Página 1 dos resultados de 2 itens digitais encontrados em 0.233 segundos

Projetos de trabalho no ambiente informatizado contribuindo no processo de transição entre ciclos numa escola municipal de Porto Alegre

Moraes, Selva Luzia Benites de
Tipo: trabalho de conclusão de graduação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
45.69%
Este trabalho foi desenvolvido tendo como referência observações e reflexões sobre a prática pedagógica que foram feitas durante o ano letivo de 2010, tendo seu início no estágio curricular obrigatório realizado na EMEF. Heitor Villa Lobos, com uma turma de A30, que corresponde ao 3º ano do ensino fundamental de nove anos. Seu objetivo foi problematizar a “estimulação” que pode ser oferecida através do uso das tecnologias, na conquista da maturidade infantil, oportunizando que estes alunos consigam superar as dificuldades que um período de transição entre ciclos estabelece e consigam realizar trabalhos mais elaborados com autonomia e criatividade, efetivando, desta forma, aprendizagens significativas. Pouco se têm falado sobre esta transição, em que a criança precisa superar limites e conviver com novas “regras”. Uma destas trata-se certamente da transição entre ciclos, pois a cada novo ciclo será exigido um desenvolvimento e posturas apropriadas para as especificações do trabalho a ser realizado. Encontramos teóricos que tratam da passagem da Educação Infantil para os Anos Iniciais (CUBERES, 1997), mas muitas vezes estes conflitos podem se estender até os anos finais do I Ciclo e sobre isto, pouco foi encontrado. Com Vygotsky (1998) através de conceitos como Zona de Desenvolvimento Proximal...

De crianças a alunos: transformações sociais na passagem da educação infantil para o ensino fundamental

Motta,Flávia Miller Naethe
Fonte: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2011 Português
Relevância na Pesquisa
235.89%
Este texto discute alguns achados de uma pesquisa de doutorado em Educação conduzida no município de Três Rios, Rio de Janeiro, numa turma de uma escola pública municipal, cujo objeto foi a passagem das crianças da educação infantil para o ensino fundamental e a ação da cultura escolar sobre as culturas infantis transformando os agentes sociais de crianças em alunos. Os fundamentos teórico-metodológicos foram tecidos em diálogos com os conceitos elaborados especialmente por Bakhtin, Vigotski, Foucault, Certeau e Sacristán. Os conceitos operaram em três planos: de um lado, tivemos a concepção de linguagem de Bakhtin, principal categoria de análise dos dados do campo, e Vigotski, fornecendo subsídios para um pensamento dialético em torno das culturas infantil e escolar tomadas como textos. Em outro plano, consideramos Foucault e Certeau na análise das estratégias de poder e das táticas de resistência encontradas nas práticas observadas e suas influências na subjetivação dos sujeitos. Por fim, a sociologia da infância e o conceito de cultura escolar explicitaram os elementos do campo, colocando-os num contexto. Para abordar as transições e as rupturas entre a educação infantil e o ensino fundamental, contribuíram Moss e Corsaro e Molinari.