Página 1 dos resultados de 683 itens digitais encontrados em 0.015 segundos

Variáveis Sócio-Cognitivas como Preditores da Resposta ao Tratamento Farmacológico da Depressão

Carvalho, Serafim Armindo Dias
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
66.89%
Introdução: resistência, remissão tardia, remissão incompleta com sintomas residuais e recaída ou recorrência são frequentes durante o tratamento farmacológico da depressão. O resultado do tratamento depende do intervalo temporal considerado e dos critérios utilizados como referência. Por outro lado, os estudos têm sido inconclusivos em relação à maior parte dos preditores e só em relação a um pequeno número deles existe consenso. Até ao presente, nenhum outro estudo avaliou em conjunto variáveis evolucionárias (variáveis de ranking ou posto social), acontecimentos e dificuldades de vida antes e durante o tratamento, e experiências de negligência, antipatia, violência física e abuso sexual na infância e adolescência como preditores de resultado e da trajectória da depressão durante o tratamento farmacológico. Objectivos: com o presente trabalho procura avaliar-se se variáveis evolucionárias (i.e., derrota, entrapment, comparação social, comportamento de submissão, vergonha externa); experiências de negligência, antipatia, violência física e abuso sexual; acontecimentos e dificuldades de vida durante o ano anterior ao início do episódio depressivo e durante o estudo, são preditores de remissão e recaída/recorrência da depressão ao longo do tratamento farmacológico. Metodologia: uma coorte de 139 doentes com depressão major...

"Estudo comparativo entre o tratamento farmacológico, o treinamento físico moderado e o treinamento postural passivo em pacientes portadores de síncope neurocardiogênica"; Comparative study among pharmacological treatment, mild exercise training and tilt training in neurocardiogenic syncope patients

Gardenghi, Giulliano
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 09/03/2006 Português
Relevância na Pesquisa
56.57%
Estudo comparativo entre o tratamento farmacológico, o treinamento físico moderado e o treinamento postural passivo em pacientes portadores de síncope neurocardiogênica. A síncope neurocardiogênica é uma disfunção autonômica que leva a hipotensão e perda de consciência. Setenta pacientes foram randomizados em 4 grupos: controle, treinamento físico, treinamento postural e tratamento farmacológico. Avaliou-se recorrência clínica, índices de ansiedade e a sensibilidade barorreflexa para a freqüência cardíaca e atividade nervosa simpática muscular. Ocorreu diminuição da recorrência nos 4 grupos. Diminuição da ansiedade foi observada em 3 grupos, exceto no grupo controle. O treinamento físico melhorou a sensibilidade barorreflexa; Neurocardiogenic syncope is an autonomic disfunction that leads to hypotension and loss of conciousness. Seventy patients were randomized in 4 groups: control, physical training, tilt training and pharmacological treatment. Clinical outcome, anxiety levels and baroreflex sensitivity for heart rate and muscle sympathetic nervous activity were evaluated. Lower recurrence rates were obtained in all groups. Anxiety levels decrease was achieved in 3 groups, except controls. Physical training improved baroreflex sensitivity

Adesão ao tratamento farmacológico de pacientes hipertensos seguidos nos núcleos de saúde da família do município de Ribeirão Preto, SP; Adherence to medicine treatment in high blood pressure patients followed at the Family Health Centers in the city of Ribeirão Preto, SP.

Ungari, Andrea Queiróz
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 06/11/2007 Português
Relevância na Pesquisa
46.71%
Estima-se que a adesão dos pacientes à farmacoterapia anti-hipertensiva varie entre 50 - 70%. A baixa adesão ou não adesão ao tratamento farmacológico anti-hipertensivo constituem problemas de saúde pública e devem ser compreendidos como um dos maiores obstáculos para o sucesso do tratamento da hipertensão arterial. A elevada prevalência desta condição clínica e seqüelas devastadoras no controle inadequado da pressão arterial tem sido freqüentemente relacionadas à mortes precoces. Este estudo tem como objetivo estudar a adesão ao tratamento farmacológico em pacientes hipertensos seguidos nos Núcleos de Saúde da Família I, III, IV e V do município de Ribeirão Preto - SP. Foram entrevistados 109 pacientes, utilizando-se o Teste de Morisky- Green para mensurar o grau de adesão ao tratamento farmacológico e foram estudadas variáveis que possam estar relacionadas ao grau de adesão, como: características sócio-econômicas; fatores relacionados à equipe e ao serviço de saúde; fatores relacionados à terapia; nível de conhecimento sobre a doença e fatores relacionados ao paciente. A análise dos dados foi realizada utilizando-se o programa estatístico Epi-Info versão 6.0 e o software SAS. Observou-se predomínio do sexo feminino em 84...

A eficácia da psicoeducação domiciliar em pacientes com transtorno afetivo bipolar em tratamento na rede coletiva de saúde mental de Ribeirão Preto; The efficacy of psychoeducation with home visit in patients with bipolar affective disorder

Batista, Tarciso Aparecido
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/10/2013 Português
Relevância na Pesquisa
46.72%
RESUMO Introdução: Nas últimas décadas a ideia limitada de que o tratamento para o Transtorno Afetivo Bipolar (TAB) consiste apenas em encontrar a medicação "certa" tem sido amplamente dissipada. A complexidade clínica dessa doença e os diferentes graus de adesão à farmacoterapia, demanda a utilização de opções terapêuticas variadas. Entre as alternativas para suprir essa demanda, tem-se combinado ao tratamento farmacológico uma abordagem psicoeducacional como opção eficaz no tratamento dos indivíduos com TAB. O uso da psicoeducação em formato de grupo tem sido frequentemente utilizada em vários estudos com bons resultados, porém a Psicoeducação Domiciliar ainda não foi avaliada e tal formato não tem sido aplicado em ensaios controlados até o momento. Objetivo: o objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia da Psicoeducação Domiciliar em pacientes com Transtorno Afetivo Bipolar, em tratamento farmacológico padrão, realizada em suas residências. Metodologia: Tratase de um estudo randomizado controlado com 30 pacientes portadores de TAB tipo I ou II, de acordo com os critérios do DSM-IV TR; eutímicos com pontuação 8 na Escala de Depressão de Hamilton (HAM-D) 17 itens e 6 na Escala de Mania de Young (YOUNG). A distribuição dos sujeitos em dois grupos foi feita por meio de randomização estratificada. O grupo experimental (GE) composto de 15 pacientes recebeu além do tratamento farmacológico...

Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico de pacientes com insuficiência cardíaca em acompanhamento domiciliar por enfermeiras

Mantovani, Vanessa Monteiro
Tipo: trabalho de conclusão de graduação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.7%
Introdução: Estudos têm demonstrado a má adesão ao tratamento de pacientes com insuficiência cardíaca (IC) como um dos principais fatores precipitantes de descompensação da doença, e consequentemente de readmissão hospitalar. A intervenção domiciliar realizada por enfermeiras em pacientes com IC torna-se uma maneira de promover o autocuidado e aumentar a adesão ao tratamento. Objetivo: Verificar a adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico de pacientes com IC em acompanhamento domiciliar por enfermeiras. Métodos: Estudo do tipo antes-depois, em que os dados relativos à adesão foram mensurados na primeira e segunda visita domiciliar (VD) e depois comparados. As visitas foram realizadas no domicílio de pacientes que estiveram internados por descompensação da IC no Hospital de Clínicas de Porto Alegre ou no Instituto de Cardiologia. Para avaliar a adesão ao tratamento, aplicou-se o questionário de adesão, previamente validado e adaptado, envolvendo dez questões relacionadas ao uso dos medicamentos prescritos, verificação diária do peso, ingesta de sal, ingesta hídrica e comparecimento a consultas e exames marcados. Resultados preliminares: Foram incluídos 24 pacientes (amostra prevista de 32)...

Epilepsia : prevalencia, caracteristicas epidemiologicas e lacuna de tratamento farmacologico; Epilepsy: prevalence, epidemiologic characteristics and pharmacological treatment gap

Ana Lucia Andrade Noronha Kanashiro
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/06/2006 Português
Relevância na Pesquisa
56.84%
A prevalência de epilepsia ao redor do mundo é estimada em 10/1.000 pessoas; no entanto, o acesso ao tratamento é muito variável. Muitas pessoas não são tratadas, principalmente nos países com desenvolvimento não equilibrado entre as diversas áreas. No Brasil, os estudos epidemiológicos realizados até o momento não haviam abordado o assunto da lacuna de tratamento farmacológico, sendo que este nunca houvera sido medido e suas causas não haviam ainda sido estudadas. Este trabalho teve como objetivo: 1) definir a prevalência da epilepsia em duas áreas urbanas do sudeste do Brasil; 2) definir a lacuna de tratamento farmacológico em pessoas com epilepsia ativa identificadas nessas regiões e 3) extrapolar os dados epidemiológicos encontrados para o Brasil. Foi realizada uma estimativa da lacuna de tratamento da epilepsia, de forma indireta, que nos motivou a investigar melhor a epidemiologia da condição. Posteriormente, nós realizamos um levantamento epidemiológico, utilizando um questionário de rastreamento (sensibilidade 95,8%, especificidade 97,8%) e um questionário validado para classificação sócio-econômica, para determinar a prevalência e a lacuna de tratamento da epilepsia e a influência do fator sócio-econômico sobre elas...

Escolaridade e desempenho cognitivo em pacientes com epilepsia do lobo temporal mesial refratários ao tratamento farmacológico

Carvalho, Denise de Souza
Tipo: dissertação (mestrado) Formato: 89 p.| il., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
56.45%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, Florianópolis, 2014.; Objetivo: Investigar o grau de associação independente entre o nível de escolaridade e as demais variáveis demográficas, clínicas, radiológicas e neurofisiológicas com o desempenho cognitivo de pacientes com epilepsia mesial refratária do lobo temporal mesial (ELTM). Métodos: Cem pacientes consecutivos com ELTM refratária relacionados à esclerose hipocampo (EH, n = 93) ou lesões tumorais mesial (não-EH, n = 7) foram incluídos no estudo. Foi realizada regressão linear múltipla para identificar as variáveis preditivas dos escores brutos de 25 testes cognitivos (variáveis dependentes). As variáveis independentes analisadas foram: sexo, estado civil, atividade laboral, história familiar de epilepsia, o lado da lesão temporal, tipo de lesão (EH ou não-EH), concordância entre a zona de início ictal pelo eletroencefalograma com eletrodos de superfície (Lado de início do EEG ictal) e a localização da lesão epileptogênica na ressonância magnética (RNM), tratamento farmacológico (mono e politerapia, nível sérico dos fármacos), dominância manual...

Tratamento farmacológico da esclerose múltipla : forma surto-remissão

Fernandes, Manuel Filipe Sousa
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em /05/2012 Português
Relevância na Pesquisa
56.4%
A Esclerose Múltipla (EM) é uma doença desmielinizante, com componentes inflamatório e degenerativo do sistema nervoso central (SNC), caracterizada por défices neurológicos disseminados no tempo e no espaço. Atualmente, afeta cerca de 2,5 milhões de pessoas em todo o mundo, sobretudo mulheres entre os 15 e os 45 anos de idade e tem uma distribuição geográfica característica, com taxas de prevalência crescentes em latitudes mais elevadas, como no norte da Europa. A sua etiologia é multifatorial e as evidências sugerem uma interação entre fatores genéticos e ambientais. As manifestações da EM variam desde sintomas ligeiros a doença rapidamente progressiva e incapacitante, com repercussões graves sobre as atividades de vida diária. Pode iniciar-se sob a forma de evento clínico isolado (CIS – Clinically Isolated Syndrome) e evoluir posteriormente para Esclerose Múltipla forma Surto-Remissão (EMSR), Esclerose Múltipla forma Primariamente Progressiva (EMPP) ou Esclerose Múltipla forma Progressiva com Surtos (EMPS). O tipo Surto-Remissão corresponde ao padrão mais comum, caracterizado pela disfunção neurológica aguda, seguida por períodos de recuperação variável, de início com restituição integral das funções e tardiamente...

Tratamento farmacológico da obesidade: medicamentos atualmente utilizados e novos compostos em desenvolvimento clínico

Martins, Armindo Dias
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
46.7%
A presente dissertação encontra-se dividida em dois capítulos distintos: Investigação e Estágio em Farmácia Comunitária. O primeiro capítulo consiste numa investigação no âmbito do tratamento farmacológico da obesidade, que conduziu à elaboração de um artigo de revisão, aceite para publicação no livro “Obesity Epidemic”, da editora iConceptPress, com a referência A. Martins, S. Rolo, M. Castelo-Branco & M. Morgado. “Pharmacological treatment of obesity: a review of currently used drugs and new compounds in clinical development”. Obesity Epidemic. iConcept Press. ISBN: 978-1477554-96-8. A obesidade é uma doença crónica que requer tratamento. Uma vez que as medidas de estilo de vida raramente resultam numa perda de peso a longo prazo, a farmacoterapia é um importante adjuvante às medidas de estilo de vida para melhorar quer a indução quer a manutenção da perda de peso. Devido ao número limitado de opções para o tratamento farmacológico da obesidade atualmente disponíveis no mercado, é urgente desenvolver novos compostos que sejam seguros. Esta investigação tem por objetivo rever os medicamentos aprovados pela Europeam Medicines Agency (EMA) e pela US Food and Drug Administration (FDA) para o tratamento da obesidade...

Tratamento farmacológico da gagueira: evidências e controvérsias

Vila-Nova,Camila; Queirós,Fernanda; Fortaleza,Thiago; Lucena,Rita
Fonte: Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro Publicador: Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2006 Português
Relevância na Pesquisa
66.7%
OBJETIVO: Este artigo tem por objetivo analisar a situação do tratamento farmacológico da gagueira, mostrando a eficácia de diferentes abordagens baseadas em drogas psiquiátricas, além de evidenciar a utilização de outros fármacos no tratamento dessa enfermidade. MÉTODOS: Revisão de literatura em base de dados Medline, utilizando os termos stuttering treatment, disfluency, disfluency treatments, botulinum toxin and stuttering treatment, botulinum toxin and disfluency treatment. RESULTADOS: Foram encontrados estudos envolvendo as seguintes drogas: citalopram + clomipramina, paroxetina, olanzapina, citalopram + alprazolam, pimozida, risperidona, tiaprida, clomipramina e desipramina, levetiracetam, divalproato de sódio, clonidina e betanecol, além de ensaios clínicos com a utilização de toxina botulínica tipo A e anestésicos. Os estudos envolvendo citalopram + clomipramina, paroxetina, olanzapina, citalopram + alprazolam, risperidona, clomipramina e desipramina, levetiracetam, divalproato de sódio, lidocaína e toxina botulínica tipo A demonstraram resultados positivos. A maioria das pesquisas relativas ao tratamento farmacológico da gagueira se restringe a estudos de caso e ensaios clínicos com pequenas amostras. CONCLUSÃO: Não existem evidências suficientes que justifiquem a utilização de um tratamento específico para a gagueira. Os estudos apresentados indicam a necessidade da realização de mais ensaios clínicos duplo-cegos e controlados com placebo envolvendo amostras maiores.

Questões atuais no tratamento farmacológico do TDAH em adultos com metilfenidato

Louzã,Mario R.; Mattos,Paulo
Fonte: Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro Publicador: Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2007 Português
Relevância na Pesquisa
56.4%
O tratamento farmacológico do transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) em adultos inclui o uso de psicoestimulantes, antidepressivos e atomoxetina, sendo o primeiro considerado a indicação de primeira escolha. A eficácia do metilfenidato foi demonstrada em adultos quando se empregavam doses maiores, proporcionalmente similares àquelas usadas em estudos em crianças. O perfil de eventos adversos do metilfenidato, incluindo aqueles relativos ao sistema cardiovascular, parece bastante seguro.

Tratamento farmacológico de transtornos alimentares

Salzano,Fábio Tapia; Cordás,Táki Athanássios
Fonte: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2004 Português
Relevância na Pesquisa
56.45%
Os autores revisaram a literatura a respeito do tratamento farmacológico para transtornos alimentares, incluindo anorexia nervosa, bulimia nervosa e transtorno da compulsão alimentar periódica. São apresentadas evidências clínicas relacionadas ao uso de psicofármacos nos transtornos alimentares e apontadas, ainda, as perspectivas futuras para o tratamento.

Tratamento farmacológico da doença de Alzheimer

Forlenza,Orestes V.
Fonte: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 Português
Relevância na Pesquisa
56.47%
O presente artigo de revisão aborda as perspectivas atuais e futuras no tratamento farmacológico da doença de Alzheimer. Os benefícios e limitações da terapia de reposição colinérgica, representada fundamentalmente pelos inibidores das colinesterases, são apresentados com base em dados de pesquisas neurobiológicas, farmacológicas e clínicas, ilustrados pelos principais estudos controlados por placebo e por estudos recentes de metanálise. O papel da memantina nos casos de demência moderada a grave, bem como as perspectivas de seu emprego em associação com os inibidores das colinesterases, são discutidos adicionalmente com base em achados clínicos e neurobiológicos. Discute-se o papel da reposição estrogênica, dos antioxidantes, das estatinas e dos antiinflamatórios no tratamento e na prevenção da demência, levando em consideração os resultados negativos oriundos de estudos clínico-epidemiológicos recentes. Finalmente, são apresentadas algumas perspectivas futuras do tratamento da doença de Alzheimer: entre as estratégias farmacológicas, que têm como objetivo modificar mecanismos patogênicos, são abordadas as diferentes modalidades da terapêutica antiamilóide, com destaque na imunoterapia da doença de Alzheimer.

O tratamento farmacológico do transtorno bipolar na infância e adolescência

Rohde,Luis Augusto; Tramontina,Silzá
Fonte: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2005 Português
Relevância na Pesquisa
56.45%
O reconhecimento do transtorno do humor bipolar (THB) em crianças e adolescentes tem aumentado significativamente nos últimos anos. O THB, nessa faixa etária, parece freqüentemente se apresentar de forma atípica, assim, humor irritável com "tempestades afetivas" são mais freqüentes do que euforia, o curso da doença é mais crônico do que episódico e sintomas mistos com depressão e mania concomitantes são comuns. Alta prevalência de comorbidades, em especial com transtorno do déficit de atenção/hiperatividade, parece ser a regra. Apesar do efeito devastador do THB no desenvolvimento infantil, poucos estudos têm investigado intervenções farmacológicas nesses pacientes. Essa revisão tem como objetivo apresentar uma discussão crítica dos achados provenientes de estudos recentes nessa nova área de pesquisa, a psicofarmacologia do THB em crianças e adolescentes. Para realizar essa tarefa, uma revisão computadorizada e sistemática da literatura foi realizada por meio do PUBMED. Os dados sobre tratamento psicofarmacológico do THB em crianças e adolescentes são apresentados em três seções: 1) a força da evidência científica na área; 2) descrição crítica dos estudos principais; 3) proposição de um algoritmo de decisão. Apenas um estudo randomizado duplo-cego e controlado por placebo foi encontrado. A quase totalidade dos estudos é composta de ensaios prospectivos abertos...

Adesão e não-adesão ao tratamento farmacológico para depressão

Cunha,Marines de Fátima; Gandini,Rita de Cássia
Fonte: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília Publicador: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2009 Português
Relevância na Pesquisa
56.51%
O presente estudo objetivou compreender aspectos relacionados à adesão e a não-adesão ao tratamento farmacológico para depressão, envolvendo usuários e ex-usuários de um serviço público de saúde mental. Foram entrevistados, individualmente, 24 pacientes (12 aderentes e 12 não aderentes ao tratamento medicamentoso para depressão). Por meio da análise de conteúdo das entrevistas, identificou-se que o fenômeno da adesão/não-adesão estaria inter-relacionado a aspectos intrapessoais, interpessoais e ao contexto do tratamento do paciente. Os resultados fomentaram reflexões acerca do papel de equipes de saúde mental no incremento da adesão ao tratamento, bem como da necessidade de uma maior consideração do indivíduo, da família e do atendimento prestado pela instituição.

Tratamento da hipertensão arterial - respostas de médicos brasileiros a um inquérito

MION JR,D.; PIERIN,A.M. G.; GUIMARÃES,A.
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2001 Português
Relevância na Pesquisa
56.65%
O III Consenso Brasileiro de Hipertensão Arterial recomenda o uso de tratamento farmacológico (TF) e não-farmacológico (TNF). Em nosso meio não se tem conhecimento como esta recomendação vem sendo seguida pelos médicos. OBJETIVOS: a) caracterizar o TNF quanto à indicação e aceitação pelos hipertensos; b) caracterizar o TF quanto ao critério de escolha e drogas prescritas; e c) identificar a opinião do médico sobre o grau de adesão do paciente ao TF e TNF. MÉTODOS: Foram enviados 37.904 questionários com carta-resposta por mala direta para médicos brasileiros e recebidas 2.519 respostas (57% região Sudeste, 41% cardiologistas e 26% clínicos). RESULTADOS: 1- 62% dos médicos que responderam recomendam TNF para 25% dos pacientes. 2- Os TNF mais recomendados são: dieta hipossódica (55%), perda de peso (29%) e prática de exercícios (8%), sendo que os médicos acreditam que 50% dos pacientes seguem dieta hipossódica, 20% prática de exercícios e 19% perda de peso. 3- O TF é iniciado com o uso de droga isolada (88%) e quando não há controle da pressão arterial 55% indicam associação de outras drogas e 33% aumentam a dose. 4- As drogas mais utilizadas são diuréticos (53%) e inibidores da ECA (24%). 5- Os principais critérios para escolha das drogas são experiência pessoal (32%) e características do paciente (31%). 6- Os médicos (60%) acreditam que a adesão ao TF é melhor. CONCLUSÃO: As recomendações do III Consenso Brasileiro de Hipertensão Arterial estão sendo seguidas parcialmente para o TNF e dentro do esperado para o TF.

Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico e fatores associados na atenção primária da hipertensão arterial

Girotto,Edmarlon; Andrade,Selma Maffei de; Cabrera,Marcos Aparecido Sarria; Matsuo,Tiemi
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 Português
Relevância na Pesquisa
66.79%
Com o objetivo de determinar a adesão aos tratamentos farmacológico e não farmacológico da hipertensão arterial na atenção primária e identificar fatores associados, realizou-se estudo transversal com 385 hipertensos de 20 a 79 anos cadastrados em uma unidade de saúde da família de Londrina, Paraná. A adesão ao tratamento farmacológico foi de 59,0%. A atividade física regular foi relatada por 68 (17,7%) hipertensos, enquanto 266 (69,1%) referiram mudanças da alimentação. Na análise de regressão múltipla, associaram-se à adesão ao tratamento farmacológico: maior idade (50 a 79 anos), ter recebido ao menos uma consulta ao ano, não ingestão regular de bebidas alcoólicas e infarto prévio. Hipertensos do sexo masculino, com escolaridade igual ou superior à 4ª série, que receberam pelo menos uma consulta ao ano, com diabetes e sem relato de colesterol elevado mostraram-se mais aderentes à atividade física regular. A realização de dieta associou-se à escolaridade inferior à 4ª série e ao fato de ter recebido no mínimo uma consulta ao ano. Tais resultados demonstram níveis variados de adesão ao tratamento e evidenciam a importância de ações integrais na atenção ao hipertenso.

O tratamento farmacológico da fobia social

Nardi,Antonio Egidio
Fonte: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP Publicador: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1999 Português
Relevância na Pesquisa
56.45%
A fobia social é o medo acentuado e persistente de comer, beber, tremer, enrubescer, falar, escrever, enfim, de agir de forma ridícula ou inadequada na presença de outras pessoas. A fobia social apresenta-se em dois tipos básicos: a circunscrita, restrita a apenas um tipo de situação social, e a generalizada, caracterizada pelo temor a todas ou quase todas situações sociais. As características clínicas da fobia social são a ansiedade antecipatória, os sintomas físicos, a esquiva e a baixa auto-estima. Conforme o rigor diagnóstico, estima-se que 5% a 13% da população geral apresentem sintomas fóbicos sociais que resultem em diferentes graus de incapacitação e limitações sociais e ocupacionais. O tratamento médico de escolha é o uso de medicamentos associados à psicoterapia cognitivo-comportamental. Beta-bloqueadores (atenolol, propranolol), antidepressivos inibidores da monoamino oxidase (IMAO) (fenelzine, tanilcipromina), inibidores reversíveis da monoamino oxidase tipo-A (RIMA) (moclobemida, brofaromina), benzodiazepínicos (clonazepam, bromazepam, alprazolam) e antidepressivos inibidores seletivos de serotonina (ISRS) (paroxetina, sertralina, fluoxetina e fluvoxamina) e alguns outros (venlafaxina, nefazodone...

Tratamento farmacológico do transtorno de estresse pós-traumático

Bernik,Márcio; Laranjeiras,Marcionilo; Corregiari,Fábio
Fonte: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP Publicador: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2003 Português
Relevância na Pesquisa
56.4%
Os autores apresentam uma revisão de literatura sobre a farmacoterapia do transtorno de estresse pós-traumático (TEPT). Poucos ensaios clínicos controlados já foram feitos nesta área, mas o interesse no transtorno é crescente. Os antidepressivos, especialmente aqueles com atividade serotonérgica, parecem ser tratamentos farmacológicos eficazes no TEPT, seja como tratamento primário ou em associação com a psicoterapia.

Conhecimento sobre o tratamento farmacológico em pacientes com doença renal crônica

Moreira,Leonardo Barbosa; Fernandes,Paula Frassinetti Castelo Branco Camurça; Monte,Francisca Sueli; Galvão,Rita Izabel Monteiro; Martins,Alice Maria Costa
Fonte: Divisão de Biblioteca e Documentação do Conjunto das Químicas da Universidade de São Paulo Publicador: Divisão de Biblioteca e Documentação do Conjunto das Químicas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 Português
Relevância na Pesquisa
56.4%
O adequado conhecimento dos pacientes sobre os medicamentos que utilizam é considerado um fator fundamental para a adesão ao tratamento. O nível de conhecimento sobre a terapia farmacológica de pacientes com doença renal crônica (DRC) e os fatores associados a este conhecimento foram avaliados em um estudo transversal envolvendo 130 indivíduos em uso contínuo de algum medicamento pertencente aos grupos C, H02 ou L04 da classificação Anatomical Therapeutic Chemical e que não estivessem sendo submetidos a qualquer terapia de substituição renal. O nível de conhecimento foi mensurado através de um questionário e um escore de zero a dez pontos. Foram estabelecidos três níveis de conhecimento: baixo (menos de seis pontos), médio (seis a oito pontos) e bom (mais de oito pontos). O escore médio foi de 7,8 ± 1,7 pontos e 51,5% dos pacientes apresentaram nível de conhecimento baixo ou médio. Os fatores associados ao alto nível de conhecimento foram: declínio rápido do ritmo de filtração glomerular, controle da pressão arterial e crença do paciente em já ter sofrido reação adversa a algum medicamento prescrito. A maioria dos entrevistados possuía conhecimentos insuficientes para o uso seguro e eficaz dos medicamentos...