Página 1 dos resultados de 1498 itens digitais encontrados em 0.044 segundos

Satisfação dos profissionais de enfermagem

Moura, Sandra Cristina Mendo; Brás, Manuel; Anes, Eugénia
Fonte: Asociación de Psicologia Evolutiva y Educativa de la Infancia y de la Adolescencia (INFAD de Psicologia). Publicador: Asociación de Psicologia Evolutiva y Educativa de la Infancia y de la Adolescencia (INFAD de Psicologia).
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
36.25%
A delimitação do conceito de satisfação profissional é uma tarefa complexa. Tendo por base esta temática, estabelecemos como principal objectivo, verificar se existem diferenças entre as variáveis sociodemográficas, de contexto profissional, de contexto de formação e de contexto laboral e o nível de satisfação dos profissionais de enfermagem. Tratou-se de estudo descritivo, transversal e correlacional que recorrendo à vertente quantitativa do processo metodológico. Nesta investigação optou-se pela aplicação de um questionário anónimo e confidencial aplicado aos profissionais de enfermagem do ACES Trás-os-Montes I (Nordeste) dividido em duas partes: a primeira parte, contemplando variáveis de caracterização sociodemográfica, profissional, de formação, laboral, entre outras e, uma segunda parte constituída pela escala de Satisfação com o Trabalho de Ribeiro (2002). Quanto aos resultaestatisticamente significativos, relativamente às médias de satisfação mais elevadas são profissionais do sexo masculino, com idades superiores a 44 anos, casados e com filhos, que possuem Pós – Licenciatura de Especialização, que não prestam cuidados directos, com horário fixo, motivados e satisfeitos com o vencimento que auferem...

Satisfação dos Profissionais de Enfermagem

Moura, Sandra Cristina Mendo
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Tecnologia e Gestão Publicador: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Tecnologia e Gestão
Tipo: masterthesis
Português
Relevância na Pesquisa
36.35%
A delimitação do conceito de satisfação profissional é uma tarefa complexa, já que esta está intrinsecamente relacionada com a forma como o indivíduo se sente no seu local de trabalho e com as suas características pessoais e associada simultaneamente à produtividade dos indivíduos. Tendo por base esta temática, estabelecemos como principal objectivo, verificar se existem diferenças entre as variáveis sociodemográficas, de contexto profissional, de contexto de formação e de contexto laboral e o nível de satisfação dos profissionais de enfermagem do ACES Trás-os-Montes I (Nordeste). Trata-se de estudo descritivo, transversal e correlacional que recorre à vertente quantitativa do processo metodológico. Nesta investigação optou-se pela aplicação de um questionário anónimo e confidencial aplicado aos profissionais de enfermagem do ACES Trás-os-Montes I (Nordeste) dividido em duas partes: a primeira parte, constituída por um questionário prévio, com questões elaboradas pelo investigador, contemplando variáveis de caracterização sociodemográfica, profissional, de formação, laboral, entre outras e, uma segunda parte constituída pela escala de Satisfação com o Trabalho de Ribeiro (2002). A relação entre variáveis da primeira parte do questionário com as dimensões da escala de Satisfação com o Trabalho...

Variáveis moderadoras do impacto da responsabilidade social das empresas no compromisso organizacional

Vicente, Ana Luísa Fialho Meneses Sepúlveda
Tipo: masterthesis
Português
Relevância na Pesquisa
46.2%
A responsabilidade social das empresas (RSE) trata-se de um conjunto de políticas e consequentes práticas adoptadas pelas empresas, integrando as dimensões ética, legal, social e ambiental na estratégia organizacional e, em consequência, gerando valor para todos os seus stakeholders. O compromisso organizacional (CO), enquanto vínculo psicológico que os colaboradores estabelecem para com a organização, parece ser influenciado pelas percepções dos colaboradores relativamente a práticas e políticas de RSE. Com uma amostra de 289 colaboradores, procurámos clarificar qual o papel que as variáveis sócio-demográficas (género e idade) e profissionais (antiguidade e função) dos colaboradores exercem na relação entre percepções de RSE e CO. De acordo com este objectivo, foram conduzidas análises de regressão múltipla hierárquicas, tendo-se concluído que a variável género e a variável função moderam parcialmente o impacto de percepções de RSE no compromisso pessoal. Contrariamente ao esperado, a variável antiguidade não revelou moderar a relação entre a RSE e o compromisso pessoal, mas a variável idade revelou moderar parcialmente a relação entre a RSE e o compromisso de necessidade. As implicações teóricas e práticas destes resultados são analisadas e discutidas.; Corporate social responsibility (CSR) is a set of policies and consequent practices adopted by enterprises...

Burnout em profissionais das comissões de proteção de crianças e jovens em perigo

Costa, Elisabete Dias
Tipo: masterthesis
Português
Relevância na Pesquisa
36.28%
Desde a mais remota Antiguidade, o trabalho assume um papel preponderante na sociedade. Contudo, pode ser também fonte de problemas, nomeadamente de Burnout. Este trabalho procurou avaliar o Burnout entre técnicos de CPCJ´s (N = 212) e analisar a sua relação com variáveis demográficas, variáveis laborais, qualidade de vida e coping. Nenhum dos inquiridos revelou uma condição compatível com a síndrome de Burnout, mas alguns deles apresentavam indícios de tal condição. As variáveis laborais surgiram mais relacionadas com os níveis de Burnout reportados pelos profissionais inquiridos, comparativamente às variáveis sociodemográficas. Os resultados ilustram também associações entre os scores de Burnout (e/ou respetivas dimensões) e o bem-estar face ao trabalho, assim como entre os scores de Burnout (e/ou respetivas dimensões) e o estilo de vida e coping: quanto menor o bem-estar retirado da prática laboral e a qualidade de vida, maiores os índices de Burnout; quanto maior o sentimento de exaustão emocional e de despersonalização (dimensão do Burnout), menor o coping de controlo; quanto maior o sentimento de realização pessoal (terceira dimensão do Burnout), maior a frequência deste tipo de coping. Este trabalho deve servir de mote encorajador para um maior investimento académico...

Crenças de profissionais de centros de dor sobre dor crônica.; Beliefs of health professionals in pain clinics regarding chronic pain.

Garcia, Dayse Maioli
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/07/2006 Português
Relevância na Pesquisa
36.21%
Os profissionais cuidam dos doentes de acordo com seus conceitos e crenças. Buscou-se analisar as crenças sobre dor crônica não oncológica dos profissionais de saúde que atendem doentes com dor crônica em Centros de Dor da cidade de São Paulo, por meio do Inventário de Atitudes frente à Dor-profissionais. Nove (81,8%) dos onze Centros de Dor identificados concordaram em participar. Os profissionais preencheram ficha de caracterização pessoal, profissional e o Inventário de Atitudes frente à Dor-profissionais, adaptado do Inventário de Atitudes frente à dor-versão breve (IAD-breve), utilizado para doentes. Foram entrevistados 75 profissionais (59,5%). A média de idade foi 42,8 anos (DP=10,5), a distribuição foi semelhante entre os sexos e o tempo médio de graduação foi 16 anos (DP=9,9). A maioria dos profissionais eram médicos 58,7%, seguidos pelos fisioterapeutas (42,7%) e dentistas (10,7%). A maioria (42,7%) possuía especialização e 26,7%, mestrado ou doutorado. Sessenta por cento dos profissionais auto-avaliaram sua experiência com doentes com dor crônica como mediana e 44,0% relataram atender mais que 20 doentes ao mês. O IAD-versão profissional foi validado com 20 itens, a análise fatorial confirmou 6 domínios (emoção...

Qualidade de vida relacionada à saúde de profissionais de enfermagem e erros de medicação em unidades de terapia intensiva; Health-related quality of life of nursing professionals and medications erros in intensive care units

Pelliciotti, Josikélem da Silva Sodré
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/02/2009 Português
Relevância na Pesquisa
36.18%
Este estudo transversal teve como objetivos: caracterizar os erros de medicação relatados por profissionais de enfermagem que atuam em UTI; comparar os dados sócio-demográficos, do trabalho e da qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) dos profissionais envolvidos e não envolvidos com erros de medicação em UTI; verificar se os domínios da QVRS são fatores independentes associados aos erros de medicação em UTI. Foram pesquisados 94 profissionais de enfermagem de três UTIs (duas de adultos e uma pediátrica) de um hospital privado do município de São Paulo, sendo 39 enfermeiros (41,5%) e 55 técnicos de enfermagem (58,5%). Os dados socio-demográficos, do trabalho e os relacionados aos erros de medicação foram registrados em instrumentos próprios. A QVRS foi avaliada com a versão em português do instrumento SF-36. Os profissionais foram comparados em dois grupos, segundo o relato de terem ou não cometido erros de medicação nas quatro semanas anteriores à pesquisa. Regressão logística univariada e múltipla foram utilizadas para análise da relação entre as variáveis. A maioria dos profissionais era do sexo feminino (79,8%), com idade média de 33 anos (dp=6,45), casada ou com companheiro (52,1%). A renda familiar per capita foi de R$ 2.024...

Prevalência e fatores associados de incontinência urinária em profissionais de enfermagem de um hospital universitário; Prevalence and factors associated with urinary incontinence among professional nursing a university hospital Ribeirão Preto

Ribeiro, Juliana
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/08/2011 Português
Relevância na Pesquisa
36.36%
A Incontinência Urinária (IU) é um sintoma multifatorial associado ao estilo de vida, sendo uma disfunção anatomopatológica que interfere, principalmente, na saúde da mulher. Objetivo: O estudo teve como objetivo analisar a prevalência de incontinência urinária e fatores associados em profissionais de enfermagem que atuam em um Hospital Universitário de Ribeirão Preto-SP. Materiais e Método: Trata-se de uma pesquisa descritiva e exploratória de corte transversal com abordagem quantitativa, sobre a prevalência e fatores associados à incontinência urinária entre estes profissionais. A população foi composta por 119 profissionais das unidades de Clínica Médica (CM),Clínica Cirúrgica (CC),Ginecologia (GO) e Obstétricia (OBST), nas categorias de enfermeira, técnica de enfermagem e auxiliar de enfermagem; o período de coleta de dados foi de Junho a Outubro de 2010 .Foi solicitada a autorização da Divisão de Enfermagem do HCFMRP-USP e , posteriormente, enviado o projeto para análise do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da mesma instituição. Este procedimento visa a preservação dos aspectos éticos relacionados à pesquisa envolvendo seres humanos, segundo a resolução 196/96. Resultados: Das 91 mulheres entrevistadas a maioria estava na média de 40 anos e 58 (65...

Autoeficácia percebida em desenvolvimento de carreira e interesses profissionais em estudantes do ensino médio regular e técnico; Self-efficacy perceived in career development and career interests with high school and technical school students

Leal, Mara de Souza
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/07/2013 Português
Relevância na Pesquisa
36.29%
Em momentos de mudanças velozes e de instabilidade do mundo do trabalho, investigações sobre constructos, como a autoeficácia e os interesses profissionais, são relevantes, objetivando maior entendimento no que se refere ao desenvolvimento de carreira de jovens e adultos. No âmbito dos modelos sóciocognitivos da carreira de Lent, Brown e Hackett (1994), este estudo visa analisar a relação entre interesses e crenças de autoeficácia, bem como estudar os interesses e a autoeficácia em função da procedência escolar, sexo e nível socioeconômico familiar. Os participantes da pesquisa foram 241 alunos, de ambos os sexos, do terceiro ano do ensino médio, regular e técnico, com idades entre 16 a 20 anos, provenientes de duas instituições públicas de ensino, de uma cidade do interior do estado de São Paulo. Os instrumentos aplicados coletivamente foram: (a) Questionário de Identificação; (b) Inventário de Autoeficácia em Desenvolvimento da Carreira (CD-SEI) - versão brasileira e (c) Avaliação dos Interesses Profissionais (AIP). Os resultados não apontaram diferenças significativas na percepção da autoeficácia em desenvolvimento da carreira em relação à procedência escolar e ao sexo; no entanto, em relação ao nível socioeconômico familiar verificou-se que alunos de condições socioeconômicas mais elevadas se percebem mais capazes de lidar com questões relativas ao desenvolvimento da carreira que alunos do nível socioeconômico mais baixo. No que se refere aos interesses profissionais...

Integralidade e indígenas urbanos: análise dos relatos de profissionais e usuários de uma unidade básica de saúde no município de São Paulo; Comprehensiveness and the indigenous urban population: analysis of reports by professionals and users of a basic health unit in the city of Sao Paulo

Fidelis, Juliana Gonçalves
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: dissertação de mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 21/05/2014 Português
Relevância na Pesquisa
36.38%
Analisamos a possibilidade de oferta de ações integrais em saúde em um serviço de Atenção Primária na região oeste do município de São Paulo. Esse serviço atende à uma comunidade indígena da etnia Pankararu, residente na favela Real Parque no bairro do Morumbi, através de uma equipe específica da Estratégia Saúde da Família (ESF). Verificamos em que medida o exame de relatos de profissionais e usuários indígenas deste serviço básico de saúde poderia identificar a atenção integral às necessidades de uma comunidade específica. Utilizamos a metodologia qualitativa e examinamos 05 entrevistas realizadas a sujeitos chave, contendo profissionais e usuários indígenas, liderança indígena e profissionais não indígenas. Estas entrevistas foram realizadas por pesquisadores da pesquisa "Caminhos da Integralidade" e sua utilização foi autorizada para nosso estudo. Na análise e interpretação dos dados utilizamos a análise de conteúdo segundo BARDIN. Classificamos o material em quatro categorias pré-definidas segundo os sentidos atribuídos à noção de Integralidade: 1) como boa Medicina, 2) como modo de organizar as práticas de saúde, 3) como demandas específicas e 4) como construção de projetos de felicidade. Identificamos nos relatos expressões favoráveis e desfavoráveis para uma atenção integral à saúde em cada categoria. Destacamos como variáveis favoráveis: o acesso "diferenciado" dos indígenas aos serviços de saúde; a importância da formação profissional e o interesse individual de aproximação com a cultura indígena; e a possibilidade de articulação entre serviços de atendimento ao indígena nos diferentes níveis de atenção. Como variáveis desfavoráveis: a equipe de saúde indígena tomada como "privilégio"; a falta de abertura para expressões culturais no encontro entre profissional e usuário indígena e na relação entre profissionais indígenas e não indígenas; a falta de conhecimento sobre a etnia assistida; dificuldades entre as especificidades da equipe indígena e os protocolos seguidos pela equipe Estratégia Saúde da Família. Constatamos um paradoxo essencial em nossa pesquisa: a presença da equipe de saúde indígena facilitou o acesso dos Pankararu às ações de saúde...

Reações de profissionais de saúde diante do risco de morte em crianças

França, Maria Dulce de
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: dissertação (mestrado)
Português
Relevância na Pesquisa
36.19%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Psicologia.; A palavra morte traz consigo alguns atributos como dor, ruptura, interrupção e tristeza. Designa o fim absoluto do ser humano e de todo ser vivo, fim de um vínculo, de uma época ou até mesmo de uma idéia. Numa posição antagônica, a morte coexiste com a vida, o que não a impede de ser angustiante, mesmo para profissionais de saúde, para os quais esse fenômeno faz parte do cotidiano. Uma realidade constante na vida desses profissionais é a confrontação regular com o processo de morrer, com a morte e com o luto. A intensidade desse confronto aumenta quando se trata de crianças, sobretudo em unidades de terapia intensiva de hospitais. Caracterizar as reações dos profissionais de saúde diante do risco de morte em crianças internadas em UTI possibilita um conhecimento para instrumentar os processos de preparação de profissionais para lidar com esse tipo de fenômeno. Os sujeitos observados foram profissionais de saúde (médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem) que trabalhavam em uma UTI Pediátrica de um hospital beneficente infantil, localizado no Planalto Serrano no interior de Santa Catarina. O instrumento de coleta de dados utilizado foi um roteiro de entrevista...

Stress ocupacional, burnout e suporte social nos profissionais de saúde mental

Miranda, Susana Cristina Cerqueira
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
36.35%
Este estudo tem como objectivos: identificar as fontes de stress nos profissionais de saúde mental; comparar os níveis de stress ocupacional e burnout tendo em conta as variáveis sóciodemográficas e profissionais e analisar a relação entre as variáveis, apoio social burnout e stress ocupacional nos profissionais de saúde mental. Foram utilizados como instrumentos de avaliação um questionário sócio-demográfico, o Maslach Burnout Inventory (MBI), o Questionário de Stress nos Profissionais de Saúde (QSPS) e a Escala de Satisfação com o Suporte Social (ESSS). Neste estudo participaram 40 profissionais de saúde mental. Foram testadas sete hipóteses: na primeira hipótese, esperávamos que existissem diferenças entre os profissionais de saúde mental quanto à expressão de stress e burnout. Esta não se confirmou. Na segunda hipótese, esperávamos que existissem diferenças entre os profissionais de saúde do sexo feminino e masculino quanto à expressão de stress e burnout. Apenas se confirmou parcialmente. Na terceira hipótese, esperávamos que os profissionais de saúde mental casados tivessem níveis mais baixos de stress e burnout do que os solteiros. Não se confirmou. Na quarta hipótese esperávamos que os profissionais de saúde mais novos possuíssem níveis mais elevados de stress e burnout. Confirmou-se. Na quinta hipótese...

Influência da Crise Económica na Saúde Mental dos Profissionais de Saúde

Cabral, Lídia; Duarte, João; Varanda, Helena; Martins, Helena; Sousa, Isabel; Cabral, Jéssica
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
36.19%
Resumo Introdução: Atualmente, é reconhecida a influência que a crise económica desempenha na saúde mental dos profissionais de saúde. As crises económicas são momentos de risco e podem levar a um estado de desequilíbrio do bem-estar mental da população. Assim, em Portugal, com uma prevalência de perturbações mentais e um consumo médio de antidepressivos superiores aos da média europeia, estes são factos alarmantes. Objetivos: Analisar a influência da crise económica, situação laboral e redução do poder económico na saúde mental dos profissionais de saúde; analisar a influência da crise económica atual na redução do poder económico dos profissionais de saúde; conhecer a influência das variáveis sociodemográficas e do impacto da situação laboral na saúde destes profissionais. Material e Métodos: Estudo descritivo-correlacional, transversal, numa amostra não probabilística, em 181 profissionais de saúde (61 enfermeiros, 60 médicos e 60 assistentes operacionais de saúde AOS) do Centro Hospitalar Tondela – Viseu e Agrupamento de Centros de Saúde Dão Lafões, no período de tempo compreendido entre fevereiro e junho de 2014. Como instrumento de colheita de dados utilizou-se um questionário e a Escala de Saúde Mental de Pais Ribeiro (2001). Resultados: Constatámos que 91.2% dos inquiridos se sentem afetados pela crise económica...

Práticas atuais e ideias em intervenção precoce no Alentejo: percepções dos profissionais

Augusto, Helena Sofia Mendes
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
36.2%
No campo da Intervenção Precoce na Infância tem-se verificado uma crescente preocupação com a avaliação da qualidade das práticas, defendendo-se a utilização de práticas baseadas em evidências (Almeida, 2009). Avaliar as perceções dos profissionais revela-se importante, não só para compreender as práticas utilizadas, para aferir a qualidade dos programas, mas também para sensibilizar os últimos para as práticas recomendadas (Warfield & Hauser-Cram, 2005, citados por Mendes, 2010). Neste estudo pretende-se compreender as perceções que os profissionais das Equipas Locais de Intervenção (ELI) do Alentejo têm em relação às suas práticas típicas, bem como as suas perceções acerca das práticas ideais. Participaram 167 profissionais de 25 equipas dos distritos de Portalegre, Évora e Beja e da região do Alentejo Litoral, a quem foram remetidos, via correio, os instrumentos de recolha de dados, o Questionário aos Profissionais de IPI e a Escala de Avaliação de Serviços: Famílias em Contextos Naturais, uma tradução da Families in Natural Environments Scale of Service Evaluation (FINESSE; McWilliam, 2008/2000). De acordo com os resultados obtidos, verifica-se que (1) existem diferenças estatisticamente significativas e de elevada magnitude entre as perceções que os profissionais das ELI do Alentejo têm em relação às práticas típicas e ideais; (2) não existem diferenças estatisticamente significativas na perceção que os profissionais das ELI do Alentejo têm em relação às práticas típicas e ideais...

A Motivação e a Satisfação dos Profissionais de Saúde numa Instituição Hospitalar de Especialidade Oncológica.

Bicho, Paula
Fonte: Universidade Europeia - Laureate International Universities Publicador: Universidade Europeia - Laureate International Universities
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em 27/01/2015 Português
Relevância na Pesquisa
36.25%
A motivação e a satisfação são duas questões que assumem especial interesse para as organizações, uma vez que potenciam o desempenho dos seus colaboradores. O objetivo deste estudo foi investigar como os profissionais de saúde de uma instituição hospitalar de especialidade oncológica são influenciados por fatores de motivação específicos e a associação entre motivação e satisfação neste contexto laboral. O estudo tem ainda como objetivo contribuir para um maior conhecimento da relação entre os dois conceitos, através da identificação das relações entre fatores de motivação e a satisfação. A amostra em estudo foi constituída por 400 profissionais de saúde, aos quais foram distribuídos inquéritos em que se dava conhecimento dos objetivos do estudo. Os resultados revelaram que as análises às médias das categorias profissionais versus remuneração, equipa, atributos de trabalho e realização são verificadas nas correlações. Todos eles estão correlacionados entre si, sendo a satisfação a que apresenta valores mais elevados. A análise de correlações indica ainda outras relações bastante importantes entre as variáveis: habilitações académicas com as variáveis motivacionais e categoria profissional; idade e tempo de serviço; vínculo contratual e tempo de serviço; remuneração e realização...

Expectativas escolares e profissionais dos jovens: sua relação com o rendimento e as percepções de si mesmo como aluno

Veiga, Feliciano; Moura, Hélia; Sá, Lurdes; Rodrigues, Ana
Tipo: info:eu-repo/semantics/conferenceobject
Publicado em //2006 Português
Relevância na Pesquisa
36.21%
Este estudo teve como objectivo analisar a relação entre as aspirações escolares e outras variáveis (género, nível de instrução familiar, nacionalidade), e ainda estudar a relação entre a realização (escolar e pessoal) e as aspirações profissionais, ao longo da adolescência. A amostra foi constituída por 318 sujeitos de diferentes anos de escolaridade (7º, 9º e 11º anos), de escolas da Grande Lisboa. A realização escolar foi avaliada através das notas escolares em disciplinas fundamentais, e a realização pessoal através do instrumento Self-concept as a Learner Scale, já adaptado para Portugal (Veiga, 1996); os alunos foram questionados ainda acerca da profissão que gostariam de vir a ter e da escolaridade que gostariam de atingir. A análise dos resultados permitiu observar diferenças significativas nas variáveis da realização, quer escolar quer pessoal, em função das aspirações escolares e profissionais, apresentando-se tais diferenças favoráveis aos grupos de alunos com maiores aspirações; observou-se, ainda, que tais diferenças passaram por oscilações específicas ao longo dos anos de escolaridade. Os resultados foram interpretados num posicionamento cognitivo-social e desenvolvimentista...

Aspirações profissionais e escolares em adolescentes de diferentes nacionalidades, níveis de instrução familiar e géneros

Veiga, Feliciano; Moura, Hélia; Rodrigues, Ana; Sá, Lurdes
Tipo: info:eu-repo/semantics/conferenceobject
Publicado em //2005 Português
Relevância na Pesquisa
36.21%
Este estudo teve como objectivo proceder ao levantamento das expectativas escolares e das actividades profissionais, desejadas pelos jovens alunos, e analisar a relação que mantêm com variáveis sociais (nacionalidade), familiares, (nível de instrução dos pais), e pessoais (género). A amostra foi constituída por 318 sujeitos de diferentes anos de escolaridade, de escolas da Grande Lisboa. A análise dos resultados permitiu observar diferenças significativas nas expectativas profissionais em função das variáveis referidas, apresentando-se favoráveis aos grupos com melhores contextos de vida e de acordo com os estereótipos sociais. Os resultados foram interpretados num posicionamento cognitivo-social, tomando como suporte de discussão a sua comparação com investigações algo similares e remetendo para a necessidade de pesquisas específicas.

Bem-estar pessoal e satisfação profissional em profissionais de saúde oral

Gonçalves, Anabela da Ascensão Pereira
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2008 Português
Relevância na Pesquisa
36.35%
Dissertação de mestrado em Psicologia da Saúde; O presente estudo teve como objectivo avaliar a Satisfação profissional e o Bem-estar subjectivo nos Higienistas Orais e Médicos Dentistas e perceber a associação entre a Satisfação profissional e o Bem-estar subjectivo dos profissionais de Saúde Oral (Higienistas Orais e Médicos Dentistas), tendo em conta os vários factores inerentes à prática profissional, como várias áreas de intervenção, vários locais de profissão, carga horária, tipo de remunerações, responsabilidades, reconhecimento, trabalho de equipa, ambiente de trabalho, superiores hierárquicos, condições físicas do local, autonomia nos tratamentos e tipo de trabalho. Pretende também perceber se existirá diferença entre estes dois grupos de profissionais abrangidos, de forma a que a investigação desta matéria, proporcione melhores condições para os serviços prestados pelos mesmos. O estudo correlacionai realizado, abrangeu 225 Higienistas Orais e Médicos Dentistas, que estando inscritos na Associação Portuguesa de Higienistas Orais e na Ordem dos Médicos Dentistas respectivamente, a exercer funções como tal, preencheram correctamente e de forma completa, os questionários utilizados nesta investigação...

Conhecimentos e atitudes face à infecção pelo VIH: a prática dos profissionais de saúde nos cuidados de saúde primários no Algarve

Vidinha, Maria de Fátima Marques
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterthesis
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
36.17%
Dissertação de mest., Psicologia Clínica e da Saúde, Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Univ. do Algarve, 2011; Este estudo não tem a pretensão de descobrir falhas no sistema de saúde mas sim de dar o seu contributo para fortalecer a prática dos profissionais de saúde dos Cuidados de Saúde Primários do Algarve, face à infecção pelo VIH/sida, quer seja na prevenção, detecção precoce, acompanhamento do utente e conhecimento do próprio profissional de saúde. Neste sentido, foi realizada uma pesquisa de cariz exploratório e descritivo, que contou com a participação de 225 profissionais de saúde – médicos, enfermeiros, psicólogos e assistentes sociais – a exercer funções nos Cuidados de Saúde Primários no Algarve. Foram aplicados três questionários, um sócio-demográfico, um sobre conhecimentos e outro sobre atitudes face à infecção pelo VIH/sida. Após uma parte teórica, onde se apresentou o quadro em que a infecção VIH se encontra no mundo, na Europa, em Portugal e em particular no Algarve, foram elaboradas as hipóteses em estudo. Verificou-se que nenhuma das variáveis sócio-demográficas, como a idade, o género ou a categoria profissional, influenciaram os conhecimentos sobre a infecção VIH/sida...

A influência de fatores de personalidade e de organização do trabalho no burnout em profissionais de saúde

Souza,Wilma Costa; Silva,Angela Maria Monteiro da
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2002 Português
Relevância na Pesquisa
36.24%
O presente estudo investigou a relação de fatores de personalidade e de fatores ligados à organização do trabalho com a síndrome do burnout. As características de personalidade examinadas foram padrão tipo A de personalidade e traço de ansiedade. Os fatores da organização do trabalho investigados envolveram o significado do trabalho, a percepção de controle e o suporte da chefia imediata. Participaram do estudo 239 profissionais de saúde. Eles responderam a cinco medidas para avaliação de dados sócio-demográficos, personalidade tipo A, traço de ansiedade, fatores do trabalho, burnout total e suas dimensões (exaustão emocional, despersonalização e realização pessoal com o trabalho). As análises de regressão múltipla (Stepwise) indicaram que as variáveis traço de ansiedade, suporte da chefia e tipo A de personalidade foram preditores significativos do burnout total e da exaustão emocional, enquanto as variáveis traço de ansiedade e tipo A de personalidade predisseram significativamente a despersonalização. Nenhuma das variáveis do estudo predisse significativamente a dimensão realização pessoal com o trabalho.

Prevalência e fatores associados ao Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) em profissionais de emergência: uma revisão sistemática da literatura

Lima,Eduardo de Paula; Assunção,Ada Ávila
Fonte: Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 Português
Relevância na Pesquisa
36.17%
OBJETIVO: Identificar as prevalências de Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) em profissionais dos serviços de emergências e conhecer os fatores associados ao desfecho. MÉTODOS: Foram consultadas sete bases de dados (MEDLINE via Pubmed, PsycINFO, LILACS, SciELO, BDENF, DISASTRES e MEDCARIB) entre os dias 10 e 25 de setembro de 2009, restringindo-se a pesquisa a artigos em português, inglês ou espanhol publicados no período de 2004 a 2009. Os descritores utilizados abarcaram termos relacionados a profissionais/serviços de emergência, transtorno de estresse pós-traumático e condições de trabalho e saúde ocupacional. Foram incluídos estudos observacionais quantitativos que investigaram a prevalência de TEPT e fatores determinantes ou associados à doença em amostras de bombeiros, profissionais de ambulância, profissionais da Cruz Vermelha e profissionais de emergência em hospitais. Foram excluídos estudos com base em amostras inadequadas para os objetivos da revisão (policiais, voluntários e filhos de profissionais de emergência) ou que não incluíram sintomas de TEPT como variável dependente em pelo menos um dos objetivos. RESULTADOS: A leitura dos títulos e resumos resultou em 30 artigos. A revisão das publicações completas permitiu a inclusão e análise de 17 artigos. Os estudos selecionados adotaram diferentes delineamentos...