 médicos e enfermeiros a partir de um questionário auto-aplicado em 2008. As variáveis desfecho foram "interesse pelas práticas integrativas e complementares" e "concordância com a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares". Sexo, idade, graduação, pós-graduação, tempo de formado e de trabalho, possuir filhos, oferta de práticas integrativas e complementares no local de trabalho e uso de homeopatia ou acupuntura compuseram as variáveis independentes. Os dados foram analisados pelo teste do qui-quadrado e teste exato de Fisher. RESULTADOS: Dezessete centros de saúde ofereciam práticas integrativas e complementares; 12,4% dos profissionais possuíam especialização em homeopatia ou acupuntura; 43,5% dos médicos eram especialistas em medicina de família e comunidade/saúde da família. Dos participantes, 88,7% desconheciam as diretrizes nacionais para a área, embora 81,4% concordassem com sua inclusão no Sistema Único de Saúde. A maioria (59,9%) mostrou interesse em capacitações e todos concordaram que essas práticas deveriam ser abordadas na graduação. A concordância com a inclusão dessas práticas mostrou-se associada significativamente com o fato de ser enfermeiro (p = 0...

Terapias alternativas / complementares a visão do graduando de enfermagem

Trovó,Monica Martins; Silva,Maria elúlia Paes da
Fonte: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2002 Português
Relevância na Pesquisa
46.88%
O objetivo desta pesquisa foi verificar se os graduandos de Enfermagem conhecem Terapias Alternativas/Complementares (TA), se esse conhecimento é adquirido, durante a graduação, e se utilizam ou recomendam seu uso.Os dados foram coletados de 96 alunos, dos 4 anos de graduação distribuídos eqüitativamente, de maneira que equivalessem a 30% dos alunos de cada ano. Verificou-se que 93,73% conhecem as T.A., que tal conhecimentonãoé adquirido durante a graduação,mas principalmente por meio do senso popular e que, embora a maioria (86,46%) recomende seu uso, sobretudo por acreditar na sua eficácia, apenas cerca de um terço as utilizam.

Terapias alternativas/complementares: o saber e o fazer das enfermeiras do distrito administrativo 71 - Santo Amaro - São Paulo

Nuñez,Helena Maria Fekete; Ciosak,Suely Itsuko
Fonte: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2003 Português
Relevância na Pesquisa
46.88%
Este estudo objetivou verificar o saber e o fazer das enfermeiras que atuam nas unidades municipais de Saúde do Distrito Administrativo 71-Santo Amaro -São Paulo, frente às Terapias Alternativas/Complementares(TA/C). A pesquisa, de abordagem quantitativa com análise qualitativa dos dados, permitiu evidenciar que 89% dos enfermeiros acreditam nas TA/C porém, apenas 22,2% têm conhecimento do respaldo legal e 5,5% têm cursos nesta área; 44,4% aplicam em si mesma e 11,1% aplicam nos pacientes, sete TA/C distintas, classificadas em cinco grupos de HILL. Desvendou-se que há necessidade de buscar novos saberes como opções de assistência à promoção da saúde da população.

Medicinas alternativas e complementares no ensino médico: revisão sistemática

Christensen,Marisa Corrêa; Barros,Nelson Filice de
Fonte: Associação Brasileira de Educação Médica Publicador: Associação Brasileira de Educação Médica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 Português
Relevância na Pesquisa
46.56%
O aumento crescente da utilização das medicinas alternativas e complementares (MAC) requer que os profissionais de saúde estejam aptos a informar e atender seus pacientes, reconhecer efeitos colaterais, interações medicamentosas e praticar com segurança as medicinas complementares, isoladas ou associadas às medicinas convencionais. Este trabalho faz uma revisão sistemática da literatura (RSL) sobre o ensino das MAC em escolas médicas, com a finalidade de refletir sobre as evidências publicadas. Foram analisados 33 artigos indexados no banco eletrônico de referências Pubmed, identificados a partir dos descritores: "ensino das medicinas alternativas e complementares" e "comple mentary and alternative medicine teaching". Observaram-se diferentes formas de inserção das MAC no ensino, atitudes positivas dos estudantes de Medicina frente a elas e desejo de aprendê-las com o objetivo de tratar e orientar futuros pacientes. Conclui-se que o ensino das MAC nas escolas de Medicina tem como fundamento adicionar à prática médica ferramentas diagnósticas e terapêuticas para a atenção, prevenção e promoção, nos diversos níveis de complexidade do sistema de saúde.

Práticas integrativas e complementares: oferta e produção de atendimentos no SUS e em municípios selecionados

Sousa,Islândia Maria Carvalho de; Bodstein,Regina Cele de Andrade; Tesser,Charles Dalcanale; Santos,Francisco de Assis da Silva; Hortale,Virginia Alonso
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2012 Português
Relevância na Pesquisa
46.56%
A Medicina Tradicional/Complementar e Alternativa tem crescido no mundo e sua importância vem sendo ressaltada em diversos estudos. No Brasil, a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares incentiva sua inserção e fortalecimento na atenção primária. Buscou-se identificar a oferta dos serviços e de práticas integrativas e complementares no SUS e a produção de atendimentos entre os anos 2000 e 2011, analisando as informações disponíveis nos bancos de dados nacionais vis-à-vis os dados da atenção primária nos municípios de Campinas (São Paulo), Florianópolis (Santa Catarina) e Recife (Pernambuco). A análise permitiu identificar um descompasso entre o que se registra nos sistemas de informação e o que se pratica nos municípios. Esse descompasso deve-se, em grande parte, à indefinição do escopo do que se compreende como práticas integrativas e complementares na Política Nacional, o que significa uma grande limitação para sua mensuração e avaliação, já que os sistemas de informação atuais não permitem o registro adequado dessas práticas.

Experiência de pacientes com acupuntura no Sistema Único de Saúde em diferentes ambientes de cuidado e (des)medicalização social

Silva,Emiliana Domingues Cunha da; Tesser,Charles Dalcanale
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2013 Português
Relevância na Pesquisa
46.58%
Virtudes atribuídas às terapias complementares, como abordagem holística e centrada nos pacientes e estímulo à autocura, vêm sendo valorizadas e podem, em tese, atenuar a excessiva medicalização social hoje vigente. Dentre elas, a acupuntura destaca-se pela institucionalização e aceitação progressiva. O objetivo foi analisar a experiência de pacientes com acupuntura no Sistema Único de Saúde e como ela se insere no seu cuidado, à luz da medicalização social, esta pensada nos seus aspectos constitutivos das representações e modelos explicativos dos usuários. Foram entrevistados trinta pacientes selecionados das atenções primária e secundária de Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Observou-se relevantes resultados terapêuticos nas queixas principais, no sono, na disposição, no estado emocional e diminuição do uso de fármacos. Os modelos explicativos dos usuários e seu autocuidado foram pouco ou nada modificados pelo tratamento com acupuntura. Notou-se, todavia, um cuidado ampliado e menos iatrogênico, principalmente na atenção primária à saúde, em que houve pouca oferta de outras práticas da medicina chinesa associadas.

Percepções de coordenadores de unidades de saúde sobre a fitoterapia e outras práticas integrativas e complementares

Machado,Dayane Cordeiro; Czermainski,Silvia Beatriz Costa; Lopes,Edyane Cardoso
Fonte: Centro Brasileiro de Estudos de Saúde Publicador: Centro Brasileiro de Estudos de Saúde
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 Português
Relevância na Pesquisa
46.68%
As práticas integrativas e complementares estão em fase de expansão. O estudo objetivou conhecer o ambiente entre gestores para a inclusão de fitoterápicos na assistência. Nesta série de casos, descrevemos as percepções de coordenadores de unidades de saúde sobre as práticas integrativas. Os dados foram coletados em um questionário estruturado. O interesse pela inserção das terapias foi demonstrado por 13 dos 15 entrevistados, e o mesmo número relatou uso de fitoterapia. A fitoterapia também é indicada aos usuários por 13 dos coordenadores. O grupo percebe haver maior prescrição de plantas medicinais do que de fitoterápicos. Conclui-se que há boa perspectiva de aceitação da fitoterapia na rede.

Terapias alternativas/complementares no ensino público e privado: análise do conhecimento dos acadêmicos de enfermagem

Trovo,Monica Martins; Silva,Maria Júlia Paes da; Leão,Eliseth Ribeiro
Fonte: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto / Universidade de São Paulo Publicador: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto / Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2003 Português
Relevância na Pesquisa
46.99%
Este estudo visou a análise sobre o conhecimento que alunos de graduação em Enfermagem de duas instituições de ensino, uma pública e uma privada, têm em relação às terapias alternativas/complementares, uma vez que ambas as instituições oferecem disciplina específica nessa área, de forma optativa e obrigatória, respectivamente. Os dados encontrados sugerem que o conhecimento sobre o tema decorre do senso comum, além do ensino acadêmico. Os alunos recomendam mais a utilização de terapias alternativas/complementares do que fazem uso das mesmas, sendo as mais conhecidas por eles: a terapia floral, acupuntura, homeopatia, cromoterapia, fitoterapia, musicoterapia e massagem. E o aspecto mais negligenciado no processo ensino-aprendizagem dessa disciplina relaciona-se com os aspectos legais da especialização nesse campo para o enfermeiro.

Uso de terapias complementares por mães em seus filhos: estudo em um hospital universitário

Gentil,Luiza Borges; Robles,Ana Carolina Couto; Grosseman,Suely
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 Português
Relevância na Pesquisa
67.17%
O objetivo deste estudo é avaliar a utilização de terapias complementares (TC) por mães em seus filhos. Trata-se de um estudo transversal, descritivo. Foram entrevistadas 202 mães de crianças assistidas em um hospital universitário. As variáveis analisadas foram: uso de terapias complementares/motivos para tal, tipos de terapias utilizadas, sua finalidade, seus efeitos, revelação ao médico/motivos para tal e reação do médico. A prevalência de uso de terapias complementares foi 87,6%. De 177 mães que utilizavam TC, muitas mencionaram mais de um tipo, sendo: chás (72,8%), benzimento (41%), simpatias (12,9%), remédios/xaropes caseiros (8,4%), oração/promessa (7,4%), homeopatia (4,0%), tratamento espiritual/parapsicológico (4,0%), mistura de substâncias desconhecidas/garrafada (3%), massagem (2%) e reiki/florais (1,5%). As ervas mais utilizadas foram erva-doce (16,7%), camomila (14,8%) e hortelã (10,9%); 57,6% das mães não informaram o uso ao médico. Dos 499 tratamentos empregados, houve percepção de melhora em 429 (86%) e relato de dois casos de efeitos adversos. A prevalência do uso de terapias complementares foi alta, sendo os chás a terapia mais utilizada e erva-doce, camomila e hortelã as ervas mais usadas. Houve percepção de melhora na maioria das terapias usadas.

Terapias espirituais e complementares no tratamento do câncer: a experiência de pacientes oncológicos em Florianópolis (SC)

Aureliano,Waleska de Araújo
Fonte: Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro Publicador: Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2013 Português
Relevância na Pesquisa
57.16%
A pesquisa investigou o uso de terapias complementares e espirituais por pacientes oncológicos atendidos em uma instituição terapêutico-religiosa da cidade de Florianópolis (SC), o Centro de Apoio ao Paciente com Câncer (CAPC). Esta instituição oferece terapias complementares, grupos psicoterapêuticos e cirurgias espirituais, sendo que nela trabalham médicos, enfermeiros, religiosos e terapeutas diversos. Utilizamos como método a observação participante realizada ao longo de 15 meses dentro da instituição. Foram realizadas ainda 21 entrevistas semiestruturadas com pacientes e voluntários do CAPC e com seus dirigentes. Observou-se que as pessoas com câncer atendidas no CAPC possuem uma lógica de cuidado diversificada e plural que não opera com as dicotomias mente/corpo, biomedicina/terapias complementares para pensar os processos de saúde e doença, de modo que as terapias complementares/espirituais são analisadas enquanto sistemas possíveis de tratamento. Foram questionadas certas concepções ainda vigentes que analisam a adesão aos tratamentos complementares/espirituais com base nas ideias de "crença", falta de acesso ao sistema biomédico, carência econômica e/ou incapacidade da biomedicina em tratar certas doenças...

Técnicas complementares para controle de sintomas oncológicos

Costa,Aline Isabella Saraiva; Reis,Paula Elaine Diniz dos
Fonte: Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor Publicador: Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2014 Português
Relevância na Pesquisa
46.6%
JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: As técnicas complementares apresentam impacto positivo na redução do estresse e sofrimento do paciente, visto que seus efeitos no organismo reduzem a atividade do sistema nervoso autônomo, responsável pelo controle das funções viscerais e homeostáticas essenciais à vida. O objetivo deste estudo foi identificar evidências na literatura científica relacionadas ao uso de técnicas complementares para o controle de sinais e sintomas em pacientes com câncer. CONTEÚDO: A revisão de literatura foi realizada a partir das bases de dados LILACS, CINAHL, Cochrane e Medline, usando os descritores terapia de relaxamento and dor and câncer, Relaxation Therapy and Pain and Cancer no período de 2002 a 2013. Identificou-se 8 ensaios clínicos controlados e aleatórios que investigaram o efeitos das técnicas complementares no controle de ansiedade, dor, fadiga, sono, na oncologia. As técnicas complementares mostraram-se benéficas na redução da intensidade da dor, percepção de controle sobre a dor, angústia relacionada à dor, fadiga, redução da ansiedade, aumento da qualidade do sono e consequente melhora física. CONCLUSÃO: Os estudos demonstraram a eficácia da técnica que, quando bem empregada...